História Jung Hoseok quer se casar de vestido - Capítulo 1


Escrita por: ~ e ~Small_Always

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Rap Monster, Suga
Tags Namseok, Namyoonseok, Small_always, Sugamon, Transexualidade, Yoongiproject, Yoonseok
Visualizações 207
Palavras 4.989
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Slash, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Pansexualidade, Transsexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá meus amores! Aqui estou eu novamente, agora com uma NamYoonSeok fresquinha ~<3

Eu sempre meio receosa ao terminar de escrever algo :( fico com certo medo de não ter falado bem do tema hmmm mas aqui vamos nós!

Boa leitura!!

Capítulo 1 - Capítulo único


Namjoon se lembrava como se fosse ontem do menininho rebelde que conheceu no final do ensino fundamental naquela famosa escola particular em que estudava desde muito pequeno, e não tinha vergonha de dizer que ele parecia legal. Claro, todo mundo o olhava assustado e de nariz torcido quando comentava aquilo, mas Namjoon realmente pensava que talvez fosse muito divertido jogar bola no intervalo com ele, visto que ele aparentava ser muito hiperativo quando corria brincando de pega-pega com outros alunos da escola.

Mas era assim, a escola era dividida em dois times; existiam aqueles riquinhos que se achavam os maiorais, e aqueles que, mesmo sabendo que tinham uma boa condição financeira, nunca desdenharam de outros alunos. Sendo assim, o primeiro grupo citado eram os alunos que mais torciam o nariz quando Namjoon dizia que o moreno de rosto largo tinha cara de gente boa. Vejam só, essa não é uma história clichê onde o garoto bolsista sofre bullying e o popular da escola se apaixona, e assim sua vida tem uma reviravolta e ele se torna conhecido por algo incrível que ele sabe fazer; e que também só foi notado por ele namorar o cara que anda com o conversível do pai ou o novo lançamento de carro que ganhou no último aniversário.

Hoseok não era bolsista, mas quem não gostava só não andava junto mesmo.

Naquela época, Namjoon só sabia seu nome por conta das constantes vezes que o mesmo era chamado pelo diretor nos auto falantes espalhados pela escola. “Jung Hoseok, favor comparecer a sala do diretor imediatamente” era uma frase tão comum de se ouvir que ninguém nem reagia mais, o próprio professor em sala continuava escrevendo na lousa e apenas murmurando um “Pode ir”, mas nessa altura o moreno já estava passando pela porta da sala, preparado para o novo sermão da semana.

Foi quando estava no primeiro colegial que Namjoon tomou coragem de falar com Hoseok pela primeira vez. Quero dizer, o garoto era sempre o mais encrenqueiro e quando não estava na sala do diretor, se encontrava amuado em algum canto, e isso era o que mais chamava atenção do Kim. Este que se aproximou cauteloso e sentou-se ao lado do menino, bem pertinho, e passou a encarar a quadra junto do mesmo. Os garotos de sua idade jogavam bola e o olhar de Hoseok parecia irritado. Namjoon engoliu em seco, tinha medo de falar algo e receber algum coice.

— Hã... – Começou, limpando a garganta baixinho. – Oi... Sou o Namj-

— Namjoon, eu sei. – Este o cortou, sem sequer direcionar o olhar. – Nós estudamos juntos desde a sexta série, e esse ano temos aula de física e música juntos.

O silêncio voltou a prevalecer.

— Ah... – Fez baixinho, meio sem graça. Namjoon sequer tinha notado que Hoseok estava em sua sala de música. Talvez ele fosse bagunceiro demais e sequer entrava na aula?! – Bem, eu estive pensando... Você não quer jogar? – Arriscou. E assim, pela primeira vez desde que havia se sentado ali, ganhou o olhar do moreno. Se assustando um pouco com o que viu, nunca imaginou que aquele garoto que tanto corria e aprontava, teria um olhar tão vazio e sem vida.

— Não. – A resposta foi direta.

— Você tem certeza? Podemos ficar no mesmo time, vai dar o número certinho.

— Não, não quero.

— E se...

— Eu já falei que não!! – Seu tom era alto e irritado, causando tremedeiras em Namjoon que sentiu o coração parar por um segundo.

— Algum problema? – Ouvindo uma terceira voz, o Kim se levantou de imediato pensando ser algum professor. Porém, ao olhar para trás, notou ser o garoto baixinho que já havia visto algumas vezes por ali.

— Não, hyung. – Hoseok quem respondeu, voltando a fitar o jogo dos garotos. – Eu apenas não quero jogar bola.

 

Mesmo não entendendo aquela reação que o colega de aula teve, Namjoon não tentou novas investidas. É claro que, depois de descobrir que tinham aula juntos, prestou mais atenção ao seu redor. Na sala de música, dois dias depois do ocorrido na quadra, se surpreendeu quando, ao olhar para o fundo da classe, percebeu o Jung ao sentado com sua flauta doce marcando algumas coisas na paleta de notas. Seu olhar era atento, e ao lado, o tal do hyung daquela mesma tarde. Os observou por um tempo, até que ganhou o olhar de ambos e isso o fez voltar prestar atenção na aula. Era tão desligado ao ponto de não notar com quem tinha aula por uns três dias da semana?!

A aula era calma, tão calma que não sabia como si próprio não acabava dormindo. A professora devia ter pelos seus 60 anos e falava tão devagar que talvez o que mantinha Namjoon acordado era se desafiar a adivinhar as frases mentalmente antes de a própria professora terminar. E, bem, algumas ele até conseguia. Na aula de física era diferente já, o professor era jovem e diferente da aula de música, o desafio de Namjoon era captar todas as explicações, fórmulas e dicas que o senhor Oh passava. Mesmo assim, notara que lá estava Hoseok, sentado no canto da sala, ao lado do platinado que descobriu ser Min Yoongi.

Mesmo que não querendo invadir mais a privacidade do outro, sua curiosidade era viva dentro de si, Hoseok tinha uma aura misteriosa e Namjoon queria decifra-la. Apenas tinha medo. O que será que encontraria naquela casca ora caos, ora calma?

Foi em um intervalo, quase duas semanas depois do ocorrido da quadra, que Namjoon estava sentado sozinho na mesa. Não que fosse isolado ou não conhecesse ninguém, seus amigos na verdade estavam na cantina e ficou para o Kim guardar o lugar aquela manhã. Por conta disso que, ao que alguém sentou ao seu lado, não estranhou. Levantando o olhar pronto para retomar um assunto com os amigos, se surpreendeu ao dar de cara com Yoongi.

— Você está sozinho? – Questionou de primeira, e o loiro apenas negou com a cabeça.

— Não, meus amigos, eles… Estão na cantina. – Respondeu meio perdido, dando um toque com a cabeça na direção do local, onde Yoongi olhou no mesmo instante, mas logo voltando à Namjoon.

— Ah sim… É que eu ia perguntar se você queria sentar comigo e Hoseok. – Sendo a vez de Namjoon olhar para o lugar discretamente mostrado, viu que Hoseok observava a cena ao longe. Ao que fitou o Min mais uma vez, reparou que seus amigos já chegavam.

— Hm, claro. Por que não? – Não esperando resposta, se levantou e acenou para os meninos que já sentavam, e apenas seguiu o Min em silêncio até a mesa pouco afastada de onde estava.

Ao sentar juntos destes, ficando assim Yoongi e Hoseok lado a lado e Namjoon no banco do outro lado da mesa, o silêncio pairou sobre o trio. Um silêncio desconfortável Namjoon diria, principalmente pelo fato de sequer conhecer aqueles dois. Os lanches eram comidos sem pressa alguma, e a única troca de olhares ali era feita pelos dois que sentavam à frente do loiro.

— Eu queria me desculpar… – Ouvindo um murmúrio, Namjoon olhou meio surpreso para frente, vendo Hoseok de olhar baixo, ainda encarando o próprio lanche. – Sabe, pelo jeito que te respondi na quadra aquele dia.

— Oh… – Namjoon fez baixinho, surpreso com o fato do Jung ainda se lembrar disso. Sorrindo pequeno, assentiu. – Não precisava me chamar para se desculpar… Sério, estava tudo bem já.

— Não é assim que funciona. – A resposta veio em imediato. – Você não tem culpa alguma e eu te tratei grosso, não podia continuar te vendo aqui todo dia e me remoendo que fui estúpido. – Uma longa pausa fôra feita. – Sem contar que depois que nos formarmos ainda levarei eternamente o remorso de que alguém além de Yoongi tentou se aproximar e eu não dei brecha, e aí nem reclamar que as pessoas não se aproximavam ou vou poder, afinal, eu mesmo afastava.

Perdido com todo aquele bombardeio, a dupla de amigos parecia bem calma a respeito. O Min que encarava um pequeno mangá como se nada estivesse acontecendo ao lado, pegou a latinha de refrigerante e sugou o conteúdo pelos canudos coloridos.

— Ah, bem… De qualquer forma, eu desculpo Hoseok. – Sorriu pequeno na esperança de aliviar o clima empregado.

— Mas não é pra desculpar por desculpar também, não quero ninguém guardando remorso de mim.

— Hoseok! – Yoongi se virou aparentando irritação.

— O que foi?! É verdade!

— O garoto já disse que aceita e que nem precisava pedir, não precisa ser grosso de novo.

Vendo o revirar de olhos do moreno, Yoongi fechou a cara, e Namjoon… Namjoon só ficou olhando mesmo, no fundo sentindo medo de participar de alguma briga mesmo sem querer. Mas o clima pareceu acalmar quando os outros dois voltaram a comer seus lanches, e o loiro ganhou atenção do Jung outra vez.

– Bem, eu sou Jung Hoseok. – Se apresentou. – E esse é meu hyung, Yoongi. – Sorrindo sutil, assentiu leve em cumprimento.

— Eu sou Namjoon, prazer.

Assim que os cumprimentos foram feitos, Hoseok levantou do banco deixando todo seu lanche na mesa.

— Agora que tá tudo bem, eu vou ao banheiro.

— Tenta não arrumar confusão, por favor, Hoseok.

— Hyung, já conversamos sobre isso. Nem que eu seja expulso dessa escola, ninguém vai me obrigar a entrar onde bem querem. – Dito isso, o Jung se afastou, deixando na mesa um Yoongi frustrado, e um Namjoon confuso.

 

Nas semanas que seguiram, a aproximação entre os dois amigos e Namjoon aumentava cada vez mais. Yoongi, que desde o início era contra a ideia, bufava a cada vez que Hoseok pronunciava o nome do loiro. Não era novidade sua quedinha pelo melhor amigo, e o que mais irritava o Min era que o moreno parecia ignorar esse fato, da forma mais literal possível. Em troca, porém, o platinado deixava bem óbvio o seu ciúme, desviando o assunto “Kim Namjoon” descaradamente e ainda, quando esse era abordado em mensagens no celular, Yoongi sempre o deixava no vácuo. Não gostava daquele papinho, achava um absurdo então fazia questão de xingar o loiro pelas costas e dar coices quando se falavam.

Ah, era muita palhaçada!

Yoongi fôra o único que se aproximara de Hoseok quando ninguém mais se interessava, sem contar que era si quem sabia de todos os segredos do moreno, inclusive era o único quem o tratava no feminino – claro que apenas quando estavam a sós, mas isso era pedido da própria amiga.

Pois sim, mesmo sabendo que na verdade “o” Hoseok era uma garota trans, e que algum dia realizaria seu sonho de ter o corpo como bem queria, ainda assim era apaixonado. Imaginava-se ao lado de uma linda mulher, limpando suas lágrimas e sussurrando que era maravilhosa sim, e que não era para dar bola para as coisas que ouvia na faculdade. Faculdade de medicina, inclusive. Hoseok queria ser médica. E Namjoon sequer sabia isso!! Ora, aquele babaca – como pensava o Min – sequer sabia dos gostos da Jung.

— Hein? – Perguntou fitando o amigo distraído. – Yoongi?? Yoongi você estava me escutando?! – Seu tom era alto e sério, assustando o Min que logo abaixo seu pão no prato e o fitou assustado.

— H-Hã… Estava. – Mentiu.

— Hm, sei. – Mesmo não acreditando, o Jung levantou da mesa de sua cozinha. – Bem, então você concorda?

— Claro. – Arriscou. Não sabia do que se tratava, mas não podia agora falar aquilo, ou seria um garoto morto. Na duvida, concordava, assim não precisava nem explicar o motivo da negação, e nem problemas com discordar do maior.

— Jura?! – O outro virou da pia surpreso, podia ver o brilho nos seus olhos, o que deixava o Min sorridente e aliviado por ter agradado o melhor amigo.

— Claro, por que não?!

— Ué, talvez pelo simples fato de você não gostar dele?!

Já na dúvida, apenas franziu o cenho. Hoseok se aproximou, selando sua bochecha e se retirou para a sala saltitando.

— Vou ligar pro Namjoon agora mesmo!

— O QUÊ??? – Gritou se levantando aos tropeços até a sala, o que merda havia feito?? Encontrando o Jung já no sofá com o celular na mão, seu sorriso era traidor.

— Ué, não estava prestando atenção, Min Hyung? – Ganhando o olhar atrevido, podia jurar que seu coração sairia pela boca. – Você concordou em chamá-lo para meu aniversário.

E, definitivamente, Yoongi precisava prestar mais atenção nas coisas que Hoseok lhe dizia.

 

E mesmo que odiando o fato do Jung ter chamado Namjoon para sua festa, ainda assim se preparou da melhor forma, colocou sua melhor roupa, passou o seu melhor perfume, comprou as melhores flores.

Ah, e fez questão de entregá-las na frente de Kim Namjoon, e assim sucessivamente em todos os aniversários do mais novo, se tornando basicamente um costume se si. Mas Namjoon não levava para lado nenhum.

Afinal, Yoongi amava Hoseok, que amava Namjoon, que não amava ninguém.

E no aniversário de 23 anos de Hoseok, esta decidiu não dar festa. Muitos de seus parentes não aprovavam sua transição e não queria um aniversário arruinado. Sendo assim, chamou apenas Yoongi e Namjoon para sua casa.

Yoongi lembrava bem daquela noite.

Namjoon era o mais certinho dos dois e, sendo assim, o mais sóbrio da noite. Hoseok, por sua vez, havia bebido mais que era do seu costume, e visto que seu costume era beber poucas doses, a agora ruiva já estava andando cambaleando pelo apartamento. Yoongi não estava muito atrás, mas suas goladas não eram apenas em comemoração ao aniversário da mais nova, mas também por sentir o coração quebrando a cada vez que via Hoseok sorrir mais para Namjoon do que para si, tratar Namjoon mais cordialmente do que a si, e abraçar Namjoon, mais do que si próprio queria abraça-la.

— Hoseok-ah! – Namjoon exclamou, gargalhando logo em seguida. – Você vai me derrubar assim, sua louca! – Seu tom era animado, achava graça de Hoseok se jogando toda em cima dele e o empurrando da cadeira. Do outro lado da pequena sacada, Yoongi observava a cena em silêncio, com uma garrafa de bebida no chão e um copo pela metade nas mãos. Diferente de Namjoon, não esboçava sorrisos.

— Jonnie! Você vai ficar sentado o tempo todo?! Bebe alguma coisa!

Certo, mas Yoongi também estava sentado o tempo todo, por que Hoseok não tentava anima-lo também?

— Não vou beber, Seok. Você sabe que não sou disso. – Dito isso, o Kim envolveu a cintura da mais velha e a puxou para seu colo; um ato inocente entre amigos que causou um embrulho no estômago do Min, que apenas virou o que tinha em seu copo e deixou o líquido descer ardendo por sua garganta.

— Aish, Jonnie… – Àquele ponto, Yoongi podia jurar que se tivesse um pouco mais sóbrio, levantava dali e ia embora. – Você tem que se liberar mais, sabia? – Hoseok completou, passando um braço pelo pescoço do loiro e sentando de lado sobre uma de suas coxas. O braço de Namjoon envolvia firme a cintura da mulher de shorts e, embora Yoongi soubesse que era mais para evitar que essa caísse por estar provavelmente jogando todo seu peso ali, não deixava de sentir uma dorzinha no peito.

— Você e o hyung ali estão que não se aguentam em pé, noona. Imagina um terceiro?!

Ah, ótimo, alguém se lembrava da sua existência ali.

— Nam… – A mais nova que o de fios esverdeados começou quase como se ignorasse que havia sido ressaltada a existência de Yoongi naquela varanda. – Sabe, hoje é meu aniversário, não?

— Hm. – Foi apenas o que respondeu, já conhecendo que pelo tom mimado viria algum pedido.

— Posso fazer um pedido então?!

— Ah, porra! – Dessa vez fôra Yoongi a se pronunciar. Estava bêbado, então depois do ocorrido não sabia se havia falado baixo e enrolado demais, ou se fôra realmente ignorado. Preferia pensar que havia falado baixo demais.

— Claro noona. Diga.

— Me beija. – Dessa vez, o tom sério fez os pêlos de Yoongi arrepiarem enquanto observava a cena. Mas Namjoon apenas gargalhou.

— Um beijo, sério?!

— Sim, sério.

Com os olhos arregalados, Yoongi observou o loiro sorrir e analisar todo o rosto da mulher ali presente. Nenhuma palavra a mais havia sido dita, mas a destra de Namjoon foi levada até os fios ruivos que chegavam aos ombros, acariciando o rosto com o polegar e lentamente trouxe para perto.

Yoongi sentiu as lágrimas formarem quando viu os lábios unidos de forma tão perfeita. Parecia que eram moldados um para o outro. O silêncio de todo o condomínio se fez presente, sendo quebrado apenas com os sons do beijo trocado.

Sua mão livre fechou com força sobre a calça, não acreditava no que estava vendo.

Não.

Não, não, não e não.

Yoongi amara Hoseok intensamente por anos. Comprava-lhe flores, chocolates, roupas. Elogiava seu cabelo e fazia questão de elogiar seu corpo principalmente na fase de transformação do mesmo. Havia sido Yoongi que o levara ao hospital no dia de sua cirurgia e também foi Yoongi sua primeira visita quando tudo acabou.

Yoongi sempre estava lá, sempre.

Principalmente quando Hoseok chorou ao ver Namjoon beijar aquela garota no canto de uma festa qualquer da faculdade.

E mesmo com tantos pensamentos e lembranças rodando sua cabeça, não se sabe de onde saiu calmaria para curvar sem pressa e colocar o copo com cuidado no chão. Levantou, e meio cambaleando se apoiou na grade da sacada, assim caminhando os poucos passos até os dois que pareciam ter gostado do beijo. Parou colado, quase entre as pernas do Min também, e só assim que ambos se separaram, estranhando tal aproximidade.

— Yoongi…? – Namjoon chamou meio receoso, não entendendo o que estava acontecendo. Se bem que nem o próprio Yoongi entendia.

Apoiando a mão na parede atrás do loiro, se curvou e, com a mão livre, agarrou os fios de Hoseok com certa força, puxando pela raiz para trás. Hoseok não disse nada, então Yoongi apenas selou os lábios chamativos da mais nova.

De início, beijou sozinho, após certo tempo apenas que Hoseok abriu seus lábios e cedeu para que o Min invadisse com sua língua, assim finalmente tocando sua semelhante. Foi o aperto de Hoseok em seu braço que o fez afrouxar o puxão em seu cabelo. Diferente do beijo que rolava com Namjoon, aquele havia cessado mais rápido provavelmente por conta da surpresa que havia sido.

Mas maior surpresa mesmo foi que, ao olhar para o seu braço, a mão que lhe segurava seguia em um braço até Namjoon. Os lábios da Hoseok se encontravam levemente inchados, os olhares se intercalavam entre os três. Dali, Yoongi não se recordava tanto dos fatos, e sua próxima lembrança cortava para um quarto pouco iluminado.

Era o quarto de Hoseok, e na cama de casal esta se encontrava deitada; sua única vestimenta era um sutiã preto, já os dois homens estavam completamente nus. Yoongi sabia que a amiga só havia usado vibradores depois da cirurgia, alegando que era para trabalhar a elasticidade de sua intimidade e não se fechar.

Então, após muito se lubrificar, era com muito cuidado que o Min ajeitava seu membro na intimidade da Hoseok.

Não sabia como e nem porque, mas tanto si quanto Namjoon passavam extremo carinho e cuidado, mesmo entre ambos, e isso que era o mais estranho para o esverdeado; não deveria estar com ciúmes ou evitando que Namjoon lhe tocasse?!

Pelo contrário, gostava de ver que o Kim passava um pouco mais do líquido enquanto estava prestes a invadir a ruiva, e segurou o próprio membro do mais velho para ajudar a entrar com calma. E quando a Jung agarrou o travesseiro com força abaixo da cabeça e contorceu o rosto em dor, fôra Namjoon quem tomou a iniciativa de remover seu sutiã e, enquanto massageava um dos seios fartos, selava a bochecha desta intercalando com sussurrares de que a dor logo passaria e que era preciso calma.

— Nós vamos cuidar de ti… – Ouvir isto e vê-la assentir, por algum motivo, havia feito seu coração disparar.

Havia sido uma noite calma, agradecia se lembrar de cada detalhe, de cada gemido e pedido por mais. Não só de Hoseok, era claro.

Depois da noite de aniversário, os encontros para sexo casual a três foram surgindo aos poucos.

Aliás, tudo foi indo aos poucos. Yoongi se viu em momentos onde saía apenas com Namjoon para uma balada e acabava a noite aos beijos e carícias no sofá da casa de algum deles mesmos. Era sempre isso, sexo apenas acontecia quando os três estavam juntos.

Bom, ao menos por um bom tempo fôra assim. Era algo natural, claro que com alguns estranhamentos de início, cuidados e prevenções como não demonstrarem isso ao público.

Nem Hoseok, nem Namjoon e nem Yoongi saberiam explicar como tudo foi fluindo.

Mas era bom, então, estava tudo bem.

As tardes preferidas de Yoongi com certeza eram quando se reuniam os três no apartamento da Jung e, sempre na sequência Yoongi, Hoseok e Namjoon, se sentavam no sofá para fazerem a maratona de séries. Isso normalmente acontecia aos sábados, e Hoseok sempre jogava suas pernas no colo de algum dos homens. Nos dias de calor, dividiam um pote de sorvete. E nos de frio, brigavam por espaço em uma coberta.

Certa tarde, onde Namjoon e Yoongi se encontravam sentados no sofá e Hoseok deitada sobre ambos, prestavam atenção em uma série que Namjoon havia sugerido. Todos prestavam muito atenção, mas uma cena em especial pareceu chamar atenção de Hoseok, que sorria boba vendo a personagem entrar em uma igreja com um longo vestido.

— Sabem, é meu sonho casar assim.

— De vestido? – Questionou Namjoon, sem tirar os olhos da tela.

— Uhum, de vestido. – Ninguém disse nada, estavam mesmo focados na cena. Porém Hoseok insistiu no assunto. – Mas nós somos três, então não dá.

— Por quê?

— Ué, Yoongi. – Fitou Namjoon. – Já viu um casamento a três ser firmado em cartório?

— Então Hoseok vai precisar escolher algum de nós. – Brincou, e ambos olharam para a mulher que rapidamente olhou para Yoongi.

— Eu?!

— É, você. Você quem vai casar.

— Aish, eu não posso escolher entre meus dois namorados!

— Ah, então somos namorados?! – Namjoon perguntou surpreso.

— Vocês me comem há uns cinco meses, no mínimo eu exijo uma relação estável.

— Não vem com essa, Hoseok. Sabemos que se você tiver que escolher, escolherá Namjoon.

— Com uma autoestima dessas, me surpreende estar em um relacionamento a três, Yoon.

— Não é isso, Nam. – Respondeu o fitando. – Nós dois sabemos que isso tudo começou porque Hoseok sempre amou você.

— Yoongi!

— Ué, Seok! É verdade! – A fitou.

— Pode ter sido isso mesmo, mas hoje é os dois que eu amo.

— Como pode amar nós dois, Hoseok? Isso não cola…

— Ah, então está dizendo que não me ama?! – Olhando de imediato para Namjoon, estalou os olhos.

— Não!

— Então é a mim que não ama? – Foi a vez de Hoseok. Certo, Yoongi estava mesmo contra a parede.

— Aish, amo.

— Então pronto. Eu amo vocês dois, e você ama nós dois.

— Certo, e você Namjoon?

— Eu o quê?

— Nos ama?

— Acho que se eu não amasse, não estaria hoje com vocês, não? Poxa, quero dizer, isso é uma relação além de sexo aos finais de semana.

— Até porque transamos às quartas. – Ressaltou Hoseok, arrancando um risinho de Yoongi ao ver Namjoon revirar os olhos.

— Ok, não é só uma relação de sexo às quartas. – Deu ênfase na data. – Olha como estamos agarrados no sofá assistindo TV. Dormimos apertados na cama da Hoseok, justamente para conseguirmos dormir os três juntos. É bom estar com vocês, eu realmente os amo.

— Aaaah gente, Namjoon está sendo fofo! Dá pra acreditar, Yoon??

— Dá sim, mas eu estava aqui pensando. Hoje é sábado, mas podia rolar uma rapidinha, não?

— Não, hoje não é quarta. – Namjoon respondeu torto e voltou a olhar pra televisão. Já Yoongi e Hoseok, continuavam o fitando.

— Ok, vai só a gente então. – Min disse, passando os braços por baixo da namorada e se levantando com essa deitada em seu colo. Entre as risadas da ruiva, caminhou para seu quarto.

Namjoon, que não era bobo nem nada, rapidamente desligou a TV e correu para o quarto.

 

E quem diria que, dois anos após aquela conversa, Yoongi e Namjoon estavam parados em frente ao outro, se encarando sérios. Depois daquela tarde, uma fixação crescera na cabeça do esverdeado; Hoseok casaria de vestido nem que tivesse que ir atrás de um falso padre. E bem, não foi difícil achar um.

Namjoon possuía um amigo ator, e só precisou de um jantar juntos para negociarem um valor que Seokjin aceitasse. Que também não havia sido difícil, Seokjin insistia que não cobraria nada, mas os dois namorados queriam, era a única forma de agradecerem.

Tudo era feito às escondidas, Hoseok não poderia saber de nada. Era difícil, algumas brigas surgiram por conta das muitas saídas de Yoongi e das noites em que Namjoon chegava tarde. E, enquanto Hoseok gritava com ambos questionando onde raios eles estavam, o casal havia apenas isso experimentar alguns docinhos para a festa que já chegava.

No dia em questão, pediram extrema confiança à Hoseok, que aceitou ir com uma amiga dos três para outro lugar. No caso, o salão qual seria preparada para o casamento.

Agora, ambos de terno e gravata, se deixaram rir baixinho.

— Quem diria… – Sussurrou Namjoon, apoiando a destra no ombro de Yoongi.

— Quem diria, meu amor…

— Está feliz?

— E tem como não estar?! – Rindo baixinho, envolveu a cintura do mais novo, o trazendo para perto. Selando seus lábios com cuidado e calma, subiu na ponta dos pés e selou também sua testa. – Você está lindo, Joonie.

— Você está lindo, Yoon hyung.

Sorriram cúmplice, tendo o momento íntimo interrompido por uma batida na porta.

— Namjoon, Yoongi? Precisamos ir agora para o salão. – Avisou Seokjin.

— Certo, estamos indo, hyung! – Selando uma última e rápida vez os lábios de Yoongi, Namjoon afastou e segurou sua mão.

— Vamos, ainda corremos o risco de Hoseok não entrar na igreja.

— Credo, Namjoon!

E com um Namjoon risonho e um Yoongi emburrado, a porta foi aberta e ambos logo estavam a caminho do pequeno salão que haviam comprado. Yoongi nunca havia economizado tanto dinheiro na vida, graças a Namjoon o controle havia sido bem feito, já que o mesmo não deixava que o mais velho sequer soubesse a senha da conta que guardavam tudo. Ou seja, dinheiro depositado ali, Yoongi nunca mais o tocaria.

O salão era bem arrumado, bancos de madeira haviam sido postos e alinhados como uma igreja, e um longo tapete se estendia até o pequeno altar, onde Seokjin esperava atrás de uma pequena bancada. Os convidados já estavam ali, todos sorriam sentados. Amigos próximos, alguns parentes que ainda permaneceram amigos. Os pais de Hoseok também estavam. que apesar de aceitarem o gênero da filha, preferiam fingir que a mesma não vivia um relacionamento a três. Mas a mãe estava ali, o pai provavelmente com a filha entraria na igreja improvisada.

Frente o altar, estavam os dois homens, cada um em uma ponta para que Hoseok ficasse no meio. Sorriam bobos, e era engraçado ver Jin com uma batina e cabelo arrumadinho.

— Se eu for pro inferno, a culpa é de vocês.

— Ah, mas acho que Deus sabe que atuação não é realidade. Ele perdoa. – Respondeu Min, rindo junto do noivo.

Pronto para entrar na brincadeira, Namjoon até mesmo havia aberto a boca, mas foram surpreendidos com a música cerimonial soando pelo ambiente. Em um movimento rápido, viraram em direção à porta com as mãos para frente e sorrisos enormes.

A porta foi aberta e dali surgiu à silhueta de Hoseok com um enorme vestido. O véu cobria seu rosto delicado, mas pelo sorriso do senhor Jung ao lado, essa estava linda. O coração dos dois homens ali estava disparado, amolecidos pela mulher da vida deles.

Não demorou e logo esta veio caminhando pelo tapete vermelho. Na frente, o afilhado de Yoongi - meio desajeitado - jogava pétalas, arrancando murmúrios de “own” de algumas pessoas da platéia, enquanto outras choravam baixinho ao ver Hoseok sorrir caminhando tão linda quanto qualquer outro ali presente estava. Yoongi curvou pegando do pequeno afilhado as alianças e beijou sua testinha, e assim o pequeno correu para Taehyung, seu pai, que estava ao lado da esposa atrás do Min, como padrinhos do casório.

Assim, Hoseok foi deixada no altar entre ambos. Ganhando o olhar sério do pai da mulher, apertou sua mão, assim como Namjoon.

— Ao menos cuidem dela.

— Já cuidamos senhor Jung. – Namjoon respondeu, causando um risinho em Yoongi. Ambos finalmente viraram para Hoseok, que por si olhava tudo em volta. Seu sorriso era ainda maior, a maquiagem dava pra ser vista atrás dos buraquinhos do véu e era notável a força que o buquê era segurado. Rindo baixinho, delicadamente Yoongi o pegou, se virando e entregando à Taehyung. Junto com Namjoon, levantou o véu, da noiva, a mesma que possuía os olhos brilhando em lágrimas.

E, naquele instante, Namjoon voltou no tempo.

Namjoon voltou para o dia em que havia conhecido um garotinho meio com medo do mesmo, e fôra encarado por um par de olhos tristes e sem brilho algum, depois pelo olhar firme de Yoongi, que agora entendia que estava apenas tentando protegê-lo.

Do outro lado do altar, Min se recordava do mesmo dia; do olhar assustado de Namjoon e do tagarelar de Hoseok agoniado por ter sido grosso com o mesmo, e começado a insistência de chamar o loiro para conversar.

E quem diria que dentro de 10 anos, o mesmo trio que se conheceu de uma forma meio mal entendida na quadra da escola, estariam dividindo um altar juntos, assim como uma casa, uma cama e milhares de momentos.

Diferente da Hoseok de 10 atrás, os olhinhos desta eram cheios de vida; a carranca de Yoongi agora era um enorme sorriso; mas as mãos de Namjoon continuavam trêmulas, assim como seu coração enquanto repetia as palavras do padre fajuto que havia contratado e encaixava uma aliança no dedo de Yoongi junto da esposa.

Era uma noite mágica, mas principalmente para Hoseok que tinha seu maior sonho realizado.



 

Jung Hoseok queria se casar de vestido.

E foi de vestido que Jung Hoseok se casou.

 


Notas Finais


Espero que tenham gostado, xuxus ;3; até a próxima!

Minha última fanfic postada np Yoongi Project: https://spiritfanfics.com/historia/bilhetes-para-min-yoongi-10584261


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...