História "Irmãozinhos queridos!" (Yaoi) - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Aleatórios, Lemon, Romance, Yaoi
Visualizações 278
Palavras 1.071
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Festa, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 18 - Brigas de casal sempre se superam.


Fanfic / Fanfiction "Irmãozinhos queridos!" (Yaoi) - Capítulo 18 - Brigas de casal sempre se superam.


*dong-sul*

-Eu te amo, amor.-as palavras que saíram da sua boca me surpreenderam, mas não fiz nenhuma reação demorada.

-eu..também amo você.-sorrio de canto.-agora...-levanto sua cabeça, vendo o rostinho vermelho e suas bochechas molhadas de tantas lágrimas.-vamos voltar para casa e você tirar está roupa.-digo enquanto limpava suas lágrimas, sorrindo.

Andemos de mãos dadas até em casa, já era umas 16:00 horas, por aí...

-abro a porta.-por que não vai se arrumar e tomar um banho?-disse entrando em casa e fechando a porta.

-é confortável.-ele disse mexendo na saia.

-soltei uma risadinha.-então fique assim.

-você se importaria se eu usa-se mais vezes?-ele me olha corado.

-claro que não. Se você se sente bem..-chego perto do mesmo e puxo sua cintura.-eu vou ficar feliz.- o dou um selar.-agora vou tomar um banho.-retirei minhas mãos da sua cintura e fui até o banheiro. 

Me despi e adentrei dentro do box e comecei o meu banho demorado.

40 minutos depois

 sacudi meu cabelo. Com os olhos fechados,  tentei pegar a toalha, mas não sentia nada. Então passei a mão nos meus olhos os abrindo e vendo nenhuma toalha.

-kwan!-o chamo.

-o que é?-ele grita de volta.

-me traga uma toalha.-não ouvi sua voz de volta, mas logo ele entrou no banheiro e estendeu a toalha, com sua cara um pimentão.

sorri com sua feição, então peguei a toalha e a joguei para o lado, em seguida o puxando para o box junto comigo.

-o-o que você pensa que está fazendo?-ele disse com os seus olhos fechados, pois o menor estava debaixo do chovieiro.

-deu vontade.-digo segurando sua cintura.

-mas...agora eu estou todo molhado.-ele disse com suas mãos em meu abdômen. Cheguei perto do seu rosto e beijei de surpresa.

Depois de um tempo debaixo do chovieiro, resolvemos sair. O resto da tarde foi intediante. Aquele gato roubou o meu namorado, eu vendo tv e pesando na vida. 

23:00

-d-dong...!-mordi o lábio debaixo.-vai com cal-AAAH ISSO ESTÁ DOENDO!

-eu nunca vi niguém choramingar por uma camisa.-a puxo com tudo para cima, fazendo sua cabeça dar um estalo.

-AÍE!-ele disse com a mão no pescoço.

-pronto, agora me deixe dormir.-me joguei na cama.-apague as luzes.

Ele fez o que mandei, e em seguida se deitou em meu lado, logo nos tapando.

-Boa noite.-ele diz, e me da um selar na cabeça, me fazendo sorrir de canto.

outro dia 13:54

*kwan* 

Sacudi minha cabeça, então fui até a cozinha, dei ração e água para o garfield e fiz minha higiene matinal. Quando voltei para o quarto, vi dong mexendo no seu celular.

-bom dia.-disse. Fui até o seu lado e fingi dar um selar na sua boca, então dei no seu nariz.-troleeei!-ri. 

-a é?!-ele puxou o meu braço, fazendo-me deitar no seu lado e começar a fazer cosquinhas na minha barriga, o que me fazia dar altas risadas. 

Já que hoje e como maioria dos dias, acordamos tarde. Então já almoçamos direto.

-Ei, seu dia está chegando.-dong diz.

-meu dia?-o olho confuso.

-o dia das bruxas.-ele começa a rir.

-como!?-comecei a correr atrás dele.

-hey! Me respeite, sou o mais velho aqui.-ele disse parando de correr, fazendo eu bater de cara no seu peito por causa do impulso.

-você me chamou de bruxa, seu monstro.-reviro os olhos. ele sorri enquanto estava segurando seu lábio inferior com os dentes.-o que foi?-o olho de cima a baixo.

-nada ué.-ele disse. Ele foi até a geladeira, pegando a garrafinha de sempre.

-o que é isso?-me aproximo.

-nada...-ele olha para o lado.

-o que é isso?-pergunta pela segunda vez.

-ele foi guarda-lá, mas a paguei.-devolva-me!

-a abri e comecei a sentir cheiro forte.-isto é...-olhei a embalagem que estava escrito "explosion" (inventei)-você toma isto desde quando? -o olho com um olhar incrédulo.

-desde o último dia de aula.-ele diz sério.

-você sabe que isso é como uma droga, idiota!-disse mostrando a garrafinha.

-E?! Agora eu tenho que ter sua permissão para tomar minhas coisas!? -ele disse com ódio nos olhos como na sua voz.

-achei que você tinha parado com essas coisas!-digo me aproximando.

-eu parei com o cigarro!- ele dá um passo para frente.-por SUA causa!-ele disse apontando para mim.-então você para de se meter!- ele da mais um passo para frente.

-eu só quero seu bem, dong-sul!- digo num tom alto.

-foda-se, cara!-ele disse de um jeito alto também.-eu não preciso de cuidados!-bufa.

-então toma essa merda!-a jogo pra ele com todas as minhas  forças, fazendo-a cair no chão.

-ele olha a bebida derramada e depois olha para mim como se fosse fazer um bolo de tripa comigo.-ela era a ÚNICA!-ele se aproxima mais.

-aperto meus punhos.-E?!

-seu idiota!-ele me empurra com força, me fazendo cair no chão. O mesmo bufa por alguns segundos, mas logo percebe o que fez e sua feição fica um pouco mais calma.-kwan...

me levantei e corri para a sala, já que o quarto estava fechado. Me sentei no sofá, e tentando segurar as lágrimas, deixei meu olho vermelho e cheios de lágrimas escapando pouco a pouco.

Por que ele não me deixa fazer o bem para ele? 

*dong-sul*

Que droga, eu saí do controle...

-olho aquela bebida esparramada.-ele está certo.-respiro fundo. Andei até a sala e o vi sentado no sofá.

-não. Chega. Perto.-ele disse.

-me desculpe.-falei olhando o chão. O menor não corresponde.- kwan...-dei um passo para frente e em seguida ele parecia se encolher. Mordi o lábio inferior de um jeito triste, então passei reto e andei para fora de casa. Coloquei as duas mãos na nuca.-eu estava indo tão bem, por que logo agora eu vou deixar esse obscuro e desgraça lado aparecer?-respiro pesadamente.

eu não faço nada que preste, EU não presto! Eu fumava cigarros, sem contar as drogas, bebo até cair, sou uma pessoa agressiva que tenta mudar mas nunca vai conseguir, porque você já foi amaldiçoado com essa praga. é tipo uma pessoa que era pra estar no inferno, ter ido para o céu, por engano.

-kwan merece gente melhor...-me sento na calçada. Sinto algo peludo roçando no meu braço.-o que é.. -olho um cão.-wo cachorro nojento, sai.-o afasto, vendo o cão baixar a cabeça.-nossa.-o puxo de volta, fazendo carinho com uma cara incrédula.

Mas Amor, seja do jeito que você quiser, você me fez te amar do desse jeito e sempre vou te amar independe do que você for."

"Além de você ser meu namorado, você é meu irmãozinho e tem meu sangue. E sempre quando você precisa de um ombro amigo, seu irmãozinho vai te ajudar o máximo." 

-respiro fundo.-o  que você fazeria faria se brigasse com seu namorado.-latido.-vou entender isso como um: "para de ser babaca, e se liga de uma vez que esse idiota apenas quer um ombro amigo nesse momento." É eu também acho.-lenvantei da calçada e comecei voltar todo o caminho.









Notas Finais


Briga de casal é sempre bem-vinda.

Perdão postar agora. Snsjzjzjzj

Perdão algum erro. Sz

Espero que tenham gostado.

Beijos com arco-irís. 💙🌈


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...