História I do not know to love -Jikook (abo) - Capítulo 4


Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Abo, Alfa, Comedia, Daddykink, Drama, Jikook, Namjin, Ômega, Taeyoonseok
Visualizações 673
Palavras 1.974
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Lemon, Luta, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Voltei, e com uma att fresquinha proceis raparigas, o que será que nos aguarda. E temos também a aparição de personagens maravilhosos hoje :3 as personalidades que dei a eles são bem malucas mas okay~TiaAliceKawaiiDesu
É isso no que dá duas loucas escrevendo uma fic.......Olá bolinhos,boa leitura ●♡●~TiazinhaSuga

Capítulo 4 - Four


Fanfic / Fanfiction I do not know to love -Jikook (abo) - Capítulo 4 - Four

P.O.V-Jeon


        Subo as escadas irado e entro e meu quarto batendo a porta em seguida. Estou extremamente irritado, olho tudo em volta e vou até meu closet, pego minhas malas de viagem e vou logo pegando minhas coisas, peguei todo o necessário, notebook, minhas roupas, objetos pessoais e minha miniatura do Deadpool, é deadpool, qual o problema? Logo ouvi o barulho da porta sendo arranhada, abri a mesma e logo um um pittbul preto entra:


-Ha Maxymus...-o acarício-o que eu vou fazer?- o cachorro late para mim e se esfrega mais em minha mão-tem razão, vai ficar tudo bem.


         Pego meu celular e ligo para a primeira pessoa que me vem a cabeça,  Yoongi:


~Fala~diz com uma voz arrastada.


-Fui expulso de casa-soltei. 


Silêncio:


~Você me acordou pra isso seu banana?~


-Yoongi são sete horas, como assim você já tá dormindo?-reviro os olhos.


~O caralho a quatro pra você, o que você vez seu pedaço de merda?~


-Sempre amigável não Yoon? Minha mãe quer que eu me case-suspirei.


~Escuta aqui Jackie Chan, vai lá e fode uma vagina e já era, tudo perfeito-o ouvi bocejar. 


-Nossa, que educativo-resmunguei.


~Eu sei-riu nasalado-mas é sério cara, se tá precisando transar.~


         Desliguei o celular, Yoongi quando acaba de acordar é um merda, liguei para SeokJin.


~Biscoito?! Como vai? Anda se alimentando bem? Você aprendeu a lavar suas cuecas não é?... Porque da última...~


-Omma-o cortei de um diálogo constrangedor-eu fui expulso de casa.


Silêncio, um baque:


~É OQUE? VOCÊ ENGRAVIDOU ALGUÉM? DIZ QUE NÃO, PORQUE SE FOR EU TE CASTRO~-Jin gritou e pude ouvir um "meu garoto, aprendeu comigo" do Nam ao fundo.


-Não omma, eu não engravidei ninguém-ri um pouco do surto do rapaz.


~Ah, menos mal, mas me conta, o que aconteceu?~-perguntou todo interessado, Jin é um ômega bem bipolar. 


-Certo, minha mãe queria que eu me cassasse com MinHoo,-soltei-mas fui contra, ai ela deu um ataque de pelanca bateu no peito imitou o King Kong e disse que eu teria que achar uma parceira dentre um mês...


~AHAHAHAHAHHAAHHAHAHA~Tirei o celular do ouvido com a risada estridente de Jin quase me deixando surdo, "otário", foi o que Nam disse e depois caiu na gargalhada. 


-JIN-Reclamei. 


~Ahaha...certo-continuou enquanto se recuperava-bem, eu acho que você combinaria com MinHoo~


-Se eu estivesse ai eu te estapeava-bradei de brincadeira já que jamais bateria em Jin, sem contar que eu apanharia de seu Alfa.


~Desculpe, é engraçado te imaginar ao lado da MinHoo você quase a mata toda vez que a vê. Olha se eu fosse você catava o Jimin~-terminou. 


-E você acha que eu não quero?-falei retóricamente, todos sabiam a resposta. 


~Ah Jeon...Você é muito tolo, você não tem nada a perder, não seja bobo~-falou Jin.


-Mas e se ele voltar?-perguntei já com medo.


~Você o protege~-respondeu Omma.


-Tem razão, até omma, obrigado. Tchau God destruction, só não vai quebrar a omma-zombei. 


Ouvi um "tarde demais, ontem foi uma loucura" e logo depois um som de tapa e uma gargalhada de Nam, e logo depois Jin desligou, me deixando sozinho em meio a pensamentos.


        A porta foi aberta revelando meu appa com uma cara de cansado, me levantei e sentei na cama:


-Meu filho...-se sentou ao meu lado e me abraçou pelo ombro- eu realmente não sou a favor do que sua omma fez, mas ela fez isso porque te ama e quer o seu bem.


-Me ama...-ri amargo-nunca.


-Meu filho, eu te aconselho a seguir seu coração, você sabe que não me importarei, se você se sentir bem ao lado da pessoa, isso já me fará muito feliz-depositou um selar no topo da minha cabeça-eu vou ter que viajar amanhã, mas espero voltar daqui a uma semana, okay? Só aguente um pouco sua mãe, e cuide do Jimin para mim, certo?


       Consenti com a cabeça e ele me deu un sorriso mostrando suas rugas que denunciavam o quanto ele sorria. Ele saiu me deixando com Maxymus que me olhava com o o pequeno rabinho balançando, fiz um carinho por entre suas orelhas e soltei um suspiro pesado:


-É boa sorte pra gente-falei já me jogando na cama e apagando em seguida.



P.O.V-Jimin


Ao ouvir a voz rouca e meio enjoada de minha "omma" que sem nenhuma enrolação pronunciou quem era a pretendente de Jeon, não deveria ter me importado com isso mas aquelas palavras que foram pronunciadas com felicidade me fizeram me encolher e deixar minha cabeça abaixada, meus olhos estavam fechados e eu só não queria estar ali agora aquelas palavras foram como um tiro certeiro para me provocar um mal estar e um desconforto que fazia meu peito doer, porque essa desgraçada não poderia simplesmente morrer para me deixar em paz? Até onde MinHoo poderia me atormentar? 


MinHoo não tem o direito de tirar Jeon de mim, não tem.


O comentário de negação de Jeon me fez abrir os olhos por um motivo eu me senti aliviado ao saber que ele não queria e isso quase fez com que eu suspirasse aliviado, mas várias coisas me impediam de fazer isso. MinHoo deve estar se remoendo de ódio e com toda certeza irá descontar em mim depois, como sempre fez.


O que um covarde como eu posso fazer?



O pai de Jeon também abordou o assunto do casamento mas ele não parecia estar preocupado com isso, ele deve estar cansado da viagem e isso não é bom para a sua saúde precisava descansar mas por causa desse assunto hoje abordado não será fácil.

Passei a olhar de relance para Jeon sorrindo fraco vendo ele se manter firme em sua decisão, o fato de saber que ele não gosta da vadia me fez sentir que eu poderia ter uma chance, mesmo sabendo que não seria possível, isso me deu uma esperança de que quando eu fosse falar de meus sentimentos ele iria dizer o mesmo e iria me prender em uma abraço domando os meus lábios com o beijo eufórico.


Mas o que está pensando Jimin?


Olhava toda a confusão confuso ao ver Jeon desafiando sua mãe, era estranho isso pois ele sempre concordou com tudo. A cada segundo o local parecia carregar uma nuvem de tensão sua mãe acabou por erguer o seu tom de voz fazendo o alfa fazer o mesmo mas ao usar seu tom grave e auto demais para minha audição sensível eu me escolho involuntariamente, era tudo confuso...não deveriam nem estar brigando daquele jeito.


-Um mês-essa frase foi a qual me fez olhar em uma expressão curiosa para a senhora, ela estava expulsando Jeon que teria um mês para que achasse uma companheira para si e o pior de tudo é que teria que ir junto para olhar Jeon. Não estava acreditando naquilo mas eu sabia que era sério, tudo que eles haviam dito era sério demais para um brincadeira de mal gosto.


Olhei para o alfa lúpus que se levantou e assim que ele saiu dali tive uma vontade enorme de ir atrás dele e o abraçar ou consola-lo da melhor maneira possível.


-Sim senhora...-Disse calmo me levantando da cadeira caminhando pela sala,vpassando dali indo até o quintal queria ter alguém para conversar mas isso não seria possível já que eu estava sozinho.


Mesmo rodeado de pessoas ainda me sinto sozinho...será que há alguém?...Sim tem alguém que me faz esquecer do mundo, mas ela não pode estar comigo do jeito que eu quero.


Suspirei pesado e me sentei sobre a grama verde deitando o meu corpo em seguida deixando minhas costas relaxarem assim como todos os músculos do meu corpo e aos poucos meus olhos foram se fechando,e a paz e silêncio que havia ali me ajudavam a adormecer, mesmo não querendo eu adormeci feito uma pedra no chão do quintal da mansão.


P.O.V-Jeon


          Acordei meio tonto e percebi que o quarto ao lado estava meio agitado, ignorei o fato me levantei tomei um banho rápido e me troquei, peguei minhas malas com facilidade e desci as escadas, encontrando minha omma totalmente irritada olhando o celular. Ouvi um barulho nas escadas e vi Park se matando para carregar uma mala, sorri e fui até o mesmo peguei sua mala e voltei para pegar o resto o deixando sem jeito. Parei ao lado da ômega turrona:


-Finalmente,- falou áspera-vamos.


       Coloquei meus fones e ignorei completamente a mulher enquanto eu conduzia meu carro até onde o GPS que ela havia programado instruía. Jimin mexia em seu celular e vez ou outra sorria, deveria ser Hoseok, um ômega seu melhor amigo. O pequeno provavelmente sentiu meu olhar sobre si, pois olhou para o retrovisor e corou violentamente, Maxymus que estava sentando ao seu lado o lambeu certeiro e sua bochecha o que me fez dar uma risadinha controlada. Depois de dirigindo por uns quinze minutos, chegamos a um luxuoso prédio no centro de Busan. Abri minha porta, e fui logo para o lado da porta de Park, a abrindo e dando passagem ao pequeno que arrastava Maxymus pela coleira. Ele me agradeceu e me deu um sorriso com direito a olhinhos fechados, o que só me faz querer o atacar. Um empregado do hotel colocou nossas malas em um carrinho e saiu arrastando pelo grande Hall, Jimin olhava a tudo atentamente já eu não estava nenhum pouco interessado.


         Nos enfiamos em um elevador e minha mãe apertou o botão do último andar, depois de um minuto estávamos no centésimo andar. Caminhos pelo belo corredor e minha mãe parou em frente da porta de número 98. Ela a abriu com um cartão, dando alas para uma grande sala de estilo futurista, com sofás cinzas e compridos, uma TV de plasma que mais me parecia de cinema. Rádios embutidos na parede, um grande aquário, que na verdade servia como parede. Uma estante cinza distribuída em blocos quadrados carregava livros e bibêlos. Logo mais a frente uma parede cortava a sala da cozinha que era muito bem equipada por aparelhos de última geração. E também tinha um cômodo mais para frente com vários jogos, como pôquer, sinuca, dardos e várias poltronas de couro preto. Olhei para minha mãe, que nem se despedir se despediu e foi indo pra casa. Encarei Jimin que estava abestalhado, dei uma gorgeta ao homem que carregava o bagageiro e peguei nossas malas, ajudei Jimin a carregar as suas e logo estávamos jogados no sofá:


-Acho que agora somos eu você,-olhei para a sacada gigantesca com uma piscina da qual estava sendo estreada pelo grande cachorro preto- e Maxymus-completei rindo. 


-Tem razão-Jimin sorriu-vou fazer o almoço- avisou e logo se retirou. 


Me levantei do sofá e segui até meu quarto, abri uma de minhas malas... espera... não é minha mala, observei algumas roupas com estampas de unicórnio e coisinhas assim, dei um sorriso, com toda certeza meu pai que lhe havia presenteado. Mexi um pouco mais e o que vi me fez engasgar, encontrei algumas calcinhas de renda, e fiquei louco quando pensei que Jimin as usaria naquela bunda farta, fui tirado de meu transe por uma voz suave:


-Bem, eu vi que sua omma comprou muitas coisas para fazer, o que você gostaria que eu fizesse?-perguntou o baixinho.


       Me mantive em silêncio, e logo vi que seu olhar foi até a mala, e ele logo se envergonhou total, sua boca abriu em um círculo e ele correu até a mala a fechando e saindo apressadamente do meu quarto, o segui pelo corredor e vi que ele entrava em seu quarto, o empurrei na parede e joguei sua mala em qualquer canto. Minha boca foi de encontro ao seu pescoço o chupando com vontande, o fazendo se contorcer e expor mais o pescoço, uma de minhas mãos foi até sua cintura apertando com posse, já a a outra atacou a bunda do garoto que soltou um gemido desesperado, usei mais força em minha mão e ataquei seus lábios com vontade, iniciando um beijo calmo mais ardente. Pedi passagem e ele logo cedeu. Minhas mãos foram adentrando sua blusa e apertaram a carne macia de sua cintura. 


         Mas logo parei com um raspar de garganta, olhei furioso para quem estava na porta. Jin. AHHH MAS QUE DIABOS.




Notas Finais


Um cap. Só pra desfazer a tensão maluca da fic, beijos, até mais tarde~TiaAliceDoida
Desfazer?......isso só aumentou
MugfMugfMugfMugf o que será que irá acontecer🌚


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...