História Let Me Love You - Capítulo 62


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camren, Camreng!p, Laureng!p
Visualizações 1.825
Palavras 2.005
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Policial, Romance e Novela, Violência, Yuri
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 62 - 62


Fanfic / Fanfiction Let Me Love You - Capítulo 62 - 62

 

POV'S LAUREN

 

Andei até o portão outra vez, abri encontrando minha mãe

 

- Oi mãe -falei sem animo em vê-la

- Oi filha -me abraçou- Eu vim te ver

- Que entrar? -perguntei, apenas por educação

- Claro -respondeu

 

Esperei ela entrar e encostei o portão, voltei pra dentro da minha casa junto com a minha mãe, Lorenzo estava na porta brincando com Hulk que estava deitado no chão

 

- Olha só que lindo o meu neto -disse pegando o Lorenzo no colo

 

Andei até a sala aonde Demi estava, minha mãe apareceu pouco depois com Lorenzo em seu colo, ela parou no meio do caminho ao ver a Demi

Lorenzo desceu do colo da minha mãe, a mesma ficou lá parada, analisando a Demi, como se a conhecesse

 

- Você já conhece a Demi? -perguntei confusa

 

Minha mãe ficou estática no mesmo lugar, se ela já era bem branca, agora tinha perdido o resto da cor

 

- Não... -respondeu baixo- Eu não conheço -ela parecia perdida

 

Encarei Demi, ela me olhou de volta, a mesma estava tão confusa quanto eu

 

- Prazer, sou a Demi -disse estendendo a mão na direção da minha mãe

 

Ela ainda olhava Demi de um jeito estranho, e apenas apertou a mão dela de volta

 

- Eu preciso ir -falou parecendo perturbada com algo

- Você acabou de chegar -disse confusa

 

Minha mãe me ignorou, passando por mim e saindo da minha casa, me virei pra Demi e ambas estávamos mais confusas do que antes

 

- Você entendeu o que aconteceu aqui? -perguntei, ela negou

- Sinceramente não, eu fiz alguma coisa de errado? -me olhou sem entender

- Eu não sei, eu também não entendi nada -dei de ombros

 

Eu iria ter que conversar com minha mãe mais tarde, ela teria que me explicar o que deu nela, e o porque dela ter ido embora de repente.

 

- A Dinah me ligou, vamos ver as filmagens das casas da sua vizinhança mais tarde -Demi avisou

- Vocês falaram com a Hailee? -questionei

- Sim, mas o álibi dela confere -Demi respondeu- O álibi de todas a suas suspeitas conferem 

- Que droga! -resmunguei 

 

Me sentei no sofá, meu cachorro pulou se deitando em meu colo

 

- Você está tão tranquila, não está desesperada em saber quem fez isso com você, por que? -Demi perguntou

- Eu quero descobrir, mas ficar com isso na cabeça o tempo todo não vai fazer a pessoa aparecer -respondi- Eu só fico preocupada com a Camila e o Lorenzo, não posso deixar nada acontecer com eles

- A pessoa estava destinada a te matar, não acho que vá fazer mal a eles -ela falou- Provavelmente é vingança, você não se lembra de mais ninguém que tem motivos pra se vingar de você? -perguntou

- Eu não sei Demi, eu era uma pessoa horrível, magoei muita gente, humilhei algumas pessoas, tem muita gente que pode ter ódio de mim -expliquei 

- Por isso que nós precisamos olhar as câmeras, é o mais perto que podemos chegar de alguma suspeita -falou por fim

 

Deitei a minha cabeça no encosto do sofá, meu cachorro ficou deitado em meu colo, enquanto eu acariciava os pelos dele

Lorenzo se aproximou com os dois filhotes, mostrando-os pra Demi animadamente 

 

- Me conta a história do seu filho agora? -pediu de repente me fazendo rir 

- Não sabia que você era curiosa desse jeito, você não parece ser -disse sincera

- Eu não costumo ser, mas você me deixou curiosa com todo esse mistério -confessou 

- Ta bom, eu vou te contar -falei, sabendo que ela iria continuar perguntando aquilo

 

Me ajeitei no sofá, Hulk pulou do meu colo mas ficou em pé encarando Demi, atento a cada movimento dela

 

- Eu nasci intersexual...

- O que é isso? -Demi perguntou me cortando

- É qualquer variação de caracteres sexuais, tipo cromossomos ou órgãos genitais, que dificulta a identificação de uma pessoa a ser identificado como masculino ou feminino -expliquei

- Hermafrodita? -perguntou 

- É, as pessoas também chamam assim -dei de ombros

- Não sabia que isso existia de verdade -falou confusa

- Mas existe -falei

- Mas como isso funciona? Você é uma mulher ou um homem? -ela parecia ainda mais confusa

- Quando eu nasci, meus pais tiveram algumas horas pra decidirem como iriam me registrar, então minha mãe me registrou como menina, mas pro meu pai eu era um garoto, eu acompanhei um psicólogo por anos, e tive que escolher se iria fazer a cirurgia de remoção ou não, tive que escolher o que eu queria ser -contei

- E como você escolheu ser uma mulher? 

- Não foi algo que escolhi do dia pra noite, eu cresci me sentindo uma mulher, mesmo com o preconceito que vivi, me sentia bem com o meu corpo -respondi 

- Que louco! -Demi exclamou surpresa

 

Fiquei em silêncio, ela também, parecia estar digerindo toda história

 

Pedia para que as coisas não mudassem depois de ter contado pra ela.

 

- Isso é legal né? Quer dizer, as pessoas são tão iguais, e você é diferente -falou de repente

- Talvez, mas as pessoas estão tão acostumadas com tudo igual, que as diferenças assustam elas -comentei

- As pessoas de mente pequena são assim, diferente é lega, chato seria se o mundo todo fosse igual -Demi disse 

- Que bom que você pensa assim -falei sincera

 

Estava gostando da amizade dela e não queria perde-la 

 

O celular dela começou a tocar interrompendo a nossa conversa

 

- É a Dinah -disse ao pegar o celular 

 

Demi se afastou atendendo a ligação da Dinah, ela voltou a se aproximar de mim alguns minutos depois

 

- Ela avisou que já está chegando -falou guardando o celular no bolso, apenas assenti com a cabeça

 

Ficamos conversando até que Dinah chegou chamando por nós, segurei na mão do meu filho saindo de casa

 

- Oi Laur -Dinah me cumprimentou

- Oi -respondi

 - Você vai vir com a gente? -perguntou, assenti positivamente com a cabeça

 

Dinah dirigiu até a primeira casa da rua, era uma mansão cheia de câmeras, descemos do carro, dei a volta pra pegar o meu filho no banco de trás

 

- Deixa que eu pego ele pra você -Demi disse 

- Obrigada -agradeci, era difícil segurar ele com apenas um braço

 

Demi pegou Lorenzo no colo, Dinah tocou a campainha da casa, logo o dono apareceu 

 

- Agente Jane, FBI... -Dinah tirou seu distintivo do bolso mostrando para o homem

 

Depois dela explicar toda história a ele, o mesmo permitiu que entrássemos em sua casa, e nos levou até o computador que dava acesso a todas as imagens das câmeras da sua casa. Me sentei em uma cadeira, Dinah se sentou ao meu lado, Demi ficou em pé, perguntando ao dono da casa se ele viu algo suspeito naquele dia

Dinah começou a mexer no computador e puxou as filmagens anteriores da data do acontecido, olhávamos atentamente as imagens de cada dia

 

- Você viu aquele carro? -Dinah me olhou

- Ele aparece em todas as filmagens -completei, ela concordou com a cabeça

 

Voltamos olhando tudo novamente, mas agora, prestando atenção no carro, que era nossa maior pista no momento

Ele entrava na rua de casa dias seguidos, e praticamente no mesmo horário, por volta das sete ou oito horas da noite, e as filmagens mostravam ele indo embora horas depois, o carro só não apareceu no dia que invadiram a minha casa

 

- É isso! -Dinah exclamou parecendo ter uma resposta final para todo o caso

 

Ela pegou um pendrive no bolso, passando todas as filmagens pra ele, deixamos aquela casa logo em seguida

 

- É bem provável que a pessoa que esta dirigindo esse carro seja a pessoa que estamos procurando, pelo horário, ele pode estar te vigiando, vendo a sua rotina, planejando tudo -Demi falou entrando no carro

 

Dinah dirigiu até minha casa, o que era bem próximo, assim que o carro parou, ela se virou pra mim

 

- Eu vou mandar as filmagens pra um amigo meu do FBI, ele tem os aparelhos necessários pra ampliar a imagem e ver se consegue rastrear a placa do carro -Dinah avisou

- Tchau Dinah, e obrigada por estar fazendo isso -agradeci

- Não precisa me agradecer, eu te ligo assim que tiver qualquer noticia  -respondeu sorrindo

 

Era sempre bom ter uma amiga que se importava comigo.

Acenei pra Dinah que deu partida saindo com o seu carro, abri o portão de casa, esperei Demi entrar com Lorenzo no colo, e depois o fechei

 

- Eu acho que sua amiga não gosta muito de mim -comentou, eu ri

- Mais ou menos, ela disse que você é uma baixinha folgada -contei rindo

- Baixinha? Eu não tenho culpa se ela é uma gigante -Demi rebateu

- Ela é bem grande mesmo -concordei- Mas a Dinah é uma pessoa muito legal, somos amigas a pouco tempo, mas mesmo assim ela esta se esforçando pra me ajudar nisso 

 

Cheguei em casa indo direto pra cozinha, já estava escurecendo, iria preparar algo pra comermos, já que Lorenzo tinha que comer no horário certo e logo Camila iria chegar do trabalho 

 

- Se você tiver algum compromisso pode ir, não quero atrapalhar a sua vida -falei me virando pra Demi

- Eu não tenho nenhum compromisso, e o meu ex namorado vai todos os dias no meu apartamento pegar as coisas dele, e eu não estou afim de encontra-lo -falou

- Então todas as tardes que você passa aqui, é fugindo do seu ex-namorado? E eu achando que era por que você se importava comigo -disse, ela riu

- É por causa dele sim, mas também por que eu não quero que você morra -respondeu

- E por que você se importa comigo? -questionei

 

No trabalho Demi sempre foi muito séria, nossas conversas eram sempre curtas e sérias da parte dela, então não entendia o motivo dela ter ido me visitar no hospital assim que soube o que tinha acontecido comigo, ou por que dela se importar em me proteger de um possível novo ataque

 

- Acho que temos uma ligação, desde o primeiro dia em que te vi percebi isso -ela respondeu- Não do tipo romântica -se apressou em completar

- Eu entendi o que você quis dizer -ri do desespero dela- Mas eu posso dizer o mesmo, eu me identifico muito com você Demi

- É, foi isso que eu quis dizer -concordou comigo

 

O assunto foi mudado quando Lorenzo se agitou no colo dela pedindo pra descer e me ajudar a fazer comida 

 

... 

 

Era noite, Camila não atendia minhas ligações e já havia se passado uma hora desde que ela deveria ter saído do trabalho, andava de um lado pro outro do meu quarto inquieta

 

- O que foi? Você tá quase fazendo um buraco no chão -Demi entrou no meu quarto com Lorenzo no colo

 

Meu filho não queria larga-la de jeito nenhum, ele tinha realmente gostado dela

 

- Camila disse que viria direto do trabalho pra cá, já era pra ela ter saído a uma hora, e agora ela não esta atendendo minhas ligações nem respondendo as minhas mensagens -contei aflitada

- Calma, pode ter acontecido qualquer coisa, não pensa no pior -respondeu com calma

- Como eu não vou pensar no pior? -aumentei o tom de voz

- Tenta ligar de novo -falou

- Eu já tentei mil vezes! -exclamei

- Tenta de novo -repetiu

 

Com meu celular nas mãos, liguei pra Camila outra vez, chamou algumas vezes até que caiu na caixa postal, de novo

 

- Que merda! -xinguei

- Calma Lauren, você está assustando a criança -pediu, eu respirei fundo- Vai tentando, e se ela não der notícias, nós vamos até a casa dela ou até o trabalho dela, você só precisa se acalmar

 

Concordei com a cabeça tentando em vão me acalmar

 

Me sentei na minha cama com o meu celular no colo, olhava a tela de minuto em minuto, esperando qualquer sinal da Camila.

 


Notas Finais


Talvez eu poste outro de madrugada, ou só amanhã.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...