História In Between - Capítulo 29


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction
Personagens Harry Styles
Tags Colegial, Comedia, Harry, Romance, Soulmates
Visualizações 189
Palavras 3.158
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Só porque vocês são leitores maravilhosos, fiz esse capitulo enorme, porque não tive coragem de cortá-lo no meio. ( e sabia que me matariam , se eu fizesse isso kkkkkk)

Capítulo 29 - Shakespeare in love


Fanfic / Fanfiction In Between - Capítulo 29 - Shakespeare in love

 

Harry caminhou para a pista de dança, como se fosse um condenado indo para a cadeira elétrica. Chanel sorria como se fosse a rainha do lugar. Harry, estava com a expressão fechada, os lábios apertados, e o maxilar travado. Planejando fugir dali na primeira oportunidade que tivesse.

E então as portas se abriram e foi como se as portas do céu tivessem sido abertas pra ele e um anjo veio libertá-lo daquele inferno. Todos os rostos se voltaram naquela direção e o garoto piscou diversas vezes, apenas para ter certeza de que não estava delirando.

Todas aquelas pessoas ao seu redor desapareceram e tudo virou silencio, porque tudo o que Harry enxergava era a rainha de seu coração...

Alyssa estava mesmo lá. Linda como uma princesa. E com aquele lindo sorriso plantando no rosto. Ela sorria pra ele!! E seu coração dava cambalhotas no peito a cada passa que dava em sua direção.

Quando pararam frente a frente, apenas olharam-se, olhos nos olhos e ambos com aquele sorriso enorme no rosto. As palavras não eram necessárias. Mesmo assim, Harry pigarreou e assumiu uma expressão compenetrada. Retirou a coroa em sua cabeça e passou os dedos entre os cachos, o que fez Alyssa suspirar, porque ele parecia sexy com aquele simples gesto.

__  Vou comparar-te a um dia de verão. És bem mais adorável...e escura...agita o vento...blábláblá...essa parte eu não me lembro muito bem. – disse sem jeito e de um jeito adorável.

Alyssa só conseguia sorrir, se segurando para não se atirar nos braços dele e beijar aqueles maravilhosos lábios avermelhados.

__ Desculpa...eu não sou Shakespeare. – deu de ombros, meio corado – mas acho que Romeu também não era tão bom zagueiro, era?

__ Tenho certeza que não. – Alyssa garantiu, admirando o lindo garoto a sua frente.

__ Eu gostaria de ter as palavras mais perfeitas e lindas pra falar pra você e...se as tivesse, eu diria o quanto me sinto bem quando estou com você... – disse de olhos brilhantes e Alyssa mordeu os lábios para segurar as lágrimas – diria o quanto eu gosto daquela coisa que faz com seu nariz quando sorri, como se fosse a Feiticeira, me encantando. Diria o quanto odeio quando você me corrige quando falo algo errado. Mas acima de tudo, eu diria que...você me faz uma pessoa melhor e é por isso que eu sei que isso...[mostrou a coroa em sua mão e todos ao redor ] não significa nada. Mas você, Alyssa, significa tudo pra mim! Mas eu sou só um zagueiro burro e encrenqueiro e não conheço as palavras certas.

__ Suas palavras são perfeitas Harry. – Alyssa passou os braços pelo pescoço dele – você é perfeito! Vem aqui seu bobão, porque eu preciso muito te beijar agora.

__ Sou seu, sua nerd! – ele riu antes de puxá-la para seus braços e colar seus lábios.

E foi como voar e poder caminhar nas nuvens. Sentia os dedos dela acariciando sua nuca e abrindo os lábios para receber sua língua. Os dois gemeram quando o beijo se tornou mais intenso e seus corpos se colaram mais ainda. Os corações batiam acelerado, um contra o outro. As borboletas pareciam em festa em seus estômagos. Ambos tinham a sensação de terem encontrado seu lugar no mundo.

__ Parem com isso! – Chanel gritou no meio das pessoas – eu sou a rainha do baile. Harry é meu rei e ele é meu!

__ Me tira daqui pelo amor de Deus... – Harry sussurrou no ouvido dela e ela riu.

__ Sai da minha frente! – Chanel empurrou Tifanny tentando chegar até Harry, que estava deixando o baile de mãos dadas com Alyssa. – volte aqui, Hazz. Eu sou a rainha do baile!

__ E também uma tremenda vadia!

 Tiffany pisou na calda do vestido de Chanel, rasgando-o, o que fez sua bunda, sem lingerie, ficar exposta. Ela correu envergonhada, enquanto todos apontavam e gargalhavam. Tifanny sentiu-se vingada. Aquela piranha merecia isso depois de ter transado com Zayn. Afinal ela sabia onde estava a calcinha perdida.

 

__ Para onde? – Harry esfregava o nariz na bochecha de Alyssa.

__ Lembra-se da noite em que eu tomei um porre? – ela disse sem jeito e Harry engoliu em seco – eu disse que...queria que você fosse o primeiro.

__ Alyssa... – ele fechou os olhos.

__ Eu amo você Harry. – ela disse e o garoto abriu os olhos, meio trêmulo – eu quero que seja você. Não consigo imaginar minha primeira vez com outra pessoa. Mas vou entender se não sentir-se da mesma forma...

__ Por Deus garota! – ele disse rouco – eu recitei Shakespeare diante da escola toda! Eu passei pela sua menstruação como nenhum garoto devia passar.  Eu fui depilado com cera quente por um bando de garotas malucas. Eu aguentei sua mãe me obrigando a comer merda de neném. Acha que faço isso por qualquer garota?

__ Não foi como se tivesse alguma escolha. – Alyssa gargalhava – estava preso no meu corpo.

__ Eu amo você Alyssa. – ele disse carinhoso, acariciando o rosto dela – eu não sei quando aconteceu, mas eu amo você e me sinto honrado que me deseje dessa forma.

Os dois perderam-se em um beijo apaixonado. Como ambos haviam chegado ali de carona, resolveram chamar um taxi, que os levou pra casa de Harry.

Os pais estavam fora e assim tiveram privacidade. Entraram no quarto dele e o garoto parecia sem jeito, como se aquela fosse sua primeira vez e não a dela. Na verdade, ele temia se empolgar demais e estragar as coisas pra ela.

Alyssa já conhecia bem aquele quarto, então ligou o aparelho de som, com uma música suave. Estendeu a mão para seu príncipe, convidando-o a dançar com ela. Harry sorriu e podia sentir que ela também estava nervosa. Então a segurou pela cintura e a puxou para si. Dançaram por um tempo, seus corpos movendo de acordo com a música, suavemente.

Harry fechou os olhos quando sentiu os dedos  se enroscando nos cabelos de sua nuca e começou a beijar seu ombro. Os lábios se encontraram em um beijo apaixonado, enquanto seus dedos longos deslizavam pelas costas dela, abrindo o zíper de seu vestido. A peça escorregou pelo  seu corpo , revelando o conjunto de lingerie preto e rendado, absolutamente sexy, em contraste com sua pele clara. Harry mordeu os lábios. Alyssa abriu cada botão da camisa dele, sem desviar os olhos de suas esmeraldas, que estavam meio dilatadas de desejo. A camisa escorregou para o chão, juntando-se ao seu vestido. E ela deslizou os dedos por aquele tórax definido, raspando as unhas e ouvindo os gemidos roucos do garoto.

Seus dedos foram deslizando pelo abdômen e abrindo os botões de suas calças, enquanto Harry mal respirava, deixando que ela explorasse seu corpo como quisesse. Suas calças foram abaixadas e agora ele estava apenas em sua cueca boxer preta. Não ousou olhar pra baixo, porque sabia que sua ereção já estava marcada ali. Manteve os olhos em Alyssa, que sorria, antes de beijá-lo com paixão.

__ Me faz tua, Hazz! – sussurrou no ouvido dele.

Harry estava trêmulo quando a pegou no colo e a depositou na cama com delicadeza. Acariciou seu rosto com carinho e beijou seus lábios devagar, lambendo e mordiscando como se estivesse apenas querendo sentir seu sabor. Os beijos foram se arrastando para o pescoço e ele colocou seu corpo sobre o dela, sem soltar todo seu peso.

Alyssa arfou quando sentiu que ele retirava seu soutien  e sentiu o hálito quente da boca dele contra a pele sensível de seus mamilos. Ele passou a língua devagar e a pele se eriçou no mesmo instante. Harry sorriu e rodeou o mamilo devagar, causando sensações que Alyssa não conseguiria descrever. Enfiou os dedos nos cabelos dele, quando ele parou de brincar e envolveu seu seio direito com a boca, sugando-o de maneira vertiginosa, enquanto sua mão acariciava o esquerdo.

__ Eu sempre quis saber qual seria a sensação de tê-los assim entre meus dedos e meus lábios... – sussurrou sem se afastar da pele dela, se concentrando agora no outro seio – você é deliciosa, Alyssa.

__ Hazz... – ela gemeu e arqueou as costas, quando ele deslizou os dedos para o meio das pernas dela.

__ Tão molhadinha e quente pra mim... – disse olhando-a se contorcer ao seu toque – tão linda...

Esfregou seu dedão no clitóris dela e Alyssa abriu ainda mais as pernas como se pedisse por mais. Agarrou-se aos lençóis, quando Harry abandonou seus seios e foi distribuindo beijos molhados por toda a sua barriga, retirou sua calcinha, que estava molhada pela sua excitação e quando Alyssa olhou pra baixo, viu apenas uma confusão de cachos em meio a suas pernas.

__ Hazz...por favor...- gemeu descontrolada.

__ Quer que eu te beije aqui? – esfregou os dedos no ponto sensível dela e Alyssa só gemeu algo incompreensível – menina linda, vou te levar ao paraíso.

E ele cumpriu a promessa feita. Distribuiu beijos pelas coxas dela, deixando pequenas marcas de chupões perto de sua virilha, onde ninguém poderia ver. Segurou seus quadris e a lambeu toda, contornando seus lábios vaginais, e sugando seu clitóris de uma maneira que fazia a garota gemer alto e quase revirar os olhos de prazer. As mãos voltaram a apertar seus seios e sentiu quando ela estava se perdendo, porque seu corpo estremeceu e Alyssa gritou seu nome alto, sem nenhum pudor. Choramingou quando o orgasmo a atingiu e Harry continuava ali entre suas pernas, saboreando seu prazer, com os olhos atentos a cada reação dela.

__ Você é linda tendo um orgasmo! – ele subiu beijando todo o corpo dela, até alcançar seus lábios.

Alyssa não estava em condições de dizer nada, agarrada aos cabelos dele e perdida naquele beijo, enquanto seu corpo todo ainda estremecia pelo prazer recente.

Ela o olhava, encantada. Harry era absolutamente lindo e se perguntava como nunca tinha notado isso antes. Os cabelos cacheados estavam todo revirado, os lábios ainda mais vermelhos, os olhos tinham um brilho apaixonante. E ele sorria, deixando evidente, aquelas covinhas fofas em sua bochecha.

Alyssa estava totalmente nua e exposta ali, mas não se importou, porque aquele era seu garoto e a maneira como ele a olhava, fazia com que se sentisse a mais linda das criaturas. Os longos dedos dele deslizaram pela curva de seu pescoço e foi seguindo as curvas de seu corpo, como se a estivesse desenhando em sua mente. Beijou seus seios com delicadeza e então voltou aos seus lábios. Tão carinhoso. Tão doce. Tão atencioso com o prazer dela, quando sabia que estava incomodado com a ereção em meio as pernas.

A garota sabia o quanto aquilo doía e, em uma atitude ousada, decidiu que iria lhe proporcionar o mesmo tipo de prazer que havia recebido. Beijou-o com paixão e foi descendo os beijos por todo seu peito. Não resistiu e deixou uma marca arroxeada ali, como se estivesse marcando território. A verdade é que a pele de Harry era tão clara que se avermelhava com facilidade. Ele sorriu quando viu que havia sido marcado. Isso a incentivou a deixar mais algumas em seu abdômen.

Quando estava diante da pequena trilha de pelos abaixo de seu umbigo, começou a rir e ele a olhou sem entender.

__ Vou querer saber por que está rindo aí embaixo?

__ Talvez não... – ela disse com os lábios na pele dele.

__ Alyssa...

__ Ok...não acredito que vou te contar isso. – ela deitou a cabeça na barriga dele e o olhou ainda meio rindo – quando eu era você...Chanel veio me propor que passasse a noite com ela e disse que ia...disse que você gostava quando ela chupava sua cabecinha...ali.

Harry estava ficando vermelho de tanto segurar a risada e ela bateu nele.

__ E o que disse a ela? – ele ria agora.

__ Acho que a chamei de vadia na frente do time de futebol inteiro. – disse risonha – eu imaginei a cena e quase vomitei. Eu achava isso nojento.

__ Então afaste-se dai mocinha! – ele a puxou para seu peito. – não vou pedir que faça algo que te enoja.

__ Harry, não quero que pense que tenho nojo de você. – tentou se explicar.

__ Eu sei. – ele não parecia ofendido – eu sei que é sua primeira vez assim com um garoto, minha linda, e vai se descobrir aos poucos. Vou te ajudar nisso, se me permitir, mas jamais a forçaria a algo que não queira. Eu adorei chupar você e ver suas reações, mas isso não significa que tenha que fazer o mesmo comigo.

__ Conheço seu corpo Harry...cada parte dele. E amo cada parte dele... – ela foi deslizando os lábios por seu peito  novamente, deixando um rastro de fogo na pele do garoto – eu quero ver cada uma de suas reações quando eu te toco. Eu quero saber qual o seu sabor. O que te dá mais prazer...

__ Alyssa... – gemeu rouco, quando ela começou a tirar sua cueca – não me provoque desse jeito.

A garota sorriu e permitiu-se admirar a nudez de Harry em todo o seu esplendor. A Stylesconda parecia apontar pra ela. A cabeça avermelhada e as veias saltadas.

__ Olá Stylesconda...sentiu minha falta? – Alyssa segurou o membro de Harry que fechou os olhos e afundou a cabeça no travesseiro – agora eu vou te levar ao paraíso anjo...

Harry se perdeu em gemidos e palavrões, enquanto aquelas mãos habilidosas faziam movimentos de vai e vem em seu membro endurecido. Não queria nem imaginar o quanto Alyssa andou praticando, porque parecia saber exatamente onde tocar e como manter o ritmo, de maneira que o fazia ter a sensação de estar despencando em um precipício de prazer, sem nunca chegar lá realmente. Agarrou-se aos lençóis e arqueou o corpo quando ela apertou levemente sua glande inchada e passou o polegar em sua fenda que expelia pre gozo.

__ Merda! Não faz isso! – pediu desesperado quando ela passou a língua ali, de maneira meio insegura, como se estivesse saboreando-o – se continuar com isso...não vou aguentar...e não é assim que quero gozar...oh Deus...Alyssa...

Ela sorria ao ver seu garoto tão perdido de prazer. Lindo!!!

Mesmo com os protestos choramingados por Harry, Alyssa ousou ainda mais e engoliu apenas a cabeça do pau dele, passando a língua ao redor e fazendo com que ele se remexesse inquieto. Engoliu mais um pouco e sentia as veias pulsando em seus lábios, enquanto não perdia nenhuma das reações de Harry, que quase rosnava com aquela voz rouca  e sexy.

__ Alyssa eu...droga! – ele estremeceu quando foi vencido pelo orgasmo e seu prazer se espalhou todo no rosto e seios de Alyssa. – não sorria desse jeito, sua diabinha! Olha o que fez comigo!

Mas ela ainda sorria, enquanto o garoto mal conseguia respirar adequadamente, rosto corado e olhos fechados, enquanto praguejava baixinho. Não acreditava que tinha perdido o controle desse jeito.

__ Eu odeio você. – ele resmungou, embora sorrisse. – essa devia ser sua noite especial.

__ E o que te faz pensar que isso não está sendo especial? – ela havia se limpado no lençol e agora estava sobre o corpo dele, o que não contribuía em nada para sua sanidade.

__ Você continua virgem. – ele zombou.

__ A noite ainda é uma criança... – disse maliciosa e Harry arregalou os olhos  - vou usar e abusar desse seu corpinho hoje.

__ Quem é você? – Harry a encarou alarmado – com quem minha doce Alyssa trocou de corpo agora?

__ “sua doce Alyssa” ?

__ Não tão doce, mas ainda assim, minha Alyssa! – riu apaixonado.

Beijaram-se novamente. As bocas se movendo devagar e se encaixando perfeitamente, assim como seus corpos pareciam se encaixar de maneira perfeita. Era inacreditável o poder que aquela garota tinha sobre Harry, que já sentia sua ereção pulsando novamente, porque ela estava sentada exatamente sobre sua virilha, se remexendo de uma maneira que estava lhe roubando todo o folego.

Virou-se sobre ela e levantou-se. A garota o olhou confusa pelo afastamento repentino e então entendeu quando ele caminhou até o closet e procurou algo na gaveta. Viu-o corar quando voltou pra cama com um pacotinho prateado nas mãos. Fofo!

Sem dizer nada, deitou-se sobre ela e se alojou entre suas pernas. Os beijos ainda se prolongaram por bastante tempo, não tinham pressa e como ela mesma havia dito, a noite ainda era uma criança. Alyssa foi provocada, estimulada até quase implorar para que ele a fodesse logo e acabasse com aquela tortura. Mas Harry parecia saber o que estava fazendo, pois não parecia ter pressa alguma, apesar da ereção dele a cutucando, quando  impulsionava-se, contra sua virilha, apenas provocando.

Então ele parou e ficou olhando-a por um tempo. Acariciou a si mesmo, espalhando o pre gozo por todo o seu comprimento e colocou o preservativo com rapidez. Olhou-a mais uma vez e viu quando ela pareceu estremecer.

__ Não tenha medo. – pediu baixinho, próximo aos lábios dela – vou devagar e se for demais, me faça parar. Tudo bem?

Ela assentiu e deixou-se beijar quando ele veio até seus lábios. Sentiu quando as mãos dele abriram mais suas pernas e seguraram suas coxas. Esfregou-se em sua intimidade, sem entrar de fato, como se a estivesse lubrificando também. Segurou a ereção e a posicionou ali, sem tirar os olhos de Alyssa. Deslizou devagar para dentro dela, apenas a ponta e a garota gemeu de dor, agarrando-se as costas dele.

__ Shhh! Precisa relaxar. – disse passando o polegar em seu clitóris e entrando mais um pouco nela –  a dor já vai passar, eu prometo.

Alyssa ainda gemia com aquela sensação incomoda de ser invadida, mas Harry estava sendo tão cuidadoso e paciente, que ela acabou relaxando. Manteve o foco nos dedos dele acariciando seu ponto sensível e o volume dentro dela deixou de ser incomodo.

__ Porra! Você é tão apertada e tão quente... – Harry praguejou quando estava totalmente dentro dela – vou me mover, tudo bem?

A garota se agarrou ainda mais as costas dele e deixou as marcas de suas unhas quando ele começou a estoca-la devagar. Não havia mais dor quando ele segurou sua nuca e a beijou com desespero. Os gemidos se misturando. Seus corpos se fundindo e ondulando juntos naquela dança sensual. Cada investida de Harry era um grito desesperado de Alyssa contra a pele de seu pescoço. Tudo saiu de controle e ambos se perderam um no outro. Estavam despencando juntos em direção ao prazer. se agarrando ainda mais aquela sensação de paraíso. Beijando-se de maneira atrapalhada quando mal conseguiam respirar. A garota se agarrou aos cabelos de Harry e deixou seu corpo desabar na cama, quando foi tomada de espasmos de prazer. Harry por sua vez, urrou rouco quando sentiu-se agarrado e comprimido pelas paredes internas dela . E realmente gritou quando o prazer foi demais e  explodiu dentro daquela cavidade quente e úmida.

Os braços fraquejaram e Harry desabou com a cabeça no peito da garota, tomando cuidado para não soltar todo seu peso, enquanto ainda estava dentro dela, movendo-se muito lentamente, enquanto os dois gemiam. Cansados. Suados. Corações acelerados.

__ Eu amo você... – os dois disseram ao mesmo tempo e riram disso.


Notas Finais


Querem mais safadeza?
Aposto que sim, mas agora tenho que atualizar mais três fics, então segurem a ansiedade por um tempo.
Mas não esqueçam de comentar, senão esqueço de atualizar kkkkkkk
Love always


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...