História I Want - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Teen Wolf
Personagens Derek Hale, Mieczyslaw “Stiles” Stilinski
Tags Sterek, Teen Wolf
Visualizações 288
Palavras 986
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Só pra instigar vocês 😘
Ah, a partir daqui teremos palavras xulas e cuidado com o Derek no banheiro hahahahahaha

Capítulo 2 - Huts


Enquanto caminho até minha caminhonete depois do trabalho, ouço os caras falando sobre ir para a cidade para sair com mulheres, outros com homens e pontua-los. Eles parecem adolescentes pela maneira como falam, mas não dou à mínima. Eu tinha tratado meu ex com todo respeito, e o que recebi em troca?

Um par de chifres.

Mesmo antes dele, eu nunca fui de usar os homens só para sexo. E certamente não tinha feito isso depois dele.

Abro a porta da minha caminhonete e pego o pano perto do banco. Depois de limpar o meu machado, o guardo na caixa de ferramentas e caminho para o lado do motorista. Estou suado e sujo porque trabalhei duro como inferno, e estar esgotado significa que ficarei deitado na cama pensando em bundas. Eu gosto da paz e tranquilidade, e amo a solidão, mas o fato é que eu também gosto de homens, e não ter fodido nenhum em todos esses anos está sendo difícil pra caralho.

A maneira como eles cheiram tão malditamente doce, e o fato de que são a maioria todos macios, deixa-me mais duro do que aço a cada fodida noite. Já não tenho mais esperanças de encontrar um homem perfeito para mim, não onde eu moro, além do fato de que não quero me abrir novamente, não quando da última vez as coisas tinham terminado comigo sendo traído pelas duas pessoas em que confiava e estimava.

O fato de que raramente me aventuro a descer a montanha para tentar encontrar alguém certamente também não ajuda nessa situação.

Não, eu não posso reclamar sobre ser solitário, porque aprendi a gostar do fato.

De carro levo 45 minutos para chegar a minha cabana. A propriedade tem dois anos e está localizada no meio da porra do nada. Gastei todas as minhas economias, e o que tinha ganhando trabalhando como um lenhador durante três anos para construí-la. É pequena na verdade -apenas dois quartos- porém os cinco acres de terra que comprei me proporcionam a privacidade que quero.

Depois que estaciono o carro na entrada da cabana, pego as chaves, abro a porta e vou para o banheiro, me dispo e ligo o chuveiro. Uma vez no chuveiro, eu fecho os olhos e apoio uma mão na parede do azulejo em frente a mim. Meu pau fica duro demasiado rápido, e não hesito em agarrar meu comprimento espesso e dar-lhe um aperto.

Minhas bolas estão pesadas, eu cerro minha mandíbula, e começo a me masturbar.

Movendo a palma da mão para cima e para baixo do meu pau. Acaricio-me mais rápido e mais difícil. Rango os dentes.

Imagino um homem bonito na minha frente: todo nu, pronto e disposto. Eu tenho tara por castanhos, então é com um que fantasio, um castanho natural enquanto o mesmo geme todo ansioso por mim.

"Foda-se," amaldiçoou quando gozo.

Porra, estou parecendo um adolescente maldito pela rapidez com que venho gozando estes últimos dias. Não precisa nada mais que alguns movimentos da minha mão para o meu pau explodir. Abro os olhos, vendo a última gota da minha porra sair da ponta do meu eixo.

Merda.

Devo ser masoquista por me torturar assim.

Vale realmente a pena estar sozinho se eu tenho que recorrer a masturbação para proteger meu coração de cair de amores por outro homem?



***



Estou sexualmente frustrado. Tenho que admitir isso, mesmo que seja para mim mesmo. Não significava que seja frígido como aquele idiota disse, porque não sou. O problema é que ultimamente só ando tendo:

Sexo morno.

Sem pegada.

Sem paixão.

Essas palavras resumem minhas relações sexuais passadas muito, muito bem. Outro fato é que estou cansado da vida na cidade, exausto por ainda não ter conseguido encontrar minha vocação/carreira no mundo. Trabalho fazendo a mesma coisa há algum tempo e é demasiado enfadonho.

Desligo o motor do carro em frente a entrada de cascalho da cabana que aluguei por toda a semana.

É bem pequena, tem apenas um quarto, uma sala de estar conjugada com a cozinha e um pequeno banheiro com uma pia, vaso sanitário e um chuveiro.

Porra, nem mesmo tinha uma banheira.

Eu tinha visto as fotos da cabana online, estou feliz por ter conseguido reserva-la em tão espaço curto de tempo, e espero que pessoalmente a propriedade seja decente.

Saio do carro, pego minha mala, e vou para dentro. A chave esta em um caixa perto da maçaneta, e uma vez que digito o código de segurança a porta se abre. A casa cheira a pinheiros e lavanda e parece limpa.

Jogo minha mala no chão e volto para o carro para pegar as caixas de comida e galão de água mineral que comprei no meu caminho até aqui.

Uma vez que volto para dentro, fecho a porta, acendo as luzes, e olho em volta. A cabana é bem pitoresca, simples mesmo.

Certamente não é nada parecido com que estou acostumado a viver na cidade, e agradeço a Deus por isso.

Fico parado escutando os sons.

Não ha nada além da quietude e o som da minha respiração.

Silêncio apenas.

Fecho os olhos e pela primeira vez em muito tempo, me sinto em paz e tranquilo.

Talvez eu devesse desempacotar as coisas, ou apenas relaxar após a longa viagem, mas em vez disso, eu coloco as minhas botas, pego a minha bolsa munida com apenas algumas barras de granola e duas garrafas de água, e decido experimentar as trilhas que tem na propriedade.

Lá fora dou um passo para trás, olho ao redor, e inalo o ar limpo, fresco. Tenho vivido na cidade durante tanto tempo, que a poluição atmosférica tem sido a minha vida, uma parte de mim.

Não tinha percebido até esse momento o quando a quietude pode ser libertadora.

Sorrio ao olhar a beleza das árvores ao redor da mata, esse lugar é maravilhoso. Acho que definitivamente poderia me acostumar com isso.

Então eu caminho e caminho pelas trilhas e observo encantado tudo ao meu redor.


Notas Finais


E se perdeu.....
Até e leiam minhas outras fics amores!
😘😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...