História Insane - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Fanficbts, Gabiwriter, Jimin, Jin, Personagensoriginais, Yoongi
Visualizações 17
Palavras 1.902
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Cheguei! Aqui está o terceiro capítulo de Insane com muito amor pra vcs <3
Devo agradecer às minhas amigas que estão me dando todo o apoio e estão sendo muito fofas nos comentários ( beijooo meninas)

Espero que gostem, eu gostei particularmente desse capítulo . Boa leitura :)

Capítulo 3 - Bruna



Meus olhos ardiam devido às noites mal dormidas que procederam após minha contratação na Big Hit e mesmo que o cansaço evidente fizessem minha cabeça doer por horas a fio, eu ainda me sentia a pessoa mais realizada profissionalmente.

Em meu ambiente de trabalho estou sempre buscando ser útil com alguma coisa que não seja tarefa minha e isso acabou por agradar muito os meus superiores. Eu havia sido contratada para traduzir documentos em inglês e português já que eram uma das minhas qualificações. Além disso, eu organizava documentos intermediários entre a Big Hit e um monte de outras coisas como avisar sobre campanhas, levar aquele café quente para o pessoal do escritório e pedir para que fizessem a substituição do recipiente de água dos bebedouros. Aquela era a minha tão sonhada vida profissional que eu tanto queria e eu não pretendia fracassar.

Enquanto guardava alguns documentos que eu levaria para analisar e traduzir em casa com a devida autorização, observei os raios tímidos do sol que estava se pondo na linha do horizonte por trás das janelas de vidro da BH. Coloquei alguns outros materiais e planilhas e fechei minha bolsa, mas logo tive que abrir novamente, Kim estava me ligando.

Suspirei pegando o smartphone delicadamente com um receio imensurável já que eu não estava sentido aquela convicção de que eu jantaria naquela noite com o Kim para que pudéssemos nos conhecer e finalmente poder entender o que se passava entre nós.

"Alô ?"  Minha voz saiu mais hesitante que o previsto.

"Bruna, eu sinto muito mas..."

"Não poderá jantar comigo esta noite" .   Completei fingindo um tom normal, mas eu estava muito zangada,  de verdade.

" Eu realmente queria poder ir... Vai ficar pra próxima "  Ele disse e eu juro que não tinha mais paciência.

"Olha...Kim...Eu realmente quero que esse jantar aconteça para que eu possa finalmente me situar da relação que temos. Eu não gosto de ser ignorante a fatos importantes e este com certeza é um fato importante. Eu quero que vá aquele restaurante para que eu possa conhecer e me certificar das coisas que envolvem a pessoa no qual eu estou interessada. Se não for recíproco para você, vou entender com sua ausência. Apenas vá." Despejei em palavras brandas antes de encerrar a ligação sem dar direito de resposta.





Emburrada, terminei de guardar minhas coisas. Logo que saí do prédio estonteante da Big Hit me deparei com uma ventania e isso me levou a abraçar meu próprio corpo em razão do frio. Olhei para um ponto perto do meio fio e vi o  veículo que me levaria para casa, então me dirigi a ele.

Natália gargalhava de alguma coisa junto com Gabi e Ingrid e eu me sentia tão alheia ali, eu estava sendo a chata.

— O que houve, gênia? – Gabi indagou  na parte de trás do carro e aquilo atraiu a atenção das outras meninas para mim e era tudo o que eu não queria .

— Estou um pouco chateada com Kim. Hoje eu vou naquele restaurante e não tenho tanta certeza se ele estará lá. – expliquei enquanto ouvia algumas gargalhadas das meninas.

— Vamos nos certificar de que você estará irresistível para a ocasião .– minha Unnie falou enquanto recebia mais risadas das duas que estavam no banco de trás.

— Essas são as minhas garotas! Hoje é o dia em que o crush coreano vai aprender a sambar como um brasileiro – Gabi falou enquanto fazia um singelo "High Five" com Ingrid.

— Vocês são malucas. Eu as adoro. – eu disse enquanto fazia dos postes que passavam através da vidraçaria do carro a minha distração .

Quando nós chegamos, eu dei um pouco de carinho ao nosso novo bichano que sempre nos recebia receptivo.

Enquanto eu acariciava os pelos negros de Eliot, Natália que havia ido as pressas voltou marota para me mostrar as coisas que havia ido buscar .

— Qual vai ser, Bruna? – Natália apareceu com três vestidos variados. Um deles era até bonitinho,porém eu não o usaria mesmo que alguém me pagasse.

— Acho que podemos arrumar outra coisa que combine mais comigo, você sabe, algo que não tenha um corte tão grande capaz de fazer com que minhas pernas passem frio. – eu expliquei enquanto assistia uma Natália pensativa jogar os vestidos sob o sofá da sala.

— Será que a nossa vizinha não nos empresta um dos modelitos da irmã dela? – Gabi indagou e eu quis socar aquele rosto cínico.

— Você está falando daquela que é freira? Que horror, Gabi! – Natália prendeu uma gargalhada.

—  Não venham me zoar. Dêem o jeito de vocês para arrumar algo sexy, atraente,comportado e descente.

— Você está me desafiando? – Natália me encarou perplexa.

—Estou sim.– eu disse cruzando os braços em concordância.

— Chame a Ingrid e venham para o meu  quarto. Pra ontem ,Gabi.–Natália mandou enquanto me puxava pelos braços.

Natália era uma mulher geniosa, ela comandava um esquema de embelezamento de dentro do próprio quarto enquanto dava instruções para as outras meninas. Eu apenas sorria enquanto assistia Gabi tentando tirar um filete de esmalte vermelho contido no cantinho de uma das minhas unhas. Ingrid enquanto isso, arrumava o meu cabelo usando suavidade e eu sentia aquela vontade de dormir, mas essa era impedida pelos pincéis manipulados especialmente por Natália que estava me maquiando conforme as minhas sugestões.

Tudo aquilo durou mais um uma hora, mas finalmente me senti pronta.
Enquanto olhava para o espelho graúdo, sentia os olhares de admiração de minhas amigas e claro que eu agradeço toda a dedicação que elas puseram na tarefa de me ajudar.
Gabi tinha esmalte vermelho em uma das bochechas do rosto, Ingrid massageava uma das mãos e Natália ainda estava com dois pincéis de maquiagem profissional em uma das mãos.

— Bom trabalho, meninas. Eu gostei muito do resultado .–  agradeci enquanto observava meu reflexo .

— Nós apenas ressaltamos o que já é lindo em você. – nossa Maknae falou com singela gentileza.

— É a coisa mais linda desse mundo, mas está proibida de ser casar logo no primeiro encontro.– Gabi ressaltou soltando um bocejo.

— Não seja boba, Gabi... Eu nem sei se ele estará lá. – eu expliquei depois de um suspiro pesado.

— Faça a sua parte e deixe o futuro no futuro. Apenas vá .– Natália usou aquelas palavras para me fazer confiante e claro que funcionou.

— Já está na hora de ir. Ah, você está tão gata! – Natália me elogiou enquanto me abraçava.

— Eu sou muito gata.– falei enquanto saía do quarto sendo devidamente seguida pelas outras meninas que sorriam das minhas tão humildes palavras.

— Não venha com esse complexo Gabi para o meu lado. Já nos basta ela. – Ingrid comentou gargalhando.

— Gabi é maravilhosa, galera. – Falei e aquilo a fez sorrir contente.

— Se a Bruna está falando é verdade.– a segunda mais velha concordou enquanto sentava-se no sofá.

Enquanto as meninas me davam instruções sobre como colocar Kim na linha — que eu sabia que nunca ousaria fazer— eu me adiantei em mandar uma mensagem para Kim,algo como : "Estou saindo de casa".

Tão logo, naquela noite bonita e fria, eu me despedi de minhas melhores amigas para ir no encontro mais importante da minha vida. Natália muito havia insistido para me levar de carro até o restaurante,mas eu recusei, eu apenas a convenci de que eu poderia voltar para casa de táxi e tive que inventar mil motivos para a convencer. Claro que eu não consegui, mas mesmo assim, ela concordou eu me deixar agir como uma mulher adulta indo sair com um cara adulto.




Antes de passar pela porta de entrada do restaurante olhei para o céu e eu não sabia se era a ocasião, mas para mim ele nunca estivera tão lindo.
Assim que entrei, um funcionário muito simpático veio me auxiliar na escolha da mesa e então me senti feliz ao escolher uma mesa reservada estrategicamente situada onde eu poderia observar o céu que na minha opinião, nunca estivera tão lindo.

Os minutos passavam e minha agonia era quase palpável. Meu batom vermelho era retirado conforme eu bebericava aquele vinho tinto pedido a pouco por mim. Minhas mãos tremiam em ansiedade e isso me fez detestar ainda mais a demora de Kim .
Meu telefone tocou discretamente, e observei o nome de Kim naquela tela é meu coração parecia querer saltar de mim.

" Onde você está? " Minha voz era calma embora eu me encontrasse hesitante.

"Eu...estou aqui" Sua voz estava banhada em nevorsismo, mas eu me sentia momentaneamente satisfeita por saber que ele estava por ali , e isso me fez observar o ambiente como podia para tentar o ver por ali e quem sabe , o reconhecer .

" Você pode vir para a mesa perto do arranjo com flores. Eu estou aqui " expliquei enquanto continuava na minha busca, vasculhando em tudo que era lugar com meus olhos atentos .

" Bruna... Eu não posso jantar com você essa noite. Eu sinto muito..." Minha paciência não era mais perceptível e aquelas palavras me irritaram profundamente.

Como assim? Ele não estava ali? Ele não havia ido me encontrar? O que havia de demais em se sentar naquela droga de cadeira confortável, comer uma boa comida e me dar um fora como uma pessoa normal? Por que tantos rodeios?

"Você nem está aqui ! Por que você está dizendo que está? Não seja idiota " Eu acusei enquanto levava a taça com o líquido pelo meio aos meus lábios

" Vinho. Você está tomando vinho. " Ele revelou me fazendo pensar em mil coisas ao mesmo tempo. Depositei a taça sobre a mesa de toalha cor de creme .

"Kim... Por quê? " Eu quis saber o motivo de tudo aquilo, mas sentia que não seria levada a sério.

" Você está tão linda quanto imaginei que seria. Seus cabelos são como eu imaginei. Sua pele parece tão saudável. Esse vestido não ficaria melhor em qualquer outra pessoa" Deixei que ele falasse tudo aquilo, engoli a vontade de proferir milhões de impropérios para ele e desliguei o celular.

Eu estava beirando a insanidade. Eu havia sido humilhada por meus próprios sentimentos por me permitir navegar nos meus sentimentos. Eu me sentia tola.

Peguei minha bolsa e parti para a minha casa. Eu só queria as palavras de Natália, um afago de Gabi , um olhar compreensivo de Ingrid e me aninhar com meu pequeno Eliot e não pensar nunca mais em Kim.

Quando saí  do restaurante passando pela vidraça, olhei novamente para o céu e eu senti que ele não parecia tão bonito naquele momento.

Embarquei no primeiro táxi e me certifiquei de passar todas as informações corretamente para que ele buscasse o caminho mais breve de volta para casa .

Quando voltei — mais cedo que eu pretendia — Gabi, Natália e Ingrid não me perguntaram sobre nada, apenas me deram tudo o que eu queria no momento, suas brincadeiras, seus sorrisos e seus carinhos.

Enquanto era acariciada nos cabelos por Ingrid, Gabi colocava um filme de comédia enquanto Natália trazia alguma guloseima da cozinha. Meu telefone tocou e eu sabia muito bem quem era, mas apenas me permiti observar Gabi desligando meu celular sem receio.

Em meio aquele ambiente acolhedor, eu me senti bem o suficiente para dormir bem ali, no colo de Ingrid sentindo aquele sentimento bom substituindo aquela implacável frustração.


Notas Finais


É isso meus amores, espero que tenham se divertido mais uma vez .
Aqui me despeço, até a próxima 3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...