História La Vie En Rose - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Supernatural
Tags Casdean, Destiel, Destielau, Supernatural
Visualizações 11
Palavras 683
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oie gente!!!
Sorry pelo capítulo pequeno, mas a criatividade pós ENEM tá como? Zerada.
Esses primeiros capítulos são mais de apresentação mesmo, ainda não decidi ao certo quantos capítulos a fanfic vai ter, mas não são muitos.
Enjoy XOXO

Capítulo 3 - Deux


Fanfic / Fanfiction La Vie En Rose - Capítulo 3 - Deux


     A brisa da tarde batia no rosto do moreno enquanto ele pedalava em sua bicicleta vermelha, correndo para chegar a tempo de fazer a entrega
Uma vez por semana, levava tulipas brancas para Dona Marjorie, presente de seu marido que falecera há um ano. Seu Gepetto estava doente e sabia que não iria resistir, então deixou cinco anos de tulipas brancas pagas para serem entregues toda terça-feira, exatamente às 17:45, no momento exato em que se conheceram.
     Castiel achava isso, por mais triste que fosse, adorável. Sempre se pergunta se algum dia irá conhecer alguém que faça algo assim para ele, ou se irá sentir vontade de fazer algo assim por alguém.
     -Olá, Castiel!
     -Olá, Dona Marjorie
     -Já disse que o doce rapaz que me traz presentes do meu Gepetto pode me chamar de Marjo
     -Desculpe, Marjo — passou pelo pequeno portão, a casa ficava nos limites da cidade, quase isolada, era bonita ao ver de Castiel
     -Obrigada pelas flores, pequeno Castiel
     -É sempre bom ajudar um ato de amor a se tornar realidade, Marjo
     -Fico feliz em saber que há jovens românticos ainda hoje
     -São poucos, mas ainda existimos — o moreno tinha um sorriso amarelo no rosto. Os vários livros que está sempre lendo o ensinaram a não ver problema algum em expressar como se sente, principalmente com uma senhora tão gentil.
     Se despediu com a promessa de voltar na próxima semana e correu para chegar a tempo de ajudar o pai a fechar a loja.
     Quando chegou, ouviu a risada de seus pais misturada a mais algumas ainda desconhecidas. Encostou a velha bicicleta na parede se sentindo observado. Entrou e a primeira coisa que viu foram olhos verdes como o campo mais selvagem que pode existir, tão densos quanto uma floresta. Uma pele quase ou até mais pálida que a sua própria num rosto quase angelical, com cabelos cor de palha e uma boca tão delicada que parecia ter sido desenha nos mínimos detalhes. Não que ele fosse falar isso em voz alta ou admitir para si o jeito como avaliou o outro e ainda desconhecido rapaz.
     -Castiel, que bom que chegou, mon chéri. Estão são Mary e John, nossos novos vizinhos e seus filhos Dean e Sam
     -Ravi de vous rencontrer, Castiel, eu sou Dean, acertei? — o loiro se referia ao jeito de falar francês, carregado do sotaque americano.
     -Oui, Dean. Ravi de vous rencontrer également
     -Castiel, prazer em conhecê-lo, tem algo na sua aura muito especial
     -Por que diz isso, querido? — Mary perguntava com os olhos doces para o filho mais novo
     -Só alguém com algo muito diferente e especial faria Dean falar francês — o caçula brincou, recebendo um tapa do irmão na parte de trás da cabeça
     -Muito engraçado, Sammy
     -É Sam
     Castiel assistia tudo, cumprimentou os mais velhos e olhava encantado o jeito que os irmãos se tratavam, sabia bem como era aquilo, ele mesmo tratava seus irmãos mais novos igualmente.
     Conversaram um pouco, falando de como amavam os Estados Unidos mas por problemas financeiros tiveram que se mudar para Eguisheim e tentar construir uma vida nova. John iria abrir uma mecânica na cidade vizinha, já que carros não passavam no pequeno vilarejo, Dean o ajudaria, Mary era confeiteira e o pequeno Sam ainda estava na escola.
     -Castiel pode levar vocês dois para conhecer o vilarejo qualquer dia, não pode, mon chéri?
      -Claro, Maman
      -Seria ótimo, Castiel
      -Que tal sábado?
      -Sábado vou sair com Charlie e Ross
     -Tenho certeza que nossa prima não vai se importar de te roubarmos um pouco, Cas
      -Prima? — o moreno perguntou, ainda assimilando o novo apelido.
        -Yeah, ela não contou que estávamos vindo?
     -Não. Se acha que ela não se importa, podemos sair no sábado então, não vai levar muito tempo.
     -Então está marcado. Já está tarde. Vamos, Mary? — a loira acenou, concordando com o marido — Boa noite, Chuck, Lily, foi um prazer conhecer vocês e seu primogênito, mal posso esperar para conhecer os dois mais novos
     A mais nova família de Eguishiem saiu da loja, deixando os três mais velhos da família Novak guardando o resto das coisas, fechando a pequena loja.



Notas Finais


O que acharam? Sei que ainda não está interessante, mas estou fazendo o meu melhor. Até sexta
XOXO


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...