História Lauren e Camila - O preço de uma mentira - Capítulo 29


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ariana Grande, Cameron Dallas, Camila Cabello, Fifth Harmony, One Direction, Troye Sivan
Personagens Ally Brooke, Ariana Grande, Cameron Dallas, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Harry Styles, Lauren Jauregui, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Normani Hamilton, Troye Sivan, Zayn Malik
Tags Ally Brooke, Camila Cabello, Camren, Conto, Dinah Jane, Fifth Harmony, Fluffy, Larry, Lauren Jauregui, Normani Kordei, Norminah, One Direction, Romance, Suspense, Ziam
Visualizações 107
Palavras 1.151
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Fluffy, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Transsexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Kkkkk mas eu goxto

Capítulo 29 - Parte 25


Lauren

**

Eu estava desolada depois da minha conversa com a Lex, ela não me entendia e jamais pensei que fosse magoa-lá tanto.

Mas agora com o ódio que estava de mim, provavelmente não poderia ter uma conversa séria sem que ela me fizesse sentir um monstro.

Aposto que ela vai para Londres e vai ficar tão feliz com a realização de seu sonho que vai perceber que no fundo, foi melhor assim, mas agora que a minha situação com a Alexa estava definida, eu podia seguir em frente com a Camila.

Estava no caminho de volta para casa e preferi ir a pé, assim podia chorar e pensar o quanto quisesse, para chegar em casa já de alma lavada para ver a bela moça que lá me esperava.

Quando pensei na Camila e no seu abraço que me receberia, sorri. Estava andando e vi uma senhora com uma mesa cheia de vasos de flores e uma cesta com rosas e outras flores que eu não sabia o nome - nunca fui muito boa com isso -, cada uma estava numa embalagem. Então eu tive uma ideia.

-Bom dia. -Disse simpaticamente.

-Bom dia. -Falou a senhora levantando e se aproximando de sua mesa com flores.

-Eu vou levar uma rosa, são todas naturais?.

-Sim, são naturais. -Falou pegando uma e me entregando. -Para onde essa rosa vai tão cedo?. -Sorriu, sorri timidamente, mas respondi.

-Vai para uma moça que quero fazer minha, afinal, não precisamos de dias especiais para expressar o quanto as pessoas são importantes, não é mesmo?. -O sorriso da senhora se desmanchou, ela ficou sem jeito e meio que fechou a cara.

Estava tão empolgada que não percebi que talvez tenha passado do limite de simpatia, então paguei e a desejei um bom dia antes de sair, ela não respondeu, mas não liguei, estava tentando esquecer qualquer coisa que pudesse me chatear, pretendia chegar em casa e ter um belo dia com a Camila.

Olhei no relógio e vi que já eram 10h, minha nossa, a Camila deve estar faminta. Apressei o passo e fui numa padaria comprar bolo, iogurte, suco, e pães.

Cheguei em casa 30 minutos depois e entrei quase correndo no jardim e tentei procurar minha chave na bolsa, mais o frio na barriga intensificava, mais ansiosa eu estava a cada minuto.

Quando por fim achei, abri a porta e entrei com cuidado para o caso dela ainda estar dormindo.

Pus as compras no balcão da cozinha, peguei a rosa e ajeitei a embalagem de plástico que apesar do meu cuidado, tinha amassado na ponta.

Me olhei no espelho perto da porta, ajeitei minha camisa e o cabelo, peguei a rosa e fui entrando com a mão direita que a segurava para trás a escondendo.

-Camila?. -A cama estava vazia. -Camila?. -Chamei mais alto em direção ao banheiro, ela também lá não estava.

Ué, eu não pedi que me esperasse?. Procurei sua bolsa pela casa, mas também estava ausente.

O bilhete estava em cima da cama, então ela o viu, por que a Camila não me esperou?Será que aconteceu algo?Sentei na cama e coloquei a rosa ao meu lado, peguei o celular e disquei seu número, liguei mais 3 vezes seguidas e em nenhuma fui atendida.

Meu estômago revirava de fome, medo e angústia, será que hoje não é mesmo meu dia?. Deitei na cama e percebi que havia deitado onde outrora a Camila havia dormido.

O cheiro dos seus cabelos ainda estava no travesseiro, isso fez com que eu sentisse um aperto no peito de saudade.

Fiquei olhando para a parede do quarto pensando porquê a Cama não me esperou, e porquê não me atende.

Resolvi ligar incansavelmente até que ela finalmente me atendesse, e assim fiz, ela vencida pela minha insistência atendeu e com um tom de raiva e rancor falou.

-Meu Deus, o que ainda quer me ligando?.

-Como assim?Tivemos uma noite incrível e eu sou do tipo que liga no dia seguinte. -Falei ironicamente.

-Achei que você era do tipo que prestasse, e não uma qualquer que nem bem espera uma sair da sua cama para procurar outra.

-Agora entendi tudo, está com raiva porque fui até a casa do T ver a Lex?.

-Será que você pode não usar toda essa intimidade que chega a ser irritante?.

-Que intimidade?.

-"Lex", "T", me respeita Lauren, não sou uma vagabunda que tu encontrou na rua e se contenta com alguns trocados e migalhas de sentimentos, finja ao menos que se importa com o que eu sinto, é o mínimo, hoje mais cedo sai de sua casa chorando, catando minhas peças de roupas pelo chão enquanto tu ia atrás da tal, Lex. -Falou o nome num tom que ia de ironia a nojo, senti vontade de rir, mas segurei.

-Calma Camila, você entendeu tudo errado, me deixa te explicar?.

-Explicar o que?Quem você acha que é para brincar assim com os sentimentos das pessoas?Aprenda, sentimentos não são um parquinho de diversão para servir de passatempo pra você, você faz alguém se sentir amada em uma noite e na manhã seguinte, o pior ser humano.

-Não é nada disso, eu fui conversar definitivamente com a Alexa sobre...

-Laur, não me interessa o que vocês conversaram ou fizeram por lá, e eu já dei atenção demais a você, tchau. -Tuuu, tuuu, tuuu.

Soou o telefone avisando que ela havia desligado na minha cara antes que eu pudesse explicar qualquer coisa.

Tentei retornar a ligação mas deu desligado, lembrei do tal bolo de chocolate que a mãe da Camila havia me convidado para comer qualquer dia desses e usei essa desculpa para ir até a casa dela e tomar coragem para bater na porta...E assim fiz.

Ao chegar lá, a mãe da Camila me atendeu bem, com um sorriso meigo, ela disse.

-Olá, quanto tempo. -Falou beijando meu rosto.

-Olá dona Sinuhe, vim fazer a visita que eu havia lhe prometido, a Camila está?. -Falei do lado de fora.

-Está no quarto, entre que eu vou chama-la. -Sorriu e saiu me deixando na sala.

Eu sem jeito, entrei vagando tímida pela sala enquanto ela iria até o quarto anunciar minha presença a sua filha.

Enquanto eu esperava, vi um porta-retrato na estante da sala, ao lado da TV, com uma foto linda da Camila ainda pequena.

Peguei na foto e por longos minutos admirei, inesperadamente sinto algo molhado tocar meu pé. O Ringo cheirava meu pé e abanava o rabinho latindo feliz em me ver, abaixei e o abracei com força, eu estava com saudades de vê-lo, foi quando surgiu diante de meus olhos a Camila e sua mãe saindo do quarto, a mãe dela disse.

-Vamos Ringo para a cozinha, pois eu preciso preparar um bolo. -Ela sorriu pra mim e eu retribui.

Ringo seguiu os passos de dona Sinuhe e Camila ficou estatizada diante de mim, me olhando com um olhar de raiva e desprezo que me fuzilaria se fosse possível.

Eu não me sentia liberta para explicar, pois a cozinha era próxima a sala e dona Sinuhe poderia acabar ouvindo, pedi para irmos conversar em um lugar mais reservado e foi quando Camila muito contrariada me levou até seu quarto.


Notas Finais


Até sábado :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...