História Love in hell ( imagine bts ) - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Anjos, Bruxas, Bts, Demonios, Hoseok, Jeon Jungkook, J-hope, Jimin, Jin, Lobisomem, Lucifer, Magia, Namjoon, Rap Monster, Sete Pecados Capitais, Suga, Taehyung, Vampiros, Yoongi
Visualizações 61
Palavras 3.001
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Escolar, Harem, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Canibalismo, Estupro, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OOOeee ^^
Mais um capitulo pra vocês:3 espero que gostem
*


*


*



*



*



*



*



* BOA LEITURA ^-^
Ah desculpa os erros ortográficos >.<

Capítulo 18 - Sn voltou pra casa!


Abro meus olhos e vejo que agora estava no controle suspiro de alivio, dormi com a minha cabeça encostada no ombro do Yin e o mesmo estava fitando a janela.

-São meio - dia – ele murmura

-Nossa... - minha cabeça doía – o que aconteceu ontem?

-Você só quebrou todos os vidros do trem – ele ri pela situação

-Souberam que fui eu?

-Não, sorte sua.

-E depois?

-Você parecia brava e sentia sua intuição assassina, agora sei que realmente eu estou do lado de uma.

-Eu não sou uma assassina- me afasto dele

-Você matou duas pessoas e colocou fogo no carro deles

-Eles me sequestraram

-E eles estavam dentro do carro ainda– ele ainda falava calmo

-Eu iria ser sacrificada! – tento não aumentar minha voz

-Uh?

-E matar pessoas pra comer carne ou beber o sangue delas não é considerado um assassino, né?

-Ta – ele aceitou muito fácil – eu sou um assassino sim e você não é diferente de mim

-Sou sim, matei pra me defender e você mat...- fui interrompida

-MATEI  MATO,  E VOU MATA  SIM... Só que faço isso por natureza tenho que me alimentar não é, tá bom? – ele se levanta e seus olhos estavam vermelhos – você acha que eu queria ser assim?  Alimentar-me só de carne e beber sangue dos outros seres... Eu nunca quis isso, NUNCA.

-Yin? – vejo que o mesmo se senta na minha frente abraçando minhas pernas

-Eu queria ser normal... Sabe como é isso? – ele começa a chorar

-Sei... Sei como é sim – faço cafune em seu cabelo

Agora sei que tem mais pessoas que tem essa pergunta em mente... Por que eu?

É estranho demais ver ele assim, eu entendo ele, gostaria de saber mais sobre sua historia.

Visão On

Minha visão fica branca muito branca a onde eu estou?

-Mãe o que foi? – ouso uma voz de criança e vejo que estava ajoelhado na cama da mulher que como ele disse era sua mãe

-Nada meu amor – ela passava a mão em seus cabelos e tentava segurar o choro- sabe o que tem hoje meu anjo?

-Lua de sangue – ele fala animado

-É... Eu te amo – ela fala entre soluços, pois avia começado a chorar e abraça seu filho – Yin, eu te amo, seja forte apesar de tudo.

-Eu também te amo – ele era jovem demais pra entender nem tinha percebido que sua mãe chorava em seu frente

O cenário muda, ele estava no quintal de sua casa e olhava a linda lua vermelha tal conhecida como lua de sangue, deitado no gramado pula quando ouve a voz de conhecidos seus gritando.

-BRUXA, BRUXA, BRUXA ALÍ – um grupo de pessoas desconhecidas e conhecidas, todos com tochas e garfos enormes nem olharam o garoto só foram arrombando á porta de sua casa.

-NÃO –ele grita indo para dentro de casa em desespero – MAMÃE ESTA AI

-Então ela é sua mãe, garoto?- um velho que segurava uma tocha gritou – TEMOS MAIS UM AQUI

O garotinho sem pensar duas vezes voo no velho e o mordeu, mordeu o braço do velho e puxou até se rasgado, as pessoas já dentro da casa suas expressões eram de pasmas, e incrédulas, pois não acreditavam no que via.

Tudo fica preto.

O que aconteceu?!

Ouvia apenas gritos de desespero e de dor, membros de seus corpos sendo retirados e o som da que alguém mastigando algo se envolvia com o das chamas que pegavam provavelmente em sua casa.

Visão  Off

-S/n?! – vejo que Yin me sacudia – esta bem?

-Ah s-si-sim

-Ainda bem- ele respira aliviado - você ficou olhando pro nada, estava vendo algo?

-Não – respondi rápido – esta com fome? – perguntei pegando minha bolsa

-É estou – ele sorri

Tirei quatro sanduiches da minha bolsa e entrego dois a Yin, começamos a conversar, sobre o anime, sobre escola, sobre sermos comuns em uma coisa, pois nos dois somos órfãs de certa forma, o passado e como seria se tivéssemos uma vida normal.

Ele trouxe mangas e ficamos lendo também, jogamos jogo da velha e outras coisas. Quando o trem para saímos dele e vejo que já são quatro e meia.

Yin não saiu da estação mais me deu instruções de como chegar á o litoral, antes de ir embora dou abraço nele ele me ajudou isso é o mínimo que posso fazer.

-Obrigada Yin, obrigada mesmo –  o abraço e ele fez o mesmo.

-Quando sentir saudade volta naquela estrada, eu sei que volte achar você quando estiver na minha região, assassina – ele bate seu dedo indicador na ponta do meu nariz e entra no trem acenando pra mim.

O trem começa a andar e ele estava na janela me olhando.

-EU VOU VOLTAR SIM, PRA LERMOS MAIS MANGAS E JOGARMOS DE NOVO – grito para ele me ouvir e logo o trem desaparece da minha visão.

-Vamos? - vejo que meu anjinho estava do meu lado

-Até que ele  foi legal – disse olhando o céu azul de Yantai se surge um sorriso no meu rosto

Começo a caminhar de mãos dadas com meu anjo, pois além dele ter tamanho de uma criança ele estava avista de todos, sigo as instruções que Yin me deu e não demorou pra chegarmos ao litoral e vejo uma enorme balsa de descarga e sem demorar entro lá como uma espiã.

-Sabe pra onde essa balsa vai? – o anjinho pergunta

-Ah... Não... –  sorri nervosa e logo ouvimos o aviso de partida- puta que pariu

-Temos que ir pra Seoul né?- assenti – mais estamos indo pra outro lugar

-Pra onde? –nós escondemos atrás de um carro

-Gimpo – depois de sua fala suspirei aliviada- isso é bom?

-Mais ou menos

-Por quê?

-Gimpo até que é perto de Seoul, porém esta muito perto da divisa, da Coreia do Norte.

-Não entendi mais to compreendendo

-Agora me fala o que aconteceu comigo ontem?

-A ira ficou no comando

-QUEM?

-Shiiiu... Eles vão descobrir –ele tampa minha boca- todos os pecados podem ficar no comando quando você meio que ativa tal pecado, a ira, por exemplo, você esta irada e estava tanto que teve ira o suficiente para o mesmo te controlar.

-O que ele fez?- falei abafado por causa da mão na minha boca

-Nada... Você dormiu isso o fez perder o controle, provavelmente você desmaiou.

-Nossa... E se o Yin tivesse feito algo? – arregalo meus olhos pensando sobre

-Ele não fez nada, como você disse ele é legal.

-Legal, mais não disse que era bondoso.

-Você não precisa falar isso, pense pelas ações dele, ele te pagou uma passagem de trem cara foi junto com você te ajudou até quando pode e você não o acha bondoso?

Ignoro os comentários do meu anjo apesar de estarem certos, ficamos quietos essas duas horas de balsa, quando a mesma para já estava escurecendo, pra nossa sorte ninguém nos viu e também realmente era Gimpo.

Meu anjo sumiu e começo a andar a procura de informações de como chegar a Seoul, passei em cafeterias, bancas, hotéis, mercados e todos me deram a mesma resposta, só pode ser isso então. Porém era de trem... E não tenho nenhum dinheiro.

Fico na frente da estação e na frente da mesma avia muito movimento isso me deixa calma, mais meio preocupada todos estranhos, e um grupo do outro lado da rua não paravam de me olhar, tinha três meninos e duas meninas.

Começo a pedir uma quantia para as pessoas que passavam, porém não consegui nem a metade da passagem.

Quer ajuda? – ouso uma voz feminina mais não era a vaidade

Quem é?

Começo á procurar a pessoa e vejo o grupinho do outro lado sorrindo pra mim, um sorriso normal sabe nada de insano e não me dava medo.

Vem pra cá – ela me chamou e apenas atravessei a rua

-Como conseguiu falar assim comigo?-  pergunto para o grupo

-Segredo – a menina de cabelo colorido me responde

Viro-me para continuar o que fazia até que alguém segura meu pulso.

-A onde vai, garotinha? –perguntou o homem que segurava meu pulso

-Não é da sua conta – disse e tento seguir meu caminho

-Escolha errada! – a menina de cabelo colorido exclamou

-Vamos – uma mulher adulta que estava no grupo falou e me puxaram até o beco gritei mais ninguém na rua parecia me ouvir na verdade muito menos me ver

-O que são vocês? – perguntei me soltando do homem

-Como você querida – a menina de cabelo colorido disse com seu sorriso estranho

-Não somos iguais

-É pode até ser, mais estamos afim de sangue... Vamos te dar duas escolhas, ou você deixa nosso amigo beber seu sangue de mestiça ou vamos te devorar por inteira bem devagar- a mais velha disse com um tom serio.

Fico sem reação... Mano, acabei de matar duas pessoas por me sequestrarem e tentarem me comer viva, e isso agora de novo.

-Você é quem sabe – a mais velha pega um arco do além e aponta pra mim e atira

Fecho os olhos para não sentir a dor dessa flecha... Oushii que isso?

Abro meus olhos e vejo todos no chão com suas cabeças decapitadas, recuo ao ver a cena e acabo batendo em alguém que estava atrás de mim.

-Ah – me assusto e vejo Billy o maldito diretor – o que esta fazendo aqui?

-Pergunto isso á você – ele disse serio mais logo me abraçou e retribui sem mesmo entender

-Eu fugi... – falo quando nós afastamos

-Vou te levar pra casa, Okay? – ele sorri... Já vi esse sorriso antes, esse sorriso acolhedor que transmite amor e paz.

-Ah S/N – ouso a voz de Lilith e a mesma me abraça e apenas retribui

-Oi Lilith – a comprimento quando ela me solta  e ela sorri

-Vamos – Billy anda na nossa frente e apenas entramos no seu carro, fico no banco de trás e Lilith no banco do passageiro.

O carro deu partida e Billy olhava ás vezes Lilith e a mesma quando percebia sorria sem ele ver, só que estávamos em um silencio atormentador dez de quando saímos de Gimpo.

-Então... Vocês já se conheceram em vidas passadas? – perguntei por que eles pareciam ter uma ligação, porém eles se olham um tanto que, surpresos ou assustados?

-É... Não sei – Billy fica meio sem jeito

-Eu acho que sim, não é Billy? –  ela manda um sorriso desafiador

-É, deve ser – ele sorri de ladinho e Lilith o olha com desejo mais logo sua atenção vem á mim.

-Já pensou se fossemos uma... Família? –ela pergunta pra mim mais parece que Billy sente a indireta de um jeito, apenas ri de sua reação.

Depois disso Billy colocou um rock para não tocarmos mais nesse assunto, fico na janela observando a paisagem e não demora pra chegarmos, em Seoul.

-Alias... Eles me querem lá?- murmurei pensativa

Billy deixou Lilith na casa dela, um apartamento de luxo e me leva para o orfanato no caminho ele avia avisado que tinha me encontrado e que já estávamos a caminho de casa, ele estaciona o carro na frente da casa e ficamos plantados na frente da porta por um tempo.

-Já esta pronta? – acho que é a decima terceira vez que Billy me pergunta isso, ele tem muita paciência.

-Acho que sim – começo a fitar o chão

-Tem certeza?

-Não... E se eles não me quiserem mais

Ele abre a porta e grita o nome de Yumi e na frente da escada estava todos os meninos sentados me esperando e Rukia também estava lá.

Yumi é a primeira vim me abraçar e me aperta com força e sinto suas lagrimas no meu ombro.

-Não faça mais isso comigo – ela disse soluçando por causa do choro e nós separamos

-Quer lamen? – Suga pergunta e apenas assenti, ele veio meio sem graça até mim e me deu um beijo na minha testa e fiz o mesmo com ele, e o mesmo foi pra cozinha.

-Baixinha queremos a Yumi viva ainda viu – Namjoon bagunça meu cabelo – e você também – logo ele da um espaço para Jin que quando me abraça e me gira no ar

-Ain... Quando nós acertamos você resolve sumir, o que te deu?- ele me solta e me da um tapa na minha cabeça e fiz biquinho com sua ação

Hobi fica de joelhos como se me chama-se pra valsa e apenas aceitei mesmo com um pouco de vergonha, e dançamos um pouco só ficamos rindo e logo ele me abraça.

-Sentiu? – ele sussurra no meu ouvido

-O que? – perguntei confusa

-O que eu transmiti na dança? – ele pergunta sorrindo, e apenas assenti, sabe quando tu entendes mais não sabe explicar foi algo assim, difícil mesmo de explicar mais digamos assim senti que ele transmitia algo bom.

Kookie e Jimin ficam me olhando sem saber o que fazer e vou na direção dos dois.

-Senti saudade de vocês também- ri fraco e bati na cabeça dos dois como se batesse em uma porta e os dois apenas sorri de cabeça baixa

Vejo Rukia e Tae... Tae o fito por um tempo e sinto meu estomago com borboletas... Eu comi algo estragado hoje?

-Ownt – Rukia aperta minhas duas bochechas e me da um beijo na testa- desculpa não queria que você ficasse sabendo, pois sabia sua reação – ela sussurra no meu ouvido.

-Minha reação do que?

-De saber a verdade – sinto seu sorriso meio que do mal – mais sabe... Sabe o amor... Ele enfraquece lembre-se disso -  ela me solta e vou na direção de Tae

-Tae... – eu não consegui fala, quilo era vergonha ou estou passando mal?

O mesmo me abraça do nada e isso me faz recuar um pouco ainda o abraçando, ele coloca sua cabeça no meu ombro e sinto sua calma respiração no meu pescoço.

-Não faça isso de novo – ele sussurra -  fiquei tão preocupado, tenho medo de te perder, não quero que vá agora... Fiquei esses dias sem você e percebi o quão vazio meu dia fica quando você não esta por perto, meu dia fica preto e branco sem cor entende?

Seguro seu rosto com as minhas duas mãos para que ele me olhasse e assenti,  tinha uma fugitiva escorrendo pelo seu rosto e logo á tirei com meu polegar.

-Você não vai fazer isso de novo né? – ele me pergunta preocupado

-Não... – sorri e logo sinto seus lábios tocarem o meu... EITA PORRA UM BEIJO...  VIADU NA FRENTE DE TODO MUNDO? Apenas o beijei de volta esse beijo era tão bom me sinto segura quando estou com ele... Ain  caralho o que eu estou falando? Estou apaixonada é?

-S/n – ouvimos a voz de Billy e logo paramos  e o olhamos – vá tomar um banho e quando o lamen estiver pronto alguém te chama

-Ta – me afasto de Tae e vou abraçar Billy – obrigado, se você não aparece lá eu acho que estaria morta agora.

O mesmo fica sem reação e me afasto dele e subo as escadas e vou direto pro banheiro. Começo á me despi e entro debaixo do chuveiro, e logo sinto a água quente tocar no machucado aberto que estava na minha barriga.

-AAAGH – grito de agonia na primeira vez que sinto a água quente escorre pelo meu machucado aberto mais depois disso fiquei mordendo meu lábio inferior para não gritar novamente.

Me seco e coloco uma roupa que estava na minha mochila um short de pijama e uma blusa de frio branca, logico que antes me vestir e cuidei do meu machucado e sim doeu pra porra. Sai do banheiro deixo minha mochila jogada no meu quarto e comecei a descer as escadas e quando tenho a visão completa da cozinha vejo todos na mesa conversando... Senti falta disso.

-Seu prato já esta na mesa – Suga fala apontando pro Lamen e me sento e do meu lado estava Jimin eu e Kookie

-Estou atrapalhando o casalzinho ai? – cochichei mais sei muito bem que os dois ouviram claramente, pois coraram na hora que perguntei.

Todos estavam comendo lamen comemos em silencio e dessa vez não os interrompi, pois estava com fome, Yumi foi á primeira á termina e depois Rukia que foi embora me deixando sozinha com os meninos na mesa.

-Então o que aconteceu? – Namjoon pergunta quando vê meu prato limpo

-Ela acabou de chegar Namjoon, deve estar assustada – Jin fala me fazendo rir.

-Não tem problema Jin, mais estou um pouco com medo sim.

-Com medo do que? – Kookie pergunta e todos colocam sua atenção em mim

-De mim... Eu estou com medo de mim mesma – eles me olham incrédulos e logo Billy se levanta

-Vou indo, deixar vocês a vontade – Billy da um beijo na minha testa e olha fixamente pro Tae – juízo garoto – e logo sai pela porta da frente.

-Ta nós fale que aconteceu, conta tudo- Jin parecia curioso agora.

Contei tudo pra eles dez da parte que ouvi Rukia falar sobre me matar até como fui salva pelo diretor Billy e Lilith, só não falei do meu anjo e os pecados que abitam minha cabeça.

-Pera... Você estava ouvindo? – Kookie pergunta quando termino minha longa historia

-Você foi sequestrada?- Jin pergunta preocupado

-Ela te mordeu? – Jimin fez cara de nojo

-Você conheceu um garoto na China e confiou nele? – a pergunta de Tae fez todos os meninos o olharem boquiaberta

-Tae... Serio isso, continuando, você os matou, veio da China até Seoul de trem e depois de balsa, e um grupo tentou beber seu sangue e se não deixasse eles beberem iriam te comer viva? – Hobi faz um resumo

-É meio que isso tudo – ri fraco – agh – vejo que minha blusa branca estava cheia de sangue onde avia o machucado

-O que é isso? – Jimin pergunta

-Não é nada- me levanto

-S/n... – Tae me chama e vejo o olhar de preocupados neles

-Relaxem já, já cicatriza – começo a subir as escadas  e no ultimo degrau vejo tudo girar – acho que não estou bem mesmo – murmurei quando sinto meu corpo colidir com o chão e em seguida ouso os meninos levantarem desesperados da cadeira.

-Ei... Você tem que aguenta... Acabou de volta pra casa – ouso a voz do meu anjinho fraca 


Notas Finais


Espero que tenha gostado ^-^


O que acontecera agora?


Boa Noite >.<


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...