História Ironia do Destino - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Sou Luna
Personagens Ámbar Benson, Gaston, Luna Valente, Matteo, Miguel, Monica, Nina, Personagens Originais, Simón
Tags Lutteo
Visualizações 34
Palavras 1.311
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Álcool, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa Leitura!

Capítulo 2 - Capítulo - 2


Fanfic / Fanfiction Ironia do Destino - Capítulo 2 - Capítulo - 2

- Matteo como vai ter reunião amanhã? Você mesmo disse semana passada que teria apresentação do Fred, não acredito que você vai ir na reunião e não na apresentação do seu próprio filho - ela estava realmente brava

- Calma. Eu conversei com a Kátia alguns minutos atrás, e ela adiou. Você acha que eu simplesmente esqueci do meu filho? Eu sei que eu não fui na última apresentação, mas aquilo não foi porque eu quiz. Você sabe muito bem, que não vou fazer com o Frederico o mesmo o que o nosso pai fazia a gente.

- Eu sei Matteo - ela sentou na cadeira, sua voz já estava mais calma - Mas só não quero que Frederico passe o que passamos. 

- Eu também não, e você sabe muito bem disso mais que ninguém

- Vocês dois não mudam desde de pequenos - Gaston diz em meia a risada, tirando aquele clima de irmãos brigando

- O que quer dizer com isso piriquito loiro? - disse Nina

- Desde de pequenos sempre era Nina que pegava no pé do Matteo. Isso devia ser ao contrário pois Matteo é o irmão mais velho

- Ei, quantas vezes eu já protegi Nina? Várias

- Na verdade, você espantava todos os meus ficantes. Eu tinha uma tremenda raiva disso, não só eu como a Luninha - aí meu coração congelou, Luna...

- Pior, ela ficava muito irritada quando ela estava com um menino e você espantava o mesmo - disse Gaston 

- Mas eu a amava, e tinha ciúmes. Não só ciúmes como eu verdadeiramente queria protege-la.

- Queria voltar no tempo, era mais divertido - disse Nina

- Eu também. E eu impediria Luna, de mudar de cidade

- Como fomos tão tolos de deixar isso acontecer? - disse Gaston - Não só em questão a Luna, mas também a Simon e Âmbar

- Eu fico pensando o que aconteceu com Luna e Simon. - disse Nina

- Pelo menos temos poucas notícias de Âmbar - disse - agora ela é uma grande escritora.

- Bom preciso voltar ao trabalho - disse Gaston - vamos Nina?

- Por que está me chamando? Por acaso sabe que eu tenho assuntos a resolver?

- Claro que tem, ou esqueceu dos papéis que lhe entreguei um pouco mais cedo?

- Aff Gaston você tinha que me lembra? - disse indo na porta até a Gaston - tchau Matteo

- Tchau. Bom trabalho para vocês dois 

- Igualmente - os dois disseram e saíram fechando a porta.

Desde pequeno sempre pensei que veria Nina e Gaston casados quando crescesse, mas essa é a minha realidade os dois nunca se quer admitiram que gostam um do outro.

Por falar em quando eu era pequeno...

Minha infância, meus amigos, minha primeira paixão... Sentia saudade disso, mas também não posso dizer que atualmente não é ruim, pois eu levo uma vida muito boa.

Âmbar Benson, sempre gostou de ser a rainha do drama, patricinha e violenta mas sempre amamos elas. Agora é uma grande escritora cuja o nome é Âmbar Smith, devo admitir que é um belo nome artístico, quem a veria não a reconheceria elas está muito diferente, não só ela como eu, Gaston e Nina, não duvido muito de Simon e Luna. 

Enquanto a Simon, o guitarrista que era apaixonado pela sua loira malvada, os dois se amavam realmente, mas depois que terminamos o colégio ele foi para a faculdade de Boston, não tivemos mais notícias dele. Nós se odiavamos tanto quando nos conhecemos, mas logo isso foi mudando.

Luna... Minha primeira paixão a qual nunca vou esquecer, a menina dos olhos verdes radiantes a qual tanto amava, ou talvez ainda amo. Ela tem um espaço no meu coração. É... Luna Valente nunca consegui esquecer minha mexicana e não vou. Aos treze anos ela foi embora para o México, cidade? Nem ela mesmo sabia em qual cidade iria. Nos cinco sentimos tanta saudades dela, mas realmente não sabíamos, pois os pais dela queriam ela longe da gente sem nenhum contato. Eles realmente nos odiava e nossos pais também, ele quebrou todo tipo de contato que tínhamos com ela isso me afetou muito, foi uma flechada no meu coração... Mas nunca vou esquece-la...

~Flashback~

- Luna antes de você ir, será que poderíamos falar a sós? - na nossa volta estávamos nossos amigos e seus pais

- Luna ande rápido - disse sua mãe

- Okay mãe - fomos para um lugar mais afastado de todos

- Mauricinho eu vou sentir sua falta 

- Eu também menina desastre - abraçamos - mas antes de ir queria lhe entregar isso - tirei do meu bolso minha corrente com a minha palheta da sorte, amava isso mais que tudo, mas eu queria que ela realmente se lembrace de mim

- Maurício é a sua palheta da sorte 

- Quero que fique com ela e lembre de mim

- Então... - ela pegou seu amuleto da sorte - quero que fique com o sol do meu amuleto.

- Luna...

- Mauricinho, o sol e a lua são apaixonados um pelo outro, mas não podem se ver por causa de sua distância, pois sempre que a lua acorda o sol já não está mais lá. Mas Deus criou o eclipse como prova que no amor não existe barreiras. Eu nunca vou te esquecer, e espero que você realmente não me esqueça, pois logo nos encontraremos em nosso eclipse. Eu nunca lhe disse isso mas eu te amo e não como melhor amigo, eu te amo mais que isso

- Luna eu sou literalmente apaixonado por você. Mas você precisa saber de uma coisa

- O que?

- Meu nome não é Maurício meu nome é...

- Filha vamos - sua mãe apareceu a levando

- Mauricinho - ela chorava e eu também

- Menina desastre...

~FlashBack~

Luna Valente

- Luna, Luna, terra para Luna - Emília me chamava a atenção - o que aconteceu?

- An? Aconteceu o que?

- Você está aí parada com as mãos fechadas a um bom tempo

- Ah... Eu estava organizando minha penteadeira e acabei encontrando a minha caixinha que eu guardo algumas coisas, e acabei achando algo de especial

- O que?

- A palheta do Mauricinho e minha medalhinha de Lua... Eu fico pensando se ele ainda tem o sol...

- Ah... Seu amor de infância. O Maurício

- Eu acabei de ter uma lembrança, que eu nunca tive. Talvez eu tenha esquecido esse momento

- E que momento era esse?

- Era quando trocamos nossas lembranças, e bom ele havia se declarado para mim e eu também. Mas o mais estranho que eu não lembrava era que ele tinha me dito...

- Ele tinha te dito?

- Que o nome dele não era Maurício... Mas bem na hora minha mãe havia chegado...

- Nossa... Mas pelo menos você sabe o sobrenome dele?

- Não... Na verdade eu nunca soube o sobrenome de ninguém dos meus amigos... Eles nunca me disseram.

- Estranho

- Talvez por que eu nunca tenha perguntado

- Do jeito que você é meio avoada 

- É - rimos. E logo guardei os dois colares na minha caixinha de lembranças.

(...)

Ótimo! Estava do lado de fora da agência que eu trabalhava. Por que? Simplesmente eu estava toda feliz vindo para agência pois estava preparada para ir entrevistar a tal escritora famosa, quando eu simplesmente derrubo café no meu chefe. Ele disse que não trabalhava com pessoas desastradas pois elas são as mais desleixadas e podem simplesmente estragar uma entrevista revelando algo ou alguma fofoca que não podia ser revelada. Eu fiquei indignada e comecei a discutir com o mesmo, que logo me demitiu. Meu segundo dia de trabalho e ótimo! Fui despedida. Já era meio dia, hoje era sexta feira, eu simplesmente odeio sextas feiras. Você pode estar dizendo: quem odeia sexta feira? Eu!

O sinal dos pedestres havia fechado, como não estava indo nenhum carro, simplesmente iria atrevessar, não vou ficar perdendo meu tempo, e é isso que vou fazer! Assim que coloquei o pé na rua vi um carro vindo em minha direção, eu não conseguia me mover queria sair daquela rua o mais rápido possível...




Notas Finais


Luna e Matteo tendo lembranças juntos ❤
Luna sendo atropelada? Talvez sim... Talvez não...
Fico pensando se esses seis ainda irão estar juntos novamente... 😏
Façam sua teorias

Até o próximo capítulo 😜


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...