História I Hate U, I Love U... - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias 1 Litro de Lágrimas (Ichi rittoru no namida)
Visualizações 9
Palavras 1.662
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Terror e Horror, Violência

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Nhaa, dêem muito amor para esses One- Shots. sz

Avisos: Angst (história triste) muito drama siim! Boa leitura chuchus.

Capítulo 1 - I Hate U, I Love U...


Fanfic / Fanfiction I Hate U, I Love U... - Capítulo 1 - I Hate U, I Love U...

 (Capítulo Único) *Jungkook* 

Eu te amo...

Passos apertados, respiração acelerada, cabelos para o alto e lágrimas se misturando com as gotas da chuva que caía do céu. Era assim que eu me encontrava, enquanto corria pelas ruas molhadas de Seul.

Desde que você me disse aquelas três palavras, meu mundo parece ter virado de cabeça para baixo; é como se nada mais fizesse sentido para mim, como se tudo fosse apenas uma mentira, na qual eu tinha me apegado. Eu te odeio.

"Eu estou namorando!"

Ver você com aquele sorriso enorme no rosto, aquele sorriso de bobo apaixonado, enquanto abraçava a cintura dela, enquanto demonstrava todo o amor que sente por ela, foi como receber um tapa na minha cara. Um tapa da realidade, me mostrando que eu tinha te perdido; porque aquele sorriso era para ela, não para mim. Eu te amo, então porque você não me ama?

Será que se eu tivesse dito antes, não ter esperado tanto tempo para dizer tudo o que venho guardando por tantos anos, as coisas seriam diferentes? Será que seria eu no lugar dela?

Mas poxa, você tinha que me falar isso quando eu ia finalmente te dizer tudo? Que ironia do destino, não é mesmo?

Meu peito se aperta só de pensar que ,agora, ela te tem. Ela pode te beijar quando bem entender. Ela pode te abraçar.

Quem é essa garota que, como uma faca, me cortou da sua vida?

Quem você pensa que é para me esquecer? E os nossos momentos juntos?

Eu te odeio, Jeon Jungkook!

E todos os "eu te amo" que falamos um pro outro, nas noites de insônia de ambos? Eles foram só palavras ao vento?

Por que você tem que me enxergar apenas como uma amiga? Ou seja lá o que eu for para você, agora.

Um mês se passou, desde que você me disse aquilo, e desde então nós só nos afastamos mais e mais, porque o seu mundo é ela, agora; e o seu mundo é pequeno de mais para eu caber também.

"-Ei, sumida! -aquela voz conhecida me fez arrepiar da cabeça aos pés. Olhei, um tanto sem jeito, para o lado, vendo Jungkook com um de meus fones entre o indicador e o polegar. Aquele mesmo sorriso que me fez apaixonar por ele estava plantado no rosto, como um entorpecente para mim. -O que você está fazendo aqui?

-Nada de mais... -minha voz saiu baixa, enquanto dava de ombros e chegava para o lado, para que ele se sentasse. -O que está fazendo aqui? -olhei para a silhueta magra e alta se sentando quase colada em mim. Aquele perfume invadiu minhas narinas sem nenhum dó. Mas minha felicidade foi embora, quando o perfume dela se misturou ao aroma amadeirado, ficando uma mesclagem enjoativa para mim.

-Como assim, "o que está fazendo aqui?", eu vim matar a saudade, já que alguém decidiu sumir. -ele disse em um falso tom de reprovação, apertando uma de minhas bochechas, fazendo-me reclamar. Meu coração pareceu rachar mais um pouco.

Então para você, tudo bem se eu me afastar?

-Parece até que está fugindo ou querendo se afastar de mim. -o semblante brincalhão deu lugar a um mais sério. -Você está? -os olhos negros fitaram-me sem nenhuma vergonha. Meu rosto corou.

Abri e fechei a boca várias vezes, tentando dar uma resposta plausível. Mas eu simplesmente não consegui. Suspirei fundo.

-Não sou eu quem está se afastando das pessoas aqui. -disse por fim.

E então, ele me lançou aquele olhar de confusão, como um cachorrinho filhote que fez besteira e não sabe o porquê de brigarem com ele. Desviei meu olhar para os alunos do sexto ano jogando pingue-pongue, ao longe.

-O que você quer dizer com isso? -eu pausei a música, finalmente o olhando fixamente nos olhos. Eu iria falar. Eu precisava.

-Desde que você começou a namorar, parece que você só tem seu tempo para ela. E os amigos? -ele ficou um tempo calado, apenas me olhando.

-Então é isso que você pensa?

-Não, é disso que eu tenho certeza. -minha voz falhou, mas eu não ia chorar. Não na frente dele.

-Isso não é verdade! Eu sempre fico com vocês. -ele protestou. Eu me levantei, já irritada com tudo aquilo. Jungkook me acompanhou.

-Não, você fica uns cinco minutos conversando e já acha que isso é tempo suficiente; porque depois volta que nem um cachorrinho para a sua namoradinha querida. -os cantos de minha boca pareceram escorrer puro veneno, quando falei. -Você já não é mais o mesmo...

-Não fala dela assim! -ele aumentou seu tom de voz para mim e eu me encolhi.

O resto do meu coração pareceu evaporar, vendo ele a defender daquele jeito.

-...Me...Me desculpa... -ele tentou se aproximar, mas eu me afastei abruptamente.

-Eu acho que eu já desculpei muito você. -disse fria, por dentro, sangrando.

-Não fala assim...Eu, eu só estou curtindo essa fase. Caramba! Era para você estar feliz por mim. -disse coçando a nuca.

-Sabe o que você pode fazer com essa felicidade toda? Enfiar onde o sol não bate e esquecer a mim e aos meninos! Ah, não, espera...Você já fez isso! -dessa vez, quem falou alto fui eu, atraindo até a atenção de algumas pessoas que passavam. Mas eu não me importei. Nada mais importava, naquele momento.

Jungkook olhou para baixo por alguns segundos, parecendo atordoado de mais para me responder. Eu, por outro lado, me mantive dura, apenas olhando-o.

-Eu...-quando ele finalmente ia falar alguma coisa, uma voz alta ecoou perto da gente.

-Jungkookie! -olhei para trás dele, vendo a cabeleira ruiva acenando em nossa direção. Sorri em ironia, voltando a mirar para o maior.

-Pode ir, o dever te chama, não é? -peguei minha mochila do chão coberto pela grama verde e úmida, já começando a me distanciar. -E, ah! -parei de andar e olhei para ele por cima dos ombros, ainda mantinha seu olhar preso em mim. -Felicidades. -sorri meia boca e me virei de vez, sem olhar para trás."

Que droga! Por que a gente tinha que ter brigado? Ou melhor, por que EU fui brigar com você? Eu me sinto tão mal, apesar de saber que estou certa.

Eu te odeio muito!

Parei de correr aos poucos, assim que vi o sinal verde para os carros passarem. Eu já estava ensopada pela chuva, nem o capuz adiantava; mas não é como se ligasse para isso.

Me sentia uma tola, uma descartável. Ele gritou comigo por causa dela. DELA! Parecia que sete anos de amizade foram deixados de lado por um mês de namoro. Aliás, não só parecia, como realmente foram.

Eu estava ali para os seu piores momentos. Eu estava ali nas suas noites mais escuras. Eu estava ali para te segurar, quando você caía. Mas cadê você, quando eu estou caindo? Cadê você para me erguer? Eu valho tão pouco assim para você, Jungkook?

O quê poderíamos ter sido? O que poderíamos ter tido...

O brilho vermelho do semáforo me trouxe de volta para a realidade e eu fungo, começando a atravessar a rua cheia de poças.

Eu odeio te amar, mas não consigo colocar mais ninguém acima de você.

Você quer ela, você precisa dela. E eu nunca serei ela.

Um som alto chama minha atenção: uma buzina de carro. Olhei na direção que o barulho estridente vinha e me arrependi amargamente, ao ver o automóvel derrapar no asfalto e vir em minha direção. Arregalei os olhos.

Foi tudo muito rápido.

Senti meu corpo ser jogado para cima, e uma dor horrenda, como se todos os meus ossos estivessem se quebrando ao mesmo tempo -se já não fosse esse o caso. Minha cabeça se chocou contra o vidro do para-brisa, fazendo eu sentir o gosto metálico do sangue em minha boca quase que de imediato.

Caí no chão, logo sentindo os pneus no carro passarem por cima de minhas duas pernas.

Eu não conseguia gritar de dor, eu só conseguia olhar para cima e sentir as lágrimas rolando junto com meu sangue.

Meu sangue.

Com muito esforço -e dor- ,consegui olhar um pouco mais para baixo, vendo a poça com o líquido vermelho em minha volta. Estava enorme.

O aglomerado de gente se formou ao meu redor tão rápido, que nem me lembrava de como aquelas pessoas tinham chegado ali. Algumas tirando foto, outras com o rosto em choque, uma minoria ligando para ambulâncias e polícias.

Então era assim...a morte solitária. A pior coisa que alguém poderia ter, em seus últimos momentos. E eu nem ao menos tinha me desculpado.

-S/n! -ouvi aquela voz tão conhecida, tão calma, agora em um tom desesperado. -S/n! -e ele continuava.

Olhei para o lado, vendo Jungkook correndo em minha direção, desviando de toda pessoa que ficasse em seu caminho. O semblante em um misto de desespero e preocupação. Meu Jungkook voltou. Ele voltou para mim.

Uma lágrima solitária escapou de um olho, quando pisquei.

Eu te amo.

Você está correndo de volta para mim, mas não como eu queria.

E então, eu vi você se ajoelhando ao meu lado, pegando-me em seus braços. Eu não me importei com a dor, eu não conseguia mais senti-la.

-Me desculpa, me desculpa, me desculpa...- ele sussurrava para mim, me abraçando com delicadeza, mas firme o bastante para que deixasse claro para quem quer que fosse que ele não iria me largar.

As lágrimas dele caíam sobre as minhas bochechas, seu nariz perto de meu ouvido, fungando compulsivamente.

-Eu te amo...-com muito esforço, consegui falar, mesmo com minha voz falhando muito.

Ele olhou para mim, ainda chorando. Abriu e fechou a boca algumas vezes; e eu sorri fraco. Ele não sentia o mesmo, era óbvio.

-Tá...tudo bem...-respondi, mesmo ele não falando nada. -Eu já sabia...-ri fraco, o que fez eu tossir um pouco mais de sangue.

Minha vista já escurecia. Era a hora.

-Eu te amo. -repeti, agora sentindo meu corpo amolecer por completo.

-Eu...Eu...- eu não consegui ouvir o que ele tinha para falar,mas sabia o que Jungkook tinha dito, sempre soube.

Apaguei; dessa vez, para nunca mais acordar.

-Fim.


Notas Finais


Totais Créditos a: Melissa Campos (obrigadaaa ❤❤)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...