História Lie To Me, Cheat For Me - Capítulo 5


Escrita por: ~ e ~QueenLaufey

Postado
Categorias Os Vingadores (The Avengers), Thor
Personagens Anthony "Tony" Stark, Clint Barton, Darcy Lewis, Dr. Bruce Banner (Hulk), Edwin Jarvis, Fandral, Feiticeira Escarlate (Wanda Maximoff), Frigga, Heimdall, Jane Foster, Lady Sif, Laura Barton, Loki, Maria Hill, Natasha Romanoff, Nick Fury, Odin, Pantera Negra (T'Challa), Pepper Potts, Personagens Originais, Phillip Coulson, Pietro Maximoff (Mercúrio), Sam Wilson (Falcão), Steve Rogers, Thor, Visão, Wade Willson (Deadpool)
Tags Asgard, Avengers, Halja, Loki, Loki Laufeyson, Thor, Tom Hiddleston
Visualizações 70
Palavras 2.028
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 5 - May the best win.


Fanfic / Fanfiction Lie To Me, Cheat For Me - Capítulo 5 - May the best win.

A sua memória, não mente.


- Shadowhunters.


Halja. 


Aquela história de leilão estava ficando interessante, mas tinha que cumprir aqueles deveres, se não, as coisas ficariam sérias, e descobririam minha farsanha, eu me aproximei de Balder, e rodeia minhas pernas em volta do mesmo, que reagiu, me jogando contra o chão, eu senti o impacto, das minhas costas com o concreto no chão, todos começaram a gritar, enquanto muito dos homens ali presentes, sacavam armas diferentes das midgardianas. 


Balder me encarou, nos olhos, e sorriu, eu retribui o sorriso, ganhando impulso, e dando um chute em seu abdômen, rodei a perna assim que levantei, fazendo o mesmo virar o rosto, meu salto havia deixado marca em seu rosto.


Eu agarrei no seu pescoço, encostando-o na parede, ele levou a mão até meu rosto, e eu obtive lembranças que me deixaram atordoadas.


- Halja!.


- Me largue!.


Ele me empurrou, e eu sai rolando pelo palco, caindo os beirais abaixos, eu estava ofegante, Loki e Thor, junto com Tony, davam fim nos demais ali, eu gesticulei as mãos, com fúria no olhar, tirando uma adaga da manga, e virando-me para Balder, dei um golpe nele, que chegou a cortar seu blusão, e logo cortou seu abdômen, ele me olhou ofegante, eu lancei a adaga, e rodei, de forma rápida, repreendendo ele, que se afastava, logo ele veio para cima, e eu agarrei sua mão, rodando elas, e envolvendo em seu pescoço, dei um soco em sua cabeça que o fez apagar, cai sobre ele, ofegante, e logo Loki e Thor vieram até mim.


- Halja. - Thor me tocou, eu me repreendi.


- Estou bem. - digo me afastando, e suspirando firme.


Loki me olhou sério, e eu conjurei meus trajes, sai antes mesmo deles, atordoada, entrei no corredor, vendo ele vazio, havia um homem que tentava apertar os botões do elevador, ao me ver aproximar, eu não o fitei apenas parei no corredor e fitei o chão, me encostando na parede sentindo uma dor no abdômen.


Eu então vejo a adaga, me sinto zonza, e tiro ela, ela estava envenenada, eu senti minha cabeça rodar, ouço vozes longe, vozes masculinas, começo a ver coisas, enquanto me virava bruscamente, lançando aquela adaga, que nem sei onde parou, eu tirei uma espada da manga, e apontei pros demais ali, os borrões eram intensos.


- Não se aproximem!. - digo ameaçadora, apontando para os borrões que via.


- Halja, você está bem?. - ouvi a voz masculina e calma, o borrão se aproximou, e eu me afastei, cambaleando.


- Ela foi envenenada. - respondeu o outro, eu trocava minhas pernas. 


Logo senti meu corpo, em um lugar congelado, tocar firme ali, e logo sentir aquele choque, intenso, meus olhos ainda meio abertos, senti o choque da espada contra o chão, e logo do meu corpo também. Eu estava ainda meio consciente, senti um toque quente, e me erguer no ar, logo me senti vencida pelo veneno.


- Ela acordou. - indagou uma voz feminina, longe e bem conhecida, eu abri meus olhos, que ainda continuavam embaçados, estava com eles bem acanhados.


- Halja... está bem?. - perguntou Thor, enquanto minha visão voltava.


- Estou. - sussurrei, e logo Thor me encarou, tocando meu rosto.


- Isso que dá, querer fazer tudo sozinha. - disse Loki, com certa irritação no falar.


- Balder?. - pergunto ignorando Loki, e ele bufa.


- Ele está sendo interrogado. - disse Thor, e eu suspiro, tentando apaziguar meu corpo, que estava extasiado.


- Me envenenaram com que?. - pergunto meia estranha, me sentando, e encostando minhas costas naquela cama, que era pequena, e branca, estava coberta por um lençol branco.


- Por um veneno específico de Asgard. - indagou uma mulher ao meu lado, ela se vestia com um jaleco azul.


- Doutora Phillips. - indagou Selving enquanto entrava, com um livro em mãos.


- Esse velho. - mumurrou Loki, e eu rolei os olhos.


- Eu preciso saber algo de Balder. - indaguei me levantando, já me sentia melhor.


- Você tem que repousar. - Thor disse segurando-me.


- Eu sou uma semideusa, e já estou bem. - indaguei mentindo, ouvindo Loki ri.


- Semideusa. - indagou ele zombando.


- Loki, já basta, conhecemos bem Halja.


- Eu conheço ela melhor que você, irmão. - indagou Loki, venenoso, e eu apenas olhei ele.


- Vejo, que duvisdaste de mim. - indaguei irônica, e logo Loki me olhou, com seu olhar sombrio.


- Está mesmo bem?.


- Estou Thor. - digo sorrindo, ele sempre foi preocupado assim, sempre, mesmo com seus desastres.


- Certo. - ele sorriu, e eu sai da sala, deixando ambos por lá, andei no corredor, com aquele roupão midgardiano, que aqueles curandeiros me põe, ou quer dizer, médicos.


Entrei onde dormiria, e fechei a porta, na chave, enquanto olhava em volta, o quarto transformou-se, eu suspiro, e ando até a direção de Thanos, que se encontrava no trono dele, conjurando meu macacão, enquanto ouvia meus saltos, rentes ao chão negro daquele santuário.


- Halja. - sorriu Thanos, enquanto eu subia os beirais.


- Eles acharam a joia seguinte. - falei enquanto me despojava nos beirais abaixo.


- E você, a pegou?. - perguntou ele, e eu suspiro.


Lembro-me bem do que havia feito, envenenada, vi Romanoff por a jóia sobre um frasco de metal, eu estava quase recuperada, fiz uma ilusão, trocando a pedra, e guardando-a em meus lugares secretos - dimensões -, eu encarei Thanos, e logo abri uma de minhas dimensões, pegando a jóia, e entregando a ele, que sorriu satisfeito, pondo ela sobre seu punho dourado.


- Halja, minha querida. - disse passando seus dedos enormes e roxos sobre meu rosto.


- Sem melancolia. Sua volta para terra, está quase próxima. - fui rígida, recuando, e ele me encarou. - não sabia que Loki estaria nesta também, por que não me avisou? sabe que não sou capaz de mentir para ele, ou quer dizer, sou capaz, mas eu e ele temos os mesmos dons, só escondo um dele; Thanos, não brinque com fogo, porém, sabereis que está mentindo, caso tente dar uma desculpa esfarrapada. - indaguei firme, e ele me olhou, com um olhar calmo, e sem importância. - e Thanos, você sabe bem, que se Loki, descobrir que eu, trabalho para você, não terá escapatória.


- Continue o que faz Halja, tire Loki para um jogo, dê checkmate, tire Loki do caminho, e sirva para si mesma, que ficará segura de si, que não lhe matarei, assim como os demais. - indagou Thanos, e eu dei um passo a frente, o encarando.


- Sabe que se eu trazer o caos, quem morrerá, será você. - fui fria e compulsiva, descendo as escadas, vendo a expressão de Thanos mudar, para uma expressão mais surpresa. - tirarei Loki para um jogo, e darei o checkmate, mas você, cumprirá sua parte, enquanto eu, me refugiarei dentre os 9 reinos. - afirmei vendo a ilusão desfazer, e meu traje de paciente retornar.


Ouço toques na porta, e suspiro, vou até lá, e destranco, abrindo e dando de cara com Loki, ele me pegou pelo pescoço, me jogando contra a parede. E logo vi a porta trancar, sozinha, a chave rodou, eu cravei minhas unhas em sua mão, na forma de me soltar, ele me olhava com raiva e ódio, lado a lado. Eu estava encarando-o firme, com os dentes trincados.


- O que faz aqui?.


- Não interessa. - respondi irônica.


- Halja, eu te conheço, quem te enviou?.


- Ninguém, eu trabalho para si mesma. - indaguei encarando Loki, que me olhava sedento, com sede de me matar, seus olhos já dizia.


- Nunca trabalhou. - disse Loki falou enquanto apertava mais.


- Claro que nunca trabalhei, não aceito ser mandada, nem mesmo por você.


- E pro meu irmão, você trabalhou?. - Loki riu, sarcasticamente.


- Lógico, Thor sempre foi digno do trono, e não você. - indaguei irritada, e ele pressionava mais.


- Quem é digno?. - trincou os dentes, enquanto me olhava.


- Thor... - digo quase sem voz, em um sussurro, ele aproxima do meu rosto, e seus lábios chegam perto da minha orelha.


- E quem te ajudou a vingar pelo exílio daquele tolo?. - sussurrou Loki, e eu aproveitei e retirei uma de minhas mãos do seu braço.


- Você deve ter grandes derrotas. - toquei seu pescoço.


Ele ficou atordoado, e logo me soltou, cai sobre o chão, ofegante, recuperando o ar, enquanto ele se afastava de mim, me olhando no chão, com seu olhar sério. Pareceu não funcionar com ele.


- Sua ingênua, seus poderes são como os meus, e você não consegue aplica-los em mim. - indagou Loki, com um sorriso sarcástico.


- Claro que não. - eu movi minhas mãos sobre o pescoço, abrindo um sorriso largo. - porém, posso mata-lo. - tirei uma adaga que escondia na manga, e quando ia golpea-lo, ele rodou, tirando outra.


Começamos a lutar, eu tentava o golpear, e ele sempre trapaceava, eu criava ilusões, e logo ele me agarrou por trás, pondo a adaga em meu pescoço, sua respiração estava perto da minha orelha. Estava quente e ofegante, acelerada, eu sentia seu cheiro amadeirado, deixei um sorriso irônico brotar, até que tirei uma adaga entre as mãos, cravando em sua perna, ele grunhiu, afastando-se.


- Eu também sei trapacear. - o empurrei na cama, e ele me olhou surpreso. - acha mesmo que meus poderes são fracos?.


- E você acha que eu sou tolo?. - ouço um sussurro em meu ouvido, e logo me viro, vendo Loki, nós apontamos a adaga um pro outro, e ele me encarou, com os cabelos bagunçados, e suado, sua perna estava boa.


Tolo! ele criou uma ilusão, e eu feri a ilusão, e não esse medíocre.


- Lembro-me bem da sua traição.


- Parece que sua memória é boa. - dei um sorriso, e ele me encarou.


- Muito boa. - afirmou ele, me olhando nos olhos.


- Que bom, pois temos uma proposta a fazer. - indaguei sorrindo, e ele continuou com a adaga em meu pescoço.


- O que você quer propor vadia?.


- É assim que trata sua, futura; rainha?.


Ele riu debochadamente, que me fez gelar a espinha, ele me encarou, e eu persisti.


- Rainha?. - ele ria debochado.


- Sim Loki, ou acha que não tenho cartas na manga?.


- Qual trono usurpara, de seu pai?.


- Ele não é meu pai. - rosnei o olhando, e ele riu.


- Até nisso somos iguais. - disse Loki, debochado.


- Temos um tabuleiro. - indaguei abaixando a adaga. - as melhores peças, mentiras e trapaças, quem trapacear melhor, e mentir melhor, ganha. Da o checkmate final, quem perder, vai servir para o outro que ganhar. - falei e ele deu um sorriso enorme, e eu fiz um bico debochador.


- Eu vou amar, tê-la como uma serva, para agradar meus desejos. - indagou Loki e eu dei uma risada.


- Adoraria, tê-lo como meu servo, para que realize os meus. - falei sorrindo, e ele me olhou. - estou neste jogo querido, prepare suas melhores peças. - sorrio irônica, e ele me olha, com um olhar sombrio, e irônico.


- Já estou preparado querida, desde o momento que nos esbarramos. - Loki rebateu, com um sorriso.


- Ótimo, prepare, que você não irá ganhar, desta vez, não.


- Farei de tudo, para descobrirem suas origens, fatais. - ameaçou ele, e eu apenas cruzei os braços.


- Que vença, o melhor. - sorrio, ele sorri também, e me encara, saindo do quarto, eu fecho meus olhos, suspirando e sentando-me na cama. - Halja, pense em quais peças utilizará, jogue ele para fora de seu caminho.


Hela.


- Olá Thanos. - sorrio bem calma, e recebendo o mesmo.


- Olá Hela. - sorriu Thanos, e eu bato palma. 


- Notícias sobre as jóias, e sobre meu plano?. - indaguei enquanto me sentava sobre meu trono, que ficava nas profundezas de Niflheim.


- Sobre as jóias, estão caminhando bem. - mostrou-me o punho, e eu dei um sorriso, tomando um gole de uma bebida.


- Sobre Halja?.


- Seu plano, está caminhando bem. Loki e Halja, se virão, e já estão vivenciando grandes momentos.


- Então...- me levanto do meu trono. - o meu reinado está próximo. - indaguei indo a beira das labaredas, que subiam pelo Hell, pondo minha mão sobre elas. - A chama eterna. - sorri, ouvindo os gritos daqueles que queimavam ali. - Halja, minha doce arma, meu doce orgulho, minha doce filha. - falei observando as chamas, fazerem o formato certo do rosto de Halja em minhas mãos.


Notas Finais


Bom, repostando porque ninguém merece hater, espantando os leitores. 🙄

A cada capítulo, uma descoberta hahaha. 😋

Vai variar, uns capítulos terão finais com algum personagem de fora narrando. Além dos principais. 💫

Espero que tenham gostado. 🌟

Qualquer erro, será corrigido. 🌙

*comentem para motivar gente, eu não gosto de cobrar, não precisa ter medo para dar opinião, ou dizer que gosta ou não*

Disponível no wattpad

https://my.w.tt/UiNb/m2XPNmVV0H

- Autora;
Babe. 🌝


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...