História Just A Bitch // Chanyeol - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Chanyeol, Personagens Originais
Tags Chanyeol, Exo, Exo M, Explicito, Sexo
Visualizações 41
Palavras 1.334
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Hentai
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Sei que fiquei muito tempo sem atualizar, por isso fiz um capítulo revelando algumas coisas sobre a personagem "MinYeon" pra poder compensar.

Capítulo 4 - No Café


Fanfic / Fanfiction Just A Bitch // Chanyeol - Capítulo 4 - No Café

Depois do longo período na banheira, tentando tirar os cheiros do mundo, MinYeon foi nua e bastante molhada para seu quarto, se enxugou lá mesmo com uma toalha vermelha.

Ela queria dormir e esquecer isso tudo e assim o fez, dormiu nua e com um vibrador anal.

°°°De manhã no dia seguinte°°°

MinYeon acordou toda molhada em suas partes íntimas, ela já estava acostumada com a sensação por isso era mais relaxante do que prazeroso sexualmente falando.

Ainda sem roupas ela foi fazer seu café da manhã e nesse momento começou a se lembrar de AhRo, de seus pais, seus amigos antes do trabalho de prostituta, sua vida próspera, mas...tudo havia acabado.

Memórias de MinYeon---

MinYeon. Criança. 9 anos. Feliz. Isso me descrevia naquele exato momento, pois, meus pais e eu estavamos indo nos encontrar em um pequenique com meus amiguinhos.

Aquela tarde estava a ser ótima achava que o que poderia dar errado seria apenas ralar o joelho, por isso tomava cuidado.

Estava brincando em uma parte mais afastada com meus amiguinhos, porém eu havia escutado o que parecia ser um grito.

Aquele grito me chamou atenção, me parecia um grito de terror, de medo, de súplica, fui até o local do grito e me horrorizei com o que vi.

Meu pai estava cortando os membros da minha mãe, ele havia decepado sua cabeça e tirado seus órgãos de dentro. Eu não acreditava no que via.

Corri pros meus amiguinhos chorando baixinho e contei tudo pra eles, eles não queriam mais brincar comigo, parecia que até tinha mentido, mas era a verdade, eu insisti pra eles que saíssemos daquele lugar antes que o meu pai viesse matar a todos.

Um dos meus amigos virou pra mim e me deu um tapa no rosto, alguns outros me morderam e me empurraram, pediram o tempo todo pra eu não falar mas aquelas coisas medonhas e que nunca mais falasse com eles.

Eu estava suja de terra, havia caído muitas vezes num poço de lama que havia por perto, eu fiquei triste por eles não terem me escutado e com raiva também, eu me vu sozinha depois de tudo o que eu vi.

Corri daquele lugar, assim como me pediram os deixei lá, não sabia se viveriam ou não, mas eu sabia que eu queria viver, então corri.

Cheguei perto de um grande casarão, pensava que era uma mansão por isso toquei a campainha, apesar de estar desolada eu percebi que poderia haver uma chance de eu me dar bem na vida se pessoas ricas me adotassem.

 Eu sempre fui sapeca, esperta e mentirosa, crianças nem sempre são anjinhos.

Uma mulher com uma verruga na cara abriu as portas pra mim, ela me viu e sorriu meio debochando de mim.

-Entra moleca, talvez o chefe te deixe ficar.- havia dito aquela mulher feia, que pra mim na época parecia ser uma empregada.

Eu entrei no casarão e esperei um tempo, eu estava com fome e estava toda suja, mas então, me chamaram pra dentro de uma sala.

-Qual seu nome querida?- um homem careca havia me perguntado, não sabia que ele seria meu estuprador, se não correria o máximo que pudesse dali.

-Kim MinYeon, senhor.- me fazia decoitada triste.

-Quantos anos você tem MinYeon?- me perguntou ajeitando-se na cadeira atrás da mesa com um computador em cima.

-9 anos.- disse e acabei soluçando.

-Onde estão seus pais MinYeon?- no mesmo instante eu abaixei a cabeça e hesitei em falar, mas disse chorando.

-Hoje mesmo, eu e eles estávamos em um piquenique, eu estava brincando um pouco afastada deles e então ouvi um grito, me aproximei e me escondi atrás de uma árvore e vi minha mãe sendo morta pelo meu pai, eu avisei meus amiguinhos pra sairmos dali, mas eles não me escutaram, eu corri de lá sozinha e acabei parando aqui, eu não sei pra onde ir senhor...-chorei bastante e ele me acalmou- ...EU QUERO MEUS PAIS!- gritei entre lágrimas.

-Bem...seu pai com certeza não sabe onde você está, iremos cuidar de você criança.- aquele careca havia me dito e eu decidi confiar nele.

Um tempo depois, lembro de ter ido pro tribunal como testemunha, eu disse tudo o que tinha presenciado, naquela manhã meu pai pegou 25 anos de prisão em regime fechado.

Eu havia ficado super feliz, eu não teria que me preocupar com nada praticamente, minha papelada de guarda foi ajeitada e eu estava sobe proteção do governo.

Um tempo depois, passando tudo isso, um pouco mais tarde, em um dia, eu havia completado 18 anos, não tinha sido adotada até então e minha vida dentro do orfanato não foi muito bom, eu era vítima de bullying entre os órfãos e na escola também, mas eu lidava com aquilo.

Exatamente no dia em que completei 18, o Sr.Choi, aquele careca da estória, que também, depois de um tempinho começou a me tratar mal, me mandou subir para o quarto dele, estava de noite e ele mandou me dizer que era uma conversa sobre o meu futuro, então eu fui.

Porém, quando entrei no quarto dele o mesmo me bateu tão forte na cabeça que eu deamaiei, acordei com uma dor de cabeça infernal e logo percebi que estava algemada junta a cama, estava sem roupas e de barriga pra baixo.

Tentei me livrar dali, pois já tinha um norte do que estava acontecendo e o que iria ocorrer.

Não passou muito tempo e o careca chegou.

-Hamham...- limpou a garganta- ...já acordou?!- percebi que ele estava bêbado.

-ME TIRA DAQUI AGORA SEU TARADO, EU VOU TE MATAR SE NÃO ME DEIXAR IR ILESA.- eu só queria acabar com aquele pesadelo.

Ele se aproximou de mim e me deu um tapa na cara.

-CALA A BOCA SUA VADIA!- ele gritou na minha cara- VOCÊ NÃO TÁ EM CONDIÇÕES DE IMPOR ORDEM ALGUMA EM MIM, OU TENTAR DISCURSSAR AGORA.- ele estava com um bafo e um cheiro horrível.

Aquele filho da puta tinha se afastado um pouco e tirado toda a roupa, tenho nojo de lembrar disso, ele havia tirado minha virgindade, me estuprado, eu odeio por isso, mesmo após sua morte.

Esse filho da puta morreu dois meses depois de complicações cardíacas, fiquei sabendo pelo jornal da TV de um restaurantizinho meia boca.

Depois de tudo isso que tinha passado era difícil encontrar emprego, conheci algumas pessoas e consegui um ponto onde podia me prostituir, como era a única forma de ganhar dinheiro, eu comecei.

Dois anos depois eu ainda estava me estabilizando financeiramente, estava na rua indo comprar comida no mercado, foi nessa hora que meu primeiro produtor me encontrou, ele tinha ouvido falar de mim na verdade, mas ele viu que minha aparência era perfeita pra filmes pornôs e minha carreira no pornô começou aí.

Eu fiz até os 19 anos, filmes e vídeos só transando com homens, porém aos 20 eu fui convidada a fazer um filme lésbico, eu aceitei, achei que iria ser uma ótima experiência, acontece que eu e aquela atriz começamos a namorar depois de tudo gravado, tinhamos começado só por desejo sexual e terminamos porque ela queria pegar uma outra mulher e eu deixei ela voar, até apoiei as duas em momentos difíceis.

Memórias de MinYeon---

Como a MinYeon começou a dormir eu, a narradora, vou contar o resto da história de vida dela.

Aos 21 anos MinYeon começou a parar de querer gravar pornô, porém ela não podia, no começo ela achava legal, pois iria transar com pessoas bonitas e legais, mas depois ela percebeu o que fazia e decidiu que assim que possível iria parar com esse trabalho.

Agora aos 22 ela tenta arranjar outro emprego, mas noa tempos de hoje está ainda mais difícil do que antes, ainda mais quando os possíveis chefes dela descobrem que ela produz vídeos pornôs.

AhRo foi em determinado momento da vida de MinYeon a melhor amiga, depois de un tempo AhRo tinha pedido para MinYeon para as duas irem pra cama, elas foram e o amor delas cresceu aí.

AhRo havia sido a única pra MinYeon em um período de tempo, mas depois AhRo havia traído MinYeon e ela descobriu, as duas se separaram e AhRo se mudou de estado.

MinYeon continuou com o trabalho de atriz pornô e está até hoje nessa.



Notas Finais


Espero que tenham entendido a história de vida da MinYeon.

Nossa foi difícil pensar nisso, alguns de vocês devem estar com medo de mim agora, mafazêoquê eu gostava de terror antigamente.

Esperem próximos capítulos e desculpe qualquer erro, não foi revisado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...