História In The Name Of Blood - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Dexter
Personagens Personagens Originais
Tags Assassinato, Debra, Dexter, Hot, Miami, Serial Killer, Serie
Visualizações 7
Palavras 2.271
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Fluffy, Hentai, Luta, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 3 - Why Did You Do That??


Fanfic / Fanfiction In The Name Of Blood - Capítulo 3 - Why Did You Do That??

Roxie P.O.V On

Minhas roupas atraiam olhares que eu já nem queria atrair,eu juro que quando achasse Debra,iria a matar por ter me feito me vestir dessa forma. Todos os momentos foram resumidos em virar algumas cervejas e tentar tirar o estresse dos ombros,que acabaram em virar algumas cervejas enquanto andavamos na praia que estranhamente estava sendo iluminada pela lua.

Por mais que todos (no caso Debra) estivessem certos de que hora ou outra eu iria transar com Dexter e deixar apenas isso,eu estava certa de que continuariamos naquela coisa neutra que até que era agradável. Dexter mesmo tendo suas frases como que combinadas e como se tudo fosse artificial era um...bom ouvinte,digamos assim,e para alguém que já estava virando sua segunda garrafa de cerveja,eu estava uma boa faladeira,se é que essa palavra existe:

-Então,Debra básicamente te obrigou a usar essa roupa??

-Só faltou uma arma apontada para minha cabeça.

-Debra pode parecer meio irritante...o que ela realmente é de vez em quando,mas no fundo,bem no fundo mesmo,tem um bom coração.

-Eu não a acho "irritante",só insiste em relembrar coisas que eu prefiro deixar em branco!!

-Como o fato de me olhar durante aquela cena do Border Killer??

-Puta merda,você percebeu??

-Na verdade,uma certa matraca cujo o nome começa com D me contou...

-Debra,eu te esgano.-Disse baixo,para mim mesma

Eu queria cavar um buraco na areia e enfiar minha cabeça ali mesmo,eu fervia de vergonha,mesmo que não parecesse nada de mais,para alguém que eu só conheci a dois dias era extremamente demais!! Eu mudei o assunto tão rápido que Dexter não pareceu se importar.

Quanto mais andavamos,mais sozinhos ficavamos,e mais o silêncio constrangedor nos "acolhia":

-Dexter,acho que já deve ser melhor voltarmos...-Disse,olhando um pouco da paisagem distante das casas.

-Eu não sei...parece agradável.

Eu resolvi concordar,mesmo com cada parte de mim gritando para que voltassemos logo. Nossa conversa antes tão pessoal pegou o rumo do trabalho,no qual Dexter comentou sobre alguns casos que aconteceram pouco tempo antes de eu chegar em Miami:

-No México também era comentado sobre o Bay Harbor Butcher...mas eu não achava...nada demais.

-Como assim??

-Dexter,pode parecer estranho mas para mim ele não estava fazendo algo errado,qual é,eram pessoas que faziam o mal. Algumas nem pararam na cadeia!!

Dexter iniciou um silêncio como se estivesse formulando algo em sua cabeça. Estavamos completamente sozinhos falando sobre um caso de serial killers,qualquer pessoa que nos visse de um lugar mais longe acharia que eu era uma...digamos assim...mulher da vida:

-Puta que me pariu,eu pareço uma prostituta com um cliente.-Disse,constrangida

-Ah,não deve ser tão...

-Olhe bem para mim,Dexter!! Eu estou parecendo uma prostituta!!

-Bem...mesmo parecendo uma prostituta,não está tão ruim assim!!

Eu não consegui esconder a frustação e a raiva que senti,afinal,eu meio que tinha sido indiretamente chamada de puta ou de prostituta,que seja:

-Incrível.-Disse,sarcásticamente,parando no meio do caminho

-O que houve??

-Nada Dexter,eu só preciso ir para casa.

O caminho para casa foi o maior silêncio constrangedor misturado com uma raiva intensa,como eu consegui ficar tão brava daquele jeito eu não faço a mínima idéia:

-Bem...chegamos.-Dexter disse,tentando quebrar o gelo.

-Que seja,boa noite Dex.

-Heeey,Roxie e...algum problema??-Debra disse,no quintal

-Nenhum,obrigada Debra por cuidar das crianças!! Eu te devo uma!! Boa noite.

Ela me encarou confusa e eu apenas bati a porta de casa forte,procurando algum jeito de descontar minha frustação estúpida em alguém. Em si,não tão estúpida,acho que graças a Debra,coloquei expectativa em lugares inexistentes nessa simples ida a um bar para encher a cara.

Eu estava encolhida na minha cama tentando desfazer toda essa expectativa quando minha mãe interrompeu todo esse momento:

-O que há mãe??-Disse,meio séria

-Roxie?? O que aconteceu,hija??

-N-Não é nada demais,me diga para o que ligou.

-Eu estou indo para Miami,amanhã cedo!! Teremos de resolver tudo sobre a guarda das crianças,e eu pensei nisso muito cautelosamente hoje e...acho melhor eles ficarem com você!!

-M-Mãe,isso é ótimo...eu acho. Eu estou meio confusa,podemos conversar tudo melhor amanhã??

-Uh...claro.

Eu desliguei o telefone e voltei a pensar o quão trouxa sou de pensar que alguém que eu só conhecia a dois dias realmente "faria algo" comigo...acho que eu vou parar de absorver tantas coisas que Debra fala sobre nós para parar de criar expectativas tolas.

Roxie P.O.V Off

Dexter P.O.V On

-Dexter,o que você fez??

-Nada,Debra.

-Roxie não estaria daquele jeito por nada,algo aconteceu nesse encontro de vocês.

-Ela disse que estava parecendo uma prostituta,e eu disse que mesmo ela parecendo uma,não estava tão mal!! Depois ela ficou extremamente brava comigo.

-Dexter,sabe que eu te amo irmão,mas você precisa treinar mais antes de sair com alguma mulher.

"Eu acho que eu deveria é estar esfaqueando alguém ao invés de focar nisso."

-Mas...o que eu fiz??

-A chamou de puta indiretamente. Agora ela está puta,mas com um motivo...ou mais.

-Como assim mais??

-Ah não,ela contou para mim,eu não vou espalhar não!!

-Debra!!

-Boa noite,maninho.

-DEBRA!!

Ela bateu a porta na minha cara. Isso não era o maior dos males,considerando que eu tinha que colocar o Border Killer na minha mesa antes que a polícia o pegasse,ele já tem tudo para se encaixar no código.

"Roxie vai odiar o fato de ver seu irmão morto,mas vou fazer de tudo para que pareça que ele se suicidou...por que eu me importo tanto com ela?? Com aquelas crianças...eu sou tão manteiga derretida assim?? Argh,deve ser apenas uma distração. Eu devo focar nesse serial killer":

-Eu já sei tudo de você...só falta te achar.-Disse para mim mesmo-...Border Killer.

Dexter P.O.V Off

Roxie P.O.V On

Dia Seguinte...

-Bom dia,Roxie!!-Debra disse,num estranho tom de bom humor

-Bom dia...

-Admita,está chateada com meu irmão,não está??

-Eu sei lá...

-Pode desabafar,juro que não abro a boca pra ninguém.

-Meio difícil de acreditar nisso,mas eu não tenho muita escolha.

-Belo ato de confiança.-Ela retrucou,sarcástica-Vai,desabafa!!

-Eu...acho que criei muitas expectativas quanto a saída de ontem. Nada demais.

-...expectativas??

-Não não,pessimismo. Claro que foram expectativas,eu pensei que algo...bom pudesse acontecer!!

-...tipo,vocês foderem??

-O termo mais amigável seria transarem!! E não,Debra,quantas vezes vou ter que dizer que eu não quero transar com o seu irmão??-Retruquei,ficando impaciente

-Pode dizer quantas vezes quiser porque de qualquer maneira eu não vou acreditar,você tá caídinha pelo meu irmão que você só conheceu a 3 dias,seria aquela coisa baba-ovo de "amor a primeira vista"??-Debra disse,sorrindo maliciosamente

-Que seja,eu tenho coisas mais importantes pra focar.

-Tipo...??

-O caso.

-Roxie,não temos mais nenhuma pista,quer trabalhar em o que??

-Esqueceu que eu vou ter que passar por toda aquela burocracia pra ter a guarda dos meus sobrinhos e ainda garantir que meu irmão não vai enfiar uma faca no meu rabo por ter o dedurado pra polícia de Miami quando suas mortes estão em seu ápice??

-...falando assim,parece até que você vive no inferno.

-DEBRA,SÓ POR TER ESSE IRMÃO,MINHA VIDA É UM INFERNO!!

Ela revirou os olhos e saiu da minha mesa,provavelmente frustada pelo meu humor. Acho que eu estava mesmo começando a gostar de Dexter,mas não queria assumir porque meio que eu só conheci o cara a 3 dias e eu não assumo gostar de alguém tão rapidamente.

Não tinhamos novas provas e maioria do pessoal procurava fazer seus relatórios do que já possuiam,enquanto eu tinha que revirar papéis a ver com a guarda de Becky e Josh e ainda aturar minha mãe no meu ouvido durante todo o período do almoço:

-Mãe,mãe!! Eu vou estar bem!! Juro!! Se acalme!!-Disse,ao telefone,tentando focar em mil coisas ao mesmo tempo

-Roxie,você se esqueceu que cada vez mais está perto de pegar seu irmão?? Sabe do que Carl é capaz??

-Sei que eu sou capaz de enfiar uma bala no meio do crânio daquele desgraçado.

-Eu agradeceria se você fizesse isso.-Minha mãe retrucou-Ah,Becky!! Nada disso,para o seu quarto!!

-Mãe,é verão,deixe as crianças se divertirem!!

-Se divertirem com o que,Roxie?? Você não tem nada para crianças!! Becky queria brincar na cozinha,com facas e tudo mais!!

-Puta merda,eu me esqueci dessa parte.

-Roxie,posso falar com você??-Dexter disse,me parando no meio do "estacionamento"

-...Eu falo com a senhora depois.-Retruquei,de modo frio desligando o telefone-O que você quer,Morgan??

-Roxie,eu sei que está chateada comigo,Debra meio que me...explicou que eu fiz merda.

-Merda?? Você não tem mesmo "especialização" no assunto.

-Obrigado por me esculachar!!-Retrucou,sarcástico-Enfim,eu quero me "reconciliar" com você.

-Tá,grandes merdas. O que você quer??

-...você decide.

-Olhe,as crianças sentem falta de você,então acho que não vai se incomodar de ir até em casa pra passar um tempo com elas hoje a noite.

-As crianças...sentem minha falta??

-Você é o "titio Dexter",mal as conheceu e já as conquistou. Parabéns,só não vá roubar meu cargo de tia preferida.-Retruquei,o olhando

-Ah...então,eu vou fazer isso. Consequentemente eu vou acabar passando um tempo com você.

-Que seja,Dexter. E não chegue tarde.

Eu poderia estar sendo a maior filha da puta por fora,mas por dentro eu estava surtando como uma adolescente convidada para o baile de inverno. Debra provavelmente me provocaria diversas vezes depois daquela noite,mas eu acho que a essa altura,eu já estava me acostumando com as brincadeiras de Debra,já que elas tinham um fundinho de verdade!!

De Noite...

Minha mãe parecia um tanto quanto incomodada com a idéia de Dexter nos visitar,a essa altura ela já não confiava em mais ninguém que não fosse eu e as crianças:

-Mãe,é só um colega de trabalho,nada demais!!

-Roxie,nesse ponto da sua vida,deveria estar preocupada com sua garganta não sendo cortada pelo seu irmão,não em sair por ai e com pessoas te visitando para lá e pra cá!!

-Mas vovó,o titio Dex é muito legal!! Ele e a tia Roxie saíram ontem pra beber!!-Becky soltou,antes que eu lhe lançasse um olhar mortal

-Roxie Dexter!! Desde quando bebe??

-Aaaah,agora todo mundo quer cuidar da minha vida?? Que saco!! Eu tenho quase 30 anos,sai de casa aos 18,tenho controle total sobre a minha vida!! Então se eu viro umas garrafas de cerveja ou uns copinhos de vodka o problema é de quem?? Exatamente,MEU!!

-...a tia tá pistola.-Becky retrucou,segurando o riso

Não demorou muito para que Dexter chegasse,nem para que minha mãe lotasse o mesmo de perguntas extremamente constrangedoras,mas nada que não pudesse ser esquecido...eu acho,Becky pelo menos se distraia depois de tantas coisas.

A noite passou rápido,afinal,o que não passa rápido no verão?? Minha mãe resolveu nos deixar sozinhos,provavelmente com o mesmo pensamento que todos os outros tinham de nós. As crianças não demoraram para cair no sono,e foi quando realmente nós ficamos sozinhos,sentados numas cadeira no quintal dos fundos:

-...Me desculpe se minha mãe acabou sendo inconveniente.-Soltei,quebrando o gelo

-Eu acho que vou me acostumar...por que olha tanto o céu??

-Na onde moravamos,no México,era tão difícil ver o céu tão limpo e tão cheio de estrelas...e isso sempre deixa tão...em paz,digamos assim.

-Roxie,se eu fizer algo,você me mata??

-Depende. O que??

Estavamos bem próximos,quando me virei para Dexter e o mesmo num impulso me beijou. Era tão estranho tudo aquilo,como se fosse tudo tão rápido,mas ao mesmo tempo eu queria que aquilo durasse por muito mais.

Quando ele se afastou,eu estava completamente perdida e ofegante,sem ter a mínima idéia do que fazer em seguida. O que me salvou de fazer qualquer besteira foi o choro do pequeno Josh que deu para ser ouvido do lado de fora. 

Dexter apenas sorriu de canto e me deu um beijo na bochecha,como um "deixa comigo". Demorou até que eu entrasse em casa de novo,e quando entrei,fui direto no quarto de Josh,aonde Dexter o ninava novamente,enquanto dava uma mamadeira para o mesmo. Era uma cena fofa de se observar,já que Dex não havia percebido que eu os observava e o mesmo também conversava baixo com Josh:

-Quer saber um segredo??-Dexter disse,quase sussurrando para Josh-O..."titio Dexter" mata pessoas!! Mas...apenas pessoas más. Pelo menos...não se lembrará disso quando crescer.

A fofura parecia ter se cessado por alguns instantes,eu tinha plena certeza do que eu havia ouvido,Dexter mata pessoas. Foi como num flash que tudo em minha cabeça fez sentido,o porquê de tudo em Dexter parecer forçado ou artificial,porque ele não tinha sentimentos reais,afinal,serial killers não tem sentimentos. Ele colocou Josh no berço e quando me viu,parecia que havia visto até mesmo um demônio de tão assustado que pareceu.

25 minutos depois...

Estavamos sentados na sala num silêncio absoluto,sem nenhum dos dois se encararem,ambos meio que chocados:

-...quer falar sobre isso??-Dexter soltou

-...Eu acho que ainda não absorvi tudo muito bem.

-Pelo menos diga o que absorveu...ou não.

-Okay,deixe-me ver se eu entendi,você é um serial killer??

-...sim.-Ele soltou,corado e provavelmente se remoendo por me contar isso

-E você era o Bay Harbor Butcher...??-Perguntei

-Eu odeio esse nome...-Ele disse,rindo de canto-Mas sim,eu era o Bay Harbor Butcher.

-Wow...muita informação pra uma noite só.

-Por favor...deixe isso só entre nós.

-Sem problemas...agora faz sentido.

-O que faz sentido??

-Desde o primeiro dia que eu te conheci,tudo parecia tão artificial em você,como se você usasse uma máscara ou fosse algo forçado.

-Cacete...como você conseguiu notar isso em 3 dias eu não sei. E pra uma pessoa que tem um irmão serial killer,você parece bem calma quanto a isso.

-Se esqueceu que eu disse que não achava errado o que o Bay Harbor Butcher fazia?? Meu irmão mata pessoas inocentes...você matou pessoas que fizeram o mal,pessoas que mataram pessoas inocentes.

Ele pareceu confuso quanto eu pensar isso,mas logo pareceu aliviado. Eu ri de como ele parecia fofo aliviado e beijei sua bochecha,por mais que Dexter parecesse incomodado com certa demonstração de carinho:

-Roxie,eu...preciso ir.-Ele disse,olhando a hora num relógio da parede

-Mas...ainda é cedo!!

-Eu acabei de lembrar de um imprevisto,eu juro que depois te explico melhor.

-Uh...tá bem.-Disse,o observando do sofá

-Não se preocupe,não foi algo que você tenhs feito.-Ele continuou,se aproximando de mim rápidamente e me dando um rápido beijo

-Saiba pelo menos fingir preocupação...

-Eu estranhamente me preocupo com você,está bem??-Ele retrucou,parecendo irritado

Eu concordei com a cabeça,o observando. Eu sabia que por certas coisas,Dexter não era capaz de amar verdadeiramente ou sequer se preocupar com alguém a menos que fosse alguém muito importante. Quando a porta da sala se fechou,eu me encontrei sozinha e nas nuvens só de relembrar o que havia acontecido.

Obviamente igual todas as vezes,eu fui interrompida por minha mãe,que parecia preocupada novamente:

-Roxie,está tudo bem ai??

-Sim,mãe!! Por que?

-Ah,gracias a Dios!! Por nada,é que...estou com um mau pressentimento. Bem,meio mau pressentimento.

-Sabe que todas as vezes que tem jm mau pressentimento,algo acontece.

-Sim,por isso te liguei!! Fique de olho querida.

-Mãaae,quase 30 anos!!

-Tá,me esqueci. Sem apelidinhos!!

Eu revirei os olhos e desliguei,focando a minha atenção na rua deserta através da janela. O mau pressentimento da minha mãe virou meu mal pressentimento:

-...alguém vai morrer esta noite.-Disse,com certo arrepio ruim pelo corpo



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...