História Help - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Agust D / Suga, Bangtan Boys (BTS)
Personagens Suga, V
Tags Bts, Suga, Taegi
Visualizações 38
Palavras 1.127
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Lemon, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eu juro que tentei me segurar, mas tô tão animada com essa fanfic que não estou me contendo.

Capítulo 2 - 1.1


Fanfic / Fanfiction Help - Capítulo 2 - 1.1

- Quem era o doido quando estava gritando, tia? - Yoongi pergunta, impaciente

- Ah, o novo rapaz que cuidará de você.

- Não sou criança 'pra alguém cuidar de mim.

- Mas eu saio demais e não quero te deixar sozinho.

- Ah, ninguém liga.

- Ora, tenha modos mocinho!

- Modos? - Yoongi sorri, cínico. - Quem liga para modos?

- Eu. Ainda sou sua tia se não lembra.

- Que se foda! Sabe que estou esperando a morte.

- Yoongi!

                      [...]

- Senhor Kim? Já chegou? Ainda é cedo.

- Eu sei. Mas quis vir cedo.

- Ah, quer tomar café?

- Se não for incômodo

- Não. Não é. Assim você aproveita e conhece o Yoongi.

- Ah, que ótimo! - Taehyung sorri.

                     [...]

- Esse é o Yoongi.

A mulher diz e aponta para o rapaz de cabelos tingidos.

- Ele é bonito. - Taehyung comenta e sorri.

- Não seja idiota. - Yoongi responde.

- Não é para ser grosso, Yoongi.

- Que se foda. A casa é minha, falo como eu quiser.

- Está tudo bem, senhora Min.

- Olha, ele quer melhorar a situação. - Yoongi ri. - Não finja ser compreensível.

- Senhor Min, você não tem educação? - Taehyung pergunta.

- O que disse?

- Tenha respeito com sua tia! Ela é mais velha que você, deveria tratá-la bem. - Taehyung cruza os braços.

A mais velha apenas olhava Taehyung, supresa. Em toda a sua vida, nunca viu alguém levantar a voz para Yoongi.

- Quer perder seu emprego? - Yoongi pergunta.

- Não. Apenas estou lhe dizendo como deve tratar alguém que é especial para você!

- Ela não é especial 'pra mim.

Taehyung suspira.

Como esse cara pode ser tão insensível?

- Eu preciso ir trabalhar. - a mulher diz.

- Não irá tomar café, senhora Min?

- Perdi a fome. - a mulher sorri fraco e vai para seu escritório.

Taehyung ficou olhando para a porta do escritório da mulher, deixou com que uma lágrima fina descesse por sua bochecha.

- Cadê você, infeliz?

Taehyung olha para Yoongi, esse que apenas procurava o mais novo, tateando ao seu redor. O mais novo se aproximou do rapaz de cabelos tingidos de azul marinho e levou as mãos do mesmo até seu rosto.

- Pelo menos foi útil em algo.

Taehyung apenas revira os olhos e Yoongi toca em cada  parte de seu rosto. Ficaram alguns minutos assim, mas logo Taehyung se afasta do mais velho.

- Venha tomar café. - Taehyung diz e tenta ajudar Yoongi a se sentar, mas leva um tapa no braço.

- Eu sei me sentar.

Taehyung apenas resmunga e senta na cadeira ao lado do Min.

- O que quer comer?

- Coloque bastante geleia em meu pão e um pouco de suco de laranja, por favor.

O mais novo apenas assente e serve o Min.

- Aqui está. - Taehyung conduz a mão do Min ao pão e a outra ao copo no qual o suco estava.

- Eu… Irei ao banheiro rapidinho.

- Seja rápido.

- E se eu for cagar?

O Min riu baixo.

- Aí libere tudo. Mas puxe a descarga.

- Eu sei disso.

                        […]


- Senhora Min? - Taehyung bate na porta.

- Entre.

Taehyung abre a porta lentamente e logo entra no cômodo. A mulher estava olhando para alguns papéis enquanto fungava, baixinho para o Kim não ouvir.

- Eu queria pedir desculpas pelo Yoongi. Ele não sabia o que estava fazendo e nem falando. - Taehyung diz e a mulher apenas sorri.

- Ah Taehyung… Se mais meninos como você existissem, o mundo ainda poderia mudar. - Taehyung sorri.

- Obrigado.

- E não precisa se desculpar pelo Min, ele é assim mesmo.

- Eu sei. Mas isso não é certo! - Taehyung olha para um canto qualquer do cômodo e suspira. - Eu era assim mesmo com minha avó, mas depois que ela morreu, eu me arrependi muito. Eu pensei mais e ela não merecia ouvir tudo o que eu dizia 'pra ela.

A mulher encarou Taehyung e deu um sorriso fraco.

Tão puro… Como uma criança. - Pensou a mulher.

- Não se preocupe, meu bem. - Taehyung encara a mulher. - Eu estou bem.

A mulher levanta e abraça Taehyung, esse que apenas retribui o abraço e sorri.

- Melhor eu volta ao trabalho. - Taehyung diz. - Quando precisar de um abraço ou um ombro amigo, aqui estou eu.

- Sei disso.

Os dois sorriram e Taehyung voltou para a cozinha.

- Voltei.

- Porra, quanta demora.

- Ow! Respeita meu cocô.

- Okay né. - Yoongi sorri. - Vamos pro quarto.

- Ah, claro!

                                          […]

Taehyung deitou Yoongi na cama com todo o cuidado do mundo, o cobriu e ficou encarando o Min.

- Kim?

- Sim.

- Em cima do criado mudo, tem um fraco laranja com algumas pílulas, pegue duas 'pra mim e um copo d'água.

- Claro. Só vou pegar o copo de água.

- Humrum.

Taehyung desceu para a cozinha e pegou um copo d'água, subiu novamente para o quarto do Min e pegou duas pílulas no frasco laranja.

- Aqui. - Taehyung senta na cama e o Min logo se senta também.

- Obrigado. - o Min engole as pílulas junto com a água e entrega o copo ao Kim.

- Quer mais alguma coisa?

- Saber mais de você.

- Como assim?

- Preciso saber se é algum espião.

- Por que diabos um espião viria para cá? - o Kim pergunta, deixando o copo no criado mudo, logo voltando a sentar perto da cama do Min.

- Sei lá. - ele dá de ombros. - Quantos anos tem?

- 20.

- Que novo.

- Eu sei.

- Tenho 22.

- Jura? Achei que tinha 60.

- Por que já? Parece aqueles velhos rabugentos.

- Vou chutar sua bunda! - eles riem.

- Então, você é feliz?

- Eu… Não era antes, agora sou.

- Por que não é mais?

- Quando nos acontece algo ruim, nós automaticamente começamos a não gostar de nada, Kim.

- Nem todos são assim.

- Um exemplo.

- Ora, eu!

- Ah, então és o diferentão.

- Não.

- Senhor Kim, odeia alguém?

- Odiar? Hm... Ódio é uma palavra muito forte, Min.

- Eu sei. Mas mesmo assim, odeia alguém?

- Eu tenho apenas raiva de mim mesmo.

- Raiva de si mesmo?

- Sim.

- Por que?

- Assunto de família, senhor Min.

- Ah é assim?

- É?

- Vaza do meu quarto!

- O que?

- Quero ficar sozinho.

- Tem certeza?

- Absoluta.

- Okay.

Taehyung se levanta e sai do quarto do Min, fecha a porta e desde para a sala, se senta no sofá e suspira.

- Mas que cara bipolar! Euem.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...