História I Need You - Capítulo 9


Escrita por: ~ e ~ArmyyBrisada

Postado
Categorias Agust D / Suga, Bangtan Boys (BTS), Big Bang, Got7, HyunA
Personagens Jackson, Suga
Tags Comedia, Romance, Suga, Yoongi
Visualizações 20
Palavras 2.041
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Foi pequeno!? Foi, mais no próximo eu recompenso vcs.

Boa
Leitura 😘😍

Capítulo 9 - Mais que merda


— primeiro eu preciso saber quem é ela, depois veremos se irei me casar com ela. — digo e volto a pensar em como minha vida é chata pra caralho.

≠≠≠≠≠≠≠≠≠≠≠≠≠//≠≠≠≠≠≠≠≠≠≠≠≠≠

Cheguei em casa e não vi ninguém nela, até pq isso já não era de se esperar. E principalmente agora com essa "noiva" do meu pai morando aqui, ele nem vai mais me dar atenção, não que isso acontecia mesmo. Meu pai nunca foi o pai que uma garota espera que ele seja. Não que ele seja ruim, ou me bata, mais é que ele nunca me deu a devida atenção, sempre que acontecia alguma coisa comigo nas escolas era o Taeshi e a Madalena que iam resolver o problema. Se pensar bem, meu pai nunca foi numa reunião da escola, as pessoas mesmo sendo do meu país não sabia quem eu realmente era, até pq a imagem da princesa ninguém nunca tinha visto, é como uma tradição, os filhos revelarem as identidades depois que forem coroados, mais nunca antes disso, pq pode causar confusão.

Chego no meu quarto e acabo quase caindo no chão, de tanto que eu me assustei com o pobre do coitado.

— que merda é essa!?? — pergunto, olhando pelo quarto todo e vejo algumas fotos, quando vejo quem é, fico puta da vida.

— o que vc tá fazendo no meu quarto!?? — perguntou Jimin, entrando no quarto de boas.

— seu quarto é!?? Querido que eu saiba esse quarto é MEU, quem chegou primeiro fui EU, quem é dono dele sou EU, vc não deve ter visto mais esse quarto já é MEU, então quem deveria tá fazendo essa pergunta sou eu... O que vc tá fazendo no MEU quarto!?? — pergunto já indo pra cima do mesmo, que ao ver minha cara, vai se afastando de perto, por medo de apanhar. Pq provavelmente ele vai apanhar, pq esse quarto já tem dono.

— presta bem atenção S/n, seu pai me deu esse quarto pra mim, e agora ele é meu, então vc deve ir brigar com ele. — responde Jimin, engulindo em seco.

— se ele fez isso foi pq ele tinha um motivo não é mesmo!!? Pq o MEU pai nunca faria isso, sem falar comigo, agora só pq VCS vieram pra cá, ele vai mudar!?? — pergunto apontando dedo na cara dele.

— querida, o que vc tá fazendo no quarto do Jimin!?? Não ficou sabendo que seu pai trocou vc de quarto!?? — pergunta a Yuma me olhando.

— claro que eu não sabia... Até pq eu cheguei agora, será que não percebeu ou é cega!?? — pergunto pra mesma, que me olha com aquela cara falsa de assustada, sei que foi ela que mandou meu pai fazer isso sem me consultar de novo, essa mulher é uma cobra, fica interferindo na minha vida e na vida do meu pai, até agora eu só vi ela interferindo aonde não era chamada... Primeiro, fez a gente se mudar pra cá, é pq ela não foi pra lá!?? Segundo se intrometeu no meu quarto, dizendo que meu pai que mandou eu sair daqui, claro que não foi com essas palavras, mais concerteza era o que ela queria dizer.

Pego minha mochila e passo esbarrando nos dois. Bem na hora vejo o Taeshi no pé da escada me olhando com aquela cara suspeita. Desço e passo por ele, e vou a procura da sala aonde meu pai trabalha. Depois de procurar muito consegui achar, não bati nem nada, foda-se se ele tá em uma conferência com alguém, ele não tinha o direito de fazer isso.

— eu não te dei educação não!!?? E se eu estivesse em uma conferência!?? — pergunta meu pai, me olhando.

— não vc não me deu educação, e foda-se se vc estivesse em uma conferência, eu não ligo, mais eu quero saber quem deu autorização, pra vc me tirar do MEU quarto e por aquele filho da puta nele.

— primeiro, eu que paguei suas despesas na escola todo esse tempo. Posso não ter ido nas reuniões, mais sempre estive por dentro das coisas que vc fazia... Segundo, para de chingamento ou se não vc vai ficar de castigo e eu e nem vc queremos isso... Terceiro, se eu ouvir vc falando mal, de novo da sua madrasta e do seu irmão, as coisas vão ficar feias pra vc mocinha... Agora dá licença daqui, e não volte aparecer na minha frente enquanto a Madalena não for chamar pra jantar. E se vc desobedecer essa regra, terei que tomar medidas drásticas.

Saio batendo a porta com tudo, e estava indo pro meu quarto, mais acabei lembrando que eu não sei mais aonde é o meu quarto. Saio a procura das minhas coisas e vejo as mesmas em frente a uma porta, abro a mesma e quero matar aqueles dois é provavelmente meu pai tb. Esse quarto é menor do que a despensa aonde se guarda comida.

— aaah, mais de jeito nenhum que eu vou ficar aqui, eles que vão pra puta que pariu, mais eu que não fico aqui, nesse "quarto" se é que eu posso chamar ele assim. — procuro algum cômodo e vejo uma porta de cor diferente é lógico que acho estranho, até pq aonde que vc visse uma coisa diferente das demais, e não ficaria curiosa pra descobrir o que é!? Giro a porta é a mesma está trancada, é claro não vou desistir assim tão fácil. Desço e vou a procura da minha cúmplice, que me ajuda em tudo que eu peço.

Depois de procurar minha cúmplice em todo lugar, acabo achando ela na cozinha, que ao me ver vem e me dar um abração daqueles, que vc nem consegue respirar direito.

— menina eu só te vi uma única vez, nessa semana, o que tu fez, que agora vc veio aqui!?? — perguntou minha cúmplice.

— eu!?? Nada, mais aquela bruxa fez, isso eu tenho certeza. — falo e vou me sentando na banqueta, a minha comparsa, passa a ficar na minha frente.

— hum... Vc deve tá falando da Yuma, certo!?? — pergunta a minha comparsa.

— acertou, vc sempre acerta o que eu quero dizer. — respondo e depois pego uma maçã e dou uma mordida na mesma.

— cuidado, pro seu pai não ouvir, que vc anda falando mal dela... Agora me diga o que vc quer, pq eu sei que vc não veio aqui pra falar dela, mais pq vc quer alguma coisa. — responde minha cúmplice.

— aish!!! Acertou, vc sabe que eu fui chutada do meu próprio quarto né!?? — pergunto pra mesma, e fico furiosa, só de lembrar que fui chutada do meu próprio quarto, fico com muita raiva.

— todos já estão sabendo, e ninguém está contente com isso, até pq foi vc que escolheu primeiro o quarto, e agora vc tá no cuzinho de quarto!?? Ninguém deveria fazer isso com as pessoas. — pergunta é vejo a mesma ficar com raiva, pq ela sabe que foi injusto.

— quero saber, o que tem naquela porta de cor diferente, e se eu posso entrar nela. — pergunto fazendo, a cara de cachorro pidao.

— aish!!! Tá bom, mais lembre-se não fui eu que deixei vc entrar. — levanta e vai até no armário, e pega de lá alguma coisa, depois ela poem na minha mão, a chave do quarto.

Levanto e dou um beijo na mesma, saio de lá normalmente, e quando chego nas escadas saio correndo em disparada, entro naquele quartinho e espero um pouco, até pq eu sei que eles ia ver que eu saí correndo, e tentariam descobrir o que eu estou fazendo. Olho em volta desse " quarto" e ele é menor que meu closet, se acham que eu vou ficar aqui, se fuderam, pq eu não fico aqui, nem que a minha mãe apareça pra mim, vestida de fantasma.

Ponho minha cabeça pra fora da porta é vejo se tem alguém, não vejo ninguém, mais tenho que ser cuidadosa, por isso quando saio, revisto todo aquele andar, e vejo uma coisa que não era pra mim ter visto. Meu pai abraçando a noiva dele é seu "filhinho" mais isso não foi o pior, o pior é que eu ouvi a conversa.

— nos três vamos sair, e vamos nos divertir. — disse meu pai ainda abraçando os dois.

— mais querido e sua filha!?? — pergunta yuma, é bem nessa hora ela olha pra cima da escada como se me visse ali, apesar de eu estar escondida, ou seja agachada e encolhida no chão, esperando ansiosamente pela resposta do meu pai.

— ela pode comer qualquer coisa no armário, comida é o que falta de menos aqui. Eu só quero passar o tempo com vcs dois, e esquecer um pouco da filha ingrata que eu tenho, pq ela não é que nem o Jimin!?? — responde e pega na mão da Yuma, e sai andando com eles pra fora. Vejo aquela cena e saio de lá, primeiro descubro o que tem no quarto depois eu penso sobre o que eu ouvi.

Vou até na porta, encaixo a chave e giro, sem pensar em nada. Quando abro a porta, é apenas um quarto muito grande, mil vezes o tamanho do meu quarto antigo que foi usurpado pelo o filho da puta. Ando pelo quarto e tem duas portas. Abro a da direita e é um closet do tamanho do meu antigo quarto. Abro a segunda é claro que seria o banheiro, com uma banheira incapaz de ser resistida. Saio de banheiro e vou até a janela, que tem uma sacada, que dá pra paisagem das piscinas.

— esse quarto foi feito pra mim. — digo, e antes de sair da sacada, vejo os três saindo juntos. E aquilo me lembrou do que meu pai falou: " ela pode comer qualquer coisa no armário, comida é o que falta de menos aqui. Eu só quero passar o tempo com vcs dois, e esquecer um pouco da filha ingrata que eu tenho, pq ela não é que nem o Jimin!??". Fecho rapidamente a porta da sacada, e vou até na Madalena, explicar que quero minhas coisas em menos de uma hora naquele quarto.

— mais aquele quarto seu... — não deixo ela terminar e aponto pro meu braço, fazendo de conta que o tempo tá passando, e acho que a mesma entendeu pq já começou a dar ordens prós empregados arrumarem as coisas. Saio de lá, e vou em direção ao shopping, comprar algumas coisas pro meu novo quarto.

Não faço a mínima ideia de quantas horas é, mais espero que quando eu chegar em casa se é que posso chamar ela de casa, esteja tudo preparado, pq as coisas que eu comprei já deve ter chegado.

Quando entro na garagem vejo os três saindo do carro, olho as horas e vejo que já é nove horas.

— então quer dizer que só estão voltando agora!?? — pego algumas sacolas que eu trouxe e fecho a porta do carro. Eles estavam entrando, mais com o barulho da porta do carro fechando eles pararam pra vê o que eram. Ia passar pela porta, mais estavam todos os três lá, e antes de eu chegar fazendo barulho, pude ver o sorriso na cara do meu pai, coisa que eu nunca tinha visto comigo. E aquilo só me entristeceu, dei a volta pela piscina e entrei pela cozinha assustando o pessoal que eram meus amigos, todos vieram correndo pra me perguntar, coisas do tipo: " vc está bem!?" " Aonde vc estava até essa hora!?" "Nunca mais de esse susto na gente" coisas assim.

— eu estava no shopping, e quero pedir desculpas se eu fui grossa com vc, pois vcs não tem nada haver se eu estou com problemas. — respondo tentado da meu melhor sorriso, e acho que não deu certo pq a Madalena me pegou pelo braço e foi me levando em direção ao quarto que eu pedi.

Quando a mesma abriu, não era aquele quarto de algumas horas atrás, estava perfeito, do jeito que eu queria. Acho que Madalena queria me fazer esquecer o dia de hj.

— descansa filha, hj foi um dia agitado, amanhã será outro dia, descansa pq tem aula. — a mesma me dá um beijo e sai fechando a porta.

Me jogo na cama, e começo a pensar como minha vida é uma merda.


Notas Finais


Tadinha da s/n, o pai dela vai aprender a dar valor nela quando só for tarde.

S/n: pq vc tá fazendo isso comigo!?? Já não me fez abandonar minha casa com o meu primo... Agora tenho que aturar a mãe do Jimin e o Jimin... Aish!!! Vou me jogar da ponte que ganho mais. Xauuu.

Autora: volta aqui sua doida... NAO PENSE EM SE JO...

Então pessoal até a próxima, quem sabe não nós vemos por aí!??

Autora: sua doida não tá vendo que precisamos de vc não!??

S/n: sei... Só não me jogo pq tenho amor próprio pela vida (SQN)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...