História Ironia do Destino - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Sou Luna
Personagens Ámbar Benson, Gaston, Luna Valente, Matteo, Miguel, Monica, Nina, Personagens Originais, Simón
Tags Lutteo
Visualizações 53
Palavras 815
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa leitura

Capítulo 1 - Capítulo - 1


Luna Valente 

- Okay mãe, está tudo bem. Já cheguei sã e salva. O vôo foi um dos melhores. Tchau.

Sim vôo. Estava em Los Angeles "a cidade dos anjos" Havia chegado aqui ontem, e como foi tudo corrido não tinha muito o que resolver. Etou em intercâmbio, e bom esse é meu primeiro ano de seis anos, muita coisa? É muita coisa. Terminei a faculdade ano passado, e já me sinto aliviada. Repórter, foi o que eu escolhi, na verdade não foi bem eu que escolhi... Meus pais decidiram por mim, o que me deixa totalmente infeliz. Mas logo me acostumei com a faculdade e aceitei.

- Um capuccino de creme com caramelo - estava na Starbucks, precisava de um café para me animar, como minha primeira entrevista estaria o mais nervosa possível. 

- Seu capuccino - a moça me entregou 

- Obrigado - paguei o caixa e sai da loja.

Peguei meu celular para ver as horas, precisava me apressar se eu não quisesse perder o emprego logo de cara. Coloquei meu celular e logo me virei...

- Ai meu Deus me desculpas - havia derramado meu capuccino em um homem que ali passava 

- Nao tem problema... - o cara estava menfizilando com seu olhar - só preste mais atenção.

- Ótimo eu nem chego direito e já saio causando furações por aí - resmungo para mi mesma

- O que disse? - seu olhar era confuso

- Nada, bom me desculpe seriamente. Mas tenho que ir

- Eu também. - ele disse saindo, olhando para seu relógio de pulso. Ele estava apressado, demais. Mas que diabos não precisava ser tão cuto como ele.

Pedi um táxi, e ele me levou para o lugar, era uma empresa, a empresa. Eu iria entrevistar o dono daquele lugar. O tão empresário mais conhecido de toda Los Angeles, qual o nome dele? Não sei.

- Pronto moça, vinte dólares

- Obrigado - entreguei o dinheiro para o taxista, e sai do táxi.

 

(...)


- Eae como foi a entrevista? - perguntou Emília, que estava jogada em seu sofá

- Não houve entrevista 

- Como assim não houve entrevista, você não disse que ia entrevistar o cara lá?

- Bom eu fui, mas chegando lá a tal secretaria do mesmo disse que ele não viria mais hoje. - já se havia passado três horas depois daquilo, eu estava realmente frustada. - Meu primeiro emprego e o cara não aparece isso é realmente um cúmulo.

- Calma Lu, da próxima dará certo

- Não vai ter próxima

- Como assim não vai ter próxima?

- Ele me deram outro entrevista para entrevistar amanhã.

- E o que vai entrevistar?

- A tal famosa escritora, que lançará seu novo livro amanhã. Âmbar Smith

Diz- Âmbar...

- O que disse?

- Nada não. Bom ainda são dez da manhã, e não vamos ficar enjaulada aqui dentro.

- Diz isso por você, eu tenho que terminar de decorar o apartamento, ele está tão sem graça.

- Então eu vou ficar aqui e te ajudar, não consegui de terminar de arrumar minhas coisas ontem. 

Eu e Emília somos grandes amigas desde do oitavo ano, fizemos até a mesma faculdade juntas. E por sorte estamos fazendo o mesmo intercâmbio, só que Emília trabalha com a arte da música é da dança. A qual eu realmente queria estar. 

Matteo Bálsamo

- Kátia e a tal entrevista marcada?

- Bom como o senhor disse que não viria mais hoje, eu disse para a repórter que você na viria

- Ótimo. Realmente não queria fazer essa entrevista. É eu realmente não viria, mas tenho assuntos pendentes a resolver com os diretores, ser dono de tudo isso dá uma tremenda dor de cabeça.

- Entendo. Amanhã você tem uma reunião marcada às oito.

- Amanhã? Eu disse para adia-la

- Ah eu tentei mas eles...

- Não quero saber o que eles disseram, mas diga aos mesma para adiarem, amanhã estou cheio.

- Okay senhor.

- Obrigado Kátia

Estava com uma tremenda dor de cabeça, mas tinha que continuar o trabalho, e adiar mais coisas ainda. Não podia de forma alguma, faltar na apresentação de Frederico. Sim, adiei a reunião para ir numa apresentação de colégio, mas que essa apresentação é mais importante para o meu filho do que qualquer reunião que eu tenha, e na última vez acabei nem indo.

- Onde estava? Achei que não viria. - disse Gaston, logo depois que eu entrei em minha sala

- Em casa, e eu realmente não viria. Mas tenho que adiar uns negócios, como você sabe

- Amnha tem a apresentação do Fred. Eu sei, por isso eu já adiei alguns papéis, só falta meia dúzia que você mesmo terá que assinar.

- Nem sei o que faria sem você - Gaston era meu braço direito, mas também meu melhor amigo, desde pequenos. Não saberia o que fazer sem ele.

- Ah, mas a Nina está uma fera com você

- Por que? O que eu fiz?

- Ela disse... - antes que ele dissesse Nina aparece na sala toda furiosa

- Matteo Maurício Balsano

- O que eu fiz?






Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...