História Laços de Sakura- Um conto SasuSaku e ItaSaku. - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Chouji Akimichi, Deidara, Fugaku Uchiha, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hanabi Hyuuga, Hizashi Hyuuga, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Jiraiya, Kakashi Hatake, Karin, Konan, Madara Uchiha, Nagato, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Orochimaru, Pain, Personagens Originais, Rock Lee, Sai, Sakura Haruno, Sasori, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Shino Aburame, Suigetsu Hozuki, TenTen Mitsashi, Tsunade Senju
Tags Drama, Faculdade, Itasaku, Naruhina, Naruto, Nejiten, Ninja, Romance, Saiino, Sasuino, Sasusaku, Shikatema
Visualizações 91
Palavras 5.381
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Científica, Luta, Orange, Poesias, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Bommmm
Os casais mais votados foram #ItaSaku e #SaiIno
Massss, eu vou deixar mais alguns capítulos as votações em aberto pra vocês decidirem melhor.
Espero que gostem do capítulo, aqui o segredo do Sora foi revelado sofjekd
Ps; o capítulo tá dramático, mas é pro bem da fanfic

Capítulo 7 - Capítulo VII- Briga e FlashBacks


Fanfic / Fanfiction Laços de Sakura- Um conto SasuSaku e ItaSaku. - Capítulo 7 - Capítulo VII- Briga e FlashBacks

— Essa é a melhor ideia de todas! Vai ser inesquecível pra ele! Ele nunca mais vai se esquecer dessa noite!- escutou Sakura falando com ar de sonhadora. Será que ela é Gaara estavam planejando algum encontro pra Sakura e algum menino? Ou será que ainda era Naruto que estava lá e estava ajudando Sakura a fazer uma surpresa “inesquecível” para Gaara essa noite? E se Sakura fosse “entregar” sua virgindade a Gaara? 

Sasuke ficou atordoado e voltou pra sala bufando. Encontrou o ruivo e os dois morenos conversando na sala. Então era Naruto com Sakura. Então só lhe restava duas opções, e não gostava de nenhuma. Teria que expulsar o ruivo dali, ou sua melhor amiga- supostamente- se declararia a ele, e isso Sasuke não queria. 

 

[....]

 

— Essa noite vai ser a melhor, Naruto! O Sasuke nunca mais vai esquecer de lavar a louça!- comemorou Sakura. 

— Você tem razão! Agora é melhor voltarmos, ou se não vão pensar outras coisas de nós!- alertou Naruto se levantando da cama de Sakura e rumando para a porta. 

— Então fique acordado essa noite e dê um jeito de manter os garotos a par de tudo, escutou?- perguntou Sakura a Naruto, que apenas assentiu com a cabeça. 

Na sala, Sasuke tentava a todo custo pensar em algo que vá fazer Gaara sair da casa. Percebeu então que seus amigos não deixariam Gaara ir embora, eles haviam gostado da presença do ruivo. Então pensou, se não poderia afastar Gaara de Sakura, teria que afastar Sakura de Gaara. Era isso! Sairia pra jantar - novamente- com Sakura, e ainda chamaria Ino. Dois coelhos numa cajadada. 

Sakura e Naruto saiam do quarto, completamente “naturais”, o loiro com a mão na cabeça, fingindo estar posando pra uma revista, e Sakura estava engatinhando. 

— O que tá pegando? Desembucha logo!- disse Neji rindo. O loiro e a rodada estavam hilários. 

— N-Nada! Por que estaríamos escondendo algo? Eu não sei de nada! Puf...- resmungou Naruto dando um tapinha no ar. 

— Tá pegando nada não, sô! A gente tá de boinhas! Só curtindo a vibe!- disse Sakura se levantando e rolando os olhos. 

— Ah é?! Certeza? Por que demoraram no quarto então?- perguntou Sai desconfiado.— Pelo menos usaram camisinha?- perguntou direto. Sakura ficou vermelha e Naruto apenas gargalhou. 

— Não, Sai. Eu tomo pílula, sexo sem camisinha é mais gostoso!- disse Sakura enquanto olhava pras unhas. Sasuke sentiu seu sangue esquentar, Sakura era ou não virgem, afinal? 

— Sua tarada!- resmungou Neji. 

— Err! Sakura, vamos jantar? Eu, você e a Ino! Que tal?- sugeriu Sasuke, dando início a seu “plano anti GaaSaku”. 

— Não, obrigada! Eu chamei o Gaara pra dormir comigo! Não posso!- Sasuke só teve mais certeza de que Sakura estava apaixonada por Gaara. 

— Vamos logo, Sakura! Deixa de viadagem! Você mesma disse que não está falando muito com a Ino! Vamos logo!- resmungou sem paciência. 

— Eu já disse que não, mas que merda! Se quiser pode ir! Também não to muito afim de ficar segurando vela!- disse Sakura com uma falsa irritação. Na verdade, estava com ciúmes. Sim, ciúmes. E triste também, está escutando o cara a quem ama falar de outra pessoa- sua melhor amiga, por sinal- na sua frente, como se não fosse nada, porque na verdade não era. Sasuke nem fazia ideia do amor que Sakura nutria por ele. 

— Sasuke tá mesmo pegando a Ino?- perguntou Sai, também triste. Ele realmente gostava de Ino. 

— Sim! E ainda faz questão de fazer isso na minha frente! Não tem nem vergonha de ficar pegando os outros na minha frente!- disse Sakura irritada. 

— Mas qual o problema? Eu sempre fiquei com as meninas na sua frente e você nunca falou nada, por que essa irritação agora?- perguntou Sasuke, confuso. 

— Porque ela é minha melhor amiga, Sasuke! Bom, pelo menos era!- disse essa ultima parte baixo, não queria que ninguém escutasse.- E eu nunca me importei, porque logo algum menino pedia pra ficar comigo, então eu não ficava sozinha! Agora sair nos três, num restaurante onde não vai ter ninguém pra me acompanhar, e eu ainda vou ter que ver você e minha melhor amiga se comerem? Não, muito obrigada, mas eu me recuso!- disse Sakura com um sorriso cínico, enquanto ia para seu quarto, deixando pra trás um Sasuke boquiaberto. 

— O que foi isso?- perguntou Sasuke, incrédulo. 

— Isso, Sasuke, foi você sendo trouxa mais uma vez! Você está sendo um babaca ela, só você que não percebe! Espero que você perceba o que está fazendo, antes que seja tarde demais!- disse Neji, suspirando pesado. 

— Vamos, Gaara, eu te levo até o quarto da Sakura!- disse Naruto virando as costas e lançando um olhar de reprovação para o Uchiha. 

— Sai, o que eu fiz de errado?- perguntou Sasuke totalmente confuso, encarando Sai, esperançoso de receber uma resposta. Sai apenas negou com a cabeça e saiu da sala. 

 

No quarto de Sakura, ela chorava no colo de Gaara, que afagava seus cabelos róseos. Estava acabada. Suas últimas semanas estavam horríveis; recebeu a notícia de que seu pai estava doente. Recebeu a notícia de sua psicóloga que estava com início de Depressão. Suas notas da faculdade estavam abaixando. Sasuke e Ino. Tudo estava fora dos trilhos. 

— Gaara...- chamou Sakura entre as lágrimas. 

— Oi Saky!- a respondeu. 

— Eu sou inútil, né? Eu não sou importante pra ninguém! Minha vida está uma merda!- disse chorosa, enquanto tapava seu rosto com as mãos. 

— Sakura, olha pra mim! Você é útil sim, todos a sua volta te amam! E se você estiver se sentindo assim por causa daquele tal de Sasuke, não fique assim! Ele quem não te merece, Rosinha!- disse Gaara olhando em seus olhos. Esmeraldas vs. Esmeraldas. 

— Gaara, lembra daquela depressão que eu estava começando a desenvolver na adolescência?- perguntou Sakura a Gaara. 

— Sei! Mas o que tem ela?- interrogou. 

— Ela voltou!- disse fechando os olhos. 

— Vamos passar por isso juntos! Igual passamos da outra vez!- disse doce, passando confiança pela voz. 

— Você é o melhor!- disse Sakura fazendo um biquinho. Esperava um selinho- assim como faixa com os outros meninos. Mas logo se lembrou de que ela é Gaara não tinham esse costume, fingiu não dar importância e se sentou na cama.

— Gaara, você acha que eu conto pros meninos sobre isso? Quer dizer, eles não sabem sobre quase nada da minha vida do Brasil, apesar de saberem muito. Você acha que eu conto?- perguntou Sakura com os olhos brilhando, por conta de algumas lágrimas que ainda inundavam seu rosto. 

— Olha Sakura. Na minha opinião, você conta. Afinal, eles também são seus amigos. São até mais que eu, afinal, eles quem cuidaram de você todo esse tempo. Não que você precise de babás. Mas você me entendeu.— disse isso, porque sabia que Sakura odiava quando “cuidavam” dela. Queria ser independente. 

— Mas eu não quero que eles sintam pena de mim!- disse Sakura. 

— Se ela são seus amigos, eles não vão ficar com pena, eles vão apenas te ajudar a superar.- disse tranquilamente. 

— Gaara, tem uma coisa que você não sabe!- disse Sakura fechando os olhos. Ela odiava tocar nesse assunto, ainda doía muito falar sobre isso. 

— O que eu não sei?- perguntou. 

— É que, sabe a minha mãe?- perguntou forçando ainda mais seus olhos a se fecharem. 

— Sei!- disse Gaara com medo das próximas palavras de Sakura. Dona Mebuki sempre fora como uma mãe para Gaara, já que a dele morreu durante seu parto e seu pai quase não era presente. 

— B-Bom, e-ela m-morreu a-no passado!- disse e se desmanchou em lágrimas. Gaara ficou chocado, mas logo recobrou a consciência e abraçou forte Sakura. Ela ainda estava abatida pelo assunto. 

— Como que ela morreu, Sakura?- perguntou tendo a plena certeza de que poderia perguntar, afinal, Sakura nunca comentava um assunto “polêmico” se não estivesse preparada para perguntas. 

— Ela se... se... se m-matou, Gaara! ELA SE MATOU!- gritou e caiu em um choro desesperado, agarrando a blusa de Gaara, como se ela lhe pudesse tirar a dor que estava sentindo. 

— Quem se matou, Sakura?- Sasuke chegou apressado. Escutou o grito na sala e veio correndo. Por um momento pensou que fosse Ino, mas logo deixou de lado, pensando que ela não teria motivos para isso. 

— Ninguém, cara!- disse Gaara tentando afastar Sasuke. 

— Sakura! Quem se matou?- perguntou Sasuke dando ênfase no “Sakura”. 

— Mas que porra, Sasuke! Vá sair com a Ino e me deixe em paz!- berrou Sakura, deixando transparecer toda a irritação em sua voz. Não consegui esconder um pouco de seu ciúmes. 

— O foco agora é você!- disse Sasuke, firme. Na verdade, seus dedos estavam coçando pra ligar pra Ino e sair com a mesma, mas um outro lado seu, queria ficar com Sakura. 

— Sasuke, ela não quer falar com você agora!- disse Gaara calmo. Entendia muito o lado de Sakura, inclusive de ele ser o primeiro a saber, afinal. Gaara era o único daquelas casa a conhecer Sra. Mebuki

, o único a conviver com Sakura em sua “época sombria”, a época em que desenvolvera depressão. A época em que estava no fundo do poço. Entendia plenamente Sakura. 

— Mas EU sou o melhor amigo dela! EU! Não você! Você chegou hoje e já vem achando que ponde manda em algo?- rosnou Sasuke. Ele estava irado. 

— Você quer saber, Sasuke? Quer saber de tudo?- perguntou Sakura com o maxilar trincado, já estava cheia dessa “possessão” de Sasuke. 

— Sakura, não....- disse Gaara compreensivo, voltando com os afagos em seu cabelo. 

— Quero!- Sakura e Sasuke estavam ambos nervosos. Provavelmente estavam fazendo coisas nas quais se arrependeriam no dia seguinte, ou até mesmo algumas horas depois. Mas nenhum estava com o controle das emoções, agiam conforme a raiva ditava. Estavam cegos. 

— Então fique sabendo, mas eu vou te contar TUDO! MINHA VIDA ESTÁ UMA MERDA! SABE POR QUE? PORQUE RECEBI A NOTÍCIA DE QUE MEU PAI ESTÁ DOENTE, MINHAS NOTAS NA FACULDADE ESTÃO CAINDO, EU ESTOU NO INÍCIO DE JMA DEPRESSÃO  E MÊS QUE VEM FAZ UM ANO QUE A MINHA MÃE SE MATOU! SATISFEITO?- berrou Sakura enquanto juntava algumas roupas. Iria passar a noite fora, não queria ter que encarar Sasuke, pelo menos não pelas próximas horas, ou dias, talvez...

— Que gritaria é essa?- chegou Neji preocupado. Escutou os gritos, ouviu cada palavra gritada por Sakura. Hoje Sasuke ouviria umas, ah se ouviria. 

— Nada! Não é nada!- disse Sasuke levantando as mãos no ar. Estava furioso.— Onde você pensa que vai?- perguntou trancando o maxilar. 

— Eu vou pra qualquer lugar, contando que seja longe de você, Sasuke!- disse Sakura terminando de pegar alguns pertences e fechá-los em sua mochila. 

— Sasuke, você já deu muito show por hoje! Sai daqui!- disse Naruto bravo. Ele via nos olhos de Sakura tristeza, mágoa e decepção, embora sua feição só apresente raiva, ela estava magoada com Sasuke, por pressiona-la. 

Assim como Nejj, havia escutado todos os gritos de Sakura, percebeu a gravidade do assunto. Também estava um pouco triste por Sakura não ter contado, mas, a maior parte de si, dizia que esse era um assunto delicado e, por mais que Sakura fosse amiga dele, de Sai, Neji e Sasuke, Gaara era quem ela conhecia há mais tempo, era aquele que conhece a família dela e sabe como aconselha-la. 

— Mas...- tentou argumentar. 

— Mas nada Sasuke!- disse Neji com a voz fria, nesse momento, a única coisa que Neji apresentava, era frieza e indiferença com as explicações de Sasuke. 

— Argh!- bufou e saiu do quarto de Sakura. 

— Onde você vai agora, Sakura?- perguntou Neji, mudando completamente seu tom de voz, de indiferente e frio, para quente e acolhedor. 

— Não sei, mas só quero ir pra bem longe dele!- disse Sakura com o tom de voz triste. A raiva já estava se esvaindo, mas a tristeza ficara. 

— Eu levo ela pra minha casa, podem ficar tranquilos!- disse Gaara pegando as apostilas de Sakura, afinal, ela ainda iria pra faculdade no dia seguinte. 

— Tudo bem! Nos vemos amanhã, Sakura?- perguntou Naruto correndo para lhe dar um abraço. Assim como Neji, seu tom de voz e expressão corporal haviam mudado quando foram falar com Sakura, Naruto agora estava com um tom brando, compassivo. 

— Sim! Amanhã nos vemos na faculdade!- disse Sakura com um sorriso mínimo, mas todos sabiam que era falso, e que a mesma não queria sorrir. Sua expressão era de pura mágoa e dor. Estava machucada internamente, e isso um simples pedido de desculpas não resolveria. 

 

[....] 

 

 

— Sasuke, o que te deu na cabeça? - perguntou Naruto, no mesmo momento em que ele e Neji invadiam o quarto do Uchiha. Sai era o único que estava alheio a tudo, ele havia ido dormir, e tinha sono pesado. 

— Não quero falar sobre isso!- disse triste. Assim como em Sakura, a raiva na cabeça e no corpo do Uchiha também já havia passado.

— A Sakura também não queria, mas você praticamente a obrigou a falar, não é mesmo?!- ironizou Neji, com uma expressão de pura raiva no rosto. Mas, não era aquela raiva que Sakura e Sasuke sentiam momentos antes, era uma raiva completamente “saudável” aquela que não interferia em suas atitudes. Era algo quase inexistente. 

— Se for pra me darem sermão, pode ir embora!- disse Sasuke enfiando um travesseiro em sua cabeça. 

— Não, nós não vamos, Sasuke! Você quem pediu por isso! Agora você vai arcar com as consequências!- disse Neji, firme. 

— Eu não quero escutar vocês! Eu não preciso escutar vocês! Eu vou sair com a Ino!- disse Sasuke pegando as chaves de sua moto e saindo do quarto. 

— A escolha é sua, só fique sabendo que não é um simples pedido de desculpas que resolver sua situação com a Sakura!- alertou Neji, depois dando um suspiro pesado. 

— Não me importo! Ela quem escolheu aquele ruivo de farmácia, não o contrário! Eu quem teria que perdoa-la!- disse Sasuke, enquanto pegava seu casaco na parte de trás da cederia e saia de seu quarto. 

— Você realmente foi um idiota! Você por um acaso escutou o que a Sakura disse? Ela está entrando em uma depressão, Sasuke! DEPRESSÃO! Você tem ideia do quanto essa doença fode com o psicológico da pessoa? Tem ideia? Você tem ideia de como a vida dela está difícil, ainda mais agora, que você está dando todo esse showzinho, e a obrigando a tocar na ferida? Ela que contasse a hora que ela quisesse, ela não é e nunca foi obrigada a lhe dar satisfação da vida dela! Você é um babaca, insensível!- soltou Naruto, descontroladamente. Naruto nunca teve uma trava na língua, sempre falava o que lhe vinha na cabeça, e essa era a melhor qualidade dele, porque ele, a maioria das vezes, estava certo, e falava bonito. 

— Hm!- disse e saiu completamente do quarto. Fez questão de bater à porta ao sair. A raiva havia voltado um pouco. 

Sasuke chamou o elevador e foi pro estacionamento, onde pegaria sua moto. Mas, um choro familiar lhe chamou a atenção, parecia com o de uma de suas colegas de faculdade, uma garota que já conversará algumas vezes na faculdade; TenTen

— TenTen?- chamou cautelosamente. 

— Sa-Sasuke? O que faz aqui?- perguntou confusa enquanto secava, inutilmente, secar suas lágrimas. 

— Eu moro aqui! E por que você está aqui? E por que está chorando?- perguntou se ajoelhando a seu lado. Apesar de não serem exatamente amigos, Sasuke possuía uma afeição muito grande pela morena. 

— Eu n-não to chorando!- disse virando o rosto pro outro lado. Era daquela tipo que odiava que a vejam chorando, gostava de ser forte quando estava com os outros. 

— Não precisa se fazer de forte agora, Ten!- a chamou carinhosamente.— Olha, se te serve de consolo, eu acabei de brigar feio com minha melhor amiga, e confesso, o vacilo foi meu, e como eu a conheço, sei que vai demorar a ela me perdoar...- disse Sasuke dando um suspiro triste.— Se quiser conversar, sou todo ouvidos!- disse com um sorriso, se sentando ao lado dela no chão do estacionamento. 

— B-Bom, é por causa do meu namorado... Hoje um doido na faculdade- acho que é um tal de Neji, sei lá- me agarrou do nada, depois ele se desculpou e me explicou, claro. Não que eu concorde, mas achei meio “fofo” da parte dele, afinal, ele depois até se prontificou a me pagar um lanche como desculpas e tal, e eu amo comer, porque ele estava tentando fugir de uma garota, sei lá quem, eu era a única que estava a “seu alcance” e ele fez por impulso, e ainda bem- pra pele dele- que ele não pegou na minha bunda ou algo do tipo.— se atrapalhou nas palavras enquanto falava. Sasuke deu um meio sorriso, ganhara um motivo pra zoar Neji até 2050.— Aí, meu namorado viu e disse que eu estava traindo ele, que não queria ouvir minhas explicações e enfim, ele disse muita merda sobre mim naquela hora, mas nada que ultrapassasse uns limites saudáveis de raiva, digamos assim!- disse ela gesticulando com a mão, demonstrando o quanto estava nervosa. —E como ele mora nesse prédio, não exatamente nessa Torre, mas mora nesse prédio, eu vim me “desculpar”, ou ao menos explicar direito o que havia acontecido, mas então.- o rosto de TenTen se contorceu, e logo seus olhos começaram a lacrimejar.— Ele me chamou de vadia, disse que eu nunca mereceria alguém incrível como ele, admitiu que já havia me traído antes e que eu era, sou, mais como um peso pra todos! Ele me disse coisas horríveis, sabe?!- desabafou TenTen, já iniciando um novo choro, com direito até a soluços. Sasuke a envolveu num abraço, tinha empatia com TenTen. 

— Não liga pra ele TenTen! Você é uma pessoa incrível! Ele que é um filho da puta! Não merece a bosta que caga! Olha, eu não sou uma pessoa boa com palavras, ou alguém que goste muito de pessoas, mas bem, você é alguém importante pra mim! Você é incrível, não importa o que esse bosta tenha falado!- tentou consolar TenTen. Sasuke realmente não é bom com palavras. 

— Obrigada, Sasuke!- disse TenTen, dando um mínimo sorriso. 

— Mas em relação ao Neji...- Sasuke tocou no assunto, não resistiu 

.- Ele meio que mora aqui- disse com um sorriso de canto, quase inocente, mas, até mesmo uma criança perceberia a malícia em sua voz. 

— E-Ele o-oque?- gaguejou. TenTen estava vermelha, se comparada ao cabelo de Gaara, estaria em vantagem. 

— Ele mora aqui, na minha casa, comigo e mais uns amigos e a Sakura. E bem... Se você quiser subir lá, aproveitar e desestressar ele, “sacoméné”, ele tá meio nervoso pelas merdas que eu fiz...- disse Sasuke, ainda com seu inseparável sorriso de canto. 

— N-Não, n-não, obrigada!- disse vermelha. 

— Sei que você quer dar uns pega nele. Eu te ajudo, sério!- provocou Sasuke, para amenizar o clima. 

— E-Eu n-não q-quero pegar ele!- disse na defensiva. 

— Quer ver só, vou ligar pra ele!- disse Sasuke pegando seu celular e fingindo estar falando com Neji. TenTen se levantou e saiu correndo, estava morrendo de vergonha. 

— Volta aqui! Eu estava brincando, doida!- disse Sasuke correndo atrás de TenTen. E assim se passou a noite de Sasuke, brincando com TenTen e fazendo piadinhas sobre Neji. 

 

[.....]

 

 

— Gaara?- chamou Sakura. Ela já havia se “recuperado” da crise de choros, e agora não tinha mais raiva. 

— Oi Cerejinha?- respondeu. 

— Então, eu tenho que te dizer tudo o que aconteceu!- disse Sakura fechando os olhos com força, tentando não chorar.— Desde o início! Desde que eu me mudei de cidade, ainda quando estávamos no Brasil! Vou te contar tudo, do momento em que perdemos contato, até hoje!- Sakura disse baixo, quase em um sussurro. Gaara concordou com a cabeça. — Mas, você tem que me prometer que vai apenas escutar, que não vai dar sua opinião, e que vai manter essa conversa em segredo, porque nem os meninos sabem! Eu só vou te contar, porque me sinto na obrigação de dizer!- disse Sakura, ainda com a voz baixa. 

— Não precisa me dizer se não quiser! Não se sinta obrigada!- a acalmou enquanto lhe fazia carinho na cabeça. Eles já estavam na casa de Gaara, e, Sakura estava deitada em seu colo. 

— Bom, eu de certa forma também preciso desabafar com alguém, sabe?! E você é a única pessoa que sabe da minha história no Brasil e tals! Mas enfim, chega de enrolação!- disse enquanto ajeitava sua cabeça no colo de Gaara. A 

— Tudo começou dois meses depois que eu me mudei pra São Paulo!- começou.- Meu pai e minha mãe estavam se afastando cada vez mais, eles quase não se falavam! E na época, minha irmã tinha apenas 11 anos e eu 16, e como não estávamos acostumadas com isso, nós não sabíamos o que fazer! Estávamos completamente perdidas e assustadas! Mas, como eu sou mais velha, todos esperavam mais de mim, e eu dei isso a eles! Eu fingia que estava tudo bem, e dizia pra Mia ( N/A; irmã da Sakura ) que estava tudo bem, mas não estava!- disse e seus olhos começaram a lacrimejar novamente.— Bem, um dia, quando a Mia estava na escola, e eu chegando em casa, eu escutei uma discussão séria dos dois, eles estavam até xingando um ao outro!  E foi aí que minhas desconfianças foram comprovadas; meu pai estava traindo minha mãe! Eu fiquei arrasada! Eu passei a ter, de certa forma, nojo do meu próprio pai e eu me sentia um monstro por isso!— disse Sakura já chorando. Gaara apenas a escutava, em choque, enquanto afagava seus cabelos.— E então, eu me tranquei no quarto e fiquei apenas escutando, horrorizada. E foi aí que as coisas pioraram;

 

Flashback On**

 

— Então essa bosta está acabada!- disse Hizashi, enquanto jogava um vaso no chão. Mebuki chorava muito, estava muito abalada. 

— Então vai! Vai e não volta, seu traidor de merda!- esbravejou Mebuki, ainda chorando. 

— Como se você já não tivesse me traído também, não é?!- disse Hizashi se virando novamente. 

— Eu nunca faria isso! Eu AMO minha família!- gritou enquanto chorava. 

— E eu não amo?! Como você me acusa de coisas assim, Mebuki?!— perguntou, enquanto vestia uma camisa, já que estava sem a mesma. 

— Eu não quero mais suas mentiras, Hizashi! Vai embora! Eu vi! Eu vi você com aquela vagabunda que você chama de prima! Não tente enganar meus olhos!- falou enquanto se encaminhava de volta pro quarto. 

— Eu trai mesmo! E ainda o faria de novo!- provocou enquanto saía e batia à porta. 

Sakura saiu do quarto correndo e abraçou a mãe, que apenas chorou mais nos braços da filha. 

 

 

Flashback Off**

 

— E bem, essa foi a primeira de varias discussões deles! Eles voltavam, brigavam e se separavam de novo! Era sempre assim, e eu já estava quase acostumada! Mas eu não podia me acostumar com aquilo! Uma vez, eu cheguei a ver com meus olhos meu pai traindo minha mãe! E eu já não aguentava mais tudo aquilo e eu sabia que minha mãe também não!- disse Sakura, dando uma risada seca, sem vida.— Mas meu pai não ligava, ela continuava fazendo e fazia questão de negar até a morte que nunca a havia traído!- disse Sakura, com um sorriso amargo.— Aí, depois de dois meses nesse vai e vem, depois é uma discussão séria entre os dois, foi quando aconteceu!

 

Flashback On** 

 

— EU JÁ NÃO QUERO MAIS SABER!- disse Mebuki, chorando novamente. Seus soluços ecoavam por toda a casa. 

— FODA-SE O QUE VOCÊ SABE!- gritou Hizashi. 

— EU NÃO VOU MAIS ME FAZER DE TROUXA! EU QUERO DIVÓRCIO!- gritou. 

— ÓTIMO!- disse enquanto saía do quarto e batia com força à porta. 

Sakura e Mia estavam no quarto, Sakura acalmando Mia, como sempre. Enquanto Hizashi estava na sala, assistindo um jogo de futebol, como se nada tivesse acontecido, Mebuki rumou ao quarto que as filhas dividiam. 

— Mamãe!- exclamou Mia, correndo para abraçá-la. Mebuki estava pálida, gelada e sem vida. 

— Mamãe tem que conversar sério com vocês!- disse seria, enquanto se sentava na cama com as filhas.— Vocês tem que prometer que vão me escutar e não vão ficar bravas com ninguém!- disse Mebuki enquanto acariciava o rosto de ambas as filhas. 

— Nós prometemos, não é Mia?!- exclamou Sakura, dando um olhar de “assente, ou morre.” Ambas assentiram. 

— Sim!- disse Mia, agora focando no rosto pálido da mãe. 

— Eu vou pedir divórcio do pai de vocês!- disse Mebuki, em tom de lamentação. Mia começou a chorar e Sakura abraçou a mãe. 

— Não mãe! Você não pode fazer isso! Não pode!- disse Mia chorando. 

— Mia, fica quieta!- advertiu Sakura acariciando o rosto da mãe.— Se for te fazer bem o divórcio, nós concordamos, porque a sua alegria é a nossa, mãe!- disse Sakura compreensiva. 

— Eu não aguento mais! Seu pai só me faz sofrer, Saky, eu simplesmente não aguento mais!- disse Mebuki, voltando a chorar. 

— Nós te entendemos, mãe! Você vai ficar bem! Eu vou te ajudar a superar isso! Nós vamos!- disse Sakura, puxando a mãe para um novo abraço. 

— Bom, a mamãe agora vai pro quarto! Eu amo vocês minhas filhas, vocês foram as coisas mais preciosas que eu já tive em toda minha vida! Espero que vocês continuem sempre sendo meninas boas, eu nunca vou esquecer vocês,  mamãe ama cada uma das duas!- disse Mebuki dando um beijo na testa de cada filha. 

— Também te amo, mamãe!- disse Mia a abraçando. 

— Eu te amo mais que tudo, mamãe!- disse Sakura se juntando ao abraço. 

Mebuki se separou das filhas, lançando um último olhar pra elas, como se dissesse; esse é o melhor pra mim, eu amo vocês! Sakura, entendendo o que se passava na cabeça da mais velha, tentou “impedi-la”, a chamou e deu um abraço apertado, dizendo o quanto a amava e que aquilo era apenas uma fase. Disse um último e significativo “eu te amo” pra Mebuki  e a deixou ir para o quarto. Após isso, Sakura voltou pro quarto com o coração na mão, começou a dizer pra Mia que tudo iria acabar bem, que aquilo era como as outras vezes. Logo após, escutaram um barulho, como um estralo, e logo após, o barulho de algo caindo no chão; Mebuki havia se matado. 

— MAMÃE!- gritou Mia desesperada, enquanto corria em direção ao quarto da mãe. 

— Mãe...- sussurrou Sakura chorando. 

— MEBUKI!- gritou Hizashi enquanto também corria para a porta do quarto de Mebuki. 

— Mebuki, abre à porta!- ordenou Hizashi, sem obter nenhuma resposta. 

— Mebuki, eu to falando sério! Abre a porta!- gritou. 

— Merda!- gritou antes de arrombar a porta. Mia tentou entrar no quarto da mãe, mas foi impedida por Sakura, que mais uma vez estava se fazendo de forte, uma muralha que impedia todos os problemas de chegar a Mia, mas, agora era diferente, agora tudo viria a tona. 

— Mia, desce!- mandou Mia descer para o térreo, já que moravam em apartamento. 

— Mas...- tentou argumentar, mas foi cortada por Sakura. 

— AGORA!- gritou, Mia apenas deu meia volta e saiu do apartamento atordoada. 

— Hizashi, vai ligar pra ambulância, anda!- ordenou e entrou no quarto, se traumatizando com a cena. Sua mãe estava com um tiro na cabeça. Sua mãe havia se amado com um tiro na cabeça. 

— Sakura, não entre aí....- tentou argumentar, mas recebeu um olhar furioso da Haruno mais nova. 

— Não venha me dizer o que eu devo ou não fazer, Hizashi! Agora vá ligar pra ambulância!- disse Sakura enquanto corria pra perto da mãe. 

— Não mãe! Não!- sussurrou perto de seu ouvido. Estava em choque, as lágrimas corriam livremente pelo seu rosto. Estava acabada. 

 

Flashback Off**

 

— E bom, foi assim que ela morreu!- explicou Sakura. 

— Sakura, eu simplesmente não sei o que dizer. Eu gostaria de dizer coisas bonitas, mas eu não sou bom com palavras, você sabe! Mas, você sabe que eu vou estar aqui SEMPRE! Sempre que você precisar, eu vou estar aqui! Não posso ser o melhor amigo do mundo, posso não ser perfeito, posso não ser aquela pessoa com os melhores conselhos, mas eles vêm do coração.- disse Gaara olhando nos olhos de Sakura.— Eu acho que, você tem que pensar que sua mãe está te olhando de onde você tiver, que ela tem orgulho do que você se tornou hoje, afinal, era tudo o que ela sempre sonhou pra você; ser alguém independente, ter amigos verdadeiros, um emprego, uma faculdade boa. E Sakura, você é incrível, não liga pra essas pessoas que não gostam de você, porque você é capaz, você pode mover montanhas com sua força, Sakura! Agora põe um sorriso nessa sua cara de rinoceronte e vamos fazer alguma coisa!- disse Gaara a puxando para um abraço em pé. 

— Mas ainda não acabou a história!- reclamou Sakura manhosa, mas já com um pequeno sorriso no rosto. Gaara tinha o dom de a animar, mesmo em seus dias mais tristes. 

— Então conta o resto!- disse Gaara se sentando novamente na cama. 

— É sobre aquele menino, o Sora!- disse Sakura suspirando, estava cansada de tantas coisas ruins acontecerem em sua vida. 

— Conte-me!- disse sério. 

— Então, eu contei essa mesma história pro Sora, com os mínimos detalhes, assim como te contei. 

 

Flashback On**

 

 

— Então, foi isso!- disse Sakura chorando. Sora se aproveitou e a puxou para um beijo ardente. Sakura não entendeu que ele apenas estava se aproveitando de sua fragilidade, mas aceitou o beijo. 

— Nossa, amor. Isso é drama, não precisa ficar com essas babaquices de depressão não, amor!- disse Sora a puxando para seu colo. Sakura se indignou. 

— Como assim, “é babaquice”? Você por acaso já testou viver o que eu vivi?- rosnou Sakura indignada. 

— Sakura, fica quieta! Eu não to com saco pra essas suas viadagens hoje!- reclamou.— Por que não fazemos algo mais interessante?- perguntou malicioso, a puxando pelas mãos. 

— Não Sora! Você é um babaca!- disse Sakura pegando sua bolsa. Iria embora. 

— Vem cá, amor! Desculpa!- disse enquanto a puxava de volta pra si, a beijando no pescoço.

— Sora... Por favor... Não!- disse Sakura se afastando. 

— Mas você é uma filha da puta mesmo, fica aí com essas babaquices antiquadas de “casar virgem” e não me deixa aproveitar!- disse Sora, possesso. Estava enraivecido por em 6 meses de namoro, não ter conseguido levar Sakura pra cama com ele. 

— Eu já disse que um dos últimos pedidos da minha mãe foi que eu me casasse virgem! Isso é quase como minha obrigação, Sora! Entende de uma vez!- reclamou cruzando os braços. 

— Sua mãe era uma vadia! Aposto que se arrependeu de ter aberto as pernas pro seu pai e ter engravidado de você, ela só disse isso pra você não cometer o mesmo erro e não engravidar antes de ter certeza de que não vai ser largada e não trazer mais desgosto pra família!- despejou na cara de Sakura, com a voz cheia de nojo e desprezo. Os olhos de Sakura se encheram d’agua, mas ela não iria chorar na frente de Sora, não iria dar esse gostinho de vitória a ele. 

— Você, NUNCA mais abra essa sua boca imunda pra falar da minha mãe, escutou?!- esbravejou enquanto apontava o dedo em sua cara. Sakura não gostava de agressões em brigas, então não ousou bater na cara de Sora, por mais que sua mão estivesse coçando para isso. 

— Eu falo o quanto eu quiser! Sabe por que? Por que a filha dela, outra vadia, está aqui na minha frente! Você não passa de uma vadia, Sakura! Se faz de santa, mas abriria as pernas pra qualquer um de seus amiguinhos lá! Isso se já não tiver aberto, não é?!- disse e deu um tapa na cara de Sakura. Isso foi a gota d’água. Sakura começou a gritar. 

— ESTÁ TUDO ACABADO, SORA! VÊ SE ME ESQUECE!- gritou Sakura pegando sua bolsa de volta. 

— Já esqueci faz tempo! E cuidado ao sair, se não seus chifres não te deixam passar pela porta!- disse Sora rindo. Sakura despejou uma lágrima e saiu correndo da casa de Sora. 

 

Flashback Off***

 

— E é por isso que eu o odeio com todas as minhas forças!- explicou Sakura com um sorriso cansado. 

— Eu também já odeio esse cara! Filho da puta!- murmurou a última parte. 

— A mãe dele é muito legal, não duvide disso! Ela nunca deixou ele sequer elevar a voz pra falar comigo! Não tenho dúvidas de que ela o criou para tratar uma mulher com respeito, mas parece que não deu certo!- explicou Sakura enquanto se deitava na cama, ao lado de Gaara. 

— Agora vamos dormir!- disse Gaara juntando Sakura para dormir em seu peito, como nos tempos de adolescência.


Notas Finais


Perdoem erros ortográficos, eu fiquei c preguiça de revisar.
Lembrem de votar no seu casal trendy skdneksjs
ahhhh, e muitoooo obrigada pelos 73 favoritos, isso me dá forças pra continuar❤️
Até o próximo
Podem matar o Sora, eu deixo KKKKKK
Neji safrado
Sim, eu amo fazer drama KKKKKKKKKKK
Mas próximo capítulo tudo se ajeita


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...