História I Can Fuck U Better - Capítulo 1


Escrita por: ~ e ~LittleStrigoi

Postado
Categorias JBJ
Personagens Kim Donghan, Kim Yongguk
Tags Dongguk, Donghan, Jbj, Yongguk, Yonghan
Visualizações 74
Palavras 1.847
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Slash, Yaoi
Avisos: Adultério, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Fic novinha pra vocês, mais um colab Taewoon <3

Boa leitura.

Capítulo 1 - Único


Ah, Yongguk, eu poderia contar quantas vezes te peguei acompanhando meus quadris, que se moviam ao ritmo de alguma batida durante aquela festa, mas quando o álcool toma conta fica difícil fingir que seus olhares me incomodam.

 

Eu sei...

 

Você simplesmente não consegue desviar sua atenção de mim, mesmo com seu namorado ao lado. Se eu não os conhecesse não acreditaria que estão juntos; ele se mantém entretido a festa inteira conversando animadamente com outros rapazes — provavelmente amigos de longa data —, enquanto você ficava sozinho encostado na parede observando a pista de dança.

 

Ele estava tão ocupado que nem reparou quando a tensão sexual se instaurou entre nós, mesmo que estivéssemos a mais de um metro de distância.

 

Por que você sabe que meu beijo e meus toques são melhores do que qualquer outro que tenha provado. Vai deixar esse sonso ao seu lado acreditar que tem toda a sua atenção até quando?

 

Tell me baby... É ele quem faz o meu papel agora? Deixando você rouco na manhã seguinte porque você simplesmente não consegue controlar essa boca um segundo sequer quando estão juntos na mesma cama? É o nome dele que você grita no quarto sobre os lençóis, para expressar a onda de prazer atravessando seu corpo? É ele quem conhece cada parte sensível do seu corpo e te arrepia por inteiro ao pronunciar as palavras que você tanto quer ouvir?

 

Ou você ainda pensa em mim enquanto transa com ele?

 

Por que vendo a maneira como você me observa, posso afirmar que seus pensamentos estão estampados em seu rosto. Eu consigo ver a mesma cena se repetindo de novo e de novo em sua mente; Nós dois enrolados na cama, suados, sem fôlego, tentando colocar de alguma forma para fora todo aquele calor que parece queimar nossas peles.

 

E eu sei que se eu te chamar, você vira até mim. Porque sempre foi assim que funcionou, não é, hyung? A atração de nossos corpos e a vontade de foder como se não houvesse amanhã era simplesmente maior que qualquer outro pensamento responsável e consciente em nossas mentes. Porque nós dois sempre fomos egoístas demais para deixar qualquer coisa entrar no caminho entre a vontade que temos um do corpo do outro. E talvez, só talvez, essa noite seja apenas mais um segredo nosso.

 

Hyunbin nem te deu a atenção que você merece, porque contar pra ele então?

 

Pra que contar que você veio dançando para o meio da pista, sendo engolido pela multidão, porque simplesmente você não seria visto por ele? E nem preciso comentar que você se aproximou de mim, colando nossos corpos. Nhe, mas vou comentar sim. Por que isso tudo me dá um puta tesão, hyung.

 

Suas mãos desceram pela minha cintura e eu senti todos os pelos da minha nuca se arrepiarem por finalmente voltar a ter o seu contato. Mas eu não cederia tão fácil. Eu simplesmente ignorei a sua presença e continuei dançando contra seu corpo colado em minhas costas. E eu podia ser tudo. Sentia seu peitoral colado em mim, assim como seu membro, que estava duro, contra minha própria bunda. Eu quanto mais você queria me ter, mais difícil eu queria me tornar, só para te ver correr atrás de mim.

 

Só que dessa vez Yonggukie, eu é quem ditaria as regras.

 

Não demorou muito para eu me virar e te puxar pela cintura, colando nossos corpos, sentindo seu cheiro doce. Eu realmente sentia falta disso. Eu sabia que eu tinha você na palma da minha mão, hyung. Deixei um breve selar em seu pescoço exposto, percebendo seu corpo todo se arrepiar por esse simples toque. Parece que ainda causo o mesmo efeito em você, né? É tão triste para o hyunbin saber que o namorado se excita com a simples presença de outro, né?

 

— Me encontra no banheiro. — Eu falei, apertando sua bunda logo em seguida.

 

Será que você teria coragem, Yongguk? Eu não sei, mas estava disposto a descobrir.

 

Fiquei esperando sua chegada impacientemente, me questionando o tempo todo porque lhe propus aquilo. Eu estava convicto que não cederia aos seus caprichos tão facilmente, mas foi só você me tocar que me entreguei a necessidade de te ter mais uma vez. Senti minha ereção me cobrar atenção e não hesitei em acariciá-la por cima da calça.

 

Onde está você Yongguk?

 

Cansado de esperar por você aparecer decidi voltar para a pista e encontrar alguém que pudesse resolver o problema que você me causou. No meio da multidão era difícil te reencontrar e mesmo que eu quisesse negar esse vontade crescente em mim meu corpo me traía, meu olhar corria por toda a festa te procurando só pra te mostrar o quão insatisfeito eu estava por você me deixar esperando.

 

Percebi uma agitação diferente em um dos cantos amontoado de gente e lá estava você, aparentemente numa discussão horrível com seu namorado. Mantive meus olhos atentos aos seus gestos, era perceptível que estavam aos berros devido a música alta e você gesticulava bastante para enfatizar o que dizia. Vi ele te puxar pela cintura e tentar forçadamente te beijar, isso só te deixou mais puto e fez você correr para o local que deveria ter ido antes.

 

Continuei a observar as atitudes de Hyunbin para ter certeza de que ele não o seguiria até o banheiro. Conforme esperado ele nem se moveu, seria essa minha oportunidade. Apressadamente retornei ao cubículo, só para encontrar você inquieto andando de um lado para o outro passando a mão incansavelmente pelos seus cabelos como se fosse o único jeito de se livrar de toda a tensão.

 

Tranquei a porta atrás de mim e não perdi tempo em te prensar aquela parede fria, não deixaria você pronunciar uma palavra sequer então ataquei seus lábios, você seria meu hoje e nem relutou em envolver seus braços em meu pescoço e retribuir o beijo. Desci minhas mãos pela lateral de seu corpo até alcançar suas coxas, com um impulso as puxei para cima te obrigando a entrelaçá-las em minha cintura. Desci meus lábios pelo seu maxilar afiado e bati mais uma vez suas costas na estrutura sólida só pra te ouvir resmungar de dor e prazer.

 

Não me importava se ficariam marcas ou se no dia seguinte seu corpo inteiro estaria dolorido, o que importava era a lembrança que você teria de mim te possuindo por inteiro da maneira mais instintiva possível. Mordisquei repetidas vezes a pele exposta de seu pescoço enquanto me livrava dos botões de sua camisa, precisava me livrar daquele tecido e alcançar seus mamilos tão sensíveis só para ter o prazer de te ouvir gemer descontroladamente.

 

Mas quem disse que eu deixaria você emitir algo som?

 

Era preciso te punir pela espera e seria tão torturante quanto aqueles minutos foram. Assim que coloquei meus lábios em sua pele tão sensível pude ouvir você gemer em satisfação, foi então que pela terceira vez pressionei seu corpo contra a fria estrutura antes de me pronunciar.

 

- Por acaso eu deixei você gemer? – sussurrei em seu ouvido e mordi seu lóbulo um pouco mais forte, lhe causando um leve desconforto.

 

Voltei a castigar seu mamilo com meus dentes só pra observar você mordendo o lábio inferior para conter a enorme vontade que estava de emitir qualquer som. Bom menino. Como recompensa subi uma de minhas mãos para sua ereção intocada até o momento, eu sabia que seria impossível não se manifestar e então colei meus lábios ao seus enquanto o acariciava, permitindo que alguns gemidos saísse de seus lábios durante o beijo.

 

- Eu quero você me chupando, agora! – ditei e rapidamente o retirei de meu colo.

 

Você se ajoelhou em minha frente aproveitando para deslizar suas mãos por todo meu corpo parando-as em minha calça. Em um movimento habilidoso minhas calças e minha boxer já se encontravam fora de seu caminho e você me tocava com delicadeza, apreciando toda extensão de meu membro com suas mãos antes de colocá-lo em sua boca.

 

Tão quente e tão úmida... seus movimentos eram lentos na intenção de me torturar, até parece que eu deixaria você controlar algo. Permiti que continuasse assim por um tempo antes de agarrar agressivamente seus fios e me forçar por completo em sua boca. Pude ver lagrimas se formando no canto de seus olhos, mas isso não impediu que eu continuasse com minha brutalidade. Por um momento hesitei, mas seu olhar repleto de luxúria pedia por mais. Continuei a estocar seus lábios tão macios, emitindo sons animalescos com as sensações que você me propiciava.

 

Sua boca era deliciosa, mas eu não tinha intenção de me satisfazer daquela maneira. Puxei-o pelo braço para te levantar e o joguei na pia, com seu peito encostado ao mármore e sua bunda empinada, uma visão digna de um retrato. Você completamente descabelado e ofegante, beijei a pele exposta de suas costas com carinho enquanto removia as únicas peças que ainda se encontravam eu seu corpo.

 

Precisava marcar aquela pele tão clara e intocada, não tardei em deixar várias mordidas em seus glúteos só pra você saber quem é que o satisfaz da maneira que você gosta. Desferi alguns tapas na pele já avermelhada e ouvi você gemer, foda-se se você não estava preparado o suficiente eu simplesmente quis preenchê-lo, e assim o fiz. Mesmo com certa dificuldade me coloquei por inteiro em seu interior recebendo um grito esganiçado como resposta a dor que você deve ter sentido.

 

- Tão... apertado, hyung... – senti seu interior se contrair por inteiro tentando me expulsar.

 

Comecei a me movimentar mesmo sabendo que Yongguk ainda sentia muita dor. Puxei seus fios para que ele me encarasse pelo espelho enquanto o possuía, ah hyung... Aumentei a velocidade de meus movimentos só pra ter o prazer de ouvi-lo gemer mais descontroladamente.

 

Eu adorava aquilo. Vê-lo completamente entregue a sensação que eu lhe causava, seu belo rosto repleto de expressões de prazer a cada estocada satisfazia meu ego ainda ferido. Ainda não superei o fato de ter me largado. Continuei estocando intensamente não me importando se o cubículo reverberava somente nossos prazeres, senti meu ápice se aproximar então o virei. Deitei-o com as costas na superfície e o penetrei mais uma vez sem piedade.

 

Ataquei seus lábios assim que minha mão entrou em contato com seu membro pulsante, o masturbei agressivamente correspondendo ao ritmo insano que nossos corpos se chocavam. Óbvio que tudo aquilo não demoraria muito, ambos já estávamos quase em êxtase total. Quando finalmente me derramei em seu interior, continuei a tocá-lo até que estivesse completamente satisfeito.

 

Permanecemos com os corpos suados e colados por um tempo, afundei meu rosto na curvatura de seu pescoço só para aspirar seu aroma pela última vez. Ajudei-o a descer assim que me retirei de seu interior, suas expressões demonstravam que ele sentia um pouco de dor.

 

Sabe essa dor que você sente hyung? Nem se compara a dor que eu carrego em meu peito. Eu esperava que Hyunbin valesse a pena, que ele fosse melhor pra você do que eu jamais fui.

 

Será que você se dá conta do que fez, Yongguk?ic 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...