História Just an affair - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Big Bang, Park Seo-joon
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Park Seo-joon, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, Taeyang, V
Visualizações 19
Palavras 1.233
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Fluffy, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 20 - XX


Fanfic / Fanfiction Just an affair - Capítulo 20 - XX

- Hyung, não vai ter treino hoje? - pergunto à Nam.

- Não. O coreógrafo faltou.

- Ah...então, eu posso ir pra casa?

- Hobi queria treinar mesmo assim, mas acho que não vai se importar caso queira ir.

- Okay então. - dei meia volta e fui direto pro parque.

Eu o conheço faz um tempo e venho aqui tirar fotos sempre. Me posicionei diante de um banco de flores e ajeitei a câmera. Alguém passa por mim correndo e não consigo tirar foto do banco, mas sim de suas pernas.

A olhei e já estava longe. Logo depois passou outro cara, que ficou puto ao notar que já não a alcançaria. Olhei a foto novamente e suas botas de couro bem incomuns estavam à mostra.

Cheguei a conclusão de que ali já não era um seguro como antes e que deveria procurar outro lugar.

- Aish...- balanço a cabeça negativamente.

Vou até um parque mais comum e que as pessoas iam para brincar. Tinham algumas crianças e mães. As pessoas me reconheciam, mas não me incomodavam.

Bem que eu queria que alguém viesse agora. Eu estou tão entediado, sendo que eu amo tirar fotos como tive o tempo de fazer hoje, mas a verdade é que eu queria tirar fotos com ela, sei que também gosta.

- K-Kim Taehyung? - alguém me cutuca com uma mão pequena.

- Sim?

- Pode tirar uma foto comigo?

- Ah...- sorrio sem graça. - Claro. - faço aegyo e sorriu fofa.

Suas bochechas coraram e me encarou animada. Morria de ansiedade e segurei sua mão.

- Que foi? Está bem?

- Aham. Só é o meu dia de sorte. - sussurrou, sem tirar os olhos de mim e rio.

- Mas você não tem que ir pra escola? - bagunço seu cabelo e negou.

- Eu sou formada.

- Oh...desculpe. Parece mais nova.

- Sem querer me intrometer, mas o que está fazendo aqui?

- Estava querendo tirar umas fotos.

Olhei para seus pés e suas botas me lembravam muito às de hoje mais cedo.

- Posso te acompanhar? Adoraria vê-lo.

- Pode sim.

(S/N) ON~

- Ai que dor de cabeça!

- Bebe. - Mark me oferece água e um comprimido e me lembro de quando Tae fez isso algumas vezes.

- Merda...- os engoli.

- O que?

- Meu relacionamento. - me levanto e começo a me arrumar. - Ele nem veio! - riu. - Ri não! - apontei e riu mais.

- Vai ficar na minha casa até quando?

- Até eu ter outro lugar pra morar. Não acredito que vendi minha casa...- reclamo.

- Você vai se arrumar com o seu namorado e parar com a palhaçada.

- Mas...

- 'Mas' nada. Vai pra casa dele agora. - ordenou e fui muito puta da vida.

....

- Taehyung? - bati na porta. - Tae!

- Ele não está. - Jungkook sussurra com sono.

- Você tem a chave?

- Tem na portaria. - volta pro quarto.

Desci e voltei com as chaves. Realmente, não tinha ninguém, mas o lugar estava um lixo e várias latinhas de energético espalhadas perto do sofá.

- Porco...- sento no sofá, vendo a camisa dele jogada no mesmo.

A peguei e cheirei. Me abracei nela e deitei no sofá.

- Por que você faz isso comigo? - algumas lágrimas já caíam e me lembro de quando soube que teria que namorar.

Flashback ON~

- O que? Você não pode fazer isso comigo.

- Está no contrato. - me mostrou.

- Quem é?

- Não posso dizer, mas já marquei um encontro aqui na semana que vem.

- E se eu não vier? E se eu recusar-me?

- Sofrerá as consequências.

- Pai! - bati na mesa.

- Vai apelar?

- Vou. - choraminguei. - Por favor, pai, não faz isso.

- Não tenho escolha. Vai alavancar a carreira dos dois.

- E se fosse a Nim?!

- Faria a mesma coisa.

- Mentira!

- Vamos, (S/N), colabore. Não quero discutir com você.

Flashback OFF~

Ouvi o molho de chaves na porta e me virei, esperando por ele, encolhida no sofá, abraçando meus joelhos. Chegou sorridente e com a câmera na mão. Deixou o cachecol no gancho e tirou o casaco, ficando de blusa social.

Me avistou e desmanchou o sorriso lindo de antes. Meu rosto estava vermelho por ter chorado e estava sem os saltos, no qual tropeçou ao vir até mim.

Se inclinou de frente pra mim e me encarou.

- Desculpe?

- Não. - o encarei de volta.

- Eu não queria te magoar, mas queria passar um tempo com o meu melhor amigo.

- Eu sei. Mas olha esse lugar. Vai ser assim todo dia?

- Não. Eu prometo que não. É que nós precisávamos terminar a fase, que eu deixei de jogar pra ficar com você.

- Então o vídeo game é melhor que ficar comigo?

- Não. Eu não disse isso. - me levanto e o empurro de lado. - Não faz assim. - segura meu pulso.

- Tae...

- É sério. Eu te quero. Aqui comigo, na sua casa, num motel, no carro, hotel cinco estrelas ou até em pensão. - me abraça e beija meu pescoço.

- Eu odeio pensão.

- Eu sei. - riu soprado. - Me perdoa?

- Sim, eu perdoo. Mas, com uma condição, o Jimin só poderá vir nas sextas e você quem vai limpar essa bagunça.

- Claro, mas não tem como mandar alguém fazer isso por nós?

- Não. É pra você sentir o quão chato é limpar a própria bagunça. - reclama.

- Jagi...

- Vai. - faz um biquinho, mas começa a arrumar.

....

Deitados na cama, Tae sobe em cima de mim.

- Me chama de Oppa?

- O que? Não...- rio.

- Mas é fofinho e as minhas fãs sempre me chamam assim.

- Não. - sorriu e me beijou. - Nem tenta.

- Mas eu quero muito. - me abraça.

- Oppa, você é muito chato. - riu e aperta as minhas bochechas.

- Fala de novo.

- Oppa, você é muito insistente e bobo.

- Que fofa! - esmaga as minhas bochechas e me beija.

- Tae, o Jimin devia ter uma namorada. Ele seria mais feliz e não viria aqui toda hora. - entrelaça nossos dedos.

- Ele também tem problemas com relacionamentos.

- O que aconteceu?

- Digamos que ele teve somente uma namorada e ela se foi.

- Morreu? - fico espantada.

- Não, voltou pro seu país de origem.

- Explica. - fico interessada.

- Eles se conhecerem quando ela tinha sete anos e ele oito. Seus pais vieram por causa da economia crítica de Cuba.

- Cuba? Nossa...é muito longe.

- Verdade. Mas em eles tiveram mais chance em Busan. Jimin-shi e ela viraram grandes amigos, mas ele acabou pedindo ela em namoro quando completaram sete anos de amizade e ficaram assim por um ano. Até ela fazer quinze anos e seus pais resolverem voltar para Cuba e ajudar os médicos cubanos.

- Que são os melhores. - assentiu.

- Ele nunca mais namorou.

- Ah...tenso. Porém acho que eu conseguiria trazê-la pra cá.

- Bem, o aniversário dele está chegando e já fazem cinco anos que eles não se vêem.

- Vou fazer essa surpresa pra ele. - sorriu e me abraçou.

- Yeah! Ele vai adorar...ou me odiar por te contar.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...