História Highway to hell - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Supernatural
Tags Dean, Sam, Supernatural, Winchester
Visualizações 13
Palavras 1.133
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Mistério, Misticismo, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Canibalismo, Drogas, Estupro, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olha eu mais uma vez trazendo mais um capítulo fresquinho e especialmente para os leitores novos, obrigado por ter favoritado e seja bem vindo nesta terra sobrenatural!

Capítulo 4 - Diálogos Celestiais


Fanfic / Fanfiction Highway to hell - Capítulo 4 - Diálogos Celestiais

- Bobby? Singer? Tem certeza disso?
Dean gaguejou ao ouvir o nome do amigo já morto.
- Eu pareço com a alguém que está mentindo? É ele quem está me dizendo...
Ela parou e olhou fixamente para um canto como se ouvisse alguém dizer algo e completou rapidamente: - Seus cabeças de bagre!
Somente Bobby os chamava assim, os irmãos se entre olharam desconfiados.
- Se é mesmo Bobby que você vê diga alguma coisa que só ele saberia?
Dean desafiou, a moça voltou a olhar para o canto como quem presta atenção em alguém e depois virou-se para eles dizendo: - Bobby já foi casado, o nome de sua esposa era Karen!
- Qualquer demônio poderia saber disso.
Dean insistiu a fazendo revirar os olhos: - O que? Sério isso?
A loira perguntou para o nada, depois deu de ombros: - Tudo bem. Ele beijou Crowley, na boca para conseguir uma informação sobre o último cavaleiro do apocalipse e deu sua alma em troca dessa informação...
Sam arqueou as sobrancelhas e colocando as mãos nos bolsos concluiu por fim: - Acho que é realmente o Bobby Dean! Ele não contaria isso para ninguém, sob nenhuma hipótese.
- É, pode ser. Mas...

Dean ainda não estava cem por cento seguro daquilo e antes de protestar mais uma vez um copo com água caiu e a água do chão foi formando aos poucos a palavra: “Idiotas.”
- É realmente o Bobby Sam!
O mais velho teve que concordar depois daquela manifestação.
- E então? Os rapazes podem me soltar agora?
Os dois a soltaram receosos e ainda não totalmente confiando no que ouviram.
- E a propósito meu nome verdadeiro é Alex Wesson.
- Eu sou o Sam e este é o Dean.
- E aí? Vai contar como quer nossa ajuda?
- É, acho que sim.

***

            - Deixa eu ver se entendi direito!
Dean foi categórico: - Uma antepassada sua maluquete, igual tu. Vendeu não só a alma dela como a de todas as mulheres de sua linhagem?
- É isso aí bonitão.
- E ai outra ancestral sua lançou uma segunda maldição evitando que nascessem muitas mulheres na sua família?
- Uma por geração!
- E você quer nossa ajuda para quebrar a maldição?
Foi a vez de Sam perguntar.
- Isso aí!

            - Não sei não Sam...
- Olha, não é muito fácil ter que conviver com uma coisa ruim dentro de você. Não é fácil saber que outras passarão pelo que passei e passo todos os dias... as vozes, os espíritos e os pesadelos... sem contar que no final vou direto para o inferno.
- Hum! O que acha Sammy?
- Eu acho que podemos ajudar, Dean. O que você acha?
- Acho que devemos ficar de olho nela.
- Gente, eu estou bem aqui. Posso ouvir vocês!
- A gente sabe, docinho!
Alex revirou os olhos dizendo: - Tudo bem, por onde começamos?
- Bom, podemos consultar o Castiel. Ele deve saber de alguma coisa, o que acha Dean?
- É, ele vai poder dizer o que podemos fazer.
- Quem é esse?
- Um amigo nosso! Ele pode ajudar.
- Tudo bem, mas antes.
Alex aproximou-se de Dean sorrindo sedutora, ele retribuiu acreditando que ela iria beijá-lo, mas ao invés disso ela cerrou o punho e deu um soco forte no rosto dele o fazendo cambalear: - Da próxima vez, tenha certeza do que está fazendo ouviu bem? Agora sim. Vamos?
Ela saiu caminhando para fora do velho galpão, sendo seguida por um Sam risonho e um Dean enraivecido.

***

            - Anda logo Castiel, aparece!
Dean gritou para o além enquanto Alex e Sam esperavam sentados no capo do velho Impala: - Tem certeza que esse cara vai vir?
- É ele vem, só precisamos esperar!
Sam tentou ser positivo vendo que Dean já estava visivelmente irritado com a demora do anjo.

            - Me chamou Dean?
Castiel surgiu assustando todos, inclusive Alex que saltou do carro já preparada para seja lá o que aquilo ali iria dar.
- Você? Por que vocês estão com uma filha do diabo?
- O quê?
- Por que não me disseram que ele era um anjo?
- Cass ela é nossa amiga.
- É uma filha do diabo Sam.
- Estamos ajudando Cas!
Dean retrucou firme.
- Dean ela é uma bruxa, umas das filhas do diabo, não é de confiança... precisamos mata-la.
Alex recuou assustada, bela ajuda ela tinha agora.

            - Olha, eu não sou bruxa por que quero ok! Nasci assim...
Castiel a encarou sério e altamente decidido, ela continuou receosa: - É uma maldição! Não tive escolha, alguém antes de mim vendeu minha alma.
Castiel deu alguns passos decididos até ficar frente a frente a tal bruxa, Sam e Dean estavam tensos e Alex também. Os olhos azuis da casca do anjo avaliou cada centímetro do rosto pequeno da menina, parecia em busca de algo na sua alma, em busca da verdade e ele a encontrou.

            Não sabia como, mas aquela garota ainda não estava sucumbida aos poderes do inferno, havia algo dentro dela que era muito maior, seu coração era bom, sua alma era boa. Castiel a estudou por mais alguns segundos em silêncio antes de ouvi-la dizer: - Eu só quero me livrar disso... por favor?
Ela dizia a verdade, apesar de já estar condenada era uma boa alma, uma boa pessoa e Castiel não poderia negar um pedido de ajuda inocente, mesmo sabendo que não havia muito para se fazer.
- Por que me chamaram?
Virou-se para os irmãos.
- Por que pensamos que talvez você poderia nos ajudar. Sei lá não tem como você falar com o demônio que detém os pactos e livrar a menina?
- Não posso fazer nada do tipo Dean.
- E talvez se voltarmos no tempo e impedirmos de que a ancestral dela complete o pacto?
Sam tentou imaginar outra forma de acabar com isso.
- A única forma de impedir isso é matando a sua tataravó e se matarem-na...
- Eu deixo de existir.
Concluiu Alex baixando o olhar.
- Que ótimo está me dizendo que não tem como ajuda-la Cass?
Dean perguntou irritado.
- Eu não sei.
- Como não sabe? Você é um anjo!
- Exatamente! Não cuido das coisas do inferno menina.
Ela olhou para eles: - Está me dizendo que...
- Se quiser se livrar disso precisa falar com quem entende do assunto, como o rei do inferno, talvez!
- Crowley?
Sam perguntou arqueando as sobrancelhas o anjo deu de ombros e antes de desaparecer disse: - Ouvi dizer que ele está em um bordel no Colorado! Talvez vocês devessem falar com ele.

            O anjo sumiu da mesma forma como surgiu, foi embora sem fazer barulho, sem se despedir ou qualquer coisa do tipo...


Notas Finais


Um beijo nos corações malvados de vocês e até o próximo capítulo...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...