História If - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias R5
Personagens Personagens Originais
Tags Ross Lynch
Visualizações 28
Palavras 1.705
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


E aqui está o terceiro capítulo, espero que estejam a gostar!!!!

Capítulo 3 - Cry


1 de Outubro, 10h07

POV Ross

Acordei de manhã sem necessidade do despertador, afinal era sábado, não havia motivo para me levantar cedo. Peguei no telemóvel pousado em cima da mesinha de cabeceira e vi as horas, mas uma notificação chamou-me a atenção, era uma mensagem de Jack.

Jack- Liga-me mal acordes!

Procurei o número nos contactos e liguei.

Chamada on

-Ross?

-Não,o teu vizinho- falei com a voz rouca e ouvi um riso do outro lado da linha.

-Ah ah , olha preciso que venhas para cá, os meus pais saíram de madrugada para apanhar o avião e é preciso de comprar as coisas para a festa.

-Tão cedo? A festa só começa ás 21h.

-Sim eu sei mas a Lila quer que eu vá ter com ela de tarde então não vou ter tempo.

-Ou seja, como vais fodê-la não vais ter tempo?

-Se quiseres pôr as coisas nessa perspectiva então sim, basicamente é isso.

-Ok, meia hora e estou em tua casa.

-Obrigado, até já!

Chamada off

Levantei-me da cama e saí do quarto. Desci as escadas de vidro até à cozinha e sentei-me numa das cadeiras pretas da mesa. Rose , a empregada, já tinha deixado o pequeno-almoço preparado em cima da mesa de mármore. Ouvi barulho vindo das escadas e vi o meu irmão Riker a descer apressado enquanto apertava a gravata.

-Quantas vezes é que já te disse que não quero que venhas para a cozinha só de boxers?- ele reclamou fazendo a minha manhã começar mal.

-Acabei de acordar e que eu saiba devia poder andar á vontade na minha própria casa...-disse nem me dando ao trabalho de olhar para ele.

Eu e Riker nunca nos havíamos dado muito bem, ele era meu irmão apenas da parte do pai e desde que o mesmo morreu ele ficou com o negócio por ser o mais velho. Vivemos juntos desde então.Tínhamos uma casa bastante moderna, era toda envidraçada e numa zona menos populosa da cidade, tinha apenas mais duas casas por perto. Não era demasiado grande, não havia necessidade de gastar dinheiro em algo exagerado quando éramos só dois a viver ali.Em relação a Riker, ele  era demasiado ocupado com o trabalho, nunca tinha muito tempo para mim, mas eu também preferia que assim fosse, ele tinha sido apenas fruto da traição do meu pai.

Acabei de comer e fui para cima tomar banho, vesti umas calças de ganga, uma T-shirt azul com decote em V, calcei as minhas converse pretas e saí de casa.Do outro lado da rua estava estacionado o meu carro, um BMW preto, entrei e dirigi-me a casa de Jack, tal como o combinado.

 

13h12

 

Já se tinham passado 3 horas e estávamos em casa de Jack a arrumar as compras que fizemos, compramos aperitivos e bebidas suficientes para a noite toda, era imensa coisa tendo em conta a quantidade de gente que ia.Arrumamos a sala, tiramos tudo o que se poderia partir e afastamos os sofás para que houvesse espaço suficiente para dançar.

Quando já estava tudo arrumado fui para casa almoçar e deitei-me no quarto até que chegasse a hora da festa.

 

20h20

 

Já estava vestido para ir, tinha que chegar mais cedo para ajudar  Jack a receber as pessoas e a colocar tudo nas mesas: os copos, as bebidas,a comida , etc...

Conduzi até casa do meu amigo ,chegando lá colocamos tudo no seu devido lugar, aquela festa tinha que ser espetacular.

 

 21h35

 Algumas pessoas já haviam chegado, a casa foi enchendo aos poucos e o barulho da música e das pessoas a falar começava a instalar-se.

Ao longe vi Jack e mais uns rapazes a conversar e a curtir a música, eu estava encostado à porta da cozinha com uma cerveja na mão e a falar com uma rapariga que tinha vindo ter comigo.

- Então, ouvi dizer que eras o melhor jogador da escola, é verdade?

- Se me estás a perguntar então de certeza que és nova certo?

-Sim, fui transferida este ano para aqui, andava toda a gente a falar desta festa e tive que vir ver se seria assim tão boa como dizem.-aproximou-se  de mim. Os cabelos pretos lisos eram compridos e os olhos azuis fitavam-me. Deu uma golada no líquido que se encontrava no copo vermelho e sorriu.

Continuamos a conversar durante algum tempo, no entanto ela era demasiado fácil e nunca gostei de raparigas oferecidas. Sabia que ela me queria , mas ela não me interessava por isso despachei-a rapidamente.

Apesar do barulho alto da música consegui ouvir a campainha a tocar por isso dirigi-me para a porta para ver quem havia chegado. Megan tinha acabado de entrar acompanhada por um rapaz alto e ruivo que costumava andar com ela e mais uma rapariga.

Esfreguei os olhos, não podia ser. Violet Clearwater acabava de entrar com Megan e o tal rapaz, os cabelos encaracolados como sempre, vestia umas calças brancas e um top preto que mostrava um pouco a barriga, a pele morena brilhava com as luzes , e as calças assentavam lhe no corpo perfeitamente, estava bonita.

Pensei em aproximar-me mas sabia que ela não tinha vindo por minha causa-Esperei então até que Megan estivesse sozinha para a cumprimentar, visto que a convidei tinha que ir falar com ela.

-Megan! Que bom que vieste, sabia que não ias falhar.

-Não perderia esta festa por nada!

-Vejo que trouxeste os teus amigos.- disse-lhe aproximado-me um pouco por causa do barulho.

- Demorei a convencer a Violet a vir , mas ela acabou por aceitar. -ela sorriu ao dizer isto enquanto olhava para a amiga que dançava com o ruivo.

- Ah a Clearwater, sim ela não é muito de festas.- olhei também para ela- Sabes o Jack anda à tua procura, ele fez muita questão que viesses.

-Ah obrigada, vou ter com ele então, diverte-te!- ela disse isto com um sorriso e afastou-se.

A festa estava cada vez melhor no entanto havia cada vez mais pessoas um pouco fora de si por causa do álcool, tínhamos feito bem em tirar tudo da sala, pois o mais provável é que se iria partir. Num canto havia pessoas a jogar cartas , no meio da sala as pessoas dançavam, alguns casais espalhavam-se e alguns já subiam para os quartos lá de cima, nada que não estivesse habituado.

[...]

Estava a conversar com Jack quando algo me chamou a atenção, um rapaz moreno agarrava Violet pela cintura e puxava-a para ele, no entanto ela não parecia muito confortável. Aproximei-me e ouvindo um pouco da conversa.

-Anda lá Violet, dança comigo, vou-te mostrar diversão a sério!-ela tentava afastar-se mas o rapaz fazia força para prendê-la contra ele enquanto lhe sussurrava ao ouvido.

Agarrei o rapaz pelo braço e o mesmo sacudiu a minha mão bruscamente.

-Não vês que estou ocupado?-a sua voz parecia irritada.

-Ela não quer dançar contigo vai-te embora.- falei firme.

Ele virou-se para trás e encolheu-se enquanto eu olhava para ele.

-L-Lynch.. Ah desculpa não sabia que eras tu e-eu , eu vou-me já embora.- afastou-se e Violet fez o mesmo, segui-a.

-Clearwater, espera!- agarrei-a pelo braço e a mesma olhou para mim.

-Que queres Lynch?

-Estás bem?

-Não, estou com dores de cabeça por isso se me largares gostava de ir para um sítio mais sossegado.

-Espera anda comigo eu sei da solução.

-Não te pedi ajuda.

-És demasiado chata, anda.- puxei-a entre a multidão e subi as escadas. Entrei numa casa de banho e fechei a porta.

-Espera ,o Jack costuma ter aqui alguns comprimidos.- disse-lhe e comecei a vasculhar nas gavetas.

Vi que ela se havia sentado no tampo da sanita e pôs as mãos na cabeça.

-Não quero tomar nada, só quero ir-me embora.

Agachei-me em frente a ela e pus as minhas mãos em cima dos seus joelhos. Não demorei muito tempo a ter levado um abanão e ela ter tirado as minhas mãos de cima dela.

-Já estou bem, agora deixa-me sair daqui.

-Pensei que te doía a cabeça...

-A tua companhia não ajuda muito.

-Posso saber o porquê de seres tão antipática comigo?

Ela olhou para mim de relance e de seguida levantou-se em direção à porta.Pus a mão na porta rapidamente, impedindo que a abrisse.

-Afasta-te.- ela falou curta.

- Não.

-Ouve tu sabes o que fizeste ,agora saí!

-Se é por causa disso que estás assim, pensei que já tínhamos resolvido tudo.

-Tu disseste que já não tinhas tempo para mim!Tu inventaste uma desculpa para te afastares!Como é que isso é resolver as coisas?!

-Eu..

-TU O QUÊ?A culpa foi tua! Sempre foi tua!Ela foi-se e a culpa foi tua!

Encostei-a á parede  com força e fiz pressão sobre os seus ombros, estava irritado, mas não lhe podia bater, ela tinha razão. Porém sabia que ela não me diria aquilo se estivesse consciente.

Aproximei o meu rosto do dela e inspirei, ela tinha bebido.

-Tu não estás bem. O que é que bebeste?

-Isso não interessa.

Ia responder mas comecei a ouvir soluços, ela tinha começado a chorar.Olhei para ela, estava com os olhos fechados assim como os punhos e as lágrimas escorriam lhe pelo rosto.Larguei-a mas ela continuou na mesma posição.

Senti um soco no peito. E de seguida outro e outro e outro, ela estava a tentar descarregar a raiva em mim, deixei-a estar. Senti os murros pararem e abracei- a, o seu rosto a molhava-me a  camisola mas não me importei .Ficamos ali por algum tempo, em silêncio até que ela se acalmasse.

-Anda, eu levo-te a casa.

Abri a porta da casa de banho e ela seguiu-me sem responder. Descemos e fiz sinal a Megan para que ela não se preocupasse. Ela fez uma cara estranha mas depois assentiu.

Saímos da festa barulhenta e entramos no carro. Ela afundou-se no banco e olhou pela janela enquanto eu guiava. Não sabia que dizer, talvez o melhor até fosse não dizer nada ou aquela situação podia ficar pior.

[...]

Passados 10 minutos chegamos a casa dela e parei o carro em frente da porta.

-Obrigada...boa noite.- ouvi a voz dela sair rouca e baixa.

-Boa noite, descansa.-ela saiu do carro e esperei que entrasse em casa antes de arrancar, olhei para o relógio do carro, 4h13.


Notas Finais


Espero que tenham gostadooo 🦄🦄🦄🦄🦄🦄, estou a amar escrever isto e estou cada vez mais empolgada!!!
Obg e não se esqueçam de dizer abaixo nos comentários o que acharam!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...