História K-HipHop Imagines - Capítulo 66


Escrita por: ~

Postado
Categorias Beenzino, Crush, DEAN, Dok2, Dynamic Duo, GIRIBOY, GRAY, Jay Park, LOCO, Simon D., Tablo, Verbal Jint, Zico, Zion.T
Personagens Beenzino, Choiza, Crush, DEAN, Dok2, Gaeko, G-Dragon, GIRIBOY, GRAY, HyunA, Jay Park, Kim Hae-sol "Zion.T", Lee Chaelin "CL", Lee Seon-woong "Tablo", LOCO, Personagens Originais, SeungRi, Simon Dominic, Verbal Jint, Zico
Tags Beenzino, Bewhy, Bobby, C Jamm, Cris, Dean, Dok2, Elo, Epik High, Giriboy, Gray, Hyuna, Jay Park, Kush, Loco, Seungry, Simon D, The Quiett, Ugly Duck, Verbal Jint, Zico, Ziont
Visualizações 337
Palavras 1.104
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Hentai, Mistério, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá olá honeys
Amém o ENEM passou, deixou lágrimas mas fazer oq né... kkkkkkk
Então pessoal, hoje temos mais um pedido que dessa vez foi feito pela Lettysilvaa e pela Moloko.
Muito feliz por ser um imagine do Quiettinho !!!
Espero que gostem 💕💕

Capítulo 66 - The Quiett - Opposites


Fanfic / Fanfiction K-HipHop Imagines - Capítulo 66 - The Quiett - Opposites

A febre do bebê estava correndo fortemente dentro de você. Sempre que você saia e via um bebê com sua mãe ou pai, você tinha que parar e brincar com a pequenina coisa fofa, chamando-a de todos os tipos de nomes doces e dizendo aos pais como eram sortudos. Estava chegando ao ponto de você estar entrando em lojas de bebês e comprando sapatos, roupas e até mesmo pensando sobre o nome da criança que você esperava ter um dia.

Mas então tinha Dong-Gab, que estava no extremo oposto do seu plano para o futuro. Ele não tinha vontade de ter filhos. Não era que ele não gostava de crianças, na verdade ele não queria ter os deveres de ser pai. Ele era o tipo de pessoa que, além de você, se preocupava apenas com o trabalho, tratando isso como se fosse seu bebê. Você o respeitava por sua dedicação ao trabalho, mas também esperava que um dia ele mudasse de ideia sobre ter um filho.

E hoje não era esse dia. 

Você estava prestes a guardar o cesto cheio de roupas de bebê que você comprava, seu segredo sujo, quando Dong-Gab chegou em casa mais cedo que o esperado. Você não tinha ouvido a porta da frente ou o som de seus passos e nem sabia que ele estava em casa até que ele perguntou: "O que diabos é isso?"

Você ofegou e se virou rapidamente, sua mão apoiada no peito, "Jesus, Dong-Gab, você me assustou!" Você exclamou, as roupas de bebê atrás de você, momentaneamente, esquecidas. Seus olhos se encontraram e levou um segundo para perceber o que ele perguntou, ao o que ele estava se referindo. No periférico da sua visão, você viu um macacão rosa com bolinhas caído do lado de fora do cesto de roupas secretas.

"Você está grávida?" Ele perguntou, a voz plana e sua expressão ilegível. Mas você conhecia esse tipo de reação e nunca era algo bom. "Seria ruim se eu estivesse?" Você não estava grávida, Dong-Gab sempre tinha cuidado quando vocês transavam, mas se você estivesse, ele ainda ficaria chateado? Ele realmente não suportava a ideia de ter um filho?

"Você está grávida ou não?" A irritação na voz dele estava se tornando mais evidente, fazendo você se irritar também.

"Não." Você pegou o macacão do chão e empurrou-o para o cesto antes de colocá-lo de volta no lugar. "Eu não estou grávida, não graças a você." Você respondeu amargamente. Normalmente, você escondia o cesto cobrindo-o com sapatos, mas não viu necessidade em tentar esconder isso agora que Dong-Gab sabia.

"Então, pra que todas essas roupas de bebê?" Dong-Gab está fervendo e isso só deixava você com mais raiva.

"Só de olhar para simples roupinhas você já se sente enjoado? Céus... Você é ridículo." Você se levantou e passou por ele, a tensão irradiando-o imensamente.

"Você não está grávida e nem está planejando engravidar, então pra que todas as roupas?" Ele estava te seguindo, agora levantando a voz. Você chegou à cozinha e começou a lavar a louça. tentando ignorar a presença de Dong-Gab.

"Porque eu quero engravidar, Dong-Gab!" Você gritou de volta, suas mãos fechadas em punho tentando controlar sua raiva. Você não o olhou enquanto continuava a gritar: "Eu quero ter um bebê, para dar um nome, cuidar e chamá-lo de meu! Não há nada de errado em querer crianças."

"Exceto pelo fato de que você precisa que eu queira também." Ele latiu, passando por você.

"Então eu vou encontrar outra pessoa." As palavras escaparam da sua boca antes que você pudesse detê-las. Todo o redor ficou em silêncio, exceto pela água corrente da pia ainda ligada. Você podia sentir Dong-Gab olhando para você, mas se recusou a olhar para trás.

"O que você disse?" AA voz dele era baixa, quase ferida, mas a raiva ainda estava lá. Você abaixou as mãos na água e começou a esfregar a louça com uma esponja, fechando a boca para não falar novamente.

"Que merda você disse?" Ele repetiu a pergunta novamente, puxando seus braços da pia e forçando-a a olhar para ele. Mas seus olhos foram para baixo e você observou como as gotas de água caiam das pontas dos seus dedos.

"Eu não preciso de você." Novamente, as palavras estavam pra fora antes que você pudesse pensar sobre o que estava dizendo, mas de certa forma, você estava grata. Era verdade, você não precisava dele. Se ele não pudesse...não, ele na verdade recusou-se a lhe dar o que você queria, então por que você ainda estava com ele? Sim, você o amava, mas você adorava a ideia de uma criança e uma família só sua.

Depois de um minuto ou mais de silêncio, você finalmente ergueu a cabeça, o encarando fixamente. Ele estava te olhando com intensidade, seus lábios pressionados em uma linha firme e seus olhos ilegíveis. Engolindo em seco, você suavemente puxou os braços para fora do alcance dele: "Você não vai me dar o que eu quero, Dong-Gab." Ele não respondeu. "Queremos vidas diferentes. Você quer ficar casado com o seu trabalho e eu quero um casamento real com crianças correndo por aí. E você não vai me dar isso."

"Então você só vai sair? Vai acabar com tudo?" A voz dele era uma mistura de dor e fúria.

"Eu não sei." Você murmurou, olhando distraidamente para as bolhas na pia, "nós já caminhamos pelo mesmo caminho, mas agora há um empecilho maior. Eu quero ir de um jeito e você quer de outra forma." Dong-Gab estava olhando para baixo, mas seu maxilar estava tenso, seus olhos assombrados.

"Talvez isso seja o melhor". Você disse, querendo acreditar que era verdade, mas ainda sem a certeza de que aquilo era realmente o certo.

"Tudo bem." Dong-Gab começou, "Por uma vez eu vou te dar o que você quer." Suas esperanças aumentam apenas por um momento, até que você viu a expressão no rosto dele, então as esperanças se derrubam ao seu redor. "Eu andarei no meu caminho, você andará no seu." Com isso, Dong-Gab se virou e voltou para o quarto. Alguns minutos depois você ouviu a porta da frente se abrindo e fechando logo em seguida, indicando que ele tinha saído.

Deslizando pelo balcão, você finalmente se sentou no chão, olhando fixamente para a parede em frente. Isso tinha que ser a melhor opção. Dong-Gab poderia fazer o que ele amava e você poderia ir em busca do seu grande sonho. Todos ganhavam. Mas você não se sentiu como uma vencedora, e sim como uma perdedora. Ficando de pé, você olhou para o próprio corpo e sorriu ao fazer um carinho na própria barriga.

É como sempre dizem: Depois da tempestade, vem a calmaria.

E você estava ansiosa pelo oque a calmaria lhe traria.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...