História Lost in Despair - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Tags Bts, Drama, Romance, Sobrenatural, Vampiros
Visualizações 44
Palavras 2.301
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Hentai, Luta, Romance e Novela, Seinen, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


VOLTEI! Sei que demorei dnv, mas o dia que eu previa lançar o cap eu comecei a passar mal e tive até que ir para o hospital, mas ta tudo bem já, não precisam se preocupar ( se é que alguém se importa kkk ).

Sei que havia prometido lançar uma fic nova no mês passado, mas esta difícil escrever os caps, pois não estão ficando do jeito que eu quero, então esperem mais um pouco que desse mês não passa.

Espero que curtam o cap, ele ta bem choroso.

Capítulo 16 - Corações Partidos.


A grama áspera e molhada do quintal de sua casa nunca pareceu tão acolhedora como nesse momento. Enquanto as gotas de chuva caem sobre si e a brisa gélida da madrugada fazem-na trazer os joelho mais perto do corpo, em busca de se esquentar: Megan chora como não chorava a tempos. Mesmo que sua vida tenha virado um inferno desde que se transformou, nunca havia sentido dor igual a que lhe assola nesse momento.

Ouvir aquelas palavras de Jimin, destruíram-na por completo. Mas não o culpa, foi a morena quem colocou esperanças em um relacionamento que tinha 90% de certeza que daria errado. Como um caçador amaria uma vampira? Como o ruivo amaria alguém da mesma raça de quem matou sua mãe? Ela sabia que não fazia sentido desde o começo, mas os atos do Park, lhe fizeram pensar o contrario, mas estava completamente errada.

A morena conseguiu sentir todo o ódio emanar dos olhos do caçador enquanto lhe olhava com desprezo e soltava aquelas palavras. Se sentiu um completo lixo por pensar que as palavras dele são realmente verdade. Ela é um monstro, mesmo que nunca tenha matado, ajudou dezenas de companheiros a tirarem vidas, não é melhor que eles em nada. Mas o esforço de poupar o máximo de vidas e até salvar algumas não significou de nada?

— E agora... o que vamos fazer? — Pergunta acariciando a própria barriga e decide que Jimin nunca saberá da existência dessa criança. Ela é madura o suficiente para cuidar de seu filho sozinha. Tem medo do que o ruivo possa fazer ao descobrir isso.

Megan sente as lágrimas se misturarem as gotas de chuva e agarra os cabelos com as mãos, deixando que a tristeza lhe tome por completo. Acabou de perder a única pessoa que conseguia lhe fazer sentir humana, e agora sobrou o que? Apenas um mundo cheio de mortes a sua volta e atos malignos vindos dos próprios companheiros de grupo. Mas já devia ter sido forte o suficiente para se acostumar com isso.

E Jimin reconhece que deveria ser forte o suficiente para simplesmente parar de amar aquela garota, mas não consegue.

— Crystal... Acabei deu perder a pessoa que mais amo na vida. — Sente lágrimas tomarem seus olhos e se ajoelha e frente da cadela. Não sabe nem como teve forças para sair correndo da praia e dirigir até em casa. Se sente totalmente fraco e insignificante.

Nunca imaginou que Megan fosse algo assim e muito menos que esconderia isso dele. Isso é o que mais lhe dói. Ela não confiou em si para lhe contar aquilo? Pensa que se a mais nova tivesse aberto o jogo desde o inicio, ele conseguiria aceita-la, mas depois de descobrir isso por outra pessoa, não sabe se consegue perdoa-la. E na realidade: não quer.

Não quer se envolver com alguém que faz parte da RedEye. Todos que fazem parte daquele grupo são monstros sem causa alguma, se não matar pessoas inocentes e teme que Megan seja igual. Mas algo dentro dele, sabe que não. Ela é diferente de todas as pessoas com quem se relacionou: ela consegue ver bondade e ter esperanças onde não há nenhum dos dois. Bom, pelo menos é o que pensa.

— Sera que tudo isso foi um jogo? — Pergunta a cachorrinha, que apenas lhe lambe na intenção de anima-lo. — Sera que Megan Treinor é realmente o que me demonstrou? — Sua cabeça parece que vai explodir. O caçador não sabe o que pensar. Teme que tudo que tiveram, fora fingimento da parte dela e que suas intenções eram totalmente diferente.

Mas, mal sabe o ruivo que aquela garota lhe ama acima de tudo e que faria qualquer coisa para ele lhe perdoar. E quem ela demonstrou ser é totalmente verdadeira e a única coisa que quer é se ver liberta desse pesadelo, mas sua única saída não esta mais ao seu alcance.

[...]

Enquanto um lado sofre por ter tido o amor destruído, o outro da risada e comemora com seu carrasco. Raphael voltou até o prédio e contou todos os detalhes possíveis para Kihyun. Os dois se divertem com o sofrimento alheio.

— Mas por que não o matou? Estava tão perto. — O mais novo pergunta enquanto fuma mais um de seus cigarros diários.

— Não teria graça, tenho certeza que vou encontra-lo por ai em um de nossos trabalhos. Faço questão que Megan veja de camarote. Mas antes, quero que ela sofra um pouco mais. — Sorri de lado e coloca os pés sobre a mesa.

Todos os vampiros a volta dos mesmos já estão sabendo da história da vampira e o caçador que seu chefe fez questão de levar ao chão. Alguns dão risada das falas cruéis de seu superior, já outros, se sentem totalmente incomodados ao perceberem que existem pessoas tão malignas a esse ponto no mundo, mas sabem que não podem fazer nada a respeito. Ou apenas acham mais fácil fechar os olhos para os atos malignos que são cometidos aqui dentro.

Mas Hoseok, definitivamente não esta nessa lista.

— Você é realmente um monstro Raphael! — O moreno diz avançando no mais velho. Ele o segura pela gola da camisa e desfere um soco extremamente forte no maxilar alheio. Todos ao seu redor o olham surpresos. Ele não é o tipo de pessoa que se irrita fácil. — Qual o prazer que tem em ver as pessoas ao seu redor sofrerem? Especialmente a Megan, ela nunca fez mal a ninguém e você faz questão de destruir o pouco de felicidade que ela ainda tem? — Ele tenta avançar novamente no líder, mas Kihyun o impede.

— Calminha Hoseok. Eu fiz isso especialmente pensando na nossa Megan. Quem sabe agora ela não acorde para vida e veja que esse mundo não é pacifico como o mundo em que ela viveu a um ano atrás? — Sorri sínico e Hoseok sente seu sangue ferver e cerra os punhos.

— Ela não precisaria acordar se você não tivesse transformado-a! Você foi quem a trouxe para cá! — Tenta se desvencilhar a todo custo do platinado, mas ele é mais forte que si.

— Já terminou seu sermão? Vou para casa que eu ganho mais. — Da as costas para o mais novo e se retira do prédio.

O moreno consegue finalmente se desvencilhar de Kihyun e o prensa na parede, pressionando seu ante braço no pescoço deste e o olhando com ódio nos olhos.

— Se chegar perto da Megan, eu te mato. — Soca o rosto alheio antes de lhe dar as costas. — Esta avisado. — O platinado lhe olha sorrindo de lado e limpa o filete de sangue que escorre de seu lábio.

Jung resolve ir até a casa de Megan para ver como a amiga esta. Sabe que ela não contou sobre sua gravidez para ninguém e imagina como ela deve estar destruída depois do que aconteceu. Ela precisa dele.

Hobi xinga o tempo logo após perceber que esta chovendo, odeia ter que se deslocar pela cidade enquanto toma chuva. Essa é uma das poucas madrugadas que esta chovendo, até parece coincidência demais essas gotas caírem juntamente as lágrimas dos dois jovens.

As luzes da casa da amiga estão todas apagas, não há resquício algum que tenha alguém acordado. Ele se pergunta se deve bater e correr o risco de acordar alguém. Mas acha estranho o fato da mais nova estar dormindo depois do que aconteceu, então resolve ligar para o celular desta. Se ela não estiver em casa, saberá onde ela esta.

— Alo? — A voz sonolenta de Jihya entrega que a mesma acabou de acordar: justamente pelo toque do celular da melhor amiga.

— Jihya? É o Hobi, a Megan esta? — A loira olha para o lado e percebe que a mais velha não esta deitada. Até estranhou o modo que ela saiu de casa, mas deixou de lado, achou que fosse encontrar Jimin.

— Não, acho que ela esta na casa do... — Tapa a boca assim que percebe o que vai falar. O sono é maior que si e quase a fez entregar a amiga.

— Do Jimin? Pode me falar, eu já sei de tudo. — Ela franze o cenho e se senta na cama.

— Como sabe dele?

— Não só eu sei, como o Raphael também descobriu e fez questão de acabar com o que os dois tinham. — Explica e a mais nova arregala os olhos e levanta rapidamente da cama. Ela acaba batendo o dedinho no pé da cama ao caminhar para acender a luz e sibila um "merda" pela dor.

— O que aconteceu? —Deixa o aparelho no viva a voz e começa a tirar o pijama para colocar uma roupa de frio.

— Eu explico enquanto procuramos por ela. Ela deve estar em algum lugar querendo ficar sozinha. — Ela assente e finalmente termina de vestir uma calça jeans e uma blusa de lã. Mesmo não estando lá fora, sente que a madrugada esta bem fria.

Ao sair de casa, vê o moreno passar as mãos nos braços, tentando se esquentar, mas claro que esta falhando. Ela volta até a sala e pega um casaco que Namjoon tinha deixado sobre o sofá quando chegou do trabalho, para entregar ao mais velho. Ele lhe agradece e se colocam a andar pela cidade enquanto pensam onde a amiga possa estar.

— Sabe onde a Megan gosta de ir? — O moreno pergunta enquanto tenta pensar também. São poucos os lugares para onde ela saia. Costumava ficar mais em casa.

— O único lugar que ela gostava de ir, era no clube que tem perto de nossa escola. Ela adorava nadar e participar das festas que tinham, tirando isso, ela não era de sair. — Responde passando os olhos pela cidade. A madrugada esta totalmente quieta. Não há carro passando pelas ruas e muito menos luzes de casas acesas. São cinco da madrugada, obviamente ninguém estaria acordado,a não ser os vampiros, eles não precisam de muitas horas de sono para recuperarem as forças, se tomarem sangue diariamente, pode ficar acordados sempre e sua energia nunca irá acabar.

— E quando ela queria ficar sozinha, tinha algum lugar?

— Normalmente ela ia para casa e se trancava no quarto... É claro, a casa dela! — Sorri vitoriosa ao ter pensado nisso e o vampiro apenas lhe segue pelo caminho. A casa da garota não e muito longe de onde estão, e com sua velocidade, chegam lá em segundos.

A casa da morena tem uma aparência totalmente confortável. Ela é média e suas paredes são na cor creme, há um jardim na frente e ao lado, onde ficam os brinquedos que Megan brincava quando era menor, ela adorava aquela balança.

Hobi sente seu coração apertar ao pensar que a vida da garota era muito melhor quando não fazia parte dela. Pois se não fosse por Raphael ter a transformado, eles nunca se conheceriam e na verdade, é isso que o moreno deseja. Mesmo que goste muit dela, reconhece que estaria muito melhor longe de si.

— Ela só pode estar aqui. — Comenta enquanto pula o portão junto de Hoseok. Os pais da jovem estão dormindo, então não há perigo deles lhe ouvirem.

Pela audição sobre humana dos vampiros, os dois conseguem ouvir o choro da amiga vindo do lado da casa. Ato esse, que seria possível de seus pais ouvirem.

Jihya corre até ela e a encontra com as roupas totalmente molhadas, sentada no chão enquanto mantem seus joelhos no peito.

— Meg, eu to aqui, calma. — Ela abraça a mais velha e sente o corpo desta extremamente gelado. Ela dever estar morrendo de frio.

— M-Me deixa Jihya. — Sibila com o minimo de voz que ainda tem e sente os braços da mais nova lhe envolverem ainda mais.

— Lembra quando éramos menores e eu disse que iria estar aqui para te ajudar a colar cada pedacinho que partirem do seu coração? Eu não esqueci e é exatamente isso que vou fazer. — Sorri e o moreno apenas observa a cena. Não pode interferir, sabe que sua ligação com Megan não chega nem perto de Jihya, ela saberá o que falar. — O que aquele cara fez com a minha menina? Se ele lhe falou alguma coisa, eu vou fazer questão de mata-lo com minhas próprias mãos. — Brinca e segura o rosto da mais velha entre as mãos.

— E-Ele só falou a verdade. — Soluça e para de falar. — Eu sou um monstro Jihya, como pensei que ele poderia me amar depois de descobrir? — Se rende e abraça a melhor amiga forte. Realmente, é como se os pedacinhos de seu coração se juntassem um pouquinho, mas não o suficiente para acabar com sua dor.

— Amiga, ele é um completo idiota. Ele não consegue enxergar o anjo que você é e se ele pensa assim, ele quem perdeu alguém extremamente incrível. Ser uma vampira não muda o que você é, o que importa é o que esta aqui. — Aponta para o coração de Megan e ela sorri minimamente. Só Jihya consegue lhe fazer sentir melhor. — Vem, levanta, não pode continuar a se melhor, vai pegar um resfriado. — Ajuda a amiga a levantar e a abraça de lado.

— Vampiros não ficam doentes... — Sente seu corpo enfraquecer e sua amiga lhe segura pelos ombros.

— Meg, comeu algo ontem? — O moreno pergunta e indica que irá segura-la e a loira pode sota-la.

— Não, eu tomei sangue a dois dias atrás, não era para estar fraca. — Comenta estranhando. Ela consegue ficar até uma semana sem tomar sangue e sua força estará estável.

 

— Agora é diferente Meg, seu organismo mudou e precisa se alimentar todos os dias. — Avisa e ela assente. Depois terá que tirar suas duvidas sobre isso com ele, mas não pode fazer isso com a amiga por perto.

A morena sorri minimamente e encosta a cabeça no ombro alheio. Ter amigo nesse mundo é incrível, só eles vão ser capazes de fazer com que ela não sofra tanto enquanto se acostuma com sua nova vida: uma vida sem Park Jimin.


Notas Finais


Não disse que ele estava choroso? Esses dois ainda nos desidratam.

O próximo não vai demorar... eu espero né kajskaj.

Bjinhos <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...