História He's My Fuck Boy - Skam - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Skam (Vergonha)
Personagens Chris Berg, Christoffer "Chris", Eva Kviig Mohn, Even Bech Næsheim, Isak Valtersen, Jonas Noah Vasquez, Noora Amalie Sætre, Sana Bakkoush, Vilde Hellerud Lien, William Magnusson
Tags Chris, Christoffer, Eva, Evac, Evak, Festas, Noora, Penetrators, Sana, Segredos, Vilde, William
Visualizações 189
Palavras 1.383
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi, oi migoxxx, turo bom???
então, eu já escrevi aqui algumas vezes e enfim, isso td foi em 2014
AGORA É RECOMEÇO MANASS
bom, aceito criticas construtivas e me perdoem pela sinopse, perdi minha habilidade todinha
a história se passa na quinta temporada, então, fiquem avonts szsz
boa leitura!

Capítulo 1 - Prólogo


Fanfic / Fanfiction He's My Fuck Boy - Skam - Capítulo 1 - Prólogo

“Por quê tentar, se no final você sempre se machuca?”

 

- Eva, já acordou? Amanhã é o grande dia! – minha mãe me acordou. Quase não via ela, pois só viajava.

- Sério? O que tem? – perguntei sonolenta.

- Vamos visitar minha amiga Mona. – disse animada.

- Ah, que... Bom. – me virei e cobri minha cabeça. – Mãe, eu tô muito cansada, de verdade.

- Hoje vou deixar o dia pra você se divertir, ok?

- Mãe, só me divirto de verdade nas sextas. – disse com tédio. – E hoje é quinta.

- Você ainda têm amigas, certo? – assenti. – Saia com elas, traga elas aqui. Sei lá, usa a sua criatividade.

Ouvi minha mãe saindo do quarto e subindo as escadas, logo, meu celular vibrou.

- Ai, merda. – não iria mais dormir hoje. Eram 9:47 da manhã ainda, ódio! A mensagem era de Vilde no grupo das meninas.

 

Los Losers

 

Vilde
Combinado amanhã nossa presença
na festa do Even?

Noora
Eu vou.

Chris
Confirmo

Sana
Combinei um jantar aqui em casa com
meus pais e o Youself, não vai rolar,
sorry.

Vilde
Eva?

Não dá, vou viajar com
minha mãe pra roça, provavelmente.

Sana
Roça?

É, casa de uma amiga
de infância dela... Na
verdade, é uma casa que
era do pai dela, mas ela só
vai lá pra passar as férias.

Vilde
Entendi :D, por quê
não passamos o dia juntas hoje?
Sinto saudades de vocês.

Noora
Por mim tá ótimo.

Tô livre.

Chris
Só mandar o lugar, tô até pronta

Sana
Vamos ficar passeando no centro,
aí procuramos algo de útil pra fazer.

Noora
Nos encontramos às 10:30, ok?

Vilde
Certo

Obrigada por me dar tempo
de sobra pra me arrumar,
te amo Noora.

Chris
No aguardo de vocês em frente
ao bar azul escuro
 

***

Bloqueei meu celular e fui até o banheiro. Me encarei por um segundo e pensei: “Eu sou muito gostosa”, sorri e tirei minha roupa, logo, entrando no chuveiro com minha escova de dente, escovando o mesmo.

Assim que saí do banheiro de toalha, me vesti e desbloqueei a tela do meu celular, e chamei um táxi.

No trajeto, fiquei vendo algumas fotos antigas minhas, como uma minha, de Jonas e Isak em 2015. Estávamos rindo e era tudo tão perfeito nesse trio, mas foi preciso parar.

Outra relíquia foi uma foto que Vilde havia me mandando. Minha e de Chris conversando na primeira festa dos Penetrators que eu fui.

Ele era muito legal e compreensivo comigo, tínhamos uma amizade que foi virando interesse, e logo, fui trocada pela Emma.

Ao chegar no ponto de encontro, avistei as garotas cumprimentando Noora, que não estava com uma cara nada boa.

Paguei o taxista e fui ao encontro delas.

- Bom dia gente, aconteceu alguma coisa Noora? -  cumprimentei-as e parei na frente de Noora.

- O pai do William está vindo pra cá. – fiz com a mão pra ela continuar. – E agora ele me odeia, de verdade... Eu fiz o William ficar aqui comigo na cabeça dele, e eu tenho certeza que vamos passar por uma crise de um bando de gente tentando nos separar.

- Você precisa encontrar o William ainda hoje e conversar com ele sobre isso. Pedir paciência, muita até. – Sana começou.

- E conversar com o pai dele junto com ele. – Chris completou.

- Vou fazer isso, prometo. – a loira disse.

- Ok, vamos comprar sorvete? – Chris sugeriu.

- De lei né. – disse apertando suas bochechas, assim, lhe abraçando de lado.

 

20:33

Cheguei morta. Não acreditava nas baboseiras que falamos o dia todo e ria a todo momento.

- Eva? – minha mãe me chamou. – Como foi?

- Muito bom, mãe. Eu amo minhas meninas.

- Que ótimo. Sairemos às quatro. – fiquei perplexa, estava planejando dormir aquela hora.

- Não, não! Por quê? – me sentei.

- Ela quer que tomemos um café da manhã especial lá. – revirei os olhos. – Desculpe meu amor, é melhor você ir dormir.

Me levantei e segui direto para a escada.

- Eva. – me virei. – O filho dela e o marido estarão lá. Se comporte.

- Fica tranquila. Boa noite. – desci as escadas.

Assim que entrei em meu quarto, alguém bateu em minha janela. Abri e Isak entrou.

Me sentei na cama e sorri.

- Saudades disso. – comentei.

- De eu entrando pela janela? – perguntou confuso.

- Sim. É simples, mas virou uma coisa especial pra mim, Isak. – lhe disse o abraçando.

Comecei a chorar e logo parei.

- Sente falta do Jonas? – assenti. – Mesmo depois do PChris?

- Christoffer foi uma distração. Pensei que ele gostasse de mim, mas foi só a Emma aparecer que ele nem olhou mais na minha cara... – continuei. – Sabe... Ele poderia pelo menos ter me explicado tudo, mas eu fui feita de otária. Eu não precisava dele como namorado ou ficante, mas ele era um bom amigo.

Comecei a chorar de novo.

- Eu tô com raiva deles! Isak, que ódio deles! – ele me abraçou. – Por quê todo mundo me machuca? Eu sempre tento dar o meu melhor.

- Por quê tentar se no final você sempre se machuca, Eva? – Isak perguntou.

- Pra me sentir inclusa. – limpei minhas lágrimas.

- Desculpe, eu preciso ir.

- Espera. O que você veio fazer aqui? – perguntei.

- Só pular a janela e conversar com você. Eu também sinto saudade. – Isak beijou minha testa e saiu.

Tomei banho, coloquei minha camisola e deitei. Meu celular estava carregando enquanto checava meu Instagram, logo, chegou uma mensagem de Isak, que dizia “Não importa o que aconteça, você sempre será uma das pessoas (se não a) mais importantes da minha vida, Eva.”

Amizade de verdade é aquela que não importa o que aconteça, é a mesma coisa sempre. Mandei um coração e bloqueei o celular, assim, indo dormir.

***

- Como eu sabia que você não iria acordar sozinha, eu resolvi vir aqui. – minha mãe disse puxando minhas cobertas.

- MÃE, TÁ MUITO FRIO, PARA COM ISSO! – gritei.

- O que você acha que os vizinhos vão pensar? A luz do “porão” acesa com uma pessoa gritando às três e meia da manhã? – minha mãe me olhou.

Fui ao banheiro e tomei o banho mais rápido da minha vida, coloquei uma blusa de manga comprida, outra de lã, um moletom da Adidas e uma jaqueta por cima.

Coloquei uma meia-calça grossa preta e uma calça de moletom preta um tanto justa, logo uma meia e bota.

Saí do banheiro e minha mãe já havia levado minhas malas pro carro.

- Mãe. – abri a janela de meu quarto. Ela me olhou. – Será que eu como alguma coisa?

- Não, vamos rápido.

Escovei meus dentes, peguei meu celular, tirei uma foto e mandei para os meus amigos verem que merda minha vida é. Logo, passei rímel e um batom claro. Peguei minha bolsa de maquiagem, celular, carregador e fone, assim, trancando a janela do meu quarto, portas e entrei no carro.

- Tudo pronto? – minha mãe perguntou.

- Sim. – esqueci da touca. – NÃO, PUTA MERDA, MÃE PARA O CARRO

- Oi? – apontei para minha cabeça. – Touca? – assenti. – Aí no porta-luvas.

- Essa é minha mãe, agora vai. – sorrimos e ligamos o rádio.

***

Acordei com uma vista incrível: a natureza. Eram árvores lindas, alguns pássaros e uma mansão enorme branca no centro. A porta da garagem abriu e entramos com o carro. Havia uma caminhonete estacionada ali, e perto dela, uma porta com escada. Minha mãe estacionou e saímos do carro, seguindo a porta e a escada.

- Grande aqui, né? – disse para quebrar o gelo.

- Sim. – mamãe riu. – Já morei aqui.

- Sério? – perguntei.

- Uhum, conheço tudo e mais um pouco desse lugar. – fiz um “uau” com a boca e subimos as escadas.

- Bom, olha só quem está aqui. – uma mulher muito elegante, de cabelo preto nos recebeu. – Prazer, Ida Schistad. Que saudades, Anne!

Se abraçaram e falaram algumas coisas, enquanto fiquei de lado.

- E você deve ser a Eva, né? – assenti e minha mãe saiu de perto.

- Prazer em conhecer a senhora, de verdade. – sorrimos.

- Nós já nos conhecemos... – ouvi minha mãe falando, me virei seguida de Ida e vi um Penetrator bem em minha frente.

- Christoffer? – olhei nos olhos de Chris, que estavam fixos em mim.

- Eva Mohn.- engoliu seco. – E aí, tudo bem?


Notas Finais


espero q tenham gostado, beijo manos e manas


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...