História Hiccstrid: O Apocalipse - Primeira Temporada - Capítulo 15


Escrita por: ~

Visualizações 103
Palavras 1.842
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Esse capítulo não tem nada a ver com os anterios, como está escrito é uma capítulo bônus, espero que goste.

Capítulo 15 - Capítulo 15: Bônus Dia Das Crianças.


Fanfic / Fanfiction Hiccstrid: O Apocalipse - Primeira Temporada - Capítulo 15 - Capítulo 15: Bônus Dia Das Crianças.


                   ____☘____

Day: 12 de Outubro 2013


*Antes Do Caos*


P. O. V    Mia 


Acordo com alguns raios de sol em meu rosto, me levanto e como sempre Soluço já estava acordado fazendo seus desenhos. Menino nerd tem 13 anos e vive desenhando e estudando.

- Boooom Diiiaa! - Levanto e dou um pulo abraçando ele.

- Aiii - Ele grita com o susto - Boom dia Mia - diz me dando um abraço.

- Estudando? - Pergunto pegando  e olhando alguns papéis - Desenhando dragões? De novo?

- Claro, papai disse que eles podem existir! - Diz pegando os desenhos de minha mão - Agora vai se arrumar,  a gente finalmente vai para o parque!

- Bom dia crianças - Diz meu pai batendo na porta e logo em seguida entrando no quarto - Se arrumem hoje levarei vocês ao parque.

- Não creio... O tão honrado Sr. Stoico levando seus filhos para sair? Oh, Thor que trovões não caíam sobre nós - Digo fazendo meu pequeno teatrinho.

- Ha ha vamos se arrumem estarei esperando vocês lá embaixo - Diz saíndo do quarto.

Meu pai... Digamos assim, na esmagadora maioria das vezes não tem tempo de ficar com a gente por causa de seu trabalho. Soluço me disse que depois da morte da mamãe, papai nunca mais foi o mesmo, acho que ele sente falta de como papai era, de como ainda tinha tempo para ele.

Saio e vou tomar meu banho e me arrumo, colocando uma a saia preta e a blusa azul sem mangas. Saio e Soluço já estava arrumado, com uma calça jeans e uma blusa vermelha e uma jaqueta preta.

- Soluço, você sente raiva de mim? - Pergunto e ele se espanta com a pergunta.

- Por que isso agora? - Pergunta com uma sobrancelha levantada.

- Não sei, só fiquei com isso na cabeça... Afinal se não fosse por mim a mamãe nunca teria...

- Eii, nem termina! Mia você é minha irmã e eu te amo, você não teve culpa do que aconteceu eu sinto muito a falta da mamãe mas você não tem e nunca teve haver com a morte dela ok? Não interessa o que digam, você é minha irmã, e eu te amo. - Ele vem até mim e me abraça - Olha... Quando a mamãe ainda estava respirando, eu fiz uma promessa à ela

- Qual?

- Te protegeria, quando precisasse de um super herói, que te consolaria quando precisasse de conselho que te abraçaria quando estivesse triste... E que te amaria independente do que acontecesse em nossas vidas.

Se naquele momento estava com os olhos marejados, as lágrimas involuntárias começam a escorrer pelo meus rosto. Me separo do abraça e ele seca minhas lágrimas.

- Ont, Soluço mostrando o lado feminino dele - Uma voz irônica diz, olho para janela e lá estava ele... O próprio Jack.

- Tenho medo de perguntar como você subiu aí! - Digo surpresa.

- Tenho meus truques - Diz dando uma piscadinha para mim, eca!

- Você vai me atrasar! - Digo indo até a penteadeira e prendendo meu cabelo em um rabo de cavalo 

- Como eu vou te atrasar? - Jack pergunta descendo da janela e entrando no quarto.

- Papai vai levar a gente para o parque hoje, finalmente! E eu não queria perder nenhum momento.

- Comi assim? Acabei de vê-lo saindo de carro e pelo jeito que saio era alguma coisa importante, saio apressado! 

- Não acredito nisso - Diz Soluço que olha sem entender e logo em seguida Alguém bate na porta.

- Crianças vamos! - Rose fala entrando no quarto

Rose era como uma babá para gente, apesar de ser a secretária do papai ela passava mas tempo cuidando da gente do que seu real serviço. Ela tinha cabelos loiros curtos, era branca, olhos pretos e literalmente a melhor pessoa que eu já conheci.

- Mas o papai que ia nos levar ! 

- Infelizmente o Senhor Stoico teve uma reunião de emergência, e não poderá levar vocês e eu fiquei encarregada de levá-los - Rose fala e fica um silêncio no quarto, mais uma vez papai estava sem tempo para nós - Entendam seu pai, ele ama muito vocês.

- Ama tanto que não tem tempo pra gente! - Soluço diz saíndo as presas do quarto, ele estava realmente decepciononado.


***

Descemos logo em seguida, para procurar Soluço, porém ele não estava na cozinha, revidamos a casa inteira procurando ele e nada! Ele literalmente tinha sumido.

- Ele aprendeu bem comigo! - Diz Jack apontando para si mesmo convencido.

- Jack! Isso é sério, Soluço sumiu e não temos idéia de onde ele tá!

- Relaxa, ele só precisa esfriar a cabeça! Resumindo ele só precisa ficar um pouco só.

- Eu vou chamar a polícia, Stoico não pode nem sonhar que Soluço sumiu! - Diz Rose pegando o telefone 

- Rose..  acho que Jack tem razão, ele só precisa de um tempo, enquanto isso eu já sei o que podemos fazer... Vamos sair e procurá-lo pelo bairro, se voltarmos e ele não tiver em casa aí vc pode ligar para quem quiser.

- Ok . . . Mas se ele não voltar teria que falar ao seu pai 

- Feito!

Ela hesita um pouco em sair, mas vai assim mesmo. Agora só pedir a Odin que Soluço apareça até voltar-mos, confesso que estou preocupada também.


P. O. V.  Soluço.


Saio de casa e vou para rua e ando sem um certo rumo, em qualquer direção que me vinha. Quem ele pensa quer é? Por que ele faz essas coisas, eu simplesmente odeio quando ele faz isso. ODEIO, não tempo para nada, só para ele mesmo, só pensa em quanto ele pode ganhar aff. De tanto pensar acabo caído e derrubando Alguém que nem vi direito quem era.

- Eii garoto olha para onde anda! - Diz a garota se levantando.

- Você que deveria ter saído da minha frente! - Respondo de forma ignorante.

- Foi mal aí, geralmente meu radar detectaria grosserias, mas a sua foi tanta que ele explodiu! 

- Me desculpe não estou muito bem - Digo me levando em seguida a encarando.

- Pelo menos pediu desculpas já é um começo! - Ela diz irônica, com um sorriso. 

- Prazer Soluço - Digo estendendo a mão.

- Nome diferente, quem escolheu? 

- Minha mãe, ela achava que nomes esquisitos afastava gnomos e trols! - Digo meio sem graça.

- Olha só, já gostei dela! - Diz rindo e eu acabo rindo junto - Mas o que você tá fazendo aqui sozinho?

- Nada só tô andando mesmo!

- Quer se divertir? - Ela pergunta animada.

- Claro porque não? 

Assim que termino de dizer ela me puxa pelo braço e saímos correndo, quando me dei por conta já estávamos longe de casa e dentro de um parque de diversões. Já fazia tempo desde que não vinha aqui, muito tempo mesmo!

- Antes de ir em algum brinquedo a gente precisa fazer alguma coisa legal ! - Ela diz me encarando com aqueles olhos azuis.

- Tipo o que? - Pergunto.

- Uhm. .. deixa eu pensar..  JÁ SEI! - Ela da pulo que quase me assusta - Eu deixei alguns balões de água atrás a da montanha russa, e tem umas garotas que literalmente não são nada amigáveis por aqui.

- Ah não eu não vou fazer isso! - Digo virando de costas.

- Ah desculpe não sabia que tinha medo! - Diz debochando de mim.

- Como é? - Digo me virando para ela.

- É isso aí! - Diz de braços cruzados e um sorriso sarcástico - Dúvido que teria coragem!

- Quem molhar mais pessoas ganha! - Digo correndo indo pegar os balões de água.

- EIII me espara - Ela grita logo atrás de mim.

Pegamos os balões e começamos a jogar em algumas pessoas, e principalmente nas garotas que ela tinha falado mais cedo dói até divertido, ficamos correndo a tarde inteira porque algumas pessoas quase nos pegaram.

De tanto correr acabei caindo encima dela. Fiquei em cima dela é senti minhas bochechas coraram.

- M-me desculpe eu...

- T-udo bem - Vejo que ela também corou pois era branca e suas bochechas ficaram vermelhas.

Nos levantamos e continuamos a correr com.o se nada tivesse acontecido.

Ela era demais, era divertida e super legal para uma garota.


***


No final da tarde já tínhamos indo em quase todos os brinquedos do parque. Eu já estava literalmente morto de cansado, paramos para tomar um sorvete e logo em seguida entramos na fila da Roda Gigante. Não demorou muito e logo chegou nossa vez eu me sentei e esperei ela entrar, porém ela ficou parada.

- Você não vem? - Pergunto.

- Bem... Ér... Eu já fui em quase todos acho que se não fosse nesse não teria problema. - Ela diz hesitando um pouco.

- Não acredito nisso, a garota que passou o dia inteiro me colocando e se colocando em confusões tem Meco de altura? - Digo a encarando com um sorriso.

- Não! Eu não tenho medo! - Diz de cara feia.

- Então me prove! - Digo estendendo a mão, ela suspira fundo, e segura minha mão e se senta ao meu lado.

A roda gigante começa a girar e percebo que ela está com os olhos fechados.

- Pode abrir, confia em mim a vista é muito bonita! - Digo e ela vai abrindo os olhos lentamente.

- Uou, da pra ver quase tudo daqui... É muito lindo! - Ela diz recostando sua cabeça e meu ombro, corei um pouco mas gostei disso sei que à conheci hoje mas... De alguma forma estava gostando de seu jeito... De seu jeito de sorrir, de me olhar, de como se divertia e de como era livre, livre do mesmo jeito que eu queria ser.


***


Descemos da roda gigante pois o parque já estava fechando iria me despedir dela mas antes obviamente iria pergunta seu nome, queria vê-la mais vezes.

- Então acho que já está na hora de ir! - Ela diz.

- Ér... Mas antes eu queria saber seu nome! 

- Ah claro que falta de educação minha eu me chamo A...

- SOLUÇO! - Ela é interrompida após um berro de uma voz rouca vinda de longe, essa voz que reconheceria a quilômetros.

Me viro para e vejo meu pai, mais furioso do que nunca vindo em minha direção junto com minha irmã ao seu lado.

- O que pensa que estava fazendo? Deixando todos preocupados assim? Ficou doido? - Diz furioso com uma sobrancelha levantada.

- Mas pai...

- Sem mais venha vamos logo para casa! - Ele me puxa pelo braço, e olho para a garota que me olhava espantada, ela apenas me deu um tchau com a mão, e foi sumindo de minha vista a cada vez que me distanceiava. 

Meu pai ficou realmente furioso e me deu uma bronca daquelas quando chegamos em casa, tive que me segura para não rir da situação, se eu fizesse isso era como assinar meu atestado de óbito. Subi e tomei um banho bastante demorado, Mia já estava dormindo então lhe dei um beijo na testa de boa noite me deitei logo em seguida, mas não conseguia dormir, pensando na quela garota de olhos azuis, e em tudo que fizemos o dia inteiro nunca me divertir tanto como hoje... E nunca senti um sentimento tão bom quanto sentir por essa garota hoje.


                      ____☘____


Notas Finais


Galeris foi isso espero que tenham gostado hihi, especial dia das crianças para vocês meus guerreiros!!! 🐼☘☘☘


Não sei se gostaram mas fiz de coração para vocês!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...