História I love you since baby - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Tags Deuses, Nalu
Visualizações 178
Palavras 1.852
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Hentai, Luta, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Não se acostumem! Hoje foi uma exceção!
a foto da cobra está na capa!

Capítulo 4 - Quarto capitulo


Fanfic / Fanfiction I love you since baby - Capítulo 4 - Quarto capitulo

Já fazia mais o menos meia hora que Lucy estava desacordada. Natsu, já tinha acordado e estava mamando na mesma, até que, o mesmo desce engatinhando até o chão, e se afasta um pouco da loira. Lucy, sentindo a falta do pequeno bebe em seus braços, apalpava o local onde o mesmo estava, impacientemente:

- Natsu... - Resmungou Lucy procurando o pequeno rosado com os braços, ainda com os olhos fechados:

- Natsu?.. - Continuou apalpando o local onde o mesmo estava antes, impacientemente. O rosado estava sentando, a uma certa distancia de Lucy, uma distancia que dava pra ver muito bem o que a loira fazia, ainda deitada em cima do ovo:

- NAAAAAATSUUUUUUUUUUUUUUUU! - Gritou a loira, pulando do ovo, que até então estava deitada, desesperadamente, procurando o rosado. Natsu que estava a uma distancia bem favoravel em relação á visão da loira, dava altas gargalhadas, chamando a atenção da loira para sí:

- Seu ameba cor de rosa! Nunca mais faça isso! Me deu um baita susto! - Brigou com o rosado, indo em direção ao mesmo e o pegando no colo, até que Lucy nota, que, em uma das coxas do rosado, tinham duas marcas de mordida:

- Natsu! Uma cobra te picou! - Gritou Lucy desesperada:

- Está tudo bem com voce Natsu? É melhor eu te levar á um hospital o mais rápido possivel! Lucy, que imbecilidade a sua... nem sabe onde está! JÁ SEI! - Gritou como se estivesse tido uma grande idéia.  Natsu apenas ria do desespero da loira:

- Eu vou procurar por ervas medicinais e... - Lucy parou  de falar, espantada.  Coincideentemente, tinha ido procurar as ervas exatamente na direção em que Natsu estava sentado anteriormente; E, ao se aproximar do local, pode encontrar uma Cobra Krait malasiana azul.  Uma das cobras mais venenozas do mundo. Porem, a mesma estava morta. Sim, isso mesmo, morta. A mesma tinha morrido logo após picar Natsu; E Lucy estava muito espantada com isso. Bom... Não seria nem um pouco normal para as pessoas, uma cobra, uma das mais venenosas do mundo, picar um bebe, e morrer logo em seguida por causa disso. Ou seria? Pelo menos, não para Lucy. Espantada, Lucy então olhou para  a coxa de Natsu, onde a cobra tinha picado, e a mordida no  local estava se regenerando; Em menos de cinco segundos, estava como se nada estivesse acontecido:

- Ha Lucy... Como voce é burra! - Reclamou, dando um mini soco em sua testa:

- Natsu é filho de um Deus! Oque voce esperava? Que uma das cobras mais venenozas do mundo picassem ele e que ele ficasse terrivelmente doente, ou morrese? SIM!! Acertou! É isso mesmo que eu esperava!  Voces querem o que? Eu era uma simples humana! Não que eu queira voltar com a minha vida de antes, afinal, estou realizando um meu sonho com voce Natsu - Disse, fazendo o pequeno sorrir:

- Mas antes eu era uma humana qualquer! Não entendia, e nem entendo nada ainda desse lance de deuses e outras coisas ainda. - Disse Lucy, notando logo em seguida, um enorme ovo, o qual tinha caido em cima. O ovo era branco, e tinha desenhado em torno do mesmo, algo parecido á chamas, chamas azuis. Lucy então, sorriu abobalhada, e, com os olhos brilhando que nem estrelas, se aproximou do ovo:

- Ha... Não pode ser... - Disse sorrindo abobalhada:

- UM OVO DE EXCEED! Eu achei um ovo de exceed! Eu realmente achei um ovo  de exceed! Eles não são apenas lendas! " Pelo menos não aqui " - Pensou Lucy:

- HÁ! Mais não me importa! Eu achei, então agora é meu! - Disse trocando a rede onde Natsu estava deitado por um tipo de cadeirinha de pano, onde o mesmo colocou as perninhas e Lucy  amarrou nas costas da mesma. Era como se Natsu estivesse montando nas costas da loira, porem era o pano que o segurava. Logo em seguida, Lucy pegou ovo do exceed nos braços:

-  Quando chocar, iremos pensar em um bom nome para voce. Eu e Natsu.- Disse Lucy sorrindo, enquanto se dirigia em direção á saida da floresta. Não sabia como, mais sabia aonde ficava a saida: 

- Né, Natsu... Acho que teremos que construir uma jangada... Um barco... - Disse Lucy, meia hora depois, ao se deparar com uma enorme praia ao seu redor:

- Acho não, tenho certeza. - Disse logo em seguida, ao notar em que estava em uma ilha completamente deserta:

- Acho melhor construirmos uma pequena cabana, antes me escuressa, e arrumarmos comida, pois não sabemos quando poderemos sair daqui. E mesmo sendo meio dia, não podemos esperar tardar, para comessarmos a arrumar as coisas - Disse Lucy, colocando uma mão em cima de seus olhos para fazer sombra, e olhando para o sol, vendo que o mesmo estava em seu pico mais alto do dia;

- Agora é meio dia... - logo após Lucy dizer isso, arrumou um cantinho perto da praia, longe da floresta para não correr o risco dos animais os atacarem, e com muito esforço, conseguiu achar uma pedra larga, com as pontas igual dentes, e afiada, para cortar a madeira. Lucy então cortou alguns pedaços de madeira, e arrastou até o local escolhido para fazer a cabana, e sempre com o ovo sendo carregado nos braços, e com Natsu nas costas. Qualquer pessoa, nãop conseguiria fazer o que a loira estava fazendo, tão facilmente. Pois de tanto carregar natsu nos braços, até um fio de cabelo estava pesando mais que o mesmo. Lucy as vezes, achava até que estava ficando louca por achar isso:

- Isso serve até como treinamento... - Disse a mesma, dando uma pausa, pois estava muito cansada, e o sol estava muito quente. Lucy não estava se preucupando com Natsu, que estava em suas costas, pois havia percebido que o mesmo tinha magia do fogo, dominava o fogo. Ele era o próprio fogo. Lucy se arriscava até em dizer isso. e tinha percebido isso, da pior maneira possivel. O pequeno rosado tinha botado fogo em um homem que tinha ido a cantar no meio da rua, no caminho de volta da escola, literalmente botado fogo. Natsu, mesmo sendo pequeno, carbonizou as calças e a cueca do homem, que no fim, acabou sendo preso por estar andando pelado, sem calça e nem cueca, no meio da rua. E quando o mesmo disse " Foi o bebe que fez isso! Ele botou fogo nas minhas calças e na minha cueca! " os policiais ainda pediram para fazer o exame médico nele, para ver se poderiam manda lo  para o manicomio. E, quando o porteiro tinha ido entregar encomenda de amostras grátis para Lucy, na casa da mesma, e acabou esquecendo seu paleto, Natsu havia botado fogo no paleto, e quando Lucy consegui despachar o porteiro, que estava a cantando, e chegou na sala, aonde o rosado estava sentado no tapete, o pegou brincando com as cinzas, e terminando de queimar um resto de pano que tinha sobrado. Depois de um tempinho descançando, Lucy então foi procurar folhas e cipós para a cabana que iria fazer para poder passar os dias. Após algumas horas depois, a cabana estava pronta, e estava perfeita. Lucy tinha tomado coragem, e pegou troncos de árvores o suficiente para que dessem para fincar na terra em volta do quadrado que tinha desenhado, para que se formasse um tipo de parede de troncos, sem nenhuma única brecha. depois a loira tinha amarrado bastante folha de bananeira, que tinha encontrado, uma na outra, e após isso, tomou mais coragem ainda e amarrou as folhas entre os troncos, cada tronco, dois nós, fortíssimos. E, no fim, ficou perfeito a cabana, ou melhor, casa, que a loira tinha feito. Tambem tinha feito, um enorme quadrado com troncos, e havia enchido de folhas, formando então um tipo de cama, com colchão e tudo. Por sorte, na bolsa que tinha trago com os pertences para cuidar de Natsu e alguns mantimentos, tinha tambem um enorme edredon. Já estava de noite, e Lucy estava muito cansada. antes de  ir deitar se em sua cama, trocou as flaudas de Natsu, e conferido se estava tudo bem com o ovo. Após trocar as flaudas de Natsu, colocou o ovo em um tipo de cama que tinha feito especialmente para ele, o enterrando entre as folhas, para se manter quentinho. Fez Natsu dormir, e, após colocar o pequeno sobre a cama, saiu da cabana/casa e foi em direção ao mar. Pois por mais que a água seja salgada, Lucy queria tomar seu banho. tirou suas roupas, e entrou na água, indo para uma parte que não estava nem tão funda, nem tão rasa, e tomando seu banho tranquilamente. após tomar seu banho, saiu da água, e vestiu uma nova peça de roupa, que tinha trago, aproveitando para lavar a suja, e por para secar, em cima do teto da cabana/casa. Lucy estava prestes á entrar na casa para dormir, algo chamou a atenção da loira. Na areia não muito distante dali, tinha alguem. aparentemente, tinha sido vítima de algum nalfragio, tempestade. Lucy, sem receio, correu em direção ao individuo, notando então que se tratava de uma menina, com aparentemente, seis anos de idade, e com curtos cabelos ruivos. Em um de seus olhos, tinha uma venda, cor branca, e estava usando um vestidinho todo maltratado. Lucy, notou então, que, se algo não fosse feito depressa, a menina iria morrer. Desesperada, pegou a menina em seu colo, e saiu correndo em direção á cabana/casa. Antes de adentrar ao local, fez algo que deveria ter feito muito antes. Colocou a pequena ruivinha nochão, e expulsou toda a água que havia mantida em seu pulmão. logo em seguida, adentrou á cabana/casa, e colocou uma blusa sua na menina, a deitando na cama logo em seguida, e a enrolando no edredon, que estava mais quente do que os normal, pelo simples fato de Natsu tambem o estar ultilizando. Como não tinha fogo, Lucy deu um geito de furar uns cocos que tinha encontrado e dar agua para a menina. após a mesma beber toda a água, Lucy abriu os cocos, e, com uma colher de pau que por acaso tinha conseguido fazer, deu a massa dos cocos para a menina comer. a mesma comia, aceitava de bom grado toda a hospitalidade da loira, e até agora não tinha dito nenhuma palavra. Após a massa dos cocos acabarem,  Lucy apenas perguntou para a menina, que graças a Deus não corria mais nenhum tipo de risco de morte:

- Qual o seu nome? - perguntou Lucy,se ageitando na enorme cama que tinha conseguido fazer e se cobrindo com o edredon logo em seguida:

- Erza... - Respondeu a pequena ruivinha, antes de cair no sono logo em seguida. Lucy tambem não conseguiu aguentar se segurar mais, o nome da menina foi a última coisa que ouviu antes de cair no sono:

 

 

 

Continua?

Espero que tenham gostado! Por favor, favoritem e comentem, quero saber as suas opiniões!

lembrando que, como sempre, eu NÃO revisei.

Bjs de Choco By!

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...