História Louca por um beijo seu (Lésbico) - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Amizade, Lésbico, Romance
Visualizações 46
Palavras 1.197
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fantasia, Romance e Novela
Avisos: Bissexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 16 - Eu me rendo


Fanfic / Fanfiction Louca por um beijo seu (Lésbico) - Capítulo 16 - Eu me rendo

Deitamos na cama e ficamos ali abraçadas, Thay repousa sua cabeça no meu peito, sua mão esquerda me envolve enquanto faço carinho em suas costas.

Eu amo tudo naquela mulher, cada detalhe dela e cada mania que eu aprendi a reconhecer através dos anos. Amo a forma em que ela prende o cabelo com pressa quando algo a incomoda ou a mania que ela tem de assistir filmes tristes quando tá de TPM só para ter uma desculpa para comer uma barra inteira de chocolate. Mas a minha mania preferida nela é a forma que ela sempre sorrir ao me ver e antes de me beijar ela encara minha boca, mas nem se da conta.

- Em que você está pensando Cléo? Ela me pergunta ainda deitada sobre meu peito.

- Pensando em todos os detalhes que eu amo em você!

- Cuidado que posso me acostumar com isso! Ela diz.

- Se acostumar com o que?

- Com você dizendo que me ama.

O cheiro doce dos seus cabelos, a respiração tranquila e o calor do corpo dela abraçado ao meu faz todos meus medos irem embora.

- Do que você teve medo Thay?

- Nós já conversamos sobre isso.

- Eu sei, mas eu quero saber como é para você gostar de uma mulher.

- Eu não entendi no começo, achei que pudesse estar misturando e confundindo a amizade. Nunca tinha se quer olhado para outra mulher e nunca isso me passou pela cabeça, você sabe! Mas me peguei querendo você, sonhei várias vezes que estava beijando você Cléo, quando eu vi já estava apaixonada. Então aceitei o sentimento e percebi que tinha sorte de ser com você, então o medo se foi.

A respiração dela ainda é calma, ela me aperta ainda mais forte.

- Sonhou comigo é? Você não faz idéia de quantas vezes eu me imaginei ou sonhei que eu estava beijando você! Respondo passando meus dedos na lateral da sua cintura o lugar onde ela sente cócegas.

- Se eu não te beijasse nós não estaríamos aqui, senhorita Cléo.

Ela me olha com um sorriso estampado no rosto.

- Você é muito atirada senhorita Thay! Mas confesso que não ia me controlar por muito mais tempo. Digo e sorrio de volta.

- Então você tinha planos de me agarrar sorrateiramente no meio da noite?

- Ah sim, você não imagina as ideias que eu tinha na minha cabeça para aqueles quatro dias!

Trocamos sorrisos deitadas na cama e a sensação de paz me toma novamente.

- O que você ficou fazendo no dia em que você dormiu na sala? Ela me pergunta.

- Eu não consegui dormir Thay, fiquei olhando para o teto e indo até a porta do quarto.

- E o que você queria fazer?

Vejo um sorriso malicioso aparecer em seu rosto.

- Queria entrar no quarto e matar minha vontade de beijar você como vou fazer agora!

- Então me mostra como você ia me beijar naquela noite!

Ela se desvencilha dos meus braços e em um único movimento já está em cima de mim, sinto o peso do seu corpo sobre o meu e reconheço mais uma vez a mania que ela tem de olhar a minha boca antes de me beijar.

Nossas bocas se encostam mas dessa vez o beijo é suave e sem pressa, nos beijamos devagar pela primeira vez. Dessa vez nossas bocas se estudam, nossas línguas se entrelaçam ocupando cada espaço na boca uma da outra. Suas pernas estão em volta de mim, uma mão dela está tocando meu rosto a outra apoia seu peso na cama.

Eu seguro em sua nuca com uma das minhas mãos a outra passeia entre sua cintura e suas costas. Todos os nossos movimentos são em sincronia, tudo com calma. Ela morde meus lábios de leve e sempre sorri ao fazer isso. Dessa vez nosso beijo tem um gosto diferente, eu poderia viver presa naquele momento, estava nos braços da mulher que eu amava e queria aproveitar cada minuto com ela.

Interrompemos o beijo e nos olhamos, faço carinho em seu rosto e lhe observo tão de perto que quase posso me ver em sua retina.

Ela se senta e tira a blusa do seu pijama de panda, ela volta a por seu rosto próximo ao meu e me dá um beijo curto. Suas mãos passam por dentro da minha blusa que vai subindo em meu corpo, ela retira minha blusa com calma e volta a me beijar.

O desejo nos faz querer fazer tudo mais lentamente dessa vez, cada beijo e cada toque é lento e estudado no corpo uma da outra. Cada peça de roupa é retirada até ficarmos completamente nuas, tudo perfeitamente controlado.

Eu tento me virar e trocar de posição com ela, porém ela não deixa.

- Xiuuu, só me avisa se eu tiver fazendo algo errado.

Ela diz e nos beijamos outra vez, minhas mãos estão apertando todo seu corpo, nossas respirações estão ofegantes porém tudo ainda continua devagar.

Ela desce seu beijo pela lateral do meu pescoço me fazendo soltar um suspiro imediato, arqueiro a cabeça para trás me rendendo a ela. Ela desce e chega em meus seios, sua língua passeia devagar com calma em cada um deles. Ela para e me olha, passa o seu dedo indicador em meus lábios e desce com ele em uma linha reta, isso me faz arrepiar por inteira.

Ela passa uma de suas pernas e a coloca entre as minhas, seu dedo passa por minha barriga e desce um pouco mais.

Automaticamente abro minha perna que não está presa entre as pernas dela, seguro sua mão que está perto da minha intimidade e prossigo ensinando o caminho. Ela esfrega sua mão em mim, estamos nos olhando, o toque dela era diferente de tudo que eu havia provado.

Seus movimento são circulares e lentos, fecho meus olhos ao sentir seus dedos. Suspiro fundo. Estou completamente excitada, de repente dois dedos seus me penetram me fazendo arquear na cama, ela se ajeita sobre meu corpo e começa um vai e vem lento. Ela beija meu pescoço, nossos seios se roçam e o mesmo acontece com nossas pernas entrelaçadas.

Finalmente consigo olhar para ela, e agarro sua bunda.

- Não me faça pedir Thay!

Começo a rebolar em sua mão, nossos corpos se movimentam um pouco mais rápidos agora, seus dedos entram e saem de mim, ela sabe exatamente como fazer.

Sinto meu corpo se arrepiar e sei que estou perto de gozar, meus movimentos ficam mais apressados, perco o controle da minha respiração e de todo meu corpo. Sinto meu corpo se arrepiar e meus gemidos ficam mais intensos eu a olho e ela me beija, seguro em sua mão que está em mim e acelero seus movimentos, segundos depois tenho um orgasmo.

- Você não disse se eu estava fazendo algo de errado! Ela diz me dando selinhos na boca.

- Desculpa estava ocupada demais gozando! Você foi perfeita!

- Fui é?

- Foi!

- Espero que você não esteja muito cansada Cléo.

- Não estou, eu ainda não matei minha vontade de você Thay.

Digo a virando e invertendo nossas posições na cama.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...