História Let me love you - Imagine Sobrenatural Jeon Jungkook - Capítulo 12


Escrita por: ~ e ~annaclara1530

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Visualizações 88
Palavras 1.040
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Fluffy, Hentai, Magia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


안녕하세요. Aqui é a Vivis. Não me culpem se não estiver bom, é o meu primeiro Hot, por favor não me culpem.

Capítulo 12 - O Banho part.2


Fanfic / Fanfiction Let me love you - Imagine Sobrenatural Jeon Jungkook - Capítulo 12 - O Banho part.2

— O-o que que você disse Kook?

— Vamos tomar um banho? — disse apertando mais minha cintura e começando a dar leves mordiscadas em meu pescoço.

— Co-como assim? — quis me fazer de desentendida.

— Eu — um chupão e um gemido de minha parte — Você — um beijinho onde deu o chupão, como se pedisse desculpas e mais um gemido — Debaixo daquele chuveiro — me vira de frente e me encara com os olhos cheios de malícia e desejo — Fazendo coisas que você nem sabia que eram possíveis. — me pega no colo e eu entrelaço minhas pernas em sua cintura — E aí? Quer tomar um banho?

— Quero. 

Após isso parto para um beijo cheio de luxúria. Ele vai andando comigo no colo até nosso quarto, abre a porta com um pouco de dificuldade e a fecha com o pé. Continuamos nos beijando até que a maldita falta de ar se faz presente, pelo menos para mim, e tivemos de nós separar. Ele me levou para o banheiro e me colocou sentada em cima da bancada da pia, ele se posicionou entre minhas pernas.

— Posso? — perguntou segurando a barra de minha blusa.

— Deve. — digo sem pensar muito.

Ele retira minha blusa e logo depois eu retiro a dele.

— Hum... você fica muito bonita de sutiã mas será que fica mais sem ele? 

— Quer descobrir?

Ele foi retirando bem devagar meu sutiã, quando terminou, ficou apreciando meus seios me deixando com um pouco de vergonha me fazendo tampa-los, por instinto.

— Não os tampe. — disse retirando minhas mãos de meus seios — Você é linda. — disse partindo para o meu seio direito.

Ele chupou, massageou, deu mordidas, parecia um bebê faminto. Ele repetiu o mesmo processo com meu peito esquerdo.

— Seus peitos são maravilhosos, cabem direitinho em minhas mãos. — disse me fazendo corar.

Ele tirou o resto de minhas vestes me deixando nua, ele tirou as dele também. Entramos no box ele ligou a água e começamos a nos beijar, ele pediu passagem com a língua e eu a concedi.

— Posso te chupar um pouquinho? Quero sentir o gosto de seu melzinho. — assenti com a cabeça, não estava em condições de dizer algo.

Ele se abaixou e abriu minhas pernas, lembrando que eu estava de pé e começou a dar pequenos selares em minha intimidade já bem molhadinha. Ele começou a chupar meu clitóris e eu já estava gemendo como uma louca. Ele penetrou um dedo em minha entradinha e começou a movimenta-lo, eu estava sentindo um pequeno incômodo mas o prazer que estava sendo me proporcionado era bem maior que isso. Ele penetrou mais um dedo e meus gemidos se intensificaram, ele também começou a chupar meu botãozinho inchado de tanto tesão. Ele retirou os dedos de meu interior e os substituiu pela sua língua, ele estava me levando a loucura. Eu sentia que já estava quase tendo um orgasmo e acho que Kook percebeu isso pois intensificou mais os seus movimentos e finalmente, tive meu primeiro orgasmo. Kookie lembeu até a última gota de meu melzinho e se levantou novamente. Ele teve que segurar minha cintura para mim não cair.

— Seu melzinho é o melhor que já provei. — disse e partiu para um beijo me possibilitando sentir meu gosto, era amargo.

— Ky, olha, vai doer bastante no começo mais depois passa ok?

— O-ok.

E finalmente, ele começou a me penetrar. Sério, doeu muito, eu até tinha deixado algumas lágrimas caírem, e só tinha entrado a cabecinha, eu agarrei o cabelo de Kook e comecei a puxa-lo, precisava descontar minha dor em algo. Kook sabia que era grande e sabia que devia está doendo pra caramba, por isso, tentou me distrair com beijos e chupões em meu colo. Ele começou a forçar seu membro para ele entrar totalmente em mim.

— No-nossa, você é tão apertadinha. — disse com um pouco de dificuldade.

Quando ele finalmente me penetrou completamente, soltou um urro que me arrepiou completamente e ficou parado para eu me acostumar com isso tudo dentro de mim. Depois de alguns minutos eu comecei a querer mais.

— Ko-kokie ma-mais, po-por favor. — praticamente o implorei.

Ele começou a se movimentar, começou com movimentos devagares e tentou ser cuidadoso, depois de algum tempo, ele começou a acelerar e quando me dei conta, eu já estava em seu colo com as pernas entrelaçadas em sua cintura escorregadia e ele estava indo em uma velocidade absurda. 

10...30...50...mais de sessenta estocadas depois, pelo que eu contei, ele goza em meu interior. Ficamos um tempo parados até que ele sai de dentro de mim e me põe no chão, eu tive de me segurar nele pois minha intimidade doia muito e minhas pernas estavam dormentes.

— Kook, você acabou comigo. — disse ofegante enquanto ele me pegava no colo novamente. 

— Eu tentei ser cuidadoso mas não deu. Desculpa, eu te machu...

— Kookie, eu amei. Você pode ter me machucado um pouco mais eu não me importo. Fico feliz por ter sido com você. — digo enterrando minha cabeça no vão de seu pescoço. — Eu te amo.

— Eu também te amo minha bebê.

Quebra de Tempo

Tínhamos tomado novamente banho, sem malícias, Kook teve que me ajudar porque ele me deixou sem andar. Agora estávamos deitados na cama, eu estava em  cima dele e ele estava abraçando minha cintura.

— Ky. 

— Hum. — disse quase dormindo.

— Eu fui mesmo o seu primeiro?

Arregalei os olhos e me apertei mais ao seu corpo.


— Sim. — disse quase num sussurro, ele riu — Não ria, eu tenho vergonha, eu sei que não sou sua primeira.

— Sabe porquê não é minha primeira?

— Por que?

— Porque eu, como metade lobo, tenho uma coisa chamada cio.

— Ah... então você come putas durante esse tal de cio? — digo fazendo ele rir.

— Na verdade...eu mato elas.

— O que!? — digo me levantando mas ele me puxa de volta.

— Calma. Eu as mato porque não sou eu, é o meu lobo, então eu não as mato. Ele é muito mais forte que eu e bem mais bruto também. Elas acabam não aguentando.

— E quando você vai ter isso de novo?

— Ele está previsto para o mês que vem.

— E você vai comer outras putas?

— Sim. Mas eu só faço amor com você.

Continua.




Notas Finais


안녕하세요. Gente mil desculpas se estiver muito ruim. Por favor dêem muito amor para essa fic. 😚


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...