História Keep believing - Capítulo 31


Escrita por: ~

Postado
Categorias Marco Reus
Visualizações 62
Palavras 2.838
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Vamos saber para onde eles foram.

Capítulo 31 - Follow your heart


Fanfic / Fanfiction Keep believing - Capítulo 31 - Follow your heart

Marco pov

Eu dirigia em silêncio e cantava baixo a música que tocava apesar da Sarah me perguntar aonde eu ia a cada 5 minutos, eu só ria sem falar nada. A curiosidade dela me deixava mais animado e ver ela assim era divertido. Eu já tava chegando perto do nosso destino e então foi inevitável que ela se desse conta para onde a gente ia.

Parei no estacionamento do estádio e ela me olhava surpresa sem entender o que a gente fazia ali, naquela hora da noite e com o estádio completamente vazio.

- Vem, vamos. – falei e sai do carro enquanto ela fez o mesmo ainda sem entender direito. Ela deu a volta e caminhou do meu lado em direção a entrada geralmente usada pelos jogadores.

- O que a gente tá fazendo aqui? – ela me olhava.

- Você já vai saber, quanta curiosidade...- falei caminhando. Chegamos na porta e um dos seguranças me cumprimentou e me deixou entrar, Sarah vinha atrás de mim, entramos e estava tudo escuro e vazio. Antes de continuar o caminho parei e ela ficou me olhando.

- Tem algum evento aqui hoje? – ela falou.

- Não. Vou te levar para uma visita guiada, exclusiva com  a estrela do time. – falei.

- E desde quando podemos fazer isso?

- Relaxa, eu pedi permissão. Tudo sobre controle. – falei já voltando a caminhar passando pelas áreas onde ficavam as entradas para as arquibancadas.

- Olha lá o que você vai fazer..não quero problemas hein Reus... – ela riu e me seguiu.

- Bom aqui como você já deve ter visto são as entradas para as arquibancadas para os setores do meio.- falei enquanto ia apontando os locais. Andamos e depois de um tempo cheguei a entrada de onde eu queria. Saí bem no alto na última fileira onde ficava a torcida organizada, a muralha amarela, andamos e paramos bem no meio da fileira de onde tínhamos a vista de todo campo.

- Aqui é área da torcida. – falei e ela olhava para o campo de lá de cima.

- Nossa a vista daqui é demais...não achei que fosse tão alto...- caminhamos pela arquibancada vazia até uma outra entrada do estádio novamente.

- Vem. – falei andando mais rápido e ela veio atrás de mim. Passamos por outras áreas das arquibancadas até subir tudo e chegar na área vip do estádio. Abri a porta e entramos.

- Aqui é área vip, tem umas mesas e lugar para comer. – falei apontando ao meu redor enquanto ela olhava. Abri a porta e saímos nas cadeiras da área vip.

- Aqui são as cadeiras da área vip. – falei e ela olhava ao redor. Entrei de novo e levei ela para conhecer as outras áreas.

- Aqui são as salas da diretoria e a gente não pode entrar. Não tem nada de interessante também, só mesas e escritório...- falei e continuei andando.

- Eu não sabia que tinha tanta coisa aqui...

- Ainda não viu a melhor parte. – falei e chegamos na área dos jogadores.

- Aqui  é por onde entramos nos dias de jogo, aqui é..., os chuveiros. – falei e passei para a próxima porta.

- Aqui é o vestiário do visitante. – abri a porta e acendi a luz, mas não tinha nada de muito diferente por ali.

- Aqui é área da equipe médica, aqui a equipe técnica. – passamos por mais algumas salas.

- Aqui, é o nosso vestiário. – falei parado na frente da porta. Abri e entramos, eu fui caminhando até o lugar onde ficava meu uniforme geralmente.

- E esse aqui é o meu lugar. – falei  e ela se aproximou olhando tudo por ali.

- É aqui que ficam suas coisas? – ela se sentou no meu lugar e riu.

- Uhum. – ela deu a volta pelo local observando tudo e saímos de novo. Peguei uma bola que eu achei por ali e levei comigo.

- Agora vem, vamos descer. – Chegamos ao final do corredor que dava nas escadas, parei na escada e olhei para ela que ainda observava todo o lugar.

- Vem logo! – falei

- Aqui eu conheço, vocês sempre passam aqui quando o jogo vai começar, essas escadas vão dar em um corredor amarelo, não vão? – ela falou e eu sorri, ela sabia exatamente o caminho, ela se lembrava.

- É isso ai. Tá sabendo bem já. – eu ri e descemos as escadas saindo no corredor. Andamos pelo corredor amarelo com símbolo do time e já dava para ver uma luz não muito forte a frente.

- Eu sempre vejo vocês andarem aqui, espera, vamos sair no campo? – ela falou.

- Yepp. – falei e então saímos no campo que estava iluminado com pouca luz mas suficiente para gente andar por ali. Caminhamos até o meio e paramos, Sarah olhava tudo ao redor.

- A vista daqui é demais, imagina quando esta cheio...

- É incrivel, mas já me acostumei, agora vem...- falei e caminhamos até parar na frente da arquibancada da torcida. Ela ficou ao meu lado, nos dois olhávamos para aquele lugar agora vazio.

- Como foi? – ela falou.

- Foi o que? – olhei para ela.

- A primeira vez que ficou diante de todas essas pessoas?

- Foi indescritível, sei lá, era um sonho se realizando.Eu estava acostumado a ter a visão das arquibancadas para o campo, quando eu era pequeno e vinha assistir aos jogos e de repente agora eu tinha a visão oposta, eu estava aqui diante de todo mundo. Foi inexplicável, mas depois eu me acostumei com tudo isso. – ao mesmo tempo que eu contava para ela como foi, várias lembranças vinham na minha mente.

- Eu acho que eu posso imaginar... – ela sorriu e me olhou.

- Mas agora vem. Eu falei que ia te ensinar a jogar futebol uma vez lembra? Então chegou o dia! – falei e andei até um dos gols.

- Tem certeza?? Não sei se eu levo muito jeito, mas eu aceito o desafio. – ela falou parada ao meu lado.

- Tá, então vou te ensinar como eu faço para cobrança de falta.

- Você é bom nisso ne?

- Fiz alguns gols assim. Depende um pouco da posição, as vezes o lugar é perfeito outras nem tanto. Mas você tem que saber chutar. – coloquei a bola no chão em uma posição boa para chutar e comecei a explicar tudo o que fazer para ela.

- Chuta com a parte de dentro do pé, nessa parte aqui. – falei mostrando o lugar no meu pé enquanto ela prestava atenção.

- Aqui? E depois?

- Aqui vai sem barreira, mas na verdade tem. Você faz a bola fazer curva e mira para onde quer que ela va entendeu?  Vou para o gol.– falei e ela fez que sim, fui andando até o gol, eu sabia que isso ia ser engraçado por que a Sarah era sempre meio desajeitada para essa coisas.

- VAI! – gritei e vi ela se posicionar, correu e chutou certo até, mas sem muita força. Parei a bola com o pé fácil e chutei de volta para ela.

- Vai mais forte! – falei e chutei a bola de volta pra ela. Ela repetiu tudo e dessa vez até que saiu um pouco melhor para quem não sabia nada. Fui chutando a bola até ela e me posicionei no lugar dela.

- Agora vai você lá. – falei e ela me olhou surpresa.

- Ah tah...pode esquecer, você vai chutar a bola na minha cara, você chuta mais forte que eu...- ela falou sem sair do lugar.

- Vai lá, não vou chutar em cima de você. Vou chutar no canto esquerdo, fica vendo. – falei e ela foi caminhando até o gol e ficou lá se protegendo com as mãos. Eu ri com o medo que ela estava, mas eu não ia acertar ela eu não faria isso. Me posicionei e chutei, a bola que fez a curva e foi exatamente no canto esquerdo, não passou nem perto dela.

- Como que você fez isso??? Por que eu não consegui?? – ela falava enquanto foi buscar a bola no fundo do gol.

- Por que eu sou o melhor...fazer o que? – falei convencido, me achando um pouco. Ela se aproximou de mim e agora tentei ensinar alguns truques para ela, mas ela não tinha muita habilidade mesmo...

- Olhando você fazer parece tão fácil...mas eu não consigo equilibrar desse jeito...- ela falava.

- Mas não é tão difícil...olha é só segurar a bola assim com o pé e... – falei.

- E...puff, caiu de novo...- comecei a rir da falta de habilidade dela.

- Tá então agora vamos tentar outra coisa, vou te ensinar como fazer um lançamento e depois paramos ok?

- Não estou cansada, não tenho habilidade nenhuma mas gostei disso. – comecei a explicar o modo como chutar para fazer um lançamento.

- Você chuta com a parte interna do pé por que a ideia é a bola passar por cima do adversário e chegar em alguém distante de você. Faz assim..- falei e mostrei como se posicionar e como chutar.

- Entendi. – ela falou e agora eu fui andando até o outro lado do campo a uma certa distancia.

- VAI, CHUTA! – gritei e ela se posicionou para chutar, chutou e a bola até chegou até em mim, mas ela não tinha tanta força. Chutei de volta para ela e ela conseguiu parar com o pé.

-  DE NOVO, CHUTA COM MAIS FORÇA! – falei e dessa vez ela se posicionou e tomou mais distancia, ela correu e eu achei que desssa vez vinha com força, mas quando ela foi chutar ela errou a bola e não chutou nada e ainda caiu sentada. Não consegui segurar a minha vontade de rir com aquela cena, comecei a  rir muito, ri tanto que sentei no chão quase fiquei sem ar.

-  Eu FALEI QUE EU ERA UM DESASTRE...- ela gritou e eu ainda ria sem conseguir responder nada.

Sarah pov

Comecei a rir também de ouvir o modo com Marco ria, eu não tinha nem força para levantar do chão eu não sabia se ria do que eu fiz ou se ria da risada escandalosa dele...Vi que ele se levantou ainda rindo e vinha na minha direção.

- Tá tudo bem? – ele começou a rir de novo e eu não entendia nada do que ele falava ao mesmo tempo que ria.

- Tá sim. – falei ainda sentada no chão parei de rir um pouco.

- Acho que finalmente descobri alguma coisa que você não é boa...- ele falou e estendeu a mão  para mim, me ajudando a levantar. Fui andando ao lado dele enquanto ele caminhava e chutava a bola ao mesmo tempo. Chegamos nos bancos de reserva e sentamos ali.

- É você tem zero em habilidades para esportes mesmo. – ele falou sentado ao meu lado brincando com a bola nos pés enquanto a gente olhava para o campo.

- Não mesmo, nem tênis, nem futebol...

- Ainda bem, né? Você já tem talento para música, dança, sabe não sei quantas linguas e sei lá mais o que, não dava para ser perfeita...

- Não mesmo...nasci sem talento para esportes...- falei.

- É, espero que nossos filhos não herdem isso de você...- ouvi ele falar distraído.

- Filhos?? – falei surpresa e ele começou a tossir.

- É, quem sabe? Daqui a bastante tempo, sei lá. – ele tentava consertar o que falou e mudou de assunto rápido. Eu ri com ele tentando consertas as coisas.

- Você lembra de um jogo contra o Schalke da comemoração que fizemos? – ele falava olhando para o campo, parecia que lembranças vinham a sua mente.

- Acho que lembro, você usou uma mascara e o Auba tava de batman? – falei e ele riu.

- Isso mesmo. Lembro de tanta coisa aqui, tanta coisa boa ou até mesmo ruim que passamos aqui. – ele falava.

- Deve ter muita lembrança mesmo...- Marco começou a contar coisas engraçadas que se lembrava e outras nem tanto, mas que faziam parte de sua vida. Fiquei ouvindo e nem senti o tempo passar, ventava um pouco e a noite estava um pouco fria mas eu estava gostando de ficar ali com ele.

- Espero poder vir mais vezes, sinto muito não ter vindo tanto quanto gostaria.- falei.

- Eu entendo, mas quem sabe agora as coisas não ficam mais fáceis? – ele falou e dessa vez olhou para mim. Ele estendeu sua mão esquerda com a palma para cima. E então eu coloquei a minha mão  direita sobre a sua mão, ele fechou entralançando nossas mãos e olhou para o campo de novo e eu ouvi ele dizer algo em voz baixa.

- Ich will mein Leben mit dir gemeinsam verbringen...(Eu quero dividir minha vida com você) – sorri ao ouvir o que ele tinha dito, ele parecia um pouco envergonhado por isso falou baixo.

- Ich will auch, du machst mich glücklich ( Eu também quero, você me faz feliz.) – falei encostando minha cabeça em seu ombro.

- Sar? – Marco falou ainda com a voz baixa.

- Hum?? – respondi sem olhar para ele eu ainda estava deitada no seu ombro e então ouvi ele falar, mudando do inglês para o alemão de novo.

-  Willst du mich heiraten? (Você quer casar comigo?) – ouvi ele falar e fiquei sem reação por um momento, meu coração acelerou, eu estava ouvindo isso mesmo? Ele pegou uma caixinha e pos na minha mão.Peguei surpresa e olhei para ele que dessa vez estava sério. Abri e vi um anel, era isso mesmo, eu tinha entendido certo, eu não conseguia conter o sorriso que vinha no meu rosto, abrecei ele que sorriu.

- Sim, eu quero! – falei, passei meus braços em torno do seu pescoço e beijei ele que segurou minha cintura. Ele sorria também assim como eu acho que não tinha como explicar o que eu sentia. Paramos o beijo e ele pegou o anel para colocar no meu dedo.

- Gostou? – ele falou enquanto colocava na minha mão direita.

- Amei, eu não sei o que falar. Obrigada.

- De nada. – ele sorriu.

- Mas por que pos na minha mão  direita?? – falei.

- Anel de casamento usamos na mão  direita aqui na Alemanha. – ele me explicava.

- Entendi. Gostei de tudo hoje. – falei e me sentei sobre ele que ainda estava sentado no banco, fiquei de frente para ele.

- Ah é? Gostou do passei e de como ele terminou? – ele falou enquanto eu intercalava entre deixar ele falar e beijá-lo.

- Uhum. De tudo. – beijei de novo.

- Eu não sabia o que fazer, não sou muito bom para essas coisas...

- Eu amei, mas então foi por isso que a Mia falou que eu era sua noiva?? – falei me lembrando.

- Ela te falou isso?

- Falou, eu falei que era sua namorada, mas ela insistia que eu era sua noiva...

- Aquela menina é esperta demais...ela deve ter ouvido minha conversa com meus pais em casa...- Marco riu.

- Mais esperta que eu e você juntos...- eu ri, me aproximei e olhei em seus olhos, sorri e comecei um beijo de novo lentamente, minhas mãos tocavam seu rosto enquanto eu sentia as mãos deles acariciar minhas costas. Ficamos assim por um bom tempo, na verdade perdi a noção do tempo. Quando paramos, sai do colo dele e nos levantamos.

- Melhor ir agora, nem sei que horas são... – Marco falou procurando o celular no bolso.

- Deve ser tarde já...- falei e ele viu que era quase uma da manhã.

- Vamos? – ele falou e estedeu a mão para mim. Dei a mão  para ele e caminhamos para a saída do estádio, aquele lugar nunca mais ia sair da minha memória...Marco balançava nossa mãos de um lado para o outro enquanto eu andava ao seu lado até chegarmos no carro. Entramos e logo chegamos na casa dele. Já pronta para dormir, puxei o edredom e deitei esperando ele vir. Meus pensamentos estavam longe lembrando de tudo que tinha acontecido em tão pouco tempo quando ouvi a voz dele ao meu lado.

- Oi? – falei.

- To falando com você, mas parece que não tá ouvindo, em que mundo você tá? – ele riu enquanto se cobria.

- Seus pais já sabem? – falei me aproximando dele e deitando sobre seu peito, ele passou o braço pelo meu ombro.

- Já sim. Por isso amanha vamos almoçar com eles.

- Por isso que me perguntou se eu ia ficar aqui até domingo?? Você já tinha planejado tudoo??? – falei olhando para ele e vi que ele segurava o riso.

- Já sim. – ele acariciava meu ombro. Então eu me levantei e deitei sobre ele, olhando em seus olhos e começando um beijo, mas ele inverteu as posições e continuou o beijo que se intensificava até estarmos prontos... Olhei para ele e passei minha mão  pelo seu rosto entre um beijo e outro.

- Meine Liebe wächst von Tag zu Tag...( Meu amor aumenta a cada dia...)- falei e ele sorriu e se aproximou falando baixo no meu ouvido:

- Ich liebe dich...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...