História Him - Capítulo 4


Escrita por: ~

Visualizações 133
Palavras 2.316
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Bishounen, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Festa, Ficção, Fluffy, Hentai, Lemon, Orange, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Suspense, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Voltei do além :D
Gente, capítulo de hoje vai entrar um personagem que existe na vida real. Te amo Beatriz <3
É isso aí...
Minha mãe quer usar o computador então vou ter quer abortar a missão de capitulo novo em Portal para a Humana
Não me matem!
Me desculpem por qualquer erro, okay?
Espero que gostem do capítulo de hoje :3

Capítulo 4 - Motivos Para Deus Me Levar Daqui


Eu nem havia percebido que já estava dentro da universidade e com a quantidade de pessoas que tinham ali, parecia que ela era bem maior do que eu achava que era. O quanto assustador ela deve ser durante a madrugada?

Eu ainda seguia o tal Namkum... Namsung... sei lá, nem me lembro o nome mais. Enquanto eu carregava a minha mala de bolsa e a minha mochila escolar nas costas, ele levava a minha maior, a de rodas. Passávamos por todo tipo de gente que pudesse imaginar. Tinha vezes que eu esbarrava em alguém, mas não sei se era proposital da pessoa ou eu sou muito lerda mesmo.

Tinha muitos armários então era óbvio que eu teria que ir até a direção pedir o meu número, mas a ideia de desistir da vida ainda me parecia melhor. Tudo bem, pode até ser que eu esteja com minhocas na cabeça, aliás, por que tanta paranoia Jasper? Que patético!

Continuamos a andar por alguns minutos em completo silêncio, mas só entre nós mesmo, porque as pessoas não paravam de falar ao nosso redor. Passamos até por uma grande faixa que parecia ser um tecido bem grosso azul marinho e estava escrito: “Você escolhe o ensino, mas ele não escolhe pessoa. ”. Bem intenso, até me arrepiei na hora.

-- Oh, já estamos chegando! – O cara ao meu lado se pronuncia e imediatamente eu tenho um ataque cardíaco. – Espero que goste deles, são muito legais como pessoas... só espero que eles não te assustem. – Ele solta uma risada sem graça e eu fingir rir de sua, talvez, possível piada. – Está vendo aquele grupo? – Ele aponta com os lábios e imediatamente olho na mesma direção.

Tinha um grupo de garotos conversando ao lado de um bebedouro, assim como tinha um grupo de garotas bem bonitas e com certeza eram patricinhas alguns metros longe deles, mas que o cara não havia apontado, tipo populares do colégio com um grupo de garotos que pareciam jogadores de basquete, mas estavam em menor quantidade em frente a uma sala. Bem clichê colegial mesmo! A diferença era que os do bebedouro se vestiam de uma forma um pouco mais chamativa mesmo assim, aparentavam ser pessoas normais.

Okay, tinha um garoto com o cabelo bem azul e sua pele era extremamente branca, foi ele que me chamou mais a atenção, legal! Casaco branco com capuz vermelho sem mangas, mas com um moletom por baixo que deixava as mangas pretas de fora junto a uma calça jeans preta, larguinha, rasgado no joelho. Ali, ao lado do branquinho, também tinha um garoto um pouco mais moreno, mas não tão moreno quanto Namlung, e o seu cabelo era um cinza platinado bem mais bagunçado do que a do azulado. Ele tinha o cotovelo no ombro desse cara. Pelo visto eram bem próximos então... Ele estava usando também um casaco vermelho com alguns detalhes brancos, uma camisa social branca por baixo e uma gravata listrada vermelho e preto, hum... Jeans preto sem rasgado. Nem eu tinha tanto estilo, gente...

E tinha mais dois rapazes que estavam falando com esses. Era um loiro e um moreno, não dava para ver seus rostos muito bem por eles estarem em uma diagonal. O moreno usava uma camisa amarela e uma calça mais apertada branca com rasgados no joelho, e que rasgadão hein! O loiro usava um moletom vermelho com listras brancas e jeans azul também apertado sem rasgado. Percebia-se que os dois tinham coxas torneadas! Esses eram mais simples, mas não deixavam de estar estilosos. Me perguntava agora se Namguk não se sentia reprimido ou desprezado por não se vestir que nem eles.

Faltava pouquíssimos metros até eu chegar nos rapazes até que o azulado olhou para o garoto ao meu lado e pela sua boca mexendo, parecia estar anunciando a nossa chegada até que ele olha para mim e parecia me analisar por completo, o platinado também, mas ele pelo menos sorriu logo em seguida, sem nem precisar mostrar os dentes, então o loiro e o moreno se viram para nos verem e... me viro de costas mais rápido que o próprio Sonic e fico paradona ali mesmo. O colega ao meu lado percebe e para na minha frente com cara de desentendimento.

-- O que foi? O que há de errado? – Eu fiquei apenas gaguejando e eu podia sentir olhares queimarem nas minhas costas.

O que há de errado? Bem, nada. É que eu acabei de notar que o moreno e o loiro era o mesmo moreno e loiro que havia encontrado há duas semanas atrás numa baladinha se pegando tipo muito e eu interrompi isto esbarrando no moreno e o melhor, para não dizer pior, manchei usa camisa branca com um líquido azul. Agora eu tô com meu cu na mão por estar com vergonha e  medinho de apanhar dos dois... só isso mesmo, fora isso, o meu mundo é puro arco-íris e unicórnios pulando em nuvens de algodão doce! Sentia minhas bochechas começarem a esquentar... não quero olhar para eles!

-- E-Eu... a-acho que preci-so de u-um banheiro... e-eu já volto! – Sorrio para ele e saio de lá as pressas, nem espero o coitado me responder.

E quem disse que eu ia voltar? Que se dane a mala! Eu vou embora desse inferno! Mas o problema é: Aonde fica a saída dessa merda? Legal, sou ruim até para sair de algum lugar. Perguntar para alguém aonde era o banheiro não era uma opção, até porque eu nem ao banheiro eu queria ir.  Poderia perguntar a alguém aonde ficava a saída, mas todos andavam apressados sem parar por nada. Andando sem parar aleatoriamente durante uns 3 minutos, acabo por esbarrar em uma garota e seus livros caem. Por favor, espero não ser igual aqueles filmes clichês que quando a menina olha pro garoto que ajuda ela a pegar os livros, imediatamente ela se apaixona por ele!

-- Desculpa! – Ela diz sem olhar para mim e então me agacho para ajudá-la a pegar cadernos, folhas e livros que estavam espalhados pelo chão.

Eu espero não estar fedendo ou que ela não esteja sentido o meu cheiro de suor porque mesmo não estando tão perto de si eu sentia um cheirinho de flores. Não resistia em olhar algumas vezes para ela, até porque seus cabelos bem cacheadinhos tampavam quase todo seu rosto, dava até nervoso.

-- Tudo bem, não foi nada! – Digo sorrindo para si lhe entregando as suas coisas, ela devolve o sorriso e vai embora. – Que morena engraçada. – Sussurro para mim mesmo e volto a andar por aí.

Pelo o que parece a minha vida se baseia em apenas esbarrar em pessoas.

-- Olá! – Uma voz se faz presente atrás de mim, uma voz masculina. Me viro imediatamente dando de cara com um homem bem vestido, um senhor em volta dos 40 anos, mas bem cuidado e bonito.

Usava um colete azul marinho com uma gravata vermelha junto uma camisa social branca um pouco apertada. Dava para ver alguns músculos em si. Usava também uma calça social preta e um sapato de couro bem chique. Em seu peitoral esquerdo tinha seu crachá com nome e seu papel ali na universidade ao lado do símbolo da mesma. Ele era o supervisor.

-- Oh... olá!

-- Vejo que é novo aluno... meu nome é Lee Jong Hyung, sou um dos supervisores aqui, mas pode me chamar apenas de Jong ou Hyung! – Ele estede a mão para mim e eu o parto. Que aperto de mão forte, hein! Suas mãos eram quentes e macias... que emocionante.

-- Prazer... sou Jasper Cooper, mas como sabe que e... – Fui interrompido pelo mesmo que soltou uma risada e se pronunciou.

-- Que você é novo aluno? Oras, eu já estou a mais de dez anos nessa universidade que por sinal é uma escola também. Sei o nome de todos e lembro de todos os rostos, mesmo esse lugar tenha mais de cinco mil estudantes, porém como teve vestibular, preciso conhecer os novos estudantes! – Era um cara carismático, se notava pela voz, jeito de agir e o sorrisão que não saía de seu rosto. Um cara normal nesse inferno, graças a Jesus!

-- Ah, legal. – Digo simplista com um meio sorriso.

-- Você é o aluno que conseguiu a bolsa de quantos por cento?

-- O de cem por cento! – Digo com orgulho e vejo que o olhar do mais velho brilhou de ante mim.

-- Que bom! Temos alguém esforçado aqui, certo?

-- Talvez... – Coço a minha nuca e solto uma risada forçada.

-- Já sabe o número de seu armário? Número do quarto? – Ele parecia galanteador e bem elegante também, também né? Olha o lugar aonde estou. Ele era mais elegante do que todo mundo junto nesse lugar.

-- N-Na verdade, não...

-- Bom, é para isso estou aqui. Estou com sua ficha em minha bolsa... – Ele se vira um pouco para o lado para pegar a sua bolsa lateral e tira de lá uma grande quantidade de papeladas bem arrumadinhas... nem eu era tão organizado, definitivamente estou no lugar errado. -- Deixa eu ver.... Jasper Cooper (S/S), certo?

-- Sim! – Afirmo lubrificando minha boca seca com a minha saliva, ou seja, passando a língua.  -- O certo não seria o diretor ou secretário fazer isso? É tão simples assim?

-- Bem, os diretores estão muito ocupados com outros assuntos, foram mais de duzentos alunos selecionados então isso foi deixado para os supervisores, o que é muito simples de fazer, mas tem muitos alunos para procurar, de diferentes lugares. Apesar disso, temos muitos supervisores.

-- Se você diz... eu confio em ti. – Solto a minha confissão. É a pessoa mais normal que eu já encontrei, a mais sensata, o mais simpático, apesar do Nam não lembro o quê, ter sido legal comigo. Aliás ele era mais velho e mais responsável, sinto confiança em sua voz. Sorrio para ele e sou retribuída da mesma forma, por pouco tempo já que ele ainda checava a minha ficha.

-- Você parece ser um garoto legal, senhor (S/S)!

-- Você também parece ser legal, Hyung, mas me chame apenas de Jasper...

-- Então te chamarei de Cooper, tudo bem?

-- Claro!

-- Preciso que assine isso aqui... – O mesmo me entrega uma caneta e aponta aonde devo assinar e assim eu fiz. Logo o entreguei a caneta esperando o mesmo se pronunciar. -- Aqui está o número e senha de seu armário e a chaves de seu quarto.

-- Na verdade, eu não sei se eu realmente vou dormir aqui... para ser sincero eu nem sei se quero ficar aqui. – Faço um bico olhando para a chaves. Tinha o símbolo da universidade, atrás do mesmo tem o número do quarto e o prédio que ficava, e um card com o meu nome, o que seu estou cursando, tipo sanguíneo, data de nascimento, armário e a senha estava escrita em um papel separado.

-- Algo não te agradou? – Ele pergunta aparentando estar preocupado, que fofinho seria... se ele não tivesse a idade do meu pai.

-- Não é isso...

-- Então?

-- O lugar é incrível e sei que tem bom ensino, mas... tenho medo de uma coisa acontecer...

-- Por que tem medo?

-- Você não entenderia... – Não consigo falar olhando nos seus olhos então permaneço olhando apenas para as chaves.

-- Você gosta do que você quer aprender?

-- S-Sim...

-- Então do que tem medo? De pessoas de menosprezarem? Deles te julgarem por ser um cara simples?

-- Não. – Digo com cara de confusão. Se eu ligasse pelo o que as pessoas pensassem eu até me matava, porque todos sabemos que não existe cura para a minha bissexualidade e nem tinha coragem ou a mínima vontade de refazer a minha cirurgia. O problema era que as pessoas não me deixariam em paz com isso...

-- Cooper, quando eu tinha a sua idade eu fiz um vestibular, que nem você..., mas eu tinha conhecido uma mulher e ela estragou a minha vida.

-- Acho que te entendo... – Solto uma risada me lembrando da pessoa que estragou tudo na minha vida. Abigail, aquela loira desgraçada!

-- Eu perdi cinco anos da minha vida por nada.

-- E eu dois anos...

-- Então, não perca mais anos por nada. – Ele coloca uma mão em meu ombro e se abaixa para ficar na minha altura, me olhando seriamente. Olha, ele é muito bonito e espero que não seja casado porque eu vou estar me sentindo muito mal por pensar em besteirinhas. -- Não jogue mais uma vez sua vida pelo ralo assim, como se nada importasse, porque lá na frente... talvez você se arrependerá e muito. Eu digo por experiência...

-- Sei. – Falo por fim. Mas estava ficando muito nervoso, nem piscava porque ele estava bem próximo de mim. Talvez eu crie um pouco de medinho dele também. -- Obrigado Hyung! Você é legal... – Digo fingindo que nada havia acontecido e me afasto bem devagarzinho.

-- Faça o que quiser garoto, mas... faça o que você tem certeza que não se arrependerá no futuro.

-- Vou refletir. – Aperto minhas chaves e card formando um punho. Aquela conversa me pareceu estranha, mas ao mesmo tempo filósofa.

-- Eu tenho que levar isso para os novos estudantes. Foi bom te conhecer Jasper!

-- Tchau! – Falo sussurrando. Passo a minha mão em todo o meu rosto. Eu preciso dormir.

-- Hey! Aonde você foi?

Pronto... outro. Era o Namlee

-- E-Eu estava no banheiro...

-- Venha... logo, logo o diretor vai querer falar com todos os estudantes e eu ainda tenho que te apresentar meus amigos...

-- Q-Que? Eu pensei que hoje f-fosse começar as paradas tudo hoje...

-- O-O que? Você não soube? -- Neguei com a cabeça várias vezes com uma sobrancelha levantada. -- Hoje é apenas o diretor querendo discursar para os novos estudantes...

-- Quer dizer... que eu vim atoa..? 


Notas Finais


O que acharam?
Desculpe eu aparentar estar meio desanimada aqui, acho que eu to carente... alguém me abraça ;3;
Ou comenta aí... também funciona :')

Me siga: @Xeque_Mate

Minhas outras fanfics:
Portal para a Humana ~> https://spiritfanfics.com/historia/portal-para-a-humana-10161272
Meu rabinho, Mommy! (Imagine Jimin - Especial do aniversário)~>https://spiritfanfics.com/historia/meu-rabinho-mommy-imagine-jimin--bts-10623415
O Prostituto (Imagine V)~>https://spiritfanfics.com/historia/o-prostituto-imagine-v--bts-10561689

Eu amo vocês tá <3
VAMOS BATER 200 SEGUIDORES BRASIL DJFDHFODFD


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...