História Let out the beast - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Got7
Personagens BamBam, Jackson, JB, Jinyoung, Mark, Personagens Originais, Youngjae, Yugyeom
Tags 2jae, Jark, Markson
Visualizações 25
Palavras 1.480
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá. ☆ ~ Parece que as coisas esquentam aqui, né nom? Desculpem os erros e tenham uma boa leitura.

Capítulo 4 - Irresistible lips


Calor. Muito calor.

Um calor tão insuportável quanto pensar no fogo do inferno ou na temperatura escaldante do sol entrando em contato com a pele humana. Uma temperatura em excesso, muitas vezes, vinha de acordo com a sensação sentida pelo ser, pois era possível acordar suado dentro de um quarto com o ar-condicionado ligado, em plena madrugada.

Mark coçou os olhos enquanto sentava no colchão e, enfim, passava o palmo em volta do pescoço até perceber que estava molhado de suor, o que lhe fez retirar o excesso que molhava sua curvatura como se tivesse acabado de sair de um banho.

ㅡ Merda. ㅡ Murmurou.

A única saída era descer e ir até a cozinha buscar um copo de água e um calmante dentro da caixa de primeiros socorros, existente em um dos armários do cômodo. O relógio preso na parede acusava ser quatro e quarenta e cinco da manhã, o que traduzindo para o cronograma do loiro, faltava pouco menos de duas horas antes de precisar ter que comer algo para sair e ir trabalhar. Yien parou no meio da cozinha e apoiou o corpo no balcão enquanto engolia a pílula, questionando-se o porquê do sono ter se ausentado de si em uma hora tão boa da madrugada como aquela. A maneira mais simples que encontrou para matar as horas que ainda teria que suprir até ir trabalhar não foi dormindo, e sim indo jogar algumas partidas de league of legends no computador.


×   ×   ×   ×   ×


O ditado "o que é bom, dura pouco." nunca havia feito tanto sentido em sua vida. Apesar da madrugada ter sido péssima com a sensação estranha, Mark estava relativamente bem até a chegada de Jackson na sala. Só por educação, proferira o cumprimento matinal e voltara a separar os remédios por necessidades dentro da caixa grande que lhe fora entregue, junto de uma sacola com medicamentos.

Por favor, Deus supremo do universo, que tudo continue assim.

ㅡ O que... foi isso na sua boca?

Por que você me odeia, Deus? Eu te amo tanto.

O moreno corajoso segurou o rosto alheio e apertou os dedos na face frágil dele, fazendo-o entreabrir a boca e mostrar o corte no lábio inferior mesmo que de maneira forçada. Mark soltou os remédios e recuou os passos, receoso. Certo, agora estava com medo do acúmulo de forças que sentia apenas nos dedos de Jackson. Ele não só aparentava ser forte, como era, e muito.

ㅡ Eu mordi sem querer. ㅡ Respondeu, tentando retirar a mão alheia de si através do pulso. ㅡ Não liga pra isso, você tem muito trabalho pra fazer.

Jamais diria que mordeu pensando nele na noite anterior.

ㅡ E você não passou nada?

Somente balançou a cabeça em negativo e observou Jackson bufar em descontentamento. O chinês parecia ser ainda mais bonito de perto. Mark estava ficando hipnotizado com os traços seduzentes que era possível encontrar na bela face esbranquiçada e, por alguns milésimos de segundos, não parecia tão ruim assim ter ele perto de si. Ao contrário. Ter Wang ali estava sendo bom, tão bom que não se importou quando fora envolvido por um dos braços dele, unindo instantaneamente as zonas frontais dos corpos e deixando os rostos a centímetros de distância.

ㅡ Por que você não para logo com todo esse mistério e assume que quer ficar comigo?

ㅡ O único que faz mistério aqui com a droga desse cheiro é você.

ㅡ Ele é ruim?

ㅡ Você não tem noção do quanto.

Mentira.

Mark sabia que era mentira mais bem dita do mundo. Sabia tanto que guiou a destra até os fios de cabelo da nuca de Jackson e apertou as mechas por entre os dedos, levando a cabeça dele devagar em direção ao próprio pescoço, com uma ideia brilhante em mente. Pôde sentir o recuo natural do outro para trás mas não deixou ele sair do abraço que ele mesmo havia começado. Penhou um pouco o pescoço para o lado e deixou a curvatura exposta para ele, que logo roçou o nariz pela região com o maior prazer e aspirou grande quantidade do aroma inebriante. Quando o cheiro dominou seus pulmões, Jackson começou a roçar os dentes no local, ora tentando interromper eles com beijos pelo local, ora distribuindo algumas sucções.

Era o cheiro mais gostoso que já sentiu em toda a sua vida.

Mark estava pressentindo que passaria mal a qualquer momento com a sensação arrepiante que Wang causava, com o cheiro atraente que exalava e com os gestos que praticava. Nunca agradeceu tanto ao seu belo dom de observar e escutar o comportamento dos outros seres, era fascinante dominar os conhecimentos gerais sobre lobos e vampiros. Além do mais, seus pais eram vampiros, era impossível para Mark não saber os métodos de fazer um vir à tona.

ㅡ Jackson! ㅡ Gemeu.

Foi pego de surpresa por dois palmos apertando a sua cintura e com uma boca ágil subindo em direção a sua. Rápido e sem o tal do mistério que ouvira antes, Jackson olhou no fundo dos olhos assustados do menor antes de avançar nos lábios dele e iniciar um beijo feroz, necessitado. Era tão ríspido que Tuan não conseguia beijar o rapaz direito, ainda estava processando o fato dos olhos de Jackson terem o tom avermelhado diferente dos quais era acostumado a ver em seus pais ou até mesmo em Jaebum. Ou talvez estivesse tão caidinho pelo vampiro que via tudo diferente nele. Contudo, ao contrário de Mark, Jackson tinha um pouco de raiva dominando primeiramente o seu subconsciente, já que o americano não demonstrava indício de transformação.

Distante de ser um beijo comum como o que as pessoas costumavam trocar. O beijo deles estava acontecendo com muita dificuldade. Podiam estar mantendo um contato viciante em meio ao desejo de firmar o vínculo pelo resto do dia e ficarem compartilhando mais do que só palavras e saliva, porém, chegava a ser tão intenso e radical acompanhar o ósculo do vampiro que Mark puxava a cabeça dele para trás e interrompia o ato algumas vezes para recuperar fôlego através de uma respiração falha, típica de alguém assustado e desacostumado com tal ação. O moreno sequer perdia tempo, continuava a morder e sugar o lábio superior e inferior do loiro até eles ganharem um tom mais avermelhado, esquecendo totalmente do pequeno ferimento na boca dele. Quando lembrava, passava a língua pelo local e deixava o loiro atraído com tanta ousadia.

Mark era muito frágil e Jackson não sabia lidar direito com a fragilidade de um humano, muito embora soubesse que Mark passava longe de ser um. Ele era igual, tinhas as mesmas fraquezas, os mesmos modos, mas ainda sim não era um.

Agora, pensando em métodos de ensinar Jackson acompanhar o seu ritmo, Mark segurou o rosto dele com a outra mão e acariciou a bochecha de modo vagaroso, encostando as bocas com o auxílio de alguns pequenos selinhos iniciais, acostumando o parceiro momentâneo com eles até que sentisse segurança de entreabrir outra vez os lábios e conceder a passagem da língua alheia. O vampiro parecia entender o recado, mesmo sendo difícil resistir aos instintos quando transformado, obteve êxito em conhecer a língua de Mark com calma e sugá-la sem sinais de desespero, somente com os sons baixos e com pequenos estalos que saíam involuntariamente da ação.

Passaram tanto tempo, mas tanto tempo conhecendo um ao outro daquela maneira íntima, que Jackson voltou com a coloração castanha nos olhos com a sensação de realização tomando conta de seu interior e Tuan sentiu-se tão seguro nos braços do maior que podia levá-lo para casa para dormir com ele durante toda a madrugada conturbadora que passara a ter.

ㅡ Dói? ㅡ Referia-se ao lábio inferior do americano.

ㅡ Não. ㅡ Mentiu

Fez-se um silêncio na sala ao decorrer do carinho que Jackson fazia nos fios loiros. Arrumou as mechas e observou as bochechas dele ganharem um rubor adorável, inclusive o mesmo abaixou a cabeça, passando a encarar o chão. Era muito confortante ganhar mimo de alguém como o chinês.

ㅡ Será que agora você vai me deixar te conhecer melhor?

Ops.

Mark ficou calado.

ㅡ Ainda não confia em mim?

ㅡ Não é isso, Jackson. 

ㅡ É o que? Não pode falar?

ㅡ Não. 

Jackson cessou o abraço e acenou em positivo, como se tivesse entendido a jogada de Mark. Pela primeira vez, teve uma nova visão do rapaz, agora achando ele extremamente interesseiro por lhe ter feito perder o controle com chantagem só para ter um beijo. Mas se já era difícil entender Mark, era muito pior se chamar Mark e não poder contar que era filho de dois vampiros e seu pai ainda era o chefe de Jackson. Talvez todos na reserva soubesse que existia um ser humano gerado de dois vampiros, mas se tornara uma história esquecida e irrelevante que nem o Wang deveria lembrar.

ㅡ Posso te pedir um favor?

ㅡ Peça.

ㅡ Fica longe de mim até você criar um pingo de senso e acreditar em mim, porque eu não preciso de alguém por perto que não me ache confiável. Principalmente você.


Notas Finais


eu tô passada chocada meu deus jesus *meme da mulher assustada*
Até o próximo. ~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...