História Imagine Hot Justin Bieber - Capítulo 47


Escrita por: ~

Postado
Categorias Charlotte Crosby, Chaz Somers, Christian Beadles, Justin Bieber, Ryan Butler
Personagens Chaz Somers, Christian Beadles, Jeremy Bieber, Justin Bieber, Ryan Butler
Tags Amor, Charlotte Crosby, Criminal, Justin Bieber, Sexo
Visualizações 290
Palavras 2.777
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olha só quem veio atualizar a fanfic, espero que gostem do capítulo ❤️

Sorry por algum erro encontrado, i’m human babys.

LEIAM AS NOTAS FINAIS!
LEIAM AS NOTAS FINAIS!

Capítulo 47 - 47


Justin me olhou e arqueou as sobrancelhas como se duvidasse de mim, ele realmente acha que não vou perguntar quem é queda mulher? 

Justin ficou o tempo todo grudado em mim, o que era bem entranho. Afinal ele gostava de ficar conversando com os meninos sem a minha presença por perto, eles ficavam falando de trabalho e mais trabalho. As horas foram se passando e eu tentava arrumar uma pequena brecha para falar com aquela mulher, mas não estava sendo fácil. 

 

-- Onde você vai? Justin me segurou pelo braço ao ver que eu me afastava dele.

-- Vou procurar a Kendra, é caso de vida ou morte.

-- O que aconteceu? Ele me olhou desconfiado.

-- Coisa de mulher Justin, me solta logo.

Justin me olhou dos pés a cabeça e soltou meu braço, assim que ele deu as costas corri em direção da moça que dançava se esfregando em um cara muito gato.

Olhei para trás novamente e Justin me olhava disfarçadamente, então eu segui andando no meio das pessoas, tentando ao máximo me afastar dos olhos de Justin. Quando cheguei em uma distância considerável, liguei para Kendra eu não sabia onde ela estava. Tocou duas vezes e ela atendeu...

-- Char? 

-- Onde você está Kendra?

-- Estou no final da rua, não estou bem.

-- O que? -- Aí meu deus, o que você tem?

-- Eu apenas bebi um pouco demais Char, nada que você deva se preocupar.

-- Me manda sua localização que eu não quero ficar perdida.

-- Okay. Finalizei a ligação e segundos depois vi que ela já havia mandado a localização exata de onde ela estava.

Eu caminhava com dificuldade entre as pessoas, mas graças a Deus consegui chegar até a Kendra. Ela estava sentada no meio fio da calçada com uma garrafa de whiskey, ela não disse que não estava bem? 

-- Anda sua ridícula, levanta e vamos embora antes que você morra de tanto beber. Enquanto voltávamos para onde o resto do pessoal tava, eu vi aquela mulher de quem eu perguntei para Justin e o mesmo não fez questão nenhuma de me falar sobre a mesma.

Falei para Kendra seguir o pequeno caminho sozinha pois tinha que resolver uma coisa, e assim ela fez, fiquei olhando ela até chegar a uns 500 metros dos meninos e das meninas.

 

-- Ei você? Tentei gritar por cima da música alta que tocava.

-- Eu? A moça me olhou confusa, como se perguntasse para si mesmo se me conhecia.

-- Qual seu nome? Perguntei com a cara fechada.

-- Eu te conheço? Ela falou debochada.

-- Não, mas acho que você conhece pessoas bem próximas a mim. Falei mais seria ainda!

-- Bieber? Ela deu uma risadinha e uma moça que antes dançava com ela assim que ouviu o nome "Bieber" virou para nós imediatamente e olhou para aquela vadia debochada. 

-- Hum... então quer dizer que conhece o famoso Bieber?

-- Sim, conheço ele e seus amigos. 

-- Vai me dizer seu nome ou não?

-- Garota você é mais uma das vadias do Bieber ou o que? -- Se quer saber se ele transa ou beija bem, não venha perguntar para mim. Tire suas próprias conclusões, talvez o que seja bom para mim pode não ser para você.

 

[...]

Okay, agora eu realmente havia me arrependido de ter ido falar com aquela vagabunda. Mas no final das contas foi bom, então Justin já tinha ficado com ela. Mas para mim ela estava mais para lanchinho coletivo!

Eu não estava acreditando que Justin e todos os meninos já haviam pegado aquela mulher, como ele pode ser tão estupido e deixar que seu amigo colocasse um par de chifres em uma das minhas melhores amigas? 

 

-- Está tudo bem? Chris perguntou enquanto andava junto a mim com dois copos cheio de bebida.

-- Está tudo ótimo Chris. Sorri de lado, mas eu queria matar Justin e aquela vadia.

 

Já passava das 3AM quando ouvi umas pessoas começarem a gritar, Justin e os meninos resolveram correr um contra o outro, isso ia dar merda eu tenho certeza.

 

 

             P. O. V'. s Justin Bieber 

 

Não desgrudei de Charlotte por nada naquele racha, eu via Débora lançando sorrinhos para mim mas eu não dava muita moral. Charlotte estava ao meu lado, e foi um milagre ela não ter visto Débora fazendo isso.

 

Tava tudo de boa, até Charlotte resolver procurar Kendra, aquela ali era pior que Charlotte com ciúmes.

Eu tentei impedir que ela saísse do meu lado, pois se ela trombasse com a maldita da Debora eu estava muito fodido.

Ficamos ali bebendo e fumando, coisa que Charlotte odeia que eu faça. Ela fala que é um mal exemplo para Angel, mas ela nem aqui está. Então foda-se!

 

+++

 

Charlotte voltou com uma cara de cu do caralho, não sei o motivo, eu só sei que os caras querem fazer uma corrida entre nós. Quem perder vai pagar as tequilas, e quem ganhar... Bom eu não faço a mínima ideia de qual seja o prêmio.

 

Charlotte estava dentro do carro assistindo alguma coisa sem noção no celular, mas que porra ela tá fazendo? Vem para um racha e fica assistindo porcaria no celular? 

-- Sai dai Porra. Falei bravo.

-- Some Justin Bieber. Ela me mostrou o dedo do meio e voltou a fechar a porta do carro.

De propósito eu tranquei o mesmo, comecei a andar com os caras pelo lugar, e tinha muita gente interessante ali. Inclusive vi várias vadia que já comi, todas me lançavam sorrisinhos maliciosos. 

 

-- Olha aquela vadia que comemos. Ryan falou rindo e Alexis apenas revirou os olhos e deixou ele para trás. 

 

Como Charlotte estava no meu carro, eu simplesmente peguei um emprestado. De um cara que me devia um grande favor, e ele prontamente entregou seu carro. Eu e os caras fomos para o ponto de partida e tinha mais gente do que imaginávamos, isso era bom. Ver que as pessoas nos enalteciam por sermos quem somos, sempre estaremos no topo.

 

Uma moça loira bem gostosa ficou a uns 100 metros de distância dos carros ela estava usando uma saia que mal cobria a bunda dela, e um biquíni na parte de cima.

 

— Preparados? Ela gritou! Eu e os caras apenas aceleramos os carros e ela sorriu em respostas. Ela se virou para nós e começou com a contagem...

— Um, dois, três e já. Ela simplesmente levou seu biquíni mostrando os peitos enormes. Eu sai na frente, logo atrás vinha Chaz, Ryan estava tentando ultrapassar ele, e Chris estava por último. A corrida duraria no mínimo uns 20min, afinal escolhemos algo interessante essa noite, dar a volta no pico que havia ali perto. Me peguei pensando em Charlotte, e por esse descuido Chaz me ultrapassou e eu apenas dei risada. Ele acha mesmo que vai ganhar de mim? Está redondamente enganado! Ryan começou a buzinar para mim, ele sabia o quanto eu odiava aquilo. Eu dei uma leve freada com o carro, e sabia que ele iria desviar, e ao nosso redor havia apenas mato. E foi o que ele fez, desviou quase saindo da estrada de areia. Chris Tomou o seu lugar ficando em terceiro, depois de longos segundos lutando pelo primeiro lugar com Chaz, consegui ultrapassar ele. Mas quando me dei conta vi que havia um carro na frente do meu, e era o desgraçado do Ryan, ele havia pegado algum atalho desconhecido por mim e pelos caras. Estávamos terminando de dar a volta no pico, e já era tarde demais para que eu conseguisse ultrapassar Ryan. Então eu simplesmente deixei ele ganhar, ele atravessou a linha de chegada deixando todos surpresos por verem ele sair do carro e não eu. Alexis correu até ele e o encheu de beijos, mas essa noite quem pagaria as tequilas não seria o Chris como de costume, ele sempre perde as corridas. Mas hoje quem perdeu foi Chaz, iríamos gastar bastante para ele se foder quando fosse pagar.

 

+++

 

Os caras já estavam com as meninas indo em direção ao lugar para começar a beber e eu estava indo também, até me dar conta de que Charlotte estava trancada no carro. Puta que pariu, ela vai surtar.

Destravei a porta do carro e olhei no banco da frente não vendo ela, acendi aquela luzinha no teto e quando olhei para a janela de trás, a mesma estava quebrada. Eu não acredito que ela fez isso, eu não estou acreditando que aquela desgraçada quebrou a janela do meu carro.

 

Travei o carro novamente e andei em passos firmes até os caras, Ryan assim que me olhou se levantou e arqueou uma sobrancelha já sabendo que havia acontecido alguma coisa.

— Eu vou matar ela Ryan.

— Charlotte? Falou surpreso.

— Sim, aquela filha da puta quebrou a janela do meu carro.

Ryan deu uma risada alta, mas viu minha cara de descontentamento e logo cessou a risada.

— Porque ela fez isso Dude?

— Eu prendi ela dentro do carro, porque a maldita veio para um racha e do nada tava com cara de cu, e peguei a mesma dentro do carro assistindo alguma coisa idiota.

— E isso lá é motivo para trancar ela no carro? 

— Lógico! 

— Vamos resolver isso, vem. Ele apenas colou seu braço direito ao redor do meu ombro e fomos em direção de alguns caras que conhecíamos a um bom tempo.

 

— Jason? — Preciso de seus serviços.

— Justin, bem vindo novamente. — No que posso ajudar você cara?

— Coloque seus homens atrás da minha mulher, nem que eles tenham que arrastar ela pelos cabelos, tragam ela até mim antes que eu vá embora. Falei sério, Ryan apenas olhou para ele e passou um pacote de dinheiro. 

 

— Vocês ouviram né? — Vão atrás da mulher do Bieber, traga ela viva. 

 

Eu e Ryan voltamos para a pequena mesa onde o resto do pessoal estava sentado se divertindo, mas minha noite já havia sido estragada.

Primeiro, brigo com Charlotte. Segundo, perco a corrida. E por último a filha da puta da Charlotte quebra a janela do meu carro para sair do mesmo, porque diabos ela simplesmente não me ligou?

 

Depois de quase uma hora, um dos capangas só Jason me ligou alegando ter encontrado Charlotte andando sozinha, tentando chegar na avenida para pedir carona ou táxi. Ela realmente iria pegar carona com qualquer pessoa que passasse por ali? Essa mulher é doida!

— Mudança de planos, quero que vocês simulem um sequestro, quero uma coisa bem feita porra. — Deixem ela achar que vocês vão ajudá-la, e depois simplesmente levem ela para um lugar e me passem a localização.

— Sim senhor. Dito isso eu desliguei o celular e voltei a beber com os caras.

 

— Justin? Alexis me chamou.

— Que foi? Falei com tédio e ela percebeu isso é revirou os olhos.

— Onde está Charlotte?

— Ela está recebendo o que merece. Sorri abertamente e o assunto morreu ali, Kendra e Vanessa nem gostavam de se se meter nos meus assuntos com Charlotte, elas procuravam sempre saber das coisas através de Chaz e Chris ou através da amiga chata Alexis.

 

Eu queria ser uma mosquinha para ver a reação de Charlotte ao suposto sequestro, aposto que ela deve estar se cagando de medo.

 

 

            P. O. V' s Charlotte Bieber 

 

Quando eu finalmente resolvi sair do carro as portas não estavam abertas, e achei estranho aquilo. Justin não me deixaria aqui não é mesmo? Fiz a pergunta para mim mesma, e eu cheguei a conclusão de que sim. Justin filho da puta Bieber seria capas de me prender dentro do carro por raiva. 

 

Liguei para aquele idiota mais de cinco vezes, e ele não atendia. O celular das meninas estava dando desligado e o dos meninos a mesma coisa. Eu já estava entrando em pânico, então eu simplesmente pulei para o banco de trás, e quebrei a janela do carro. Se Justin iria me matar? Óbvio, mas eu estaria bem distante até lá, então ele já estaria de cabeça fria. 

 

Abri minha pequena bolsa e peguei meu celular, já se passava das 4:10 da manhã, eu estava andando a um bom tempo e nada de chagar na avenida. Pelo menos eu poderia pedir uma carona, ou quem sabe chamar um uber/táxi. Estava parada no meio do nada, quando avistei 5 caras eu tinha visto eles no racha. Talvez eles poderiam me ajudar.

— Ei, vocês? Chamei a atenção deles, três deles caminharam na minha direção, e dois deles ficaram onde estavam. Percebi que um deles falava ao telefone mas não me importei.

— Podemos ajudá-la? Um deles falou.

— Óbvio, você podem me dar uma carona? — Eu vi vocês no racha, eu sou mulher do Bieber. 

— A claro, não estamos com nossos carro aqui, precisamos pega-lo e está um pouco distante.

 

O cara que estava no telefone falou alguma coisa literalmente estranha que eu não entendi porra nenhuma, e quando dei por mim o cara que estava falando numa boa comigo me pegou com tudo e me colocou sobre seu ombro e começou a caminhar comigo. 

 

— O que está fazendo cara? 

— Cala boca.

— Me Solta seu idiota. Eu me debatia com toda a força que eu tinha, mas parecia não fazer efeito nenhum. 

Um dos cara colocou um pano no meu nariz, e eu já tinha consciência de que aquilo me faria dormir e isso me deixava mais nervosa ainda. 

Eu pude sentir meu corpo ser colocado em uma superfície macia, e logo em seguida algo sendo ligado depois disso não ouvi e nem vi mais nada. 

 

+++

 

Acordei com minha cabeça latejando, olhei ao redor e não reconheci o lugar era sujo e escuro. Eu podia ouvir vozes acima de mim, eu estava dentro de um porão. Mas que merda falei para mim mesma. Havia uma mesa não muito distante de mim, tinha vários tipos de alicates, facas, e muito mais. Aquilo me deixou desesperada, Justin tinha uma dessa, e ele usava para torturar as pessoas. Será que eles iriam fazer isso comigo? Merda merda, eu deveria ter esperado Justin voltar para o carro, assim eu não estaria me fodendo novamente. Ouvi passos descendo as escadas e rapidamente fechei os olhos, vou fingir que estou dormindo, pelo menos assim ganho mais algum tempo.

 

— A mulherzinha do Bieber ainda está dormindo. 

— Acorda ela, já passou da hora.

— Lembra da regra do Jason né? — Nada de agressão.

— Eu não vou bater nela, não sou louco e nem quero morrer tão cedo.

— Acorda gostosa. Um cara falou no meu ouvido e permaneci de olhos fechados, sua voz estava me dando calafrios. 

— Tenho um jeito melhor de acorda-la, pega a tesoura em cima da mesa.

Ouvi o cara caminhar rapidamente até a mesa e depois de alguns segundos voltar, senti a aproximação de um dos caras que havia me sequestrado. Sim, sequestrado, era a única coisa que dava para comparar com aquela situação na qual eu me encontrava.

 

— Eu vou te rasgar todinha. Eu não queria abrir os olhos, estava com medo. Mas criei coragem e abri, e dei de cada com um cara que parecia ter os seus trinta e seis anos, ele sorria maliciosamente para mim.

—  Quando o Justin achar vocês, ele vai acabar com cada um. Falei com a voz de choro.

— Certeza? — Que mal educado eu sou, não me apresentei a você Charlotte.

— Nem precisa. Falei arrogante. E dois segundos depois levei um tapa na cara.

— Eu sou Edgar, aqueles ali são Thomas, Filipe, Dieno e Max. 

— Pouco me importa o nome de vocês. Eu me remexo na pequena cadeira de madeira em que eu estava amarrada na tentativa falha de me soltar. 

— Vou me divertir um pouco com você, e em seguida os meus amigos. Ele levantou minha blusa e começou a corta-lá, aquilo me deixou em estado de choque. Eu estava sem sutiã, a blusa que eu estava usando era totalmente aberta atrás, deixando minhas costas inteira a mostra. 

— Droga. Murmurei baixo mas pelo jeito ele ouviu. 

— Parece que você facilitou a minha diversão não é mesmo? 

— Sai de perto de mim seu asqueroso. 

— Vocês podem dar o fora, eu serei o primeiro.

— Não esqueça Edgar, sem agressão. Se não me engano Max falou. 

 

+++

Eu estava chorando de ódio e de nojo, aquele cara estava se masturbando na minha frente, ele havia gozado em cima de mim. Eu estava quase vomitando, isso era tudo culpa minha. Se eu tivesse permanecido naquele maldito carro, eu estaria em casa ou com o próprio Justin ao meu lado.

— Vamos ao que interessa gracinha? Aquele filho da puta passou a tesoura no meu shorts que nem era tão curto assim, mas infelizmente ele se rasgou facilmente. 

 

Meu único pensamento era “Eu quero matar esse filho da puta”


Notas Finais


Gostaram do capítulo meus amores?

O capítulo foi dividido em 2, se vocês comentarem bastante eu postarei ainda hoje a segunda parte.

Beijos 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...