História Love for Blood - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Exo, Gay, Hunhan, Lemon, Romance, Yaoi
Visualizações 77
Palavras 1.563
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fantasia, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Sobrenatural, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


E aiiiii

esse capitulo ta lesgal rs

espero que gostem c:

Capítulo 9 - A batalha começaria.


DEPOIS DE ALGUNS MINUTOS, terminando de arrumar todas as suas coisas, Luhan, sua mãe e Baek entraram no carro em direção à sua casa. Durante todo o caminho nenhuma palavra foi dita. Lu estava achando sua mãe muito diferente desde que saíram do hospital, mas preferiu não dizer nada.

 

Assim que chegaram ao seu destino, Baekhyun foi o primeiro a sair, para pegar a cadeira de rodas do melhor amigo. Andou até o outro lado do carro para pegar a mesma e então voltou ajudando o amigo a se levantar. Todos os três se levantaram, entrando na casa. Luhan já estava agoniado com todo aquele silêncio, então decidiu acabar com aquilo.

 

— Olhem, eu estava pensando em convidar Kyungsoo e Jongdae para uma visita. Faz tanto tempo que não os vejo. O que acham?

 

— Eu acho melhor não. — sua mãe o respondeu.

 

—Mas por quê?

 

— Você não está bem Luhan. Acha que está disposto a receber visitas?

 

— Eu quero ver meus amigos. Tenho certeza que vai ajudar a me sentir melhor.

 

— Você venceu. Chame-os então. — a senhora Lu se levantou não parecendo muito contente com o que o filho decidiu. — Vou preparar algo para eles comerem, já que você insiste.

 

— Obrigado. — Luhan a respondeu vendo ela se afastar até a cozinha, e então voltou sua atenção à Baek que assista tudo calado. — Pode chamá-los para mim? Acho que eles se assustariam até com a minha voz. — disse brincando, arrancando um sorriso do mais novo que parecia tenso.

 

— Não acha que sua mãe tem razão mesmo, Luhan? Você devia descansar.

 

— Talvez sim, mas se eu não os ver agora, talvez nunca mais os veja. Eu tenho medo de não continuar vivo. Preciso ver meus amigos uma última vez.

 

— Não diga besteiras.

 

— Baek, estou falando sério.

 

— Tudo bem. Eu os chamo.

 

— Obrigado.

 

— Já venho. — o moreno falou se levantando ao que tirava o celular do bolso.

 

— Te espero.






 

Os quatro vampiros andaram mais e mais até encontrarem um cais. Haviam diferentes tipos de barcos e Sehun parou por alguns momentos observando um dos barcos. Os outros perceberam sua parada e então pararam também.

 

— ‘Tá fazendo o que? — Chan perguntou ao ver que Sehun encarava algo.

 

— Eu conheço esse barco. — disse e logo saiu correndo em direção ao mesmo.

 

— Onde ele foi? — Jongin perguntou.

 

— Não sei.

 

— Vamos atrás. — Kris disse.

 

Sehun parou ao ver o dono do barco a sua frente.

 

— Posso ajudar?

 

— Sr. Jungsoo?

 

— Sim, e quem é você?

 

— Oh Sehun. — disse esticando uma das mãos para comprimentar o senhor. — Eu e meus amigos somos vampiros também. É uma honra conhecê-lo.

 

— Quem é esse? — Chanyeol cochichou para Yifan.

 

— É Kim Jungsoo. Ele foi um dos primeiros vampiros da história. É uma lenda. Não faço ideia do que esteja fazendo aqui.

 

— Oh Sehun? Já ouvi falar muito de você. Então, o que está fazendo aqui? Precisa de algo?

 

— Na verdade sim. Nós estamos atrás da reflexus. — falou e o senhor riu.

 

— Desista meu jovem.

 

— Estou falando sério. Eu tenho um namorado, ele se chama Luhan. E ele está morrendo. Só temos 2 dias. Por favor nos ajude a chegar ao vulcão. O senhor é nossa última esperança.

 

— Vocês não tem mesmo outro jeito de chegar até lá?

 

— Não mesmo. — Sehun disse e o velho vampiro suspirou.

 

— Tudo bem, vamos.

 

— Muito obrigado senhor.

 

— Não há de quê.

 

Jungsoo andou rapidamente, e então o barco começou a se locomover. Os quatro vampiros sentaram-se ao chão e o silêncio reinou naquele lugar até todos ouvirem o celular de Chanyeol.

 

— Alô? — Chanyeol atende o celular.

 

— Oi Channie. Aqui é o Baek. — O garoto disse baixo para que seus amigos não ouvissem. Baekhyun estava ligando escondido de Luhan para poupar os esforços e preocupações dele. — Eu queria saber como estão as coisas ai. Luhan está com nossos amigos agora. Achei melhor ele não saber caso as notícias sejam ruins.

 

— Oi Baek. Infelizmente as coisas não vão tão bem. Ainda nem chegamos ao vulcão. O tempo está passando e nossas esperanças indo embora. Mas não se preocupe, vamos lutar nisso, até o último momento.

 

— Eu sabia que não seria fácil. — suspirou. — Espero que cheguem logo. E onde vocês estão?

 

— Num barco de um conhecido. Graças a ele nós chegaremos em algumas horas. Talvez de madrugada, já que começou a escurecer a pouco tempo.

 

— Boa sorte Chan. Vou ter que desligar agora, mas se cuidem. Eu tenho fé em vocês.

 

— Obrigado Baek. Até mais.

 

— Até.

 

Chanyeol desligou o celular e então Jungsoo chama a atenção de todos ali.

 

— Ei meninos… Eu aceitei ajudar vocês por apenas um motivo. Nunca disse isso para ninguém, mas já é hora de pôr para fora.

 

— Somos todos ouvidos.

 

— Então, a muito tempo, quando a sociedade dos vampiros foi criada, eu também me apaixonei. — ele falou deixando todos surpresos ali. — Eu me vi perdidamente apaixonado por uma humana, e ela sentia o mesmo. Por um tempo nós ficamos juntos, e fomos felizes, mas isso tudo terminou quando a maldição foi lançada. Meus amigos na época me induziram a terminar tudo o que tínhamos e esquecê-la para sempre, mas por outro lado, outros amigos me disseram que havia um jeito. A flor. Eu estudei durante muito tempo e descobri o quão perigosa era. Decidi que nunca iria atrás da mesma. Afinal, minha vida valia muito. Fui covarde, e por conta do meu medo, vi o amor da minha vida morrer. Eu me arrependo até hoje por não ter me arriscado nisso. Por não ter salvado ela. Não quero que mais ninguém sinta essa dor que eu sinto até hoje, então eu vou ajudá-los. Vou ajudá-los porque sei que somos capazes de salvar seu namorado. Temos muito pouco tempo, mas temos fé. Não desperdicem a chance que ganharam, porque vão se arrepender mais tarde. O que acham de aumentar a velocidade disso e chegar lá o mais rápido possível?

 

— É um ótimo plano. — Sehun sorriu minimamente para o senhor.






 

Luhan via seus amigos irem cada vez mais longe pela janela de seu quarto. Ele não sabia do futuro, mas pelo menos havia se despedido de duas pessoas muito importantes em sua vida. Ele se perguntava como os outros explicariam sua morte aos demais que não sabiam da história.

 

— Luhan, posso falar com você? — a mãe do garoto perguntou ao parar na porta.

 

— Claro. Senta aí.  — falou apontando para a cama com a cabeça.

 

— Eu sei de tudo.

 

— Como?

 

— Eu sei sobre a maldição e sobre seu namorado vampiro. — ela falou e Luhan ficou completamente surpreso. — A muito tempo eu conheci uma vampira. Éramos melhores amigas. Eu sei de tudo que você possa imaginar sobre eles. Sei bem mais que você.

 

— Mas… como?

 

— Eu estou decepcionada com você, Luhan. Onde estava com a cabeça quando resolveu se apaixonar por um assassino idiota?

 

— Não fala assim dele.

 

— Eles são aberrações. Você devia ter se afastado quando teve a chance. Na verdade, nunca devia ter conhecido ele.

 

— Como você queria que eu soubesse o que ele é!?

 

— Devia ter descoberto. Ele mentiu pra você. Agora a morte é seu destino. E onde ele está? Não está nem aí para o que vai acontecer com você. Não entende? Ele não liga.

 

— Ele liga sim! Ele vai me salvar, com a flor. Está se arriscando por isso. E ele vai conseguir.

 

— Ah, então quer dizer que além de assassino e idiota também é burro? Onde ele estava com a cabeça quando decidiu ir até lá? Ele nunca vai voltar vivo.

 

— Isso não depende do que você acha.

 

— Você é teimoso e não me ouve. Vai morrer e a culpa é completamente sua! — ela deixava algumas lágrimas caírem. O olhou por alguns segundos e logo se virou batendo a porta e indo embora.

 

Luhan deixou as lágrimas de frustração caírem, e esmurrou a própria cadeira de rodas. Começou a se sacudir e perdeu o equilíbrio, caindo no chão.

 

Baekhyun que assistia toda a cena correu rapidamente até o amigo machucado, e o ajudou a se levantar.

 

— Você está bem Luhan? — perguntou e o outro negou com a cabeça. Logo se afundou na curva do pescoço do mais novo para chorar. Ele sentia uma dor incontrolável, e não se comparava a sua dor física.






 

Já de madrugada, todos os garotos, incluindo o senhor Jungsoo, chegaram ao vulcão.

 

— Vamos entrar. — Sehun disse e os outros começaram a caminhar ao seu lado.

 

Todos adentraram o enorme vulcão, dando de cara com a flor mais a frente. A mesma estava cercada por lava, mas seria fácil chegar até ela.

 

Era o que todos pensavam, até que os espíritos demoníacos surgiram. Sehun os observou bem. Os Shinouys eram altos e pareciam ter forma humana. Usavam uma longa capa preta com capuz e não tinham rosto. Só sua presença faria as pernas de qualquer um tremer.

 

Sehun olhou para todos os seus companheiros e adversários brevemente.

 

A batalha começaria.

 


Notas Finais


E ai cheirosos?
Não vão sonhar com os Shinouys ein jskjksd

Me contem as opiniões e as expectativas para o próximo!

Obrigada a todos que estão me acompanhando
Eu amo você ashushs <3
(momento diabetes)

Até o próximo c:


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...