História Insanidade - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO, Monsta X
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bdsm, Bts, Escravo, Exo, Lemon, Mestre, Monstax, Submisso, Yaoi
Visualizações 48
Palavras 998
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Fluffy, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Desculpe a demora! Boa leitura.

Capítulo 6 - VI - "Eu não aguento mais"


             SeokJin POV


NamJoon é um filho da puta, sem mais. Ele me amarrou e ainda teve a ousadia de me colocar um vibrador! O problema é que isso tá gostoso pra caralho, mas nada como o Joonie me fodendo para alegrar meu dia, seu dia e o dia dele.

-Aah... Mestre... - gemi arrastado, meus pulsos estavam presos em uma corrente no teto, eu estava virado para a parede, não fazia ideia do que ele faria.

-O que quer? - perguntou rouco, perto do meu ouvido. Aproveitei sua aproximação e empinei, para senti-lo - porra... - disse baixo.

-Eu quero o senhor! - tive meu rosto empurrado contra a parede em resposta, não sei o que foi pior, a pancada ou aquele gelo que tomou conta, eu já estava nu, afinal.

-Mas parece estar gostando demais disso - tirou metado do vibrador e enfiou de novo com tudo.

-Ah! Não... Não é suficiente... - ouvi sua risada e ele se afastou - mestre... - continuei chamando.

Quando ele voltou, tirou de vez o objeto de mim. Esperei que o colocasse outra vez, mas não o fez. Puxou mais meu quadril e empurrou meu rosto contra a superfície novamente, para então, eu finalmente sentir algo bom mesmo. Começou colocando somente um pouco e tirando, porém, conhecemos o NamJoon, não demorou para meter de uma vez, me tirando um grito.

-Caralho - acabei soltando.

-Cuidado com essa boquinha, ela pode não deixar você gozar hoje - assim que ouvi, mordi o lábio para evitar soltar qualquer som, tendo como resposta a mão de Nam apertando meu membro - os seus gemidos eu quero ouvir.

-Senhor... - aquele joguinho de tortura estava para me deixar louco, eu o queria se mexendo fundo em mim logo! - por favor...

-Está implorando? - rebolei meu quadril.

-Eu preciso... - mantive o tom manhoso, nada que uma manha não resolvesse. Como prova, NamJoon apenas riu fraco e começou a me estocar, puxando meus cabelos com uma mão e a outra manteve em minha cintura, me prendendo em um posição não muito confortável.

Senti diversas mordidas em meu ombro, terei que lidar com as marcas depois. Seus gemidos, mesmo que baixos comparados aos meus, ainda me deixavam louco! Sua voz é tão gostosa!

Tudo estaria ótimo se não fosse o telefone dele tocar.

-Você fica quietinho - disse, saindo de dentro de mim apenas para pegar o aparelho e voltando depois de atender - Alô? - encaixou devagar e voltou a estocar de forma mais lenta - Você é rápido, fez um bom trabalho - falava animado, deveria estar falando com algum capanga - certo, passe para ele, eu tenho tempo - eu definitivamente quero mandar o NamJoon tocar no... - Jeon? Como está?

-Nammie... - continuei tentando gemer baixo, mas estava ficando difícil.

-Logo a Lee estará aqui, aí terá seu BabyJ de volta - eu queria ver a cara de cínico que ele deveria estar fazendo no momento, só que nem consegui me virar, apertei os olhos me forçando a ficar quieto conforme a velocidade voltava a aumentar, gostaria de saber, como que alguém não fica ofegante assim? - Oh, você consegue ouvir? Acho que minha princesa não está fazendo um bom trabalho.

-O que? - perguntei baixo.

-Até logo - despediu-se e jogou o aparelho na cama próxima - Que coisa feia - fez estalos de negação com a boca - minha princesa exibindo os seus gemidos para outro homem? Acho que alguém quer ficar aqui amarrado por bastante tempo.

-Mestre, por favor... - mordeu-me outra vez, agora com muita força, será possível que ele se irritou mesmo? Quase gritei, mas me contive - eu... Eu não faço mais!

-Como posso confiar em você, quando está gemendo que nem uma vadia assim? - eu sou um puta masoquista mesmo, cada palavra dele me deixava mais /destruído do que já estava.

-Confie, senhor...

-Convença-me, empine mais - tentei obedecê-lo, eu mesmo sentia meu orgasmo próximo então não tenho motivos para resistir. Quando gozei, sorri aliviado em puro êxtase, eu amo essa violência, ou aprendi a amar.

Nada é puramente flores. Assim que gozou também, NamJoon saiu do quarto e me deixou lá, amarrado e sujo, sem nem falar nada. Apenas bateu a porta e eu fiquei sozinho.


        JiMin POV


Não sei bem quanto tempo passei alí, mas ninguém parou para me ajudar por um bom tempo. Alguns passavam falando coisas ruins, outras riam, contudo, ajuda mesmo...

Senti braços calorosos me abraçarem, um aroma bom tomou meu corpo. Era MinHyuk.

-Vamos, JiMin - levantei ainda meio atordoado, não vi chegarmos em casa, não me vi ser colocado no sofá e coberto - eu vou trazer uma água - eu não o deixei ir, segurei em sua blusa - O que foi?

-Desculpe... - disse choroso - eu não queria... Causar... Mais problemas - as palavras não queriam sair, mas eu precisava dizer - desculpe...

-Está tudo bem, quer me contar o que aconteceu?

-O garoto... Ele... Ele disse... - senti meu desespero voltar, Min me abraçou apertado e acariciou meu cabelo, respirei fundo o seu cheiro e continuei - quando eu saí do trabalho - respirei fundo de novo - um garoto... Ele me perguntou sobre...

-Sobre o que? - ele me apertou em seus braços, me senti mais protegido.

-JungKook...

-Quem é?

-Meu sequestrador - voltei a chorar com o rosto em seu peito.

-Shii... Está tudo bem, eu estou aqui - continuou a me fazer carinho - tome um banho, vou fazer uma sopa para comermos.

-Tá... - o soltei e fui para o banheiro.

Aquela noite eu não dormi, encarava as janelas e a cada barulho que eu ouvia do lado de fora ne assustava. Em minha mente a voz do garoto repetia aquele nome, não pensei que depois de um ano ainda sentiria tanto medo de ser pego. E se Jeon me achasse? O que ele faria? Me mataria? Me entregaria para os seus capangas? Oh, céus! Eu não aguento mais. 


Notas Finais


Eu estou tendo muitas provas e trabalhos, então não tô revisando nada, qualquer coisa... Desculpe!

Obrigada por ler.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...