História League of Legends - Hentai - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias League Of Legends
Personagens Aatrox, Ahri, Akali, Alistar, Amumu, Anivia, Annie, Ashe, Aurelion Sol, Azir, Bardo, Blitzcrank, Brand, Braum, Caitlyn, Cassiopeia, Cho'Gath, Corki, Darius, Diana, Dr. Mundo, Draven, Ekko, Elise, Evelynn, Ezreal, Fiddlesticks, Fiora, Fizz, Galio, Gangplank, Garen, Gnar, Gragas, Graves, Hecarim, Heimerdinger, Irelia, Ivern, Janna, Jarvan IV, Jax, Jayce, Jhin, O Virtuoso, Jinx, Kalista, Karma, Karthus, Kassadin, Katarina, Kayle, Kennen, Kha'Zix, Kindred, Kog'Maw, LeBlanc, Lee Sin, Leona, Lissandra, Lucian, Lulu, Lux, Malphite, Malzahar, Maokai, Master Yi, Miss Fortune, Mordekaiser, Morgana, Nami, Nasus, Nautilus, Nidalee, Nocturne, Nunu, Olaf, Orianna, Pantheon, Personagens Originais, Poppy, Quinn, Rammus, Rek'Sai, Renekton, Rengar, Riven, Rumble, Ryze, Sejuani, Shaco, Shen, Shyvana, Singed, Sion, Sivir, Skarner, Sona, Soraka, Swain, Syndra, Tahm Kench, Taliyah, Talon, Taric, Teemo, Thresh, Tristana, Trundle, Tryndamere, Twisted Fate, Twitch, Udyr, Urgot, Varus, Vayne, Veigar, Vel'Koz, Vi, Viktor, Vladimir, Volibear, Warwick, Wukong, Xerath, Xin Zhao, Yasuo, Yorick, Zac, Zed, Ziggs, Zilean, Zyra
Tags Hentai, League Of Legends, Lol, Yaoi, Yuri
Visualizações 283
Palavras 2.670
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drabble, Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção, Harem, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Bom como me foi pedido aí está o Hentai da Ahri com o Wonkong, pesso mil desculpas pela demora! Tinha que arrumar uma forma e pensar para caramba em como escreveria esse hentai. Foi um pedido feito pelo @RaposoPredador ! Não posso deixar de comentar, que simplesmente amei desenvolver esse hentai, ele com certeza será um dos meus favoritos já que se refere a minha magnífica e adorada Ahri, ou melhor a rainha do Hentai!

Espero que gostem, e boa leitura meus perversos! ❤❤❤

Quero deixar bem claro que é a segunda vez que escrevo isso!

Capítulo 3 - Deixe-me mostrá-lo


Ionia... Um local calmo e sereno, um lugar onde a paz é predominante e todos estão em total contato com a natureza, independentemente de quem ou o que seja. Uma nação conhecida por seu aconchego e boas recepção para as pessoas que chegam, todos são tratados bem - exceto os noxianos - Ionia além de bela era forte, seus guerreiros lutavam com honra e lealdade ao seu país, sendo capazes de morrerem pela sua nação pelo lugar de onde vieram, todos os dias novos ninjas treinam com bravura para protegerem aquilo que amam, bem... Quase todos. 

Em uma floresta um pouco afastada dos tempos e construções orientais, habitava uma meia raposa, uma Kitsune, conhecida como Ahri a raposa de nove caudas. Ela tem uma boa convivência com os ionianos, até porque pertencia à Ionia, embora fosse apenas uma raposinha que perambulava pela floresta ioniana. Claro que, após se tornar meio-humana nunca deixará de pertencer à Ionia, mas a lealdade nunca esteve entre suas veias, ela não era confiável e para se tornar uma raposa teve de ter relações sexuais com outros homens para tais coisas, algo que ainda assombra as costas de Ahri, fazendo-a ser mal interpretada por alguns ionianos locais. 

Por mais estranho que pudesse ser, ela não sentia saudades de sua antiga vida, está muito bem assim e agradece em finalmente poder andar em duas pernas, mesmo ainda tendo seus traços animais, Ahri se acostumou com a vida humana e recebeu sentimentos humanos, um sentimento que pode acabar mais ainda com sua pessoa, o prazer nunca deixou de estar por perto de Ahri, e ela era boa no que fazia, é ousada o bastante para pegar o namorado dos outros, principalmente se for sua maior inimiga, uma certa Vastaya no qual não é necessário falar no momento. Era evidente quando Ahri se interessava por alguém, ela não deixava seu alvo quieto por um segundo até que provasse tudo aquilo que seu corpo pode proporcionar, tanto para ela quanto para seu parceiro sexual. Mas desta vez a Kitsune estava interessada em alguém relativamente parecido com ela, porém, com traços belos e rejuvenescedores de um macaco, Wonkong. 

Wukong era jovem, ainda não havia perdido sua virgindade e muito menos se tocado antes, diferente de alguns homens de sua idade já que a maioria já havia batido "punheta" ao menos uma vez na vida. Ele era totalmente inocente e sem experiência alguma com coisas sexuais, e Ahri sabia disso, exatamente por saber dessa "deficiência" do Wukong sobre os prazeres do corpo humano deixavam-na cada vez mais molhada e louca para tê-lo dentro de si. 

A Kitsune esperava o sol ir embora e a lua governar os céus de Runeterra, geralmente durante as noites Wukong ia para sua casa e os demais ionianos buscavam se reunir no templo central, que era longe da casa de Wukong, longe o suficiente para que ninguém ouvisse seus gemidos quando a diversão começasse. Ela estava impaciente. Saber que faltava mais de uma hora para poder transar com o seu amado lhe deixava nervosa e essa sensação era incrível, ela se divertia com isso embora também sofresse, Ahri queria Wukong o mais rápido possível, ela precisava dele e não desistiria até adquiri-lo. 

Wukong treinava o dia inteiro, algumas vezes meditava e demonstrava ser habilidoso com o seu bastão, mas ainda não era o suficiente, ele tinha que ser mais que isso para poder terrotar seu mestre, suas técnicas com o bastão teriam de melhorar e para que isso acontecesse ele tinha que treinar o tempo que fosse necessário. Parecia algo para inacabável e a esse ponto, Ahri já estava esgotada, ela não aguentava mais, havia praticamente uma cachoeira enxarcando sua calcinha. 

Sem pensar duas vezes ela se afastou mais do que estava de perto das casas orientais e se escondeu no matagal. Rapidamente moveu um dedo para sua intimidade úmida, mas ainda por cima da calcinha, fazendo movimentos leves com sua unha mais que afiada, a mesma segurava seus gemidos com suspiros baixos, estava afastada de Ionia, mas sempre era bom estar preparado para o que der e vier. Em seguida, afastou sua calcinha para o lado e rapidamente enfiou logo dois dedos de uma vez dentro de si, tendo que morder seu lábio inferior para não causar muito barulho, passou a mover seus dedos para cima e para baixo enquanto apertava seus seios com a outra mão, Ahri já estava deitada no gramado macio da floresta ioniana, parou com os movimentos de vai e vem e passou a fazer os de tesoura, abrindo e fechando os dois dedos dentro de sua intimidade, ela passou a lacrimejar de prazer aumentando a velocidade dos movimentos e apertando seus mamilos com as garras do dedão e indicador na mão "desocupada" a mesma já não estava mais aguentando segurar seus gemidos e acabou optando por liberar um de seus fartos seios que praticamente pulavam de seu sutiã, sendo obrigada a colocar o mamilo de seu peito na boca para não gemer. Em alguns minutos Ahri já estava aproximando-se do seu ápice aumentando mais ainda os movimentos e acrescentando mais um dedo, ela sentiu seus membros tremularem e rapidamente atingiu seu orgasmo, levantando seu corpo do chão enquanto as lágrimas saiam de seus olhos, segurar os gemidos nunca fora tão difícil para a Kitsune como aquilo. 

Imaginar o "pau" de Wukong dentro de si da mesma forma que foi com ela se masturbando a deixava mais ansiosa, mais impaciente. Estava decidida que se o Wukong não entrasse logo para dentro de sua casa ela não hesitaria em sequestra-lo com seu charme e ser comida por ele dentro da própria floresta ioniana, na verdade, essa opção já estava se tornando uma necessidade. 

E então, para a felicidade da Kitsune a noite chegou em Ionia e Wukong rapidamente se dirigiu para dentro de sua casa, ele estava preparado para tomar um delicioso e quentinho banho, retirando suas vestes e jogando em um canto aleatório de sua casa, rapidamente entrou no banheiro e passou a tomar seu relaxando banho. Ahri, aproveitando a situação do meio-humano não hesitou em invadir a casa do mesmo pela janela, que concidentemente ficava virada para o lado da floresta, exatamente na direção em que Ahri estava esse tempo inteiro. Ela escondeu-se debaixo da mesinha de centro feita de eucalipto localizada no meio do quarto do Wukong, ela cabia direitinho ali e tinha uma ampla visão da casa, ao seu lado estava o futon* de Wukong arrumada, Ahri estava surpresa, esperava que o quarto dele fosse uma bagunça total, mas era muito mais organizado do que o quarto de muitos homens que já esteve no aí, isso lhe agradava. 

Fez questão de se encolher mais quando ouviu um assuvio vindo do lado de fora do quarto, mais precisamente, de alguém saindo do banheiro e se dirigindo para o quarto. Wukong entrou enrolado em sua pequena toalha de banho, seu peito estava amostra, dando mais tesão do que o esperado para Ahri, ele tinha um corpo definido e cercado de músculos, nada muito exagerado, do jeitinho que a Kitsune gostava, ela logo lambeu os beiços, sua pelugem ainda se encontrava úmida, mas a raposa parecia não se importar com isso. Aguardava o momento certo para dar o bote em sua presa, e o momento chegou assim que ele se virou ficando de costas para ela, sem mais delongas Ahri saiu da mesinha e pulou nas costas de Wukong fazendo o mesmo cair. 

Seu membro estava totalmente amostra para Ahri, ele já estava um pouco durinho, o que a fez imaginar que ele pode ter tentado algo enquanto esteve no banheiro fazendo-a dar uma risadinha sarcástica, até porquê, era óbvio que ele não havia conseguido realizar seu objetivo, mas ela estava ali para ajudá-lo nisso, apesar de inexperiente, Wukong tinha um membro forte e relativamente grande, não era o maior, mas era enorme. 

– A-Ahri? O que faz aqui?! – Todos a conheciam por sua fama de "putinha". 

Ela deu uma gargalhada e passou a roçar suas afiadas unhas no peito do rapaz descendo seu indicador até o membro dele fazendo pequenas voltinhas até chegar a sua cabeça onde a mesma apertou, arrancando um gemido de Wukong e fazendo-o corar. 

– Sabe... – Pronúncia devagar. – Eu estava fim de me divertir um pouco hoje, e o escolhido para me ajudar hoje... É você. – Fala manhosa. 

– O-O que quer dizer com isso? – Pergunta confuso. 

– Vou ensinar-lhe os prazeres que o corpo humano pode trazer à você. – Ele finalmente entende corando ainda mais. 

– Nós nã-- – Ela o interrompe movendo seu indicador para os lábios do meio-humano. 

– Shhhh... Não quero ouvir uma única palavra saindo dessa boca até que eu tenha terminado, entendeu? – Ele acente e ela sorri. 

Sem mais enrolações, Ahri se ajeitou posicionando-se um pouco mais agora baixo de Wukong abocanhando seu membro sem nem se importar em avisar, com sua língua fazia movimentos circulares pelo corpo do membro dele, a saliva e a língua quente de Ahri fazia Wukong se arrepiar por inteirinho, ela a movia de um lado para o outro naquele espaço mínimo que suas bochechas proporcionavam, mas a brincadeira só estava começando, enfiou logo toda sua boca indo até o final do membro dele aproximando-se de suas bolas, ela rapidamente fez movimentos de vai e vem com sua boca enquanto chupava seu membro com vontade, como se fosse o seu pirulito, e somente seu!

Wukong suspirava de excitação, admite nunca ter sentido uma sensação tão boa quanto aquela invadir seu corpo, essa nova experiência estava deixando ele louco, assim que Ahri acelerou ainda mais seus movimentos ele não pôde deixar de finalmente soltar o gemido alto, preso em sua garganta. O sabor de pré-gozo era evidente na boca de Ahri, e ela sabia o que isso significava, seu parceiro logo chegaria ao seu ponto final e ela queria fazer uma supresinha à ele quando isso acontecesse, acabou soltando seus seios do apertado sutiã, colocando o membro de Wukong entre eles pressionando seu ponto fraco com seus grandes e macios "melões" lambia a cabeça do pênis de Wukong enquanto masturbava o restante com os seios, ele já não segurava os gemidos e admitia estar gostando, ele demonstrava querer mais ele necessitava de mais, porém, acabou sentindo algo delicioso passar por ele, uma sensação incrível passou por ele, e logo sentiu seu membro pulsar, gozando diretamente na cara de Ahri que acabou passando sua língua pelo esperma próximo à sua boca. 

A Kitsune olhou para Wukong, ele tinha uma feição incrível, ele havia chegado ao seu ápice e a feição de prazer não saía de seu rosto. Ahri retirou seu vestido deitando-se no futon do mesmo, abrindo suas pernas e braços atraindo Wukong, o mesmo se levantou e passou a encarar a mesma. 

– Deseja provar os locais mais doces de uma garota? – Ele acente. – Neste momento... Sou toda sua. – A Kitsune se entrega. 

Rapidamente Wukong se dirige á boca de Ahri, pedindo passagem com a língua e a mesma cedeu sem problema algum. Ele poderia ser novo no ato sexual, mas não significa que nunca tenha beijado uma mulher, era virgem e não "BV". Mas Ahri era mais experiente e ela sabia como excitar as pessoas apenas com um beijo e o meio-humano não escaparia dele. Passou a roçar a língua de ambos fazendo uma valsa com elas, separou o beijo minimamente enquanto mordia a língua de Wukong movendo-a para fora de sua boca, em poucos segundos, Ahri já chupava a língua de Wukong o fazendo dar gemidos entre o beijo, ela não pôde deixar de notar que o membro dele ganhava novamente mais uma ereção e sorriu durante o beijo ao perceber isso, eles então separaram suas bocas por falta de ar, uma linha fina de saliva ainda unia um boca na outra desfazendo-sesepamente. 

E então, Wukong moveu sua boca para o pescoço de Ahri, descendo ainda mais até chegar em seus seios, agora era a vez dele fazê-la sofrer de tesão e prazer e estava ansioso por isso. Ele lambia e mordiscava o mamilo de Ahri, ele não tinha dó no que fazia, passou apertar o outro com a mão e a "mamar" o que estava dando mais atenção no momento, o chupando e fazendo movimentos circulares entre ele com a língua, acabou passando para o outro fazendo a mesma coisa, porém apertava os mamilos do que acabará de "mamar" e conseguiu o que queria, Ahri gemeu a partir do momento em que ele colocou sua perna direita entre a intimidade dela, pressionado-a com o joelho.

O "pau" de Wukong já está a ereto e pulsante novamente, ele passou a roçar a cabeça de seu pênis na intimidade da raposa não deixando de passá-lo também no clitóris da mesma, algo que fazia sua intimidade ficar ainda mais molhada se lubrificando naturalmente. E então sem nem mesmo dar um aviso penetrou seu pênis para dentro da rosada e delicada intimidade de Ahri, fazendo sua "buceta" contrair o membro dele que já estava dentro dela por causa da surpresa, algo que arrancou um longo gemido manhoso de Wukong. 

Ele ainda estava aprendendo a se mexer dentro dela, tinha medo de fazer algo errado e acabar machucando sua parceira sexual, ele não queria ferir ela, por enquanto. Mas acabou ganhando mais confiança assim que viu o rosto corado da Kitsune mostrando um olha tímido para Wukong, algo que jamais aconteceu antes, Ahri era acostumada a transar com muitos homens, mas nunca havia ficado sequer envergonhada com as coisas que faziam, e isso acabou acontecendo com Wukong mostrando ser algo a mais do que o simples tesão. E então, ao perceber tal coisa, Wukong não hesitou em começar a mover-se dentro daquela maravilha que Ahri possuía, seu membro era apertado no meio daquilo tudo, e Wukong aumentava os movimentos a cada momento em que ele gemia. 

As posições se trocaram quando Wukong virou Ahri para o lado contrário a deixando de quatro em sua frente, e ele acabou penetrando novamente a sua "bocetinha" enquanto a mesma deu um gemido em resposta, ele aumentava os movimentos estocando com ferocidade, Wukong havia pegado o jeito naquilo e estava realmente feliz com isso, acabou querendo fazer uma certa maldade erótica com Ahri, pegou em seu ponto mais fraco, talvez até mais do que o clitóris de uma mulher. Wukong pegou uma das felpudas e bem cuidadas caudas de Ahri, apertando sua escolhida fazendo Ahri gemer alto e se glorificar com tamanho prazer. Wukong sabia do ponto fraco das Kitsunes, suas causas traziam um prazer incrível para elas, um prazer que superava qualquer coisa e graças a isso as caudas da Kitsune tornaram-se suas aliadas. Então Wukong resolveu fazer movimentos de vai e vem nas causas de Ahri enquanto a mesma revirava seus olhos e tinha suas feições de prazer amostra, algo que nunca acontecerá antes. 

– M-Mais! P-Por favor... – Ahri implorou, colocando um de seus dedos na boca tentando controlar seus gemidos. 

Wukong atendeu o pedido dela e aumentou a força nas estocadas, enquanto colocou uma outra causa da Kitsune em sua boca mordendo-a cuidadosamente para não machuca-lá. Ambos suavam, e ambos sentiam uma imensa atração entre o outro, assim que Ahri chegou ao seu orgasmo, gemendo alto e contraindo o membro de Wukong firmemente enquanto seu quente líquido passava pelo pênis do mesmo, Wukong também chegou em seu ápice gozando todo seu esperma para dentro de Ahri, também dando seu último suspiro antes de sair de dentro da Kitsune e cair ao lado dela no futon. 

Ambos estavam suados e não conseguiam movimentar somente um músculo, para a sorte de ambos, os ionianos que moravam nas proximidades estavam arrumando os preparativos para o grande festival que se aproximava em Ionia, e graças à isso não estavam em casa, afinal de conta, os gemidos foram mais do que altos principalmente os manhosos que Ahri soltou. 

– Algo... A dizer..? – Pergunta Ahri ofegante. 

– Você... É... Deliciosa. – Ele diz pausadamente recuperando ar. 

– Foi o que eu pensei. 

E assim, Wukong perde sua virgindade enquanto Ahri pela primeira vez fica mais do que satisfeita com sua noite. 



Notas Finais


Prontinho! Capítulo feito que acabou de sair do meu delicioso forno! Foi um capítulo incrível de se fazer, sei que já disse isso, mas não pude deixar de comentar novamente.

Sei que não teve muito diálogo, mas o importante é a narração, não concordam? Até a próxima meus pervertidos. Mamãe ama vocês ❤❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...