História Innocent incest - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Got7
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Mark, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Drama, Hentai, Imagine, Incesto, Min Yoongi, Proibido, Revelaçoes, Sexo
Visualizações 66
Palavras 1.878
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hoje é dia dela, AAEEEE
e dessa vez a ansiedade não atacou em, dessa vez eu segurei JAJXKANZJA
beijoooos e boa leitura

Capítulo 5 - Quinto capítulo


Fanfic / Fanfiction Innocent incest - Capítulo 5 - Quinto capítulo

O que deveria ser uma tarde de sono, acabou sendo uma tarde de conversas com meu tio, as meninas me ligaram no notebook pelo Skype mas sequer tive coragem de levantar para ir até lá —a cadeira—. O Min tinha uma conversa surpreendentemente boa, e por mais que fosse estranho, ele parecia estar bem soltinho enquanto conversávamos pelo aplicativo de conversa.

Me contou que sua "mulher" não sabia que tinha meu contato, e que se dependesse dele, nem saberia, e eu gostei daquilo, não dele ter meu contato, mas correr riscos, até porquê, o que é a vida sem um pouco de adrenalina. A conversa estava ótima e assuntos surgiam do além sempre, fazendo com que em momento algum aquilo ficasse tenso, bom, até o momento em que ele me chamou para sair.

Foi de imediato, eu recusei! Recusei porque não queria fazer aquilo, eu sabia que um "encontrinho na sua casa" era apenas uma desculpa para poder transarmos era óbvio, e se depender de mim, meu papel de difícil não cairá e não vai sair nem tão cedo, eu acho. Provocar é bom, mas rapidamente se entregar, é péssimo, tirando o fato que foi exatamente o que eu fiz naquele bar.

Quando menos pensei, já era de noite e logo Jeongguk, vulgo meu pai, me chamou para jantarmos. Avisei ao Min e sem esperar respostas, logo fui de encontro a minha família, que já estava todos na mesa, colocando comida em seus pratos

 

— Descansou filha? —Minha mãe perguntou-me—

— Um pouco —minto— mas estou ansiosa para ver o Mark amanhã novamente, ele parece ser gente boa 

— Apenas não caia na laia de qualquer um, filha —Appa balbuciou— ele pode fazer isso, apenas para ter uma noite de prazer com você 

— Jeon, pelo amor de Deus —Caroline ditou alterada semblante nervosa— 

— Ela tem dezessete anos, já sabe sobre essas coisas, tenho certeza —Appa falou antes de colocar o garfo cheio de comida na boca—

— Mas não se preocupe appa, terei cuidado, e se ele tentar algo que eu não queira eu me defenderei —sorrio ladino enquanto colocava comida no meu prato—

 

{...}

 

Assim que terminei de comer, ofereci-me parar lavar os pratos e minha mãe depois de um bom tempo cedeu, enquanto isso, Yuri estava ainda na cozinha comigo, falando sobre a escola e como tinha meninos gatos na sua sala. Para mim, Yuri era um gay afrontoso, falava palavras de baixo calão e até se soltava, mas era só o Appa ou omma aparecer, que ele voltava a ser fechado. O último citado tinha medo do que nossos pais falariam sobre sua sexualidade, e por isso não falava nada para eles.

Quando ele falava sobre nossos tios, eu fazia questão de mudar de assunto pois sempre Yoongi aparecia em minha mente, aquele loirinho é um baita moleque, namora, mais fala que quer me ver em sua casa. Bastardo! Deveria respeitar sua mulher, mas se bem que... por mais injusto que tenha sido, eu gostei, Min Yoongi é um bastardo daqueles que a gente aguenta e mesmo fazendo merda, quer que ele fique por perto.

 

— Mana, 'cê tá me ouvindo? —perguntou Yuri enquanto eu enxugava as mãos—

— Pra falar a verdade, não, Yuri, eu quero te contar algo e preciso que guarde segredo, sim? 

— Desembucha —falou rindo—

 

Eu detestava guardar algum segredo pra ele, e sempre que guardava alguma coisa, me sentia ridícula, e por isso, eu desabafei. Contei do início, desde quando chegamos aqui, até às conversas que tinha em meu celular, e meu irmão ao ouvir tudo, ficou boquiaberto, mal sabia que por mim eu faria novamente

 

— Bem que eu notei os olhares que ele dava em você na piscina naquele dia —falou sorrindo malicioso—

— Ele é um verdadeiro pedaço de mal caminho —solto uma risada sem jeito—

— 'Tá louca? Aquele homem é um Deus grego, se ele me desse bola até eu ficaria com ele —foi sua vez de rir enquanto eu apenas mordia os lábios imaginando a mão do Yoongi passando por meu corpo—

— Aquele homem tem muita pegada, Yuri, eu tô com medo de me perder com ele, e o cafajeste tem namorada ainda 

— E daí? Ele quem está sendo errado por trair a namorada dele, você só está sendo fácil 

— Fácil? —questiono incrédula—

— Conhecemos eles a pouco dias e você já queria até dar pra ele no banheiro do bar, isso é ser fácil 

— Depois dessa não quero nem mais falar com ele, se é pra ser difícil, serei difícil —jogo o cabelo e rimos juntos—

— Faz o seguinte, provoca quando ele estiver por perto, mas quando ele quiser alguma coisa, da o pé, inventa qualquer desculpa, homens gostam disso —meu irmão assim que parou de falar, piscou pra mim e eu sorri pensando como faria o que ele falou—

 

No outro dia...

 

Já estava na faculdade e assim que me sentei na banca que havia sentado ontem, Mark chegou, e assim que me viu, abriu um sorriso que eu diria que era uma das maravilhas do mundo. O mesmo se sentou ao meu lado e começamos a conversar enquanto a professora não chegava. Mark arranjava assuntos do além, e sempre no final riamos feito loucos, sem se importar com o que os outros pensariam ao nosso redor 

 

— Ei, inaugurou antes de ontem uma lanchonete perto de casa, 'bora hoje? —questionou-me contente assim que cessamos as risadas—

— Que horas por exemplo? 

— Sei lá, umas sete, oito, você quem sabe —deu de ombros— um amigo meu já foi, e ele disse que é muito bom o x-tudo de lá —o vi umedecendo os lábios enquanto estava de olhos fechados, o mesmo parecia estar desejando e comendo mentalmente o tal x-tudo— precisamos ir, boneca, hoje você vai conhecer meu eu, faminto

— Seremos dois então —rimos mais uma vez—

 

Assim que a professora chegou, nos acomodamos e começamos a prestar atenção na aula. 

Enquanto a professora explicava, sentia estar sendo observada e quando olhava ao redor, meus olhos paravam no Mark, o sujeito à qual me fazia ter aquela sensação. Seu olhar penetrante me deixou realmente sem graça, mas por conta da professora, olhei rapidamente para a mesma, e mesmo sentindo ainda estar sendo observada, continuei prestando atenção nela.

Após um tempo, quando bateu sinal para o intervalo, pensei em sair mas não fiz, e baixei minha cabeça demonstrando cansaço, Mark por sua vez, acabou saindo e disse que iria jogar com um amigo, e por isso, uma vez com a cabeça encima da minha mesa, eu comecei a mexer no celular 

 

"Está ocupado Daddy?"

10:21

...

"Pretendo não perturbar mais"

Visualizado às 10:25

 

Daddy: Hey baby, não está na faculdade?

Visualizado às 10:26

 

"Até estou... mas está no intervalo, e queria saber como você está..."

Visualizado às 10:26

 

Daddy: Estou ótimo, e você baby?

Visualizado às 10:26

 

"Continuo sem animo haha"

Visualizado às 10:27

 

Daddy: Você quer que eu passe na sua faculdade e passemos o dia juntos? 

Visualizado às 10:28

 

Eu estava prestes a dizer sim, mas estaria praticamente aceitando ser fácil pra ele, e era algo que pretendia não fazer muito cedo, ainda mais com o que o Yuri me falou, que o Min me aguarde, porque os jogos começaram 

 

"Não, eu não posso hoje daddy"

Visualizado às 10:30

 

Daddy: Por????????

Visualizado às 10:30

 

"Eu irei sair hoje às oito com uma pessoa e pretendo esta tarde dormir muito, desculpa, o sinal tocou"

Visualizado às 10:31

 

Daddy: QUE? QUE PESSOA?

TRATE DE ME RESPONDER MOCINHA!

Se um dia estivermos sozinhos, eu darei um trato em você, por me fazer ficar assim

Droga garota, estou parecendo um moleque troxa apaixonadinho

Vai ficar apenas visualizando?

Ótimo! Que seja! Eu tenho minha namorada, eu não me importo contigo

Visualizado às 10:34

 

Só espero que esteja fazendo a escolha certa. Assim que tocou realmente, Mark veio contente até a mim e assim que se sentou, me beijou a bochecha e por isso, senti ambas —bochechas— ruborizarem, eu estava envergonhada por aquilo. Mark por sua vez, continuou me olhando sorridente e assim que notou que eu não iria retribuir o sorriso, cessou rapidamente, pigarreou e se ajeitou na banca em que estava sentado 

 

— É pra eu perguntar o que houve? —pergunto confusa—

— Eu ganhei lá no jogo de dama no recreio, eu finalmente consegui —voltou a rir e começou a fazer aegyo o que me fez soltar uma risada também—

— Você é um bobo —vejo-o revirar os olhos e cessar o riso aos poucos—

— Eu sou demais, você tem que admitir 

 

{...}

 

Daddy: É com aquele idiota que você vai sair mais tarde?

Visualizado às 12:38

 

Havia acabado de chegar em casa e logo me deparo com a mensagem do Yoongi, parece o que plano estaria dando certo, ou não, né?

Jogo a bolsa no sofá e noto o silêncio dentro da casa, entrei na cozinha e logo vi um papelzinho grudado na geladeira que meus pais tinham saído e demorariam a chegar, ótimo, como vou pedir para sair? Detesto falar por telefone, e também, sei que sem ser cara a cara, appa nunca deixa e por isso teria que esperá-los. Yuri também havia saído com algumas pessoas, não citou nome e nem gênero, apenas avisou por mensagem de telefone e assim que vi, bufei alto. Essa tarde eu teria quatro coisas a fazer, comer, dormir, assistir algo na Netflix e conversar com minhas amigas, mas eu só teria que escolher um, e por não ter falado nem ontem, e nem hoje com a Hinata ou Hana, decidi conversar com elas.

Me despi rapidamente e adentrei o box, sentindo a água morna cair sobre meu corpo, me sentia cansada, faculdade não cansa fisicamente mas sim mentalmente, e com isso eu acabei ganhando uma dor de cabeça como presente. Fiz minhas higienes e assim que terminei e me enrolei na toalha, desci as escadas e fui até a cozinha; peguei uma caixinha onde omma guardava vários remédios e assim que peguei um contra dores na cabeça, peguei um copo d'água e tomei os dois na mesma hora.

Voltei para meu quarto e vesti apenas uma calcinha e um moletom grande, ambos branco, e quando pensei em ligar o notebook, ouço batidas na porta da casa. Instantaneamente bufo, e enquanto o ser batia em minha porta, eu andava calmamente, me segurando para que não esgoelasse seja lá quem fosse. Estava me atrapalhando e eu odiava quando isso acontecia. Sequer me importei com a roupa que usava, a pessoa batia repetidas vezes forte, e isso fez com que eu abrisse a porta com tudo, mas vendo infelizmente quem não queria 

 

— Por que você não responde minhas mensagens? —Min, meu tio a qual batia na porta parecia bravo, e sentia a minha raiva aos poucos se transformar em medo— fiquei sabendo que está só, posso entrar?

— Não tio Yoongi, como você mesmo disse, eu estou só e-

— Está só e precisa de segurança —ditou me interrompendo e adentrando a casa— hum... ouvir dizer por vizinhos, que estava havendo gemidos dentro dessa casa

— Dessa casa? Mas eu estou sozinha e em momento algum gemi —arqueio a sobrancelha e ele rapidamente fecha a porta atrás de mim me imprensando contra a mesma em seguida—

— A demora disso acontecer, é apenas tirarmos nossas roupas querida sobrinha... mas pelo que vejo, você será mais fácil


Notas Finais


Até a próxima quinta, nhaaaa<3
Perfil: @_hmmjjk


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...