História I Luv u Daddy (Namjin . TEXTING) (INCESTO) - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Daddy, Incesto, Jikook, Namjin, Texting, Yoontaeseok
Visualizações 282
Palavras 1.449
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Self Inserction, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Siga em frente, olhe para o lado...

Capítulo 14 - Hi...


Fanfic / Fanfiction I Luv u Daddy (Namjin . TEXTING) (INCESTO) - Capítulo 14 - Hi...

Três meses atrás. Casarão dos Kim, 22:01. 

Hoseok, estava no sofá da sala. Entediado, chateado, triste. Ou seja, normal, pois sua tristeza era um tanto quanto marcante.

Ouvia uma música qualquer em seu celular, sempre olhando um9 pouco assustado para os lados, pois seus pais eram bastante rígidos em relação à sua etiqueta, e vê-lo mexendo no aparelho em meio a uma festa e ainda mais com fones lhe daria uma bela bronca.

Porém se assusta um pouco ao sentir o espaço em seu lado no sofá afundar um pouco.

Olhava para o lado, e via um homem um tanto quanto maior que si, pálido e com uma beleza complexa ao seu lado, olhando sem expressão para o seu celular.

- Adoro essa música.

- Xeretar o celular dos outros é falta de educação... moço. 

- Responder os mais velhos também... mocinho.

Ficaram em silêncio durante algum tempo, enquanto Hoseok parecia nervoso com a presença do mais velho. Havia reconhecido a algum tempo que se atraia por pessoas do mesmo sexo, mas não sabia lidar com o nervosismo que era ter alguém bonito ao seu lado.

- Esta festa é chata, não é?

O mais novo apenas assentia triste com a cabeça.

- Você não tem amigos, pequeno?

- Tenho sim, Hyung. Mas eles não estão aqui, foram sair, mas meu papai e minha mamãe não me deixaram ir.

Falava chateado com um biquinho em seus lábios, enquanto um sentimento de tristeza maior tomava conta de si. Não gostava de não poder fazer oque outros meninos podiam, o fazia se sentir inferior.

Oh, ele era.

Bom, pelo menos ele aprendera que era.

- Mas você tem sorte, Hyung. Tem amigos aqui.

O mais velho então, arquea as sobrancelhas em dúvida.

- Oque lhe faz pensar que tenho amigos aqui?

- Mas... você estava conversando com aqueles homens, e com meu papai também. 

- Não são meus amigos. Trabalhamos juntos, falo com eles por educação.

Falou de forma seca e fria, fazendo o menor se encolher um pouco.

- Me desculpe pequeno, não queria ser grosso com você, pequeno.

Afaga levemente os cabelos pretos de Hoseok, que corou com o toque enquanto se assustava também, não era muito acostumado com o afeto.

Querendo cortar aquele clima estranho - Apesar de agradável - e afim de tentar acalmar aquelas borboletas em seu estômago, ele tenta mudar o assunto.

- Porque me chama tanto de pequeno?

- Porque me chama tanto de hyung?

Retruca o deixando sem palavras.

Aprendeu que era educado chamar alguém mais velho assim, mas e se ele não gostasse de ser chamado assim? Era melhor se calar.

Após alguns minutos em um silêncio perturbador, Yoongi apenas se levanta e se retira, sumindo aos olhos do mais novo, que voltou ao tédio.

Após longos minutos, todos estavam á mesa de jantar, e todos estavam em seus lugares, e por alguma coincidência ou brincadeira do destino, mas ao ver quem estava ao seu lado, percebeu que era o mesmo homem pálido com quem falara.

E então, enquanto a entrada era servida, os homens estavam ocupados falando sobre negócios, e as mulheres exibindo jóias caras, e falando sobre alguma bolsa de pele. Aquilo tudo apenas o entediava, tendo apenas algo sendo preso á sua atenção.

O homem pálido.

Vez ou outra, olhava para o maior, como uma criança curiosa. Parando apenas ao perceber que este também lhe olhava de vez em quando. E deu um sorrisinho gengival ao ter seus olhares cruzados.

Tudo se passou em silêncio, hora com olhadas, hora com Hoseok tentado esconder sua vergonha e falhando. Até então notar algo.

O homem agora lhe passava algo por baixo da mesa.

Ao perceber, era uma das tacinhas com uma sobremesa cremosa com chocolate junto a um bilhetinho. 

"Quando ele escreveu isso?"

"O hyung não gosta de chocolate, pode ficar com o meu"

 O menor então sorria mínimo, aquilo realmente era uma gentileza inesperada, tanto para um quanto para o outro que nunca se imaginou fazendo algo do tipo. Gentileza era algo novo para os dois.

O menor comia calmamente, aproveitando cada pedacinho daquele doce, que alegrou seu dia, com o qual não era acostumado, e que parecau viciar.

Mas aquele doce, não era apenas um doce. Era um sorriso. 

Sim, o sorriso encantador do homem que sequer conhecia, e com o qual trocou pouquíssimas palavras.

Admitia mesmo que com vergonha para si mesmo, amava aquele sorriso. Era lindo.

Tudo terminava, e as pessoas fúteis e desconhecidas continuavam ali, falando sobre oque não lhe interessava, e pensava sobre como seria melhor estar em casa. Em meio aos seus livros, músicas, poemas, romances.

Foi tirado de seus pensamentos assim que viu mais uma vez o lindo homem pálido vir em sua direção. E corou se ajeitando melhor no estofado macio de couro escuro.

Corou mais ainda ao vê-lo não se sentar, mas sim se inclinar, se aproximar, se aproximar de seu ouvido, e então falar enquanto o menor sentia o hálito de menta misturado com vinho em sua direção, deixando a temperatura daquele arzinho lhe arrepiar.

- Isso está um tédio, e você me parece conhecer esta casa melhor do que eu... tem algum lugar que queira ir com o hyung?

O menor sorria surpreso. Ninguém nunca perguntava oque ele queria fazer, era alheio e passivo a tudo que lhe propunham. E então pensava.

Sentia-se feliz, sabia que ir para qualquer outro lugar que não tivesse a ver com a festa seria falta de educação. E aquilo era divertido para si, era como uma criança fazendo uma travessura. E ele de fato era.

- Hyung - Lhe chamava sussurrando - Tem uma varanda, muito bonita aqui. Podemos ir.

- Se você me levar.

O mais velho então estendia a mão para Hoseok, que mesmo que receoso, a pega. Sentindo um choque elétrico por todo seu braço e então agitando as malditas borboletas.

Se levantava do sofá, e ainda de mãos dadas com o maior, ia até aa escadas, sem muita pressa mas ao mesmo tempo, ansioso. 

Assim que chegavam na varanda que estava no final do corredor do segundo andar, e Yoongi se surpreendia com a vista. E se surpreendia ainda mais com o efeito que a brisa gelada daquela noite dava ao visual do mais novo.

Realmente, ele era Lindo, sua beleza era algo tão obvio mas tão difícil de se perceber. Era uma beleza triste, seu tom de voz era a de quem sempre parecia estar prestes a chorar, de quem sempre estava pedindo um favor. Mas ainda assim era algo lindo de se ver. 

"Lindo"

Ambos pensavam.

E então ficaram em silêncio, desta vez um acolhedor e não um constrangedor. 

- Min YoonGi, meu nome é Min YoonGi. 

O menor sorria, e então deixava de se encostar no parapeito.

- Meu nome é Jung Hoseok.

- Oque um jovem como você faz aqui?

- Meus pais me trouxeram... queriam me apresentar para uma garota, mas ela não pôde vir. Fiquei aliviado.

- Ainda fazem casamentos arranjados hoje em dia? Que ridículo.

- Mas meus pais ficariam felizes, ajudaria os negócios, e eu gosto de ser útil. 

- Mas e a sua felicidade?

Nesta hora, o mais novo se calava, não tinha uma reposta para aquilo.

- Isso não importa... a felicidade dos outros deve ser mais importante que a minha...

- Essa conclusão não é um pouco absurda?

- Mas... foi oque me ensinaram, meu papai e minha mamãe acham certo, como não pode ser?

-... E se eu te fizesse feliz?

- Como?

- Eu poderia ser seu papai... te ensinaria o certo e o novo. Você é jovem, plástico, e puro. Isso me dá vontade de te fazer feliz.

Falava sincero, e o mais novo lhe olhava curioso.

- Como se fôssemos amigos?

- Se isso te deixa feliz, sim.

- Que bom Yoongi hyung.

Voltaram ao silêncio enquanto aquilo por algum motivo se tornava cada vez mais acolhedor, um clima gostoso para ambos. YoonGi sentia a necessidade de proteger aquele jovem tão ingênuo, e Hoseok se sentia seguro com o adulto desconhecido, porém tão acolhedor consigo.

Até ouvirem alguns gritos finos e irritantes vindos do andar de baixo. Que logo eram reconhecidos pelo mais novo,  o deixando branco da cabeça aos pés.

- É a minha mãe... e-eu tenho que ir.

- Entendo, mas antes - O maior lke entregava um papelzinho - Me chame quando tiver vontade.

- Posso mesmo?

Perguntava ansioso ao ver o número em suas mãos.

- Pode sim.

Este sorria sincero, e então se aproximava do maior. O fazendo estranhar tudo até o abraço dado. Um abraço espontâneo, aconchegante, dando ao maior a impressão ainda maior de que aquele menino era puro, e uma certeza maior ainda.

"Eu tenho que protege-lo"

- Obrigado, hyung.

O mais velho acariciava seus cabelos, e então o deixava ir.

- Seus pais devel estar te procurando, vá lá.

O menor assentia. E então ia até a porta da varanda.

- Tchau, Hyung.

- Tchau, pequeno.

Acenavam e se separavam até que se perdesswm de vista. E apesar de ter levado uma bronca e gritos gigantes por parte da mãe, Hoseok amou ter conversado com aquele adulto 



Notas Finais


Xoskslels


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...