História Kings Asphalt - Capítulo 104


Escrita por: ~

Postado
Categorias Teen Wolf
Personagens Cora Hale, Derek Hale, Isaac Lahey, Liam Dunbar, Lydia Martin, Mieczyslaw “Stiles” Stilinski, Scott McCall
Tags Laiden, Scisaac, Sterek, Stiam
Visualizações 44
Palavras 2.871
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Escolar, Fantasia, Ficção, Mistério, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Pansexualidade, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Nova temporada
Novos personagens
Novos mistérios

Olá pessoas. Espero que gostem dessa nova temporada que estou escrevendo com todo amor para vocês.
Não esqueçam de favoritar a fic e de comentar. Os comentários são importantes.

Beijos

PS: Esses na capa são alguns novos personagens, são respectivamente filhos de Lydia e Parrish (Andréia e Alex), Kira e Théo (Thomas); Allison e Finn (Matt e Elias)

Capítulo 104 - Tell It Like It Is (Temporada 2)


Fanfic / Fanfiction Kings Asphalt - Capítulo 104 - Tell It Like It Is (Temporada 2)

Lydia está sentada na sua cadeira observando Ivan, Ben, Valentina, Raquel, Thomas, Andréa, Elias e Matt. A ruiva suspira pesadamente e encara Thomas que está um pouco isolado dos demais.

— Você partiu para a agressão primeiro Thomas. Diz Lydia. — Você está suspenso por hoje e só volte aqui amanhã com seus pais. Vou ligar para eles avisando sobre seu comportamento. Pode se retirar da minha sala.

Thomas sai da sala da diretoria. Andréa revira os olhos e encara a mãe. Matt e Elias se olham. Lydia suspira pesadamente e olha para Ivan e Ben. Ivan está com marcas no rosto e Ben está com uma cara de dor nas costas.

— Andréa... Liga para o Parrish e peça para ele preparar meu funeral.

Andréa arregala os olhos.

— Porque mãe?

— Liam vai me matar. Diz Lydia olhando para Ivan e Ben. — Ele foi bem categórico sobre os filhos dele. E no primeiro dia de aula já tem briga com dois dos três.

— Que drama tia Lydia. Diz Elias.

— Drama nada pirralho. Diz Raquel que aproxima de Lydia. — Você não pode contar em hipótese alguma sobre o que aconteceu com o Ivan e o Ben. Se meu pai sonhar o que aconteceu hoje na escola é aula em casa pelo resto de nossas vidas. Eu não aguento mais ficar trancafiada naquela casa.

— Acho que seu pai vai notar algo estranho com a cara de um irmão seu machucado e as costas do outro machucada.

— Eu resolvo o problema do rosto do Ivan.

— Como Raquel? Indagou Lydia.

— Maquiagem. Diz Raquel. — Vou maquiar tão perfeito que ele vai parecer ter o mesmo rosto lindo que sempre teve.

— Eu não vou passar maquiagem. Diz Ivan.

— Eu concordo com ele. Diz Ben. — Ele não precisa de maquiagem.

Raquel olha furiosa para os dois.

— Porque não contar a verdade? Indagou Valentina. — Eu assumo se quiser que a culpa foi minha. A escola não é o lugar que eu quero ficar. E se meus pais quiserem contratar um tutor, que seja. Eu só quero me afastar desse lugar.

— Porque Valentina?

— Porque a cada batida de armário. Diz Valentina que suspira e sente as lágrimas. — A cada passo que se aproxima de mim. A cada risada que eu escuto eu penso que é o Max. Eu fico procurando ele por todas as partes e dói ao lembrar da dura verdade.

Raquel aproxima de Lydia e olha para os irmãos que estão sentados.

— Não vou repetir. Ivan você vai passar maquiagem e Benjamim, vou te dar uma caixa de analgésicos para você parar de sentir essa dor. Assim salvamos a vida da nossa diretora, poupamos ficar preso dentro de casa e podemos assim os três ter uma vida normal fora dos muros da mansão Stilinski Johnson.

Ivan e Ben se olham e acabam cedendo. Raquel e Valentina limpam o rosto de Ivan e logo elas começam a maquiar. Lydia abre a gaveta de sua sala e tira dois analgésicos dando para Ben que toma. Matt, Elias e Andréa estão no canto observando eles. Alex dá duas batidas na porta da sala. Lydia aproxima da porta.

— Oi filho.

— Mãe. Alex olha Lydia. — O Matteo está aqui.

Valentina e Raquel terminam de maquiar Ivan. Matteo aproxima de Alex. O garoto sai correndo pelo corredor. Lydia vai entrando com Matteo em sua sala. Os netos de Matteo se assustam ao ver o avô.

— Que bom que todos estão aqui. Diz Matteo.

— Aconteceu alguma coisa Matteo? Indagou Lydia.

— Encontraram um dos meninos. Diz Matteo.

Valentina sorri. Ivan, Raquel e Ben abrem um sorriso. Os primos se olham animados. Matteo sorri emocionado. Lydia encara o advogado patriarca da família Johnson.

— Qual deles? Indagou Lydia.

— Não sabemos. Diz Matteo. — Vim buscar meus netos mais cedo. Stiles, foi até o local junto com Derek, Garret, Isaac e Scott.

— Entendo... Lydia sorri. — Graças a Deus encontraram um. Vamos torcer para o outro aparecer logo.

— Sim. Matteo sorri e olha para Ivan e Ben sentados. — O que eles fazem aqui? E porque o rosto do Ivan está lotado de maquiagem?

— Não dá para perceber. Diz Raquel.

— Vai por mim, Raquel. O rosto do seu irmão está lotado de maquiagem. Igual quando você e a Valentina vão em festas de família. Matteo suspira. — O que ta acontecendo aqui?

— Só te falamos se você prometer ficar calado sobre o assunto com nossos pais. Diz Raquel.

Matteo olha para Lydia. A ruiva revira os olhos e aproxima de Andréia a abraçando de lado. Matteo assente. Raquel conta a verdade e Matteo fica boquiaberto. Lydia diz que a enfermeira da escola examinou os meninos e diz que eles estão bem. Matteo aceita ficar calado sobre o assunto. Ele e os netos saem da sala de Lydia e vão embora. Matt, Elias e Andréa voltam para suas salas de aula.

 

CENTRAL/ UTAH

HOSPITAL CENTRAL DE UTAH

Stiles conversa na recepção junto com o delegado local. Garret, Derek, Scott e Isaac estão sentados um pouco aflitos na sala de espera. Isaac levanta e aproxima do bebedouro. Ele toma um pouco de água. Stiles e o delegado vão aproximando dos pais na sala de espera.

— Cadê ele Stiles? Indagou Scott.

— Ele chegou bastante assustado aqui no hospital. Diz Stiles. — O delegado informou que ele foi encontrado sangrando dentro de um carro.

— Sangrando? Indagou Garret aflito.

— Foi Lino ou o Max? Indagou Derek.

— Ele não quis falar o nome. Diz o delegado local. — Ele está bastante assustado com tudo o que aconteceu. Ele só sabia falar 1614.

— 1614? Indagou Isaac confuso. — Que número é esse?

— Não sabemos. Diz o delegado local. — O homem que trouxe a criança desaparecida está sendo interrogado na sala da direção por um de meus homens. Ele não sabe como esse garoto entrou no carro dele. E muito menos não sabe de onde ele saiu.

— Quando vamos poder ver ele? Indagou Scott.

— Assim que o médico terminar de fazer os curativos. Diz Stiles. — Parece que fizeram todos os exames e ele está bem. Apenas com cortes pelo corpo.

A enfermeira aproxima chamando o delegado local. Eles se afastam e Stiles vai atrás deles. Stiles e o delegado entram na enfermaria. Lino levanta a cabeça e sorri ao ver Stiles ali. O Stilinski sente a lágrima emocionado. Ele aproxima de Lino.

— Tio Stiles. Diz Lino sorrindo. — Eu estou salvo?

— Sim. Diz Stiles sorrindo. — Você está salvo Lino.

Lino abraça Stiles. O polaco se emociona com o abraço do sobrinho. Lino e Stiles saem do abraço. O polaco beija a testa do sobrinho e dá as mãos para ele.

Isaac, Garret, Scott e Derek estão sentados bastante aflitos. Os quatro olham para o corredor do hospital que dá direto na porta da enfermaria. O relógio soa cada tic-tac com certa lerdeza pelos segundos. Scott e Isaac deram as mãos. A porta da enfermaria foi aberta. Scott, Isaac, Garret e Derek olharam aflitos para a porta. Stiles é o primeiro a sair, em seguida sai Lino. Garret e Derek emocionados olham para o filho. Eles levantam e correm até o menino. Lino corre até os pais e os abraçam juntos. Derek e Garret choram de felicidade pela presença de seu filho ali. Scott e Isaac se olham tristes. Eles se abraçam. Derek segura o rosto de seu filho.

— Finalmente você está conosco. Diz Derek emocionado. — Sentimos tanto a sua falta meu filho.

— Meu bebezinho. Diz Garret. — Te amamos muito Lino.

Scott e Isaac aproximam dos três. Stiles aproxima de Isaac e Scott. O delegado local vai saindo. A porta do elevador abre e sai um policial carregando um homem preso. Lino para diante do homem e o abraça.

— Larga ele. Diz Lino encarando o policial. — Ele salvou a minha vida.

— Do que você está falando Lino? Indagou Stiles.

— Quando consegui fugir do local onde Max e eu estávamos presos. Eu vi a porta do carro desse homem aberta e entrei. Ele e uma mulher colocavam coisas dentro do carro. Me escondi para o bandido não me encontrar. Lino olha para os pais e para os tios. — Eu comecei a tremer por causa do sangue que eu perdi. Eu contei que tinha sido sequestrado e ele me trouxe ao hospital.

Derek olha para o policial.

— Larga esse homem agora. Diz Derek encarando o policial.

O policial olha para o delegado local que libera que ele tire a algema. O cara olha para o policial e para o delegado. Lino solta o cara e estica a mão.

— Muito obrigado por me trazer até aqui. Diz Lino. — Desculpe ter feito você desviar da sua viagem e ter sujado seu carro com o meu sangue.

— O importante é que você está bem. Diz o homem que sorri. — Tenho um filho quase da sua idade. Só fiz o que qualquer pai teria feito.

— Muito obrigado mesmo assim. Diz Lino.

— De nada... Agora que você está com sua família. Fique com eles.

— Pode deixar. Não vou largar deles nem um minuto. Diz Lino.

— Lino. Diz Stiles. — Quando você chegou ao hospital só falava um número. 1614. De onde é esse número?

Lino fica pensativo. Ele arregala os olhos assustado e olha para o tio.

— É o número da casa de onde saí correndo. Lino suspira pesadamente. — O Max ainda está lá. Estávamos presos em um porão todo tampado para parecer como se fosse um bunker. Assim que consegui sair, tentei tirar Max, mas o cara estranho pegou o Max. Sai correndo para pedir ajuda e vi esse número na caixa de correio. Acho que corri em duas ruas até entrar no carro e me esconder.

Stiles e o delegado conversam com o homem ajudou Lino pegando o endereço. Stiles diz que Derek, Garret, Lino, Isaac e Scott precisam voltar para Beacon Hills. O polaco e o delegado saem correndo. Lino olha para os pais e recebe o abraço e carinho dos dois.

 

BEACON HILLS/ CALIFORNIA

Matteo vai entrando com seu carro e parando na porta da garagem de sua mansão. Ele desliga o carro e saí junto com os netos. Ben e Ivan fazem cara de dor ao se espreguiçarem. Raquel aproxima dos irmãos. Matteo entra em casa. Valentina aproxima dos primos.

— Parem com essa cara de dor se não o tio Liam vai suspeitar de alguma coisa. Diz Valentina olhando Ivan e Ben. — Mesmo a culpa não sendo suas eu não quero que vocês me abandonem naquela escola sozinha com aqueles trogloditas.

— Meu pai não vai saber de nada. Diz Ben. — Eu preciso tomar um analgésico.

— Você precisa ir no médico isso sim. Diz Valentina. — Você bateu com as costas nos armários. Deve ter inflamado alguma coisa aí.

— Não inventa Valentina. Diz Raquel. — Meu pai não pode sonhar com o que aconteceu.

— Deixa comigo. Diz Valentina olhando para eles. — Eu vou trazer o médico até você.

Valentina pega o celular e disca rapidamente. Raquel, Ivan e Ben se olham. Valentina pega uma mexa de seu cabelo e fica enrolando em seu dedo.

 

VALENTINA: Tio Finn!

FINN: Oi Valentina. Como vai?

VALENTINA: Ainda triste. Só que parece que encontraram um dos meninos mas não sabem dizer qual deles que foi encontrado.

FINN: A sua tia comentou comigo. Ainda bem que pelo menos um foi encontrado. Mas qual o motivo da sua ligação? Conheço bem a minha sobrinha para saber que ela quer ajuda em algo.

VALENTINA: Aconteceu um probleminha na escola hoje. Mas não podemos contar para muitas pessoas. Somente meu avô Matteo, a Lydia, você e seus filhos vão saber.

FINN: Vou ficar encrencado?

VALENTINA: Só se você contar para meu tio Liam.

FINN: Qual dos três?

VALENTINA: Dois pra ser exato.

FINN: Puta que pariu! O que eles fizeram?

VALENTINA: Pode vir até a mansão e dar olhada neles? A enfermeira da escola já olhou, mas aquela mulher é uma incompetente. Mal sabe colocar um curativo direito.

FINN: Cinco minutos e chego aí.

VALENTINA: Muito obrigada tio Finn.

FINN: De nada. Até daqui a pouco.

 

Finn e Valentina desligam os celulares. Valentina sorri e olha para os trigêmeos. A garota das as costas e vai entrando na mansão de seu avô. Ivan, Raquel e Ben vão entrando logo em seguida.

 

CENTRAL/ UTAH

O carro do delegado para na porta da casa 1614. Stiles e o delegado descem do carro. Outras viaturas param atrás. Os policias vão saindo todos armados. Stiles levanta a arma e caminha até a porta. Ele toca a campainha e nada. Um vento bate na porta. A porta é aberta. A vizinha corre até a porta.

— Eles saíram correndo a uma hora. Diz a mulher. — Eles nem trancaram a casa.

— Quem saiu dessa casa? Indagou Stiles.

— Um casal. Eles carregavam um tapete enorme. Colocaram atrás do carro e saíram correndo sem despedir deixando tudo aberto. Diz a mulher. — O que aconteceu aqui?

Stiles faz sinal para a polícia entrar. A polícia entra na casa. Eles vão entrando em todos os cantos. O policial entra no subsolo e assusta ao ver tudo aquilo. A camisa de Max está ali suja de sangue. O policial pega a camisa com cuidado e vai saindo do local. Ele aproxima de Stiles e entrega a blusa.

— Isolem a área. Diz Stiles. — Quero conversar com todos da vizinhança. Preciso saber que sequestrou meu sobrinho. Stiles olha em volta e grita. — AGORA!

Os policiais saem correndo. Stiles olha em volta e entra na casa.

 

BEACON HILLS

Finn termina de examinar Ben e Ivan. Os dois são medicados. Finn e os meninos descem do segundo andar da mansão até o primeiro. Allison, Matt e Elias estão ali com Valentina, Raquel e Matteo. John entra pela porta correndo e olha para Matteo.

— Isaac me ligou. Diz John. — Eles acabaram de chegar em Beacon Hills. Eles estão vindo direto para cá.

Valentina abre um sorriso de felicidade. Matteo abraça a neta de lado. John aproxima de Ben e Ivan e os abraça. Liam para o carro na porta da mansão do pai. Ele sai do carro e entra em casa. Raquel corre até o pai e o abraça pela cintura. Liam sorri e enche a testa da filha de beijos.

— Que abraço gostoso filha. Liam beija a bochecha de Raquel. — Como foi seu primeiro dia de aula?

— Foi muito bom papai. Raquel beija a bochecha de Liam. — Eu e meus irmãos adoramos. Não foi meninos?

Liam olha para Ivan e Ben abraçados com John.

— Adoramos sim pai. Diz Ben sorrindo.

— Foi um soco no estomago de divertido. Diz Ivan sorrindo.

— Que bom. Diz Liam sorrindo. — Estão de castigo os três por mentirem pra mim.

Todos olham para Liam. O garoto de olhos azuis sorri encarando os filhos. Valentina, Finn, Allison, Matt, Elias, Matteo e John junto com Ivan, Ben e Raquel olham para Liam.

— Acha que eu não conheço meus filhos? Indagou Liam. — Conheço os três com a palma da minha mão. E eles mentiram pra mim. Vocês dois entraram em uma briga. Sua irmã foi cúmplice.

— Foi tudo minha culpa tio Liam. Diz Valentina olhando Liam. — Ivan apanhou primeiro porque o idiota do meu ex achou que ele e eu estávamos tendo um caso. Ben só quis ajudar o irmão e partiu para cima dele. Como sabíamos que você é rígido com os três tentamos evitar sobre o assunto do que aconteceu. Eu sinto muito.

— Tudo bem Valentina. Diz Liam que sorri. — Obrigado por ser verdadeira. Por me falar a verdade mesmo tentando esconder. Liam olha para Ivan. — Vai lavar esse seu rosto porque essa maquiagem está reluzindo aqui.

— Ok pai.

Ivan vai em direção ao banheiro. Liam aproxima do sofá e senta encarando Raquel e Ben que estão um do lado do outro. O garoto de olhos azuis abre um sorriso.

— Como você descobriu? Indagou Raquel.

— Lydia, meu pai e Finn. Diz Liam sorrindo. — Todos os cúmplices seus me ligaram informando do ocorrido. Eu só queria ver a cara de vocês quando soubessem que eu sabia de tudo.

Raquel e Ben se olham.

— Vai nos mandar ter aula em casa de novo pai? Indagou Ben.

— Não filho. Diz Liam. — Vocês vão continuar indo a escola. Mas eu só quero saber da verdade a partir de hoje saindo da boca de vocês três.

— Ok pai.

Ivan volta com o rosto limpo. Já é visto um pouco de rouxidão em volta do olho dele. Liam assusta ao ver a rouxidão. Ivan aproxima de onde o pai está sentado e senta-se ao lado dele. O garoto deita a cabeça no ombro do pai. Liam sorri e faz carinho no filho. O barulho de carro parando do lado de fora. Todos olham apreensivos para a porta. Valentina levanta com um enorme sorriso. Matteo levanta ficando atrás da neta. Isaac e Scott entram sendo acompanhados por Derek e Garret.  Liam, Allison, Ivan, Finn, Matt, Elias, Raquel, Ben e John encaram os quatro. Lino entra por último.

Allison, Liam, Matteo, Finn, Matt e Elias se emocionam. Ivan abre um enorme sorriso e seus olhos brilham ao ver o primo. Raquel e Ben sorriem ao ver Lino. Valentina olha para os pais. A dor no seu coração é grande. Valentina começa a chorar. Lino corre até Matteo e o abraça.

— Vovô! Exclamou Lino recebendo o abraço de Matteo.

— Meu neto querido. Diz Matteo abraçando e depositando um beijo sobre a testa do neto.

Valentina aproxima de Lino e Matteo.

— Cadê o Max? Indagou Valentina.


Notas Finais


OMG!³²¹

E aí? O que acharam desse capítulo?

Beijos

PS: Peço desculpas pelos erros de português.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...