História If I Could Stay Just One Day - Our Daily Living (BTS Fanfic) - Capítulo 24


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Visualizações 13
Palavras 1.304
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ecchi, Ficção, Fluffy, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


HOJE É DIA DE REAPROXIMAÇÃO, HOJE É DIA DE QUEBRAR BARREIRAS.

Esse é o penúltimo capítulo.
É. Tá acabando.

Mais despedidas? É, eu odeio despedidas, ainda mais em fanfics. Mas calma, vai dar tudo certo. (Assim eu espero.) Yang-Mi vai resolver a vida e o coração, estando ele ainda focado em Jeon Jungkook ou não.

cofcofEUSHIPPOcofcof

Capítulo 24 - How you dare..? (pt. 2)


"Não é assim, deixa eu explicar..."

A audácia dele é incrível, e eu ainda acreditei que ele era diferente. Quebrei a cara de novo. Min Yoongi não vai mais pisar nessa casa. Caso encerrado.

Ah é, eu não contei o resto do episódio do show.

Sabe, quando se é forçada a sair com o ex, uma pessoa naturalmente tentaria evitar a pessoa a qualquer custo. Eu tentei fazer isso (ênfase no "tentei"), mas perdi uma batalha implícita mútua. Que batalha? Simples, a batalha do meu cérebro contra o meu coração. O cérebro me fazia evitar o Kookie e o coração, querendo me fazer de trouxa, me mandava falar com ele, saber como ele estava e me entregar de vez, porque, ao contrário do que eu queria transparecer, eu não tava bem.

Cadê o meu orgulho nessas horas?

E sabem o que é mais incrível? Eu não sei ser durona. Enquanto eu assistia o grupo mais sem noção do mundo dançar e cantar, Jungkook ficava visivelmente tentando tocar a minha mão, como se fosse uma daquelas cenas de filme de romance onde o casalzinho toca as mãos sem querer. Aprecio a tentativa, porque era até fofo, mas eu fiquei meio desconfortável. Mas no geral ele foi até bem respeitoso. Me oferecia doces, comprou água e suco pra mim quando os meus trocados acabaram e o Shin não quis me dar uma ajuda, até colocou o meu celular pra carregar na Power Bank dele (porque ele tinha descarregado de tanta foto e vídeo que eu tirei/gravei às escondidas, morrendo de medo dos seguranças) sem nem reclamar de gastar energia ou algo assim.

Ele é solidário, confesso.

A gente realmente não conversou no meio do show, mas sim no final. O Shin deu a ideia de passar numa pizzaria e comer antes de voltar pra casa. Jungkook dizia que deveria estar em casa, mas o palhaço do meu irmão insistiu tanto que ele acabou cedendo e foi. Lá na pizzaria, quando todo mundo já tinha decidido o que comer, Kookie tomou coragem de puxar assunto. A gente passou um tempo falando sobre música e dança e, quando a gente percebeu, O SHIN TINHA DEIXADO NÓS DOIS SOZINHOS ALÍ. O dono ainda chegou a avisar que eles iam fechar e tal. Que vergonha.

Nós tivemos de andar pra voltar pra casa. Busan é linda à noite, com certeza. Mesmo sendo urbanizada, as luzes são de tirar o fôlego. Eu fiquei em silêncio do lado dele, andando e observando o centro da cidade conforme eu conseguia reparar nas coisas que eu não tinha visto antes. Como eu sou tapada, não percebi que tinham construído novos prédios no centro. Mas do jeito que tá o avanço urbano, eu acho que eles ergueram o prédio em cinco dias, porque na semana anterior, aquele prédio não estava lá.

Anyway...

Ele ficou calado, também. Mas depois de um tempo ele disse uma coisa que me despertou.

– Yang-Mi, olha! É aquele parque!

Eu olhei pra onde ele indicou e eu vi o tal parque. Era o parque em que eu reencontrei ele.

– Lembra quando você apareceu do nada no meio daquelas pessoas?

– Lembro, foi dolorido. – me permiti sorrir com a lembrança. – As suas fãs são fortes.

– Ninguém manda o Namjoon-hyung dizer pra elas comerem bem e serem saudáveis. – riu também, olhando pra cima. – Mas olha, você foi mais forte, porque você conseguiu passar por elas.

– Pensando bem, faz sentido.

– Sabe, eu nunca te contei, mas te reencontrar naquele dia foi muito bom. Eu já falei pra você sobre a história dos meus pais. Naquele dia eu tinha recebido notícias deles, de que eles estavam em algum lugar na Tailândia, mas depois eu descobri que era mentira e fiquei muito puto.

– Puxa, que horror.

– É, mas ver você naquele dia me fez sorrir. Eu precisava de alguma coisa pra me animar e você só chegou em boa hora.

– Fico feliz por isso. Sério.

– Eu tenho muito a te agradecer. – percebi que ele me olhava fixamente, mas eu não olhei de volta.

– Não precisa, eu te entendo.

– Não, eu tenho que fazer alguma coisa. – ele parou de andar e logo eu parei também. – Yang-Mi, me deixa te dar alguma coisa. O que você quiser no mundo, eu dou pra você agora.

Pensei bastante no que pedir. Era uma oferta tentadora, mas é claro que eu não iria abusar da boa vontade dele.

– Aceito um café. – falei com um sorriso. – Busan ainda tem Starbucks 24h, não é?

~~

– E sabe o que é mais engraçado?

– O quê?

– É que ele e o Tae estão se pegando, agora.

– É O QUÊ?! AAAAAH, ME EXPLICA ISSO DIREITO!

– Tenta acompanhar: lembra daquela noite em que a gente assistiu Love Hina? – eu assenti com a cabeça. – Então, desde aí, quando eles bebem, eles se pegam. Uma vez um paparazzi pegou eles dois se catando na rua atrás de uma das locações em que a gente gravou Not Today e o manager teve que implorar pra ele não vender as fotos.

– Peraí, eles estavam bêbados no set?

– Totalmente alcoolizados.

– Eles estão indo além de todos os limites da minha imaginação. – bebi um pouco do café e balancei a cabeça. – Ainda lembro deles no tapete... Aish!

– Poderia ter sido pior. Uma vez eles invadiram o escritório do Namjoon-hyung e-

– Não! Não conta, melhor eu não saber.

– Mas foi engraçado! Pegaram eles enquanto o Jimin tava preso na própria calça! – Jungkook ria tanto que eu comecei a simpatizar com o meu OTP mais ainda.

– Agora eu tô com pena. Deixa eles se pegarem, coitados. Taehyung foi iludido na vida, Jimin não conseguiu o que queria com a garota do fansign... É só o destino juntando os dois pra curarem as próprias dores de uma vez só.

– Não vou negar que parece melhor quando você fala. Fica mais ameno do que realmente é.

– Não é pra tanto, Jungkook. – rolei os olhos e ri.

– É sério, eles se catam em toda oportunidade que rola soju ou qualquer outra bebida.

– Inacreditável.

– Pois é.

O café já estava acabando e o meu sono era maior do que a quantidade de cafeína que eu ingeri, então já era a minha hora de ir pra casa. Desviei o meu olhar dos olhos dele e me distraí por uns instantes, mas ele notou. Ele sempre nota essas coisas.

– Tá com sono? – ele pacientemente perguntou.

– Sim, não tô mais acostumada a dormir tão tarde. – respondi coçando os olhos com os punhos.

– Vem, pega o seu café que eu te levo até lá.

– Não, não precisa se incomodar.

– E você acha que eu teria coragem de te deixar ir pra casa sozinha a essa hora, com você morrendo de sono?

– Não? – perguntei brincando.

– Claro que não. – ele se levantou e bebeu o resto da bebida dele num gole só. – Vem.



– E como tá a sua mãe?

– Ela tá bem, melhor agora que eu voltei e o Shin vive lá em casa. Ela se sentia muito sozinha sem nós dois. Na verdade ela só tem a gente, agora.

– Que bom que ela tá bem.

– Ela gosta muito de você. – sorri pra ele e vi ele ficar surpreso.

– Gosta?

– É, ela diz que você é muito prestativo e educado.

– Tudo verdade. – se gabou, brincando comigo.

– Tá, é mesmo. – respondi sarcasticamente. – Ei, já estamos chegando. Você pode voltar daqui.

– Okay. Mas eu vou te olhar daqui. Só pra ter certeza de que você vai entrar.

Eu ia falar algo como "Pra onde mais eu iria a partir daqui?", mas achei melhor ficar quieta e dar tchau pra ele.

– Até mais, Jungkook.

– Até mais, Yang-Mi.

Andei até a porta de casa, tendo o olhar coruja do Kookie sobre mim. Ri pensando em como era engraçado ter ele me vigiando até entrar em casa, porque nem o meu pai faria algo assim. Mesmo assim, era caridoso, então eu parei de rir, toquei a maçaneta e abri a porta, vendo Kookie acenar de longe.


Notas Finais


I got my eyes on you, you're everything that I see...

É, migos. O garoto tá confuso sim. Mas daqui a pouco ele bota a cabeça no lugar. Só que pra ele colocar a cabeça dele no lugar, eu tenho que colocar a minha primeiro.

É a vida.

Vejo vocês por aí.
~Love U!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...