História Life Is Strange - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens August Wayne Booth (Pinóquio), Cruella De Vil, Dr. Archie Hopper (Jiminy Cricket), Dr. Whale (Dr. Victor Frankenstein), Emma Swan, Hades, Henry Mills, Lacey (Belle), Neal Cassidy (Baelfire), Personagens Originais, Regina Mills (Rainha Malvada), Ruby (Chapeuzinho Vermelho), Sr. Gold (Rumplestiltskin), Vovó (Granny), Zelena (Bruxa Má do Oeste)
Tags Redcricket, Rumbelle, Swanqueen, Universo Alternativo
Visualizações 28
Palavras 1.267
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Mistério, Policial, Romance e Novela, Sobrenatural, Terror e Horror, Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Espero que gostem e me perdoem pelo atraso.

Capítulo 3 - Doces Sonhos


O cheiro que sentia era insuportável. Jack andava tranquilamente pela rua deserta. O odor de podridão podia ser sentido a metros de distância do local.

O pequeno lago no qual vinha o cheiro tinha algo flutuando em sua superfície. Jack, como sempre curioso, decidiu ver o que boiava nas águas negras por poluição.

Com suas mãos, virou a coisa misteriosa.

O grito agudo do homem chegou a porta da casa da Senhora Finnigns. Abrindo a porta com uma grande precisão, a senhora de pele muito branca e rugas por todo o seu rosto olhou a densidade do lago, parando seu olhar em um homem com cabelos compridos e uma roupa chamativa caído na margem. Um pequeno corpo sem cabeça, pernas e braços, com apenas o tronco, ficaria guardado na memória da senhora para sempre.

                  …

Archie olhava pela janela desesperado com o novo caso. Ruby, tentava animar a todos que estavam aterrorizados pela nova missão.

Um canibal solto por Seattle. E a criança encontrada no lago não era sua primeira vítima.

Hildy daria una festa de Halloween para todos da homicídios, ou seja, Júnior estaria lá e ele era a última pessoa que Archie gostaria de ver.

Clube de Stripp- Seattle - Alguns dias antes

As garotas dançavam ao redor de todo o salão, Archie olhava para o Barman que lhe servia um belo drink.

—O senhor já viu essa mulher?-Questionou Archie segurando uma foto de Regina.

—Sim, já trabalhei em alguns turnos com ela- O homem se virou para atender o outro cliente- Ela dançava com Alyssa.

—Qual o nome dela?- Com as bochechas tão vermelhas quanto seu cabelo, o homem criou coragem para perguntar. —Sabe… de dançarina…

-Ela se auto apelidava de Evil Queen, mas logo largou a vida de dançarina de boate e foi viver com a namorada- ele se virou para encarar os olhos azuis de Hopper- A xerife Swan, deve conhecer ela…

— Eu não sabia que Xerife Swan gostava de colocar aranha para brigar, bom saber que ela também é bi- O homem balançou a cabeça desacreditado no que disse. Ele havia se assumido para um cara que nem conhecia.

—Olha só quem encontrei aqui- Júnior apareceu como um fantasma do seu lado.

— O que está fazendo aqui Mulligan?- O ruivo deu o maior olhar de desprezo para o homem careca ao seu lado.

— É meu horário de almoço Hopper- Júnior tomou um gole de seu conhaque.

Quando uma bela mulher chegou. A partir da chegada dela, ele não se lembrou de mais nada, apenas de seu nome, Alyssa…

            Seattle- Atualmente

Ruby estava com a cabeça encostada no ombro de Archie. Estava com medo das histórias que os colegas contavam. Robert havia contado uma lenda, sobre uma casa, que aprisionava as almas das pessoas que ali morriam, ela era conhecida como Murder House e existia.

Archie se levantou e pegou uma folha de papel meio velha.

—Eu escrevi essa história a muito tempo, foi de um sonho que eu tive quando criança…-Archie tinha um medo no olhar e começou a contar…

"Estou aqui no meu quarto por horas. São 5:30 da manhã e não tem muito que eu possa fazer. Você sabe qual é a pior parte da minha situação? Meus pais estão no quarto comigo. Eles continuam a olhar para mim e não posso deixar de desviar o olhar e tentar não chorar ou gritar.

Seus olhos estão fixos em mim e suas bocas estão abertas. Há um cheiro forte de sangue e me sinto tão paralisado de medo. O negocio é o seguinte. No momento que eu der qualquer sinal de que não estou dormindo, estou fodido. Eu vou morrer, e não há ninguém que possa me salvar. Eu tentei pensar em alguma coisa, mas a única ideia que tenho é correr para a porta, correr para fora e gritar por ajuda, esperando que qualquer vizinho me ouça. É arriscado, mas se eu ficar aqui, certamente vou morrer.

Ele está esperando que eu acorde e veja sua obra-prima. Você provavelmente está se perguntando o que está acontecendo. Eu me atrapalho às vezes. Cerca de três horas atrás eu fui acordado por um barulho do outro lado da casa. Levantei e fui usar o banheiro e ver o que era.

Em vez de fazer a coisa inteligente e nobre e investigar, usei o banheiro primeiro. Quando terminei e olhei para fora do banheiro. Havia sangue no tapete. Como qualquer outro ser humano faria, eu voltei para o meu quarto, escondendo-me debaixo dos meus lençóis. Tentei desesperadamente voltar a dormir e me convencer que tudo era apenas um sonho estranho, vívido ou algo assim. Mas eu ouvi a porta do meu quarto abrir, e, como a criança aterrorizada que eu era, eu espiei para pelos cobertores para ver o que estava acontecendo.

Eu podia ver algo arrastando meus pais para o quarto, obviamente mortos. O ser não era humano, eu posso te dizer isso. Era sem pelos, sem olhos nem roupa. Caminhava como um homem das cavernas, com as costas encurvadas enquanto arrastava meus pais mortos. Mas essa coisa foi mais inteligente do que qualquer homem das cavernas.

Ele apoiou meu pai contra a borda da cama e fez com que ele me encarasse. Então sentou minha mãe na cadeira e a posicionou em minha direção. Então, começou a esfregar as mãos ao longo das paredes, manchando-a com sangue, desenhando um círculo com um pentagrama. A criatura fez o que provavelmente chamaria de obra-prima.

Para terminar, ele escreveu uma mensagem na parede que eu não conseguia ler na escuridão. Em seguida, foi para debaixo da minha cama, esperando para atacar.

A coisa mais assustadora agora é, meus olhos se ajustaram à escuridão, e desde então, eu posso ler a mensagem na parede. Eu não quero olhar, porque é terrível pensar, mas eu sinto que preciso ver antes de morrer.

Eu olho para a obra-prima da criatura.

"Eu sei que você está acordado" "

Hildy com o espanto estampado em seu rosto, virou para Hopper.

—Archie, isso é preocupante, essa criatura… em seu sonho… era alguém em especial?

—Sim, era meu padrasto, ele me dava medo, muito medo. Ele matou minha mãe- Com lágrimas nos olhos o ruivo foi abraçado por Belle, namorada de um dos seu melhores amigos, Robert.

Xerife Swan estava ao canto, mas se surpreendeu com a história de Hopper. Ela entendia o que ele sentia. Ela não tinha pais.

—Ele fazia mais alguma coisa para que tivesse tanto medo dele assim?- Hildy questionou, o que ninguém sabia era que ela tinha formação em psicologia. Então gostaria de ajudar seu amigo.

—Ele abusava de mim e da minha irmã.

— Isso é péssimo, passou por tratamento psicológico?- Belle se preocupou

—Sim, 12 anos.

Hildy tentou quebrar o momento constrangedor para Archie.

— Querem saber o que é assustador mesmo? A carta que Alfie deixou.

— Por que devemos falar desse garoto?- Ruby falou pela primeira vez enquanto estava abraçada com Archie.

— Porque essa carta é muito curiosa.

— Então leia ela para nós Hil- A voz suave de Hopper tomou conta da sala.

— Então lá vamos nós.

" Venho por meio dessa carta dizer o quanto estou perdido. Quero que todos morram e que sofram antes. Torturar é sempre mais divertido que matar. Nada paga o prazer de escutar um grito de dor.

Não sou doente, apenas tenho gostos peculiares. Espero que todos naquele ônibus estejam mortos e queimando no fogo do inferno

Assinado: Alfie Rentman"

— Archie, você livrou o mundo de um doente- Belle pela primeira vez disse algo macabro em sua vida.


Notas Finais


A história do Canibal será investigada no próximo capítulo.
Espero que tenham gostado desse capítulo o tanto quanto eu gostei.
PS: O conto que Archie conta não é de minha autoria, ela foi retirada da página: Fatos Sobrenaturais.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...