História Love In Squad - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Bunny, Jay, Mari, Meg, Sara, Varios Outros, Venus, Veny
Visualizações 26
Palavras 4.630
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Orange, Romance e Novela, Universo Alternativo, Visual Novel, Yuri
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Para as minhas bebês do grupo flopadas aqui vai a o primeiro conto do casalzao top1 do nosso grupo
Veny brilha ❤

Obrigada por me encorajarem a escrever para vocês meninas, sério mesmo ^^

Está sem correção certinha mas tentei não errar muito no português, espero que vocês gostem.


Boa leitura ^^

Capítulo 1 - Nós somos a coisa errada mais certa que aconteceu (Veny)


Fanfic / Fanfiction Love In Squad - Capítulo 1 - Nós somos a coisa errada mais certa que aconteceu (Veny)

O aviso no painel principal fez o sangue da ruiva ferver, seus punhos se fecharam ao lado do corpo e com um movimento rápido arrancou o anúncio que havia sido colado. As pessoas ao redor ofegaram pelo modo raivoso da líder do Conselho estudantil agir, já esperando o momento do confronto dos Titãs. Fazia mais de uma semana que tudo estava calmo demais, hora da briga começar.

Eles sabiam que somente aquele aviso no grande quadro do pátio, podia desencadear mais um conflito entre as duas pessoas mais irritadas do colégio Velmonf, principalmente vindo da parte da rebelde Kennedy. Mas parece que a ruiva bolsista não se importava muito com o status da morena, na verdade mal ligava para isso. Ela queria mesmo é ter direitos iguais à todos ali.

Vênus Carter deu as costas à multidão ao redor e andou com passos duros para o outro lado do colégio aos bufos: queria matar a maldita Punk de uma vez por todas. Ela achava que era a dona do território, mas para si só se parecia com uma mimada sem escrúpulos.

Era pedir demais ter ao menos um ano estudantil sem problemas? Aparentemente da parte da Punk não.

"Todos os estudantes estão estritamente proibidos de aparecer no corredor 7 por tempo indeterminado, quem ousar quebrar a ordem suprema será surrado.

É melhor terem um pouco de juízo.

J.Y"

Jay Kennedy sorriu ao ver a figura esbelta atravessar a sala de biologia na hora do intervalo, a garota passou sem olhar para ninguém recebendo assobios dos rapazes e comentários maldosos das namoradas dos atletas. A líder do Conselho estava vindo em sua direção pronta para quebrar sua cara.

E o soco dela doida pra caramba e Jay bem sabia disso.

Mas gostava de provocar sua garota.

"Vem minha gatinha feroz" -pensou tirando os fones e fazendo questão de colocar os pés em cima da carteira. Queria deixar bem claro para a ruiva quem mandava ali.

- Você é uma idiota! -Vênus cuspiu as palavras ao bater com a mão na mesa ao lado. Os orbes verdes lambejantes de ódio na direção de sua adversária. -O que tem nessa cabeça cheia de fumaça de cigarro para aprontar isso? -Um papel amassado foi jogado no peito de Jay.

Sendo ocasionalmente o recado "amigável" que a tatuada havia colocado nos painéis por todo o colégio.

A morena revirou os olhos, o que Vênus Carter tinha de bonitinha também tinha de pé no saco.

- Não que seja da sua conta mas eu não fumo, ao menos não antes das duas da tarde -Falou colocando uma mão no queixo pensativa mas voltando ao assunto principal ao ouvir um grunido -E a idiota aqui é você baixinha, quem disse que podia tirar meu aviso do painel? -Cruzou os braços tatuados e arqueou uma sobrancelha em provocação.

Sabia que aquilo deixava a ruiva com muita raiva.

- Não se faça de cínica Kennedy e também não me chame de baixinha-Vênus estreitou os olhos -Você sabe muito bem que eu faço minhas reuniões do Conselho no corredor sete e meus ajudantes precisam passar por eles até chegar na sala. -Apontou o dedo acusatório para a outra.

- Oh ..é mesmo? Eu não sabia. -Jay fez uma expressão quase beirando a inocente, mas as duas bem sabiam que não era verdade. -Teremos um ensaio da minha banda no corredor sete e pedimos ao diretor autorização para vetar a passagem por lá. -Explicou olhando para suas unhas pintadas em tons vermelhos. -Como ninguém importante usa o lugar ele cedeu pra gente. -Deu de ombros enfatizando a parte do "ninguém importante".

Vênus bufou batendo um pé no chão. Aquela garota a deixava possessa de raiva.

- Você ao menos tem uma banda droga!-Acusou.

- Surpresa! -A morena abriu os braços em uma falsa dramatização - Eu tenho uma banda -Sorriu de lado. -E se ficar me olhando desse jeitinho eu juro que dedico uma música pra você no baile de formatura -Mordeu o lábio inferior provocativa.

Vênus fez uma expressão de nojo.

- Vá se foder.

- Se você vier junto com todo o prazer. -Sorriu a tatuada.

- Não vai mesmo deixar a passagem autorizada? -A ruiva mudou de assunto, se sentindo desconfortável com os olhares maliciosos da motoqueira - Nem precisa ser para todo o colégio, só pro pessoal do Conselho. Vai Kennedy -Mandou mais que pediu.

A raiva sumindo vendo o modo irredutível da morena, não queria organizar todo o baile de formatura sozinha. E se a tatuada continuasse com a proibição do corredor esse seria seu destino.

- É desse jeito que quer minha permissão? Vindo atormentar meu horário sagrado de descanso e me xingando? Que feio Carter -Jay acenou negativamente -Assim você me ofende baby

- Não me chame assim droga! -Vênus gruniu - Você não é a dona da porra do colégio, então é melhor autorizar a passagem daquela merda -Puxou a carteira fazendo as pernas da tatuada serem jogadas no chão.

Jay Kennedy rosnou pelos olhares incrédulos dos amigos ao redor. A ruiva havia desafiado sua autoridade na frente de todo mundo.

- É melhor você maneirar o jeito ao falar comigo -Falou ameaçadora mudando o tom de voz.

Vênus engoliu em seco mas não se deu por vencida.

- Eu não tenho medo de você e também ninguém aqui deveria ter. Sabe por quê? -A ruiva se aproximou perigosamente, pelo canto dos olhos Jay percorreu o olhar pelas coxas brancas delicadas que saiam pela saia rodada de pregas. Deliciosa! -Porque você é uma cuzona. -Sussurrou contra o rosto de Kennedy, fazendo a tatuada sentir seu hálito de menta fresco.

A morena franziu a testa e crispou os lábios. O decote da camiseta da ruiva bem rente aos seus olhos.

- Droga você é sexy. -Murmurou em um pico de insanidade.

Vênus se afastou com desgosto, fingindo não ter ouvido as baboseiras da outra.

- É melhor liberar a passagem, ou eu chuto sua cara. -Demandou dando as costas e saindo de perto da motoqueira.

Jay acompanhou o balançar do quadril da ruiva enquanto a via sumir pela porta da sala. Os cabelos de fogo descendo como cascatas pela cintura curvilínea e o andar delicado levando embora seu aroma de frutas vermelhas. Aquela menina fazia a tatuada sentir vontade de fazer várias coisas com ela, e inexplicavelmente não era foder com ela em uma cama. Mas sim ficar abraçadas vendo um por do sol.

Algo bem inusitado para uma pessoa tão desapegada como Jay Kennedy.

- Que rabo -Escutou um dos atletas comentar após a saída de Vênus.

- Se falar isso de novo da minha garota eu juro que arranco sua língua Steve -Ameaçou tirando seu coturno e arremessando na direção do amigo.

*

Vênus soltou o ar que segurava ao chegar no banheiro feminino, odiava conversar com a motoqueira justamente por ter que se controlar na frente dela e não corresponder as investidas nada sutis da mesma. Pois por mais não querendo admitir para a melhor amiga, a Carter é completamente apaixonada pela Kennedy.

Mas Jay não gostava de ninguém e só sabia brincar com os sentimentos alheios. Então ela deveria esquecer tudo.

Assim como esqueceu o dia em que tentou se declarar para a morena no seu primeiro dia de ensino médio e acabou encontrando ela beijando uma professora de álgebra. Desde aquele episódio Carter decidiu tirar a tatuada de sua mente e consequentemente. ...de seu coração.

- Tudo bem? -O reflexo da melhor amiga apareceu atrás de si.

- Tudo sim -Forçou um sorriso - Algum progresso com Sara? -Se abaixou para lavar o rosto.

- Ela quer casar mas sabe como é. ...eu sou só uma estudante morando com os pais e ela é a adulta responsável da relação. -Mari deu de ombros se encostando na parede ao lado da pia -As vezes parece que nessa relação eu sou uma criança -Comentou a castanha.

Vênus levantou o rosto e tão logo um papel toalha lhe foi estendido.

- Já tentou conversar com a Sara? Sabe, ela parece gostar disso tudo e não acho que seja tão má ao ponto de não dar ouvidos ao relacionamento de vocês, ou como você se sente nisso tudo. -Explicou secando o rosto.

Vênus bem sabia que a relação da melhor amiga com a Veterinária do bairro não andava sendo as mil maravilhas, ainda mais depois que a morena se assumiu para a família e desencadeou uma série de desgostos para os Willson. Mari Willson deveria ter sido o maior orgulho da família de advogados, mas acabou sendo o maior desgosto. Ao menos nas palavras da família dela.

Vênus agradecia à Deus por ter pais que lhe entendiam e aceitavam tanto sua orientação como a da irmã mais velha.

- Não sei, eu só. ...pareço pirralha demais pra ela às vezes. -Murmurou Mari cabisbaixa.

- Tentem conversar, vai dar tudo certo -A ruiva sorriu jogando o papel no lixinho do banheiro.

- Ny veio falar comigo hoje. ..-Falou a amiga antes das duas deixarem o banheiro.

Vênus franziu a testa em desagrado, não gostava de ouvir o nome da ex namorada da irmã mais velha.

- Fique longe dela, essa mulher é cilada -Avisou.

*

Uma semana havia se passado desde a conversa com Jay Kennedy na sala 24 do colégio. Desde aquele dia Vênus não tinha visto a morena de cabelos curtos, muito menos sua fiel esquadrilha de atletas e punks que viviam andando atrás dela.

Somente o silêncio. Aparentemente o corredor 7 nem estava sendo usado e todos podiam passar livremente.

Melhor para Vênus já que conseguiu ajeitar todos os projetos envolvendo o baile de formatura e seus componentes até antes do prazo. Até o fim do mês tudo estaria organizado e o Conselho estudantil só teria que fazer a decoração do ginásio. Então tudo terminaria.

Os dias de ver Jay Kennedy pelos corredores do colégio também terminariam.

Infelizmente.

- Você vai acabar sendo acertada pela bola -Sophia James alertou ao passar por si desviando de um arremesso na queimada.

Ela era bonita, mas Vênus jamais ficaria com Sophia James. Na verdade ninguém poderia ficar com a fofa James, exceto uma certa goleira do time de futebol que agora se aquecia do outro lado do ginásio Junto ao time de futsal. Ela sim podia ficar com Sophia já que as duas eram namoradas.

Vênus gostaria de trocar carinhos ou olhares tão intensos como as duas faziam nos intervalos das aulas.

- CUIDADO! -O grito de alguém fez a ruiva voltar aos seus sentidos, mas já era tarde demais.

Uma bola pesada vinha na maior velocidade em sua direção e Vênus não teve muito tempo de correr, somente se encolher e abaixar.

Esperou o impacto de olhos fechados.

Mas esse não chegou.

- Você está bem? -A voz preocupada e as mãos quentes pousaram em seu ombro descoberto pela regata.

Vênus sentiu todo seu corpo estremecer.

- Jay...- Sua voz saiu surpresa ao ver a punk ao seu lado com a bola debaixo do braço, provavelmente tinha detido o ataque.

Um rapaz ofegante se aproximava.

- Hey Carter...desculpe eu ...-Um Steve arrependido atravessava a quadra com as mãos na cabeça. Mas parou ao ver o olhar nada amigável de Jay.

- Que porra foi essa? Não sabe jogar direito merda? Quase acertou a garota seu imbecil -A tatuada arremessou a bola de volta acertando o abdômen do rapaz e o fazendo cair de joelhos pelo ataque forte.

- Jay! -Vênus agarrou o pulso da motoqueira ao ver que esta iria partir para cima do garoto.

- Eu pedi desculpas porra! -Steve bufou alto sendo levantado pelas líderes de torcida.

- Desculpa é o que eu vou meter nessa sua cara de ...-Kennedy foi interrompida pelo apito do treinador.

*

Ótimo! Agora Vênus tinha que ajudar Jay a arrumar todos os equipamentos na sala de bolas e depois limparem o vestiário. Tudo por culpa da Kennedy e seus nervos aflorados.

- Não me olhe assim, ele foi um idiota -A morena bufou ao ver o olhar nada agradável da Carter.

- Eu não disse nada. -Murmurou jogando as toalhas suadas dos jogares em um cesto e partindo para o vestiário masculino.

- Sério? -Kennedy à seguiu com algumas bolas debaixo dos braços.

- Não, você foi uma imbecil.

- Droga!

Vênus sorriu de costas. No fundo tinha ficado emocionada com a preocupação e proteção da morena para consigo.

As duas já tinham terminado boa parte do trabalho pesado e só restava algumas coisas para limpar no vestiário, mas o clima estava um pouco tenso já que Vênus percebia o desconforto da Punk pelo de si.

O que estava acontecendo que até agora não tinha escutado nenhuma cantada? Ela estava doente?

- Se continuar me olhando eu vou achar que quer foder -A voz da morena veio enquanto esta arrumava os banheiros de costas.

Vênus deu um pulo sendo pega de surpresa.

- Eu não estou te olhando -Bufou andando até a porta de saída -Vou pegar algumas vassouras para limpar o chão -Avisou pondo a mão na maçaneta.

Quando foi virar e empurrar estranhamente a madeira não lhe obedeceu, fazendo a ruiva franzir o cenho e em seguida tentar novamente.

- O que há de errado? -Jay pergunta ao ouvir os resmungos da outra.

- Está emperrada. -Vênus gruniu.

- Me deixa ver -A morena se aproxima.

A Kennedy tenta abrir a porta e forçar ao máximo mas parece que fora trancada por fora.

- Estamos presas. -Fala suspirando.

Vênus piscou aturdida.

- Tenta arrombar então..

- Acha que eu sou o super homem? Não vou arrombar isso e ferrar com meu ombro, eu tenho um show pra fazer semana que vem -Jay se afastou da porta.

- Show? Sua banda não vai tocar se a guitarrista estiver presa até o dia da formatura aqui comigo. -A ruiva reclamou com as mãos na cintura.

- Não seja dramática, alguém vai abrir isso daqui uma hora -Deu de ombros a Kennedy se jogando em um dos bancos do vestiário.

Vênus fitou a morena tentando pensar em um modo de sair daquele lugar, mas de repente na sua cabeça tudo fez sentido.

- Você é uma idiota! -Gritou jogando seu tênis na Kennedy.

- Tá louca? Que isso?

- Armou isso tudo pra gente ficar presa aqui, mandou um dos seus capangas nos prender nessa merda! -Acusou aos berros arremessando coisas na punk.

- Para sua maluca, chega! -Jay tentava se proteger fugindo dos objetos sendo jogados em si.

A ruiva só podia ter enlouquecido.

- Você é tão previsível sua maldita, nos prendeu aqui para ...-Sua fala é interrompida ao ser presa contra a parede pelos braços fortes da morena.

- Cala a porra da boca por favor -Kennedy gruniu já cansada de tudo.

Cansada de correr e desviar da raiva de Vênus.

- Você não pode me calar sua ...-A ruiva tenta se debater.

- Eu amo você.

Vênus arregala os olhos.

- Eu amo muito você. -Jay continua com seu olhos sério -Porra...eu te amo pra caralho.

- O....o que?

- Eu não quero te forçar a ficar comigo, por isso te deixei livre de tudo por essas semanas ....então. ..não me acuse de algo que eu não fiz. -Jay abaixa a cabeça cansada -Porque eu juro que não nos prendi aqui. -Confessou com a voz sumindo.

Vênus estava surpresa.

Muito surpresa.

- Se afaste de mim. -Pediu quase sem voz.

Seu coração estava quase saindo de seu corpo com aquela confissão.

- Vênus. ..eu não. ..-Jay tentou falar algo mas foi empurrada.

- Quem você pensa que é? -A ruiva gritou raivosa.

Kennedy deu um passo para trás.

- Baby...

- Não me chame assim merda, você não tem esse direito ...não tem o direito de chegar na minha vida bagunçar tudo e depois simplesmente fazer isso. -A menor sufocou um soluço de raiva -Eu odeio você!

Jay reprimiu um ofego de surpresa.

- Você. ....me odeia? -Seus olhos tremeram. A dor da rejeição sendo pior do que qualquer música triste do Spliknot que ela já tenha ouvido.

- Sim ....eu odeio ....e quero que me deixe em paz -Vênus desviou o olhar.

Um silêncio abatendo todo o ambiente antes de Jay rosnar raivosa.

- Não, você não me odeia. -Avançou na direção da ruiva com determinação.

- O que você. ....

Beijou Vênus.

As bocas se colaram com raiva e irrigação, os braços de Vênus sendo erguidos até perto da cabeça pelas mãos experientes de Jay. Os lábios sendo mordidos e capturados novamente pela mais velha com urgência. Os gemidos de frustração saindo em contrapartida das respirações afoitas.

Elas se odiavam mas ao mesmo tempo se amavam como nunca.

- Me larga! -Vênus mordeu o lábio inferior de Jay com toda sua força.

A morena gemeu soltando a contra gosto a ruiva e passando a língua por sobre a ferida recém aberta.

- Você me mordeu -Incrédula a Kennedy olhou para o sangue e em seguida gruniu.

- Eu deveria ter te chutado -Vênus falou raivosa.

Mas aquilo só fez Jay a querer mais ainda.

- Me beija e depois me machuca? Não sabia que era masoquista -Sorriu ladino.

Vênus reconheceu aquela face ....era a normal Jay voltando à ativa.

- Não se aproxime de mim.

- Impossível baby.

Vênus não se mexeu ao sentir seu pulso sendo puxado e automaticamente envolveu os ombros da morena.

- Eu te odeio ...-Gemeu antes de ter os lábios capturados.

Vênus tentou fugir novamente de tudo aquilo mas foi em vão.

A racionalidade da ruiva se esvai ao sentir a parede atrás de si, ela é encurralada pelo corpo de Jay mais uma vez e mais do que rapidamente solta um ofego.

O chão não parece mais estar abaixo de seus pés.

-Você me ama baby -A Punk rosna sobre os lábios da garota mais baixa.

-Me ...s...solta ...Merda Jay -Gruniu.

-Nunca.

*

Uma semana depois.

Mari suspirou bloqueando o celular ao ver uma mensagem de Sara dizendo que não iria chegar a tempo em Chicago, ou seja. Não iria à sua formatura. Ela já deveria estar acostumada.

Ter uma namorada veterinária era algo bastante problemático, mas entendia.

- Você deveria esconder melhor esses chupões -A morena falou desviando o olhar para a amiga ao seu lado que estava muito ocupada fuzilando uma garota do outro lado do ginásio.

Jay parecia à vontade conversando com a garota do som.

- O que eu quero esconder é a minha mão na cara daquela vadia -Rosnou a ruiva virando o copo com ponche.

Havia se arrumado toda para Jay ir conversar com uma garota qualquer? Mais que diabos.

- Jay não convidou você para o baile? -Mari perguntou confusa.

Jurou ter visto a Punk correr atrás da amiga durante dias pedindo para ela ir consigo no baile de formatura, mas claramente Vênus ignorava a morena com todas as forças.

Porém os encontros no vestiário ou atrás da arquibancada continuavam, mesmo a Carter negando tudo.

- Isso não tem nada haver. -Resmungou.

- Vênus a garota fez de tudo pra você vir com ela ao baile, até mesmo te deu um buquê de rosas e você não aceitou -Lembrava Mari descrente.

- Rosas não são comestíveis.

- Pelo jeito nem você.

A ruiva olhou incrédula para a amiga.

- O que quer dizer? -Franziu a testa.

- Quero dizer que se você continuar sendo uma escrota teimosa com a Kennedy. ...ela vai se cansar e ir atrás de outra. -Falou se afastando e deixando a amiga sozinha perto da mesa de doces. Havia avistado uma figura conhecida na porta do ginásio.

Ny tinha vindo.

Vênus ficou olhando para a morena do outro lado da pista de dança, ela parecia muito à vontade conversando com a garota de vestido azul. A partir daquele momento a Carter odiava azul.

*

O baile de formatura já estava no seu auge quando o microfone foi tomado pela voz rouca e feminina de Jay Kennedy. Algo que provocou um insandecido couro de gritos pelo ginásio.

A punk era sexy até mesmo naquele vestido preto e casaco de couro por cima. Bem rockstar.

Vênus se afastou da mesa dos professores a onde recebia elogios pela organização da festa, suspirando ao ver de longe a ficante sorrindo para todos na festa.

Jay realmente era uma maldita de sorriso bonito.

A banda começou a tocar os clássicos do rock e anos 80, fazendo os alunos dançarem com as mãos para cima e todo o local se encher com fumaça de gelo seco e luzes ofuscantes. A voz de Jay reverberava por todo o ginásio e seus amigos faziam um bom trabalho com os instrumentos.

Vênus ficou um pouco arrependida de não ter aceitado o pedido dela para ter vindo ao baile consigo.

- Ponche? -Steve se aproximou com os dois copos.

Steve nem precisou correr muito para receber um sim de Vênus, os dois até mesmo combinaram na cor da gravata e vestido. Roxo.

- Obrigada -Forçou um sorriso.

Steve era um cara legal, tinha um papo inteligente e ao contrário dos outros atletas do colégio sabia como tratar uma garota. Mas convenhamos. ...Vênus gostava de algo mais ....

Exótico.

Diferente de Jay que era algo que ela queria, mas não podia ter.

O dia no vestiário fora um erro, assim como todos os outros que se sucederam após esse. E a ruiva não queria ter aceitado ficar aos beijos com Jay Kennedy por muito tempo.

- Ela é apaixonada por você desde o segundo ano -A voz do loiro interrompeu seus pensamentos. Vênus se virou rapidamente.

- O quê?

- Jay ...ela é apaixonada por você. -Deu de ombros Steve -Todo mundo do colégio sabe.

- Isso é idiotice ...-Vênus desdenhou tomando sua bebida.

- Pode até ser ....mas quando eu disse que viria ao baile com você, ela me fez jurar que não iria tocar em um fio de cabelo seu. -O loiro sorriu -Então se isso é besteira ...eu quero um dia sentir várias besteiras do tipo por alguém também .

- Steve.

"Quero dedicar a próxima música a alguém muito especial aqui"

Vênus teve a atenção tomada ao ouvir a voz de Jay novamente ao terminarem um cover de Beatles. Dessa vez sua mão suava e seu corpo inteiro tremia.

Pela primeira vez começou acreditar nas palavras que Jay sempre repetia mas seu ouvidos e nas promessas sussurradas em meio aos beijos.

"Essa pessoa realmente é teimosa e praticamente me empurrou da frente dela quando pedi para virmos ao baile juntas, mas ...eu ainda quero dançar a última dança com ela"

Jay sorriu misteriosa e em seguida olhou diretamente para Vênus no meio do ginásio.

"Baby essa vai pra você"

Vênus ofegou.

 you say you know me, know me well

But these days I don't even know myself, no

I always thought I'd be with someone else

I thought I would own the way I felt, yeah

(Sei que você diz que me conhece, me conhece bem

Mas esses dias nem eu mesma me conheço, não

Eu sempre pensei que estaria com outra pessoa

Eu pensei que seria a dona do jeito como eu sentia)

As palavras cantadas por Jay faziam a garganta de Vênus se fechar, os dedos tremerem contra o copo de plástico.

I call you but you never even answer

I tell myself I'm done with wicked games

But then I get so numb with all the laughter

That I forget about the pain

(Eu ligo pra você, mas você nunca atende

Eu disse a mim mesma que cansei de jogos cruéis

Mas então eu fico tão entorpecida com todas as risadas

Que esqueço da dor)

Sentiu o chão abaixo de seus pés ruir, toda aquela letra acabando aos poucos consigo.

Whoah, you stress me out, you kill me

You drag me down, you fuck me up

We're on the ground, we're screaming

I don't know how to make it stop

I love it, I hate it, and I can't take it

But I keep on coming back to you

(Whoah, você me estressa, você me mata

Você me derruba, você me fode

Estamos no chão, estamos gritando

Eu não sei como fazer isso parar

Eu amo, eu odeio e não consigo aceitar

Mas eu continuo voltando para você)

Vênus sentia as lágrimas descendo lentamente por seu rosto, mas não conseguia desviar o olhar.

I know my friends they give me bad advice

Like move on, get you out my mind

But don't you think I haven't even tried

You got me cornered and my hands are tied

You got me so addicted to the drama

I tell myself I'm done with wicked games

But then I get so numb with all the laughter

That I forget about the pain

(Eu sei que meus amigos me dão maus conselhos

Como seguir em frente, tirar você da minha mente

Mas você não acha que eu nem ao menos tentei?

Você me encurralou e minhas mãos estão atadas

Você me deixou tão viciado no drama

Eu disse a mim mesmo que cansei de jogos cruéis

Mas então eu fico tão entorpecido com todas as risadas

Que esqueço da dor)

Whoah, you stress me out, you kill me

You drag me down, you fuck me up

We're on the ground, we're screaming

I don't know how to make it stop

I love it, I hate it, and I can't take it

But I keep on coming back to you (back to you)

Oh, no, no, I just keep on coming back to you (back to you)

Oh, no, no, I just keep on coming back to you

And I guess you'll never know

All the bullshit that you put me through

And I guess you'll never know, know

Yeah, so you can cut me up and kiss me harder

You can be the pill to ease the pain

'Cause I know I'm addicted to your drama

Baby, here we go again

Whoah, you stress me out, you kill me

You drag me down, you fuck me up

We're on the ground, we're screaming

I don't know how to make it stop

I love it, I hate it, and I can't take it

But I keep on coming back to you (back to you)

Oh, no, no, I just keep on coming back to you (back to you)

Oh, no, no, I just keep on coming back to you

Back to you

Whoah, você me estressa, você me mata

Você me derruba, você me fode

Estamos no chão, estamos gritando

Eu não sei como fazer isso parar

Eu amo, eu odeio e não consigo aceitar

Mas eu continuo voltando para você (voltando você)

Oh, não, não, eu continuo voltando para você (voltando para você)

Oh, não, não, eu continuo voltando para você

E eu acho que você nunca saberá

Toda a besteira que você me fez passar

E acho que você nunca saberá, não

Sim, então você pode me cortar e me beijar com mais força

Você pode ser a pílula para aliviar a dor

Porque eu sei que sou viciado em seu drama

Baby, aqui vamos nós novamente

Whoah, você me estressa, você me mata

Você me derruba, você me fode

Estamos no chão, estamos gritando

Eu não sei como fazer isso parar

Eu amo, eu odeio e não consigo aceitar

Mas eu continuo voltando para você (voltando você)

Oh, não, não, eu continuo voltando para você (voltando para você)

Oh, não, não, eu continuo voltando para você

Voltando para você

Eu continuo voltando para você

Jay terminou a música com os olhos marejados enquanto Vênus já soluçava.

A ruiva não aguentou por muito tempo, jogando o copo descartável no chão assim como derrubou sua bolsa no caminho e saiu correndo ignorando os saltos altos e quase caindo no meio do ginásio.

Jay arregalou os olhos quando sua pequena subiu no palco tão rápido que nem teve tempo de piscar.

- Vênus o que ....

- Dessa vez eu que estou voltando para você Jay Kennedy -A ruiva fala firme antes de puxar a morena pela jaqueta e grudar seus lábios.

Na frente de todo o colégio.

- Vênus....-Jay se afasta ofegante.

- Eu te amo Jay, do jeito mais bobo e estragado possível -Vênus confessou.

Não levou muito tempo para ser puxada para um novo beijo, mas dessa vez não era rude ou furioso.

Era cheio de amor.

- Nós somos o erro mais certo que poderia acontecer Vênus Carter -Jay Sussurrou entre seus lábios.

- Sim, e a propósito. ...você é uma idiota -A ruiva sorriu enlaçando o ombro da morena.

- Mas sou a idiota que você ama -Sorriu apaixonada.

- Infelizmente -Brincou Vênus.

E em meio aos gritos dos alunos, música e muito gelo seco ....Jay Kennedy e Vênus Carter tiveram sua primeira de muitas danças juntas.

E mesmo se odiando ....lá no fundo também se amavam.


Notas Finais


Gostaram? ^^

O link da música que a Jay canta no baile: https://youtu.be/7urzgb3oVgg

Beijaoo e até o próximo conto hein.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...