História Hello, Shooting Star - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Chen, Xiumin
Tags Baekyeol, Chanbaek, Chenmin, Hanhun, Hunhan, Kaisoo, Kristao, Kyungin, Layho, Sulay, Taoris, Xiuchen
Visualizações 177
Palavras 2.304
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fluffy, Romance e Novela, Shonen-Ai, Slash, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Quem tá vivo sempre aparece, E EU VOLTEI. DESCULPA A DEMORA GENTE, SÉRIO ME DESCULPEM, NÃO ME APREDEJEM.

Eu estava passando por algumas coisas na minha vida, mas isso também não é muita desculpa para não ter postado capítulo, vou ser sincero e dizer que enrolei, teve momentos em que decidi apagar a fanfic por motivos fúteis, mas eu gosto tanto dela que decidi escrever. Vou tentar atualizar minhas outras fanfics também.

Boa leitura para vocês

Capítulo 4 - Estojo; 1 Coríntios 13:4-7


Fanfic / Fanfiction Hello, Shooting Star - Capítulo 4 - Estojo; 1 Coríntios 13:4-7

Estojo, Bússola


A faculdade tem tomado conta do tempo de Minseok e de Jongdae, então desde aquela noite na qual se beijaram, não puderam se encontrar com frequência. E Jongdae sentia muito falta, o mais velho tomava conta de sua cabeça o tempo todo e às vezes ficava olhando fixamente para um ponto qualquer pensando no mesmo. Falando nele, o rapaz se encontrava sentado na escrivaninha de seu quarto, totalmente vidrado no livro mas com os pensamentos em outro lugar, especificamente pensando em como iria ver Minseok no meio daquela agenda lotada de estudos. Suspirara pela incontável vez, batucando a caneta no caderno, desistindo de estudar naquela hora, levantou-se indo para a cama e deitando na mesma com o rosto enterrado no travesseiro. Mas levantou a cabeça assim que escutou a porta de seu quarto abrir, revelando o pai com a expressão naturalmente rabugenta em sua face sentando na sua cama.

— Percebi que está estudando muito — Falou brevemente, olhando para a escrivaninha do quarto do filho, o computador ligado com várias abas abertas sobre o mesmo assunto e os matérias bagunçados na cama — Leu a bíblia hoje?

— Não pai — Suspirou se sentando na cama — Eu preciso estudar pro teste que vai haver no final da semana, eu leio antes de dormir, não se preocupe…

O pai olhou para ele, depois levantou e saiu do quarto sem dizer uma sequer palavra. Jongdae apenas saiu da cama, retirando a camisa que usava…


Minseok conversava através de mensagem com Luhan, comentando que necessitava fazer algo que não fosse ligado à faculdade, como um bom amigo, Luhan perguntou se o mesmo não queira ir para a sua casa naquele fim de semana e o mesmo como não faria nada nesses dias aceitou de bom grado o convite. Depois da conversa, pegou um livro que estava lendo e olhou para o mesmo por um tempo, pensando em Jongdae e o quanto o mesmo comentou sobre ele para si. Abriu as paginas lendo mais um capítulo de "Cinder" um livro da série As Crônicas Lunares, no qual eram versões diferentes de alguns contos de fadas, e o Kim confessava que o livro era bem interessante.

Mas então sentiu seu coração bater, pensando em Jongdae e sentia muita falta do mesmo, ele queria-o próximo, a presença dele era importante para si. Então fechou o livro com o marcador de página na qual estava na que parou de ler e se levantou, decido a ir para a janela que por sorte era próxima da do quarto de Jongdae e corou os olhos ao perceber o mesmo de costas e sem blusa, revelando a costa branca. Minseok se escondeu ao notar que o mesmo se virará para frente e finalmente revelando o corpo um pouco menos musculoso que o seu mas… sexy.

Engoliu em seco, pegando o celular e tirando uma foto sem o mais novo ao menos perceber, suspirando por ver que o mesmo sairá do quarto sem nem notar que estava sendo observado. Minseok ficou aliviado, mas se escondeu novamente quando Jongdae voltou para o quarto totalmente pelado, pegando algo na cama. O mais velho ficará mais corado ainda, porém, não se negou a tirar outra foto e se jogar na sua cama pensando no que fez e rezando para Deus - Já que seus pais lhe ensinaram a rezar antes de saber no que acreditar – para que Jongdae não tenha lhe visto.

Minseok olhou para as fotos e mordeu os lábios, é a primeira vez que o via nu. Levou a mão para dentro da calça larga que usava, introduzindo os dedos facilmente em sua cueca apertando o membro que despertava, soltou um gemido sôfrego ao sentir o toque de sua mão gelada em seu próprio sexo. Com o olhar fixo para a tela do telefone mostrando a foto de Jongdae pelado.

Com uma mão ocupada bombeando o membro fazendo vai e vem, com a outra deixará o celular cair na cama encostando a mão na própria boca lembrando do beijo que tiveram naquele dia. A temperatura de seu corpo aumentava e os gemidos eram fracos e quase não se dava para ouvir, porém de alguma forma o deixava mais excitado, levantou-se rápido tirando a camisa e a calça junto da cueca, estranhava todo aquele calor de uma hora pra outra, mas não se importou. Sentado, pegou no próprio membro novamente voltando a fazer sua mão subir e descer rapidamente enquanto a outra era levada diretamente para seu mamilo direito.

Imaginou Jongdae ali na sua frente malignando de si, do corpo estrutural que tinha no qual era disfarçado por sua face infantil. Segurando suas coxas e apalpando sua bunda fortemente, enquanto o mandava implorar por mais e gemer mais alto enquanto estocava-o com rapidez e força, entretanto, tomando cuidado para não machuca-lo. Aconteceu de Minseok acabar soltando um grito como resultado, sentindo o líquido quente de sua porra atingir sua barriga, jogando o próprio corpo na cama tentando respirar fundo pensando no que tinha acontecido ali.

Ele acabou de se masturbar enquanto pensava em Jongdae e ainda por cima fazendo sexo consigo. Com a respiração ainda descompassada e corpo todo suado, Minseok se levantou com cuidado, observando pela janela e vendo o quarto do agora cara que pensou enquanto batia punheta e as luzes se encontravam apagadas insinuando que o mesmo deveria estar dormindo naquele momento. 

Soltou respiração que nem sequer percebeu ter prendido e andou até o espelho do quarto, observando o seu corpo musculoso, passando a mão pelo mesmo e encostando no líquido viscoso e ainda quente. Pegou a toalha e tratou de vestir apenas o seu short, caminhando para fora do quarto em direção ao banheiro tomar um banho de água fria.

[…]

— Minseok — Luhan estalou os dedos na frente do rosto do amigo, fazendo o mesmo acordar de seu transe — Você não vai comer o seu lanche? Se quiser eu como por você, eu taquei o foda-se pra dieta e to afim de comer muito.

Os dois se encontravam no shopping, após a semana de testes da faculdade, no qual todos os cursos faziam as provas na mesma semana, assim não prejudicando o método de ensino do lugar. Mas isso não é importante pra história. Voltando, os dois amigos se encontravam sentados na praça de alimentação do lugar, quando decidiram ir para o mesmo almoçar por lá e aproveitar para fazer compras.

Minseok encarou o pedaço de BigMac a sua frente e tratou de morder ele rapidamente, olhando possessivamente para Luhan não permitindo o mesmo encostar em sua comida após lembrar-se do que haveria acontecido na semana que se antecedeu a essa, na qual se masturbou pensando no maldito religioso Kim Jongdae. Sentia falta dele.

— Se quiser, vai comprar outro, eu não vou te dar o meu — Luhan fez uma expressão de incredulidade, estava burlando a dieta e o amigo não o ajudava nisso. Se levantou enfurecido e empinou o nariz dizendo que logo estaria de volta.

Luhan na verdade parou na primeira sorveteria que tinha na sua frente e decidirá comprar um copo grande de Milk-Shake que ganharia mais do que indo comprar o sanduíche. Estava pegando o seu tão adorável copo de milk-shake quando viu alguém chegar perto e pedir um sorvete, a voz era conhecida e o fez se arrepiar por ser grossa, olhou para a moça do caixa e a mesma parecia paralisada então olhou para trás encontrando Sehun.

O mais novo se encontrava usando o uniforme de uma livraria do shopping, com as tatuagens de constelações no pescoço e o cabelo agora escuro como a noite. Ele olhou ao perceber a movimentação e sorriu ao saber que era Luhan, o mesmo pegou o copo e dando uma piscadinha para o chinês que corou enquanto voltava para a loja. Luhan ficou encarando-o, as costas eram largas porém os braços eram magros e a bunda grande o deixava com um charme. Olhou para a moça e a viu suspirar, tornando seu rosto vermelho de envergonhado para um ciumento, coisa que nunca teve.

— Eu peço que pare de encarar meu namorado — Falou olhando seriamente para a caixa que assentiu assustada, pegou o celular e colocou o canudo do copo na boca começando a tomar o milk-shake, esbarrando em alguém que não verá por estar concentrado de mais em seu telefone. Porém ao olhar para aquele no qual esbarrou, arregalou os olhos ao ver um sorriso ladino brotado no rosto do outro, sentindo suas bochechas corarem com o olhar irônico do mesmo. 

— Então quer dizer que eu sou seu namorado? — Perguntou sínico, se abaixando para ficar cara a cara com o chinês, Luhan podia ver mais de perto suas tatuagens e a respiração do mesmo era fria como de alguém que acabara de comer uma bala de menta — Eu não sabia disso, seu ciúmes deve ter feito você endoidar.

Luhan até podia estar hipnotizado pela bela beleza do outro, mas não deixaria de retrucar.

— Eu não estou com ciúmes seu… — Luhan não tinha o que dizer, ele não tinha nenhum insulto para Sehun, parecia que sua mente se esvairá quanto encarará o olhar sugestivo do mais alto. Bufou revirando os olhos e cruzando os braços, mas não antes de jogar os cabelos azulados para o lado olhando enfurecidamente para o outro — Olha aqui, eu não vou ficar aqui escutando você rir da minha cara, então passar bem…

Luhan lhe deu as costas e Sehun ficou lá parado encarando a bunda do mais velho balançar perante a calça apertada, mordeu o lábio inferior colocando as mãos nos bolsos e pegando seu sorvete em cima da mesa, voltando para a livraria na qual trabalhava achando que talvez valesse a pena provocar um pouco o chinês, assim como também achava que valeria a pena ter algo com o mesmo.

[…]

Após o dia divertido que teve com Luhan, deitar em sua cama foi como uma benção, o conforto dela nunca foi tão bom. Olhava para o teto de seu quarto e pensava nas coisas que fez no dia, fez compras com o melhor amigo mesmo não tendo comprado nem metade das roupas e acessórios que o mesmo comprou, suspirara com um sorriso no rosto, teria muitas boas lembranças do dia e ficaria feliz em se lembrar delas sempre, principalmente quando observou o amigo ter um ataque de ciúmes por uma mulher ter olhado descaradamente para Sehun.

Estava em seus pensamentos quando escutou batidas na janela de seu quarto, olhou assustado para a direção do barulho e as cortinas azuladas escondiam quem é que fosse aquele por trás das batidas, se levantou e andou cautelosamente até a janela, fazendo a mão se formar em um punho e tirando a cortina da frente e se assustando ao ver Jongdae ali sorrindo para si, revelando as covinhas mínimas que tanto adorava. Abriu a janela e colocou a cabeça para fora, sendo surpreendido com um breve selar em seus lábios.

— O que está fazendo aqui? — Perguntou Minseok, tentando não ficar corado com o ato anterior.

— Vim aqui ver você — Falou Jongdae entrando pela janela, vendo Minseok lhe dar espaço para passar — Peguei a escada que tem em seu quintal. Espero que não caia, faria um grande estrago.

Jongdae riu, Minseok sentiu o coração bater rápido, como sentia falta do mesmo. Não pensou duas vezes antes de abraçar o corpo do rapaz de sua altura, e sentir o cheiro amadeirado do perfume do mesmo, Jongdae parecia trajar uma roupa qualquer, mas mesmo assim parecia bonito aos olhos de Minseok, principalmente quando sorria.

— Eu senti a sua falta — Começou o mais velho, vendo o outro lhe apertar mais ainda em seus braços — Promete que não vai mais se distanciar?

— Prometo e juro, acima de tudo, sou seu melhor amigo não? — O mais novo sorriu e andou com Minseok até a cama do mesmo se sentando ao seu lado — Não importa o que virá aqui pra frente, eu estarei ao seu lado, principalmente agora que as provas acabaram, já não aguentava mais aquilo tudo.

Minseok riu, na verdade gargalhou, jogando a cabeça para trás e dando um soco leve no braço do amigo, esse no qual se encantava com cada mínimo detalhe do rosto do mais velho. Uma preciosidade como Minseok não deveria sofrer, deveria sempre sorrir, sorrir para si, para suas piadas, sorrir para tudo que o deixasse feliz e Jongdae amava aquilo, amava e se sentia sortudo por tê-lo como seu amigo.

— Acho que tenho que ir — Falou o mais novo, sorrindo zombeteiro, se levantando porém sendo puxado por Minseok que lhe dará um beijo afoito que levava as mãos para seu pescoço e nunca, não sendo negado e correspondendo o ato da mesma forma que o outro. As bocas se moviam em sincronia e a cada selar era uma sensação diferente, ainda um pouco desconhecida para ambos, porém importante. Infelizmente o ar se fez necessário e tiveram que se separar, Jongdae novamente sorrindo, andou para a janela e finalmente conseguirá pisar na escada, Minseok foi até o mesmo e o ajudou a se segurar.

— Que tal sairmos amanhã? Tipo em um encontro? — Perguntou o mais velho.

— Encontro? — Ficou animado o mais novo — Eu adoraria.

Jongdae desceu as escadas e se arrependeu de ter feito isso, assim como se arrependeu de andar a sua casa sorrindo abobalhado animado para o dia seguinte, se arrependeu de ter aberto a porta da casa e de ter visto seu pai ali com um cinto na mão totalmente enfurecido e se arrependeu amargamente de não ter se defendido perante o mais velho.

O amor é paciente, o amor é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha. Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor. O amor não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade. Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. - 1 Coríntios 13:4-7


Notas Finais


QUE FINAL FOI ESSE NÃO É? ME DESCULPEM MAS ERA NECESSÁRIO

Mas podemos ver outras coisas não é? Minseok sentindo coisas pelo Chen fazendo ele sentir coisas que não era de seu costume sentir. Sehun e Luhan estão chegando a um consenso e tem até o chinês com ciúmes né? E essa cena XiuChen no final, muito fofa né?

Espero que tenham gostado, me desculpem os erros de português, eu os identifico depois e corrijo, bateu a preguiça

Tenham uma boa noite e até a próxima


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...