História Love In West Coast - Capítulo 27


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber, Kylie Jenner
Personagens Justin Bieber, Kylie Jenner, Personagens Originais
Tags Jylie
Visualizações 845
Palavras 2.304
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Ficção, Luta, Policial, Romance e Novela, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 27 - De novo não


Fanfic / Fanfiction Love In West Coast - Capítulo 27 - De novo não

Uma semana depois 

Por ter passado a noite inteira chorando, assim que cheguei do ballet apaguei na cama. Novamente tive sonhos com o loiro o que só me destruía mais ainda. 

Eu precisava tanto dele, e o pior era que a culpa era toda minha por ele ter me deixado. Eu sou uma vadia egoísta! 

Por não comer nada a quase três dias, sentia que poderia desmaiar a qualquer momento, então resolvi ir tentar comer nada, mesmo que não tivesse apetite. Sai do quarto quase me arrastando, desci as escadas e gelei ao ver a maldita cena: meu pai, em cima de minha mãe, a penetrando enquanto a mesma implorava para ele parar pois machucava 

De novo não 

Abri a boca deixando que uma lágrima caísse, coloquei as mãos em frente a boca e recuei um passo

— Me ajude Kylie, por favor — implorou Eliza e Bruce tampou sua boca continuando com as fortes estocadas 

Bruce me lançou um olhar, que praticamente dizia tudo, e depois disse apenas mexendo os lábios "Faça algo e você será a próxima". Fiquei totalmente horrorizada, e corri pra cima desabando em lágrimas. 

Corri para o closet, tirei o Pijama, vesti uma calça legging, por cima apenas a primeira blusa que achei: uma regata branca. Calcei um vans preto, peguei meu celular e sai correndo do quarto 

Antes de sair de casa, minha mãe implorou novamente para eu ajudá-la, mais eu não conseguia eu tinha tanto medo de chegar perto dele então apenas sai correndo. Entrei em meu conversível e sai cantando pneu chorando de soluçar 

Eu queria tanto voltar e ajudar ela, mais tinha tanto medo de chegar perto dele e aquela frase recuava em minha cabeça sem parar 

Faça algo e você será a próxima 



Point of view JUSTIN BIEBER

(...) 



— Brow? Não é a Kylie ali? — perguntou Ryan e segui seu dedo chegando em uma garota sentada na guia da calçada do outro lado da rua, abraçada nos joelhos e chorando 

— Vão indo, alcanço vocês — falei e eles afirmaram com a cabeça depois saindo correndo 

Respirei fundo, atravessei a rua e me ajoelhei na frente da garota, deixando as mãos em minha coxa 

— Kylie — chamei baixo, mas ela não se mexeu, apenas continuou chorando baixo e dando alguns soluços — Que foi Kylie? 

— Ele fez de novo — sussurrou e deu um soluço alto, ainda sem me olhar

— Ele quem? Quem fez o que Kylie? 

— Meu pai Justin! 

Ela se levantou e secou as lágrimas porém as mesmas continuam caindo

— O que ele fez? — perguntei me levantando também, controlando a vontade de abraça-lá, pois sempre odiei vê-la chorando 

— Ele estuprou minha mãe de novo, na minha frente! Mais dessa vez... Ele me viu, mas ele não parou, ele continuou machucando ela, sujando ela, violando ela enquanto ela chorava e implorava pra ele parar 

— Quando ele fez isso? — dei um passo pra frente, para nos aproximar porém ela recuou um passo 

— Hoje, a umas duas horas. Eu podia ter ajudado ela, ela pediu minha ajuda, mais eu não consegui! De novo eu deixei que ele machucasse ela! Eu tentei, mais não consegui, não conseguia me mexer, não conseguia pensar, não tinha reação, de novo eu falhei com ela. — tentei abraça-lá já que ela chorava cada vez mais, mas ela se afastou novamente — Qual é a porra do meu problema? Será que eu sempre vou estragar tudo? 

— A culpa não foi sua Kylie, sabe disso 


— Foi minha sim! Se eu não tivesse sido tão fraca eu teria ajudado ela! Eu não consegui nem tentar tirar ele de cima dela, não liguei pra polícia, não chamei alguém, só fiquei lá olhando, enquanto meu pai violava o corpo de minha mãe, e depois sai correndo feito a fraca inútil que sou! Por que eu sempre tenho que estragar tudo? Deixei que ele fizesse isso novamente, fiz meu pai pegar ódio de mim, fiz você me odiar e sentir nojo de mim! Que merda eu fiz pro mundo pra ele me odiar tanto assim? 

— Eu não te odeio Kylie, muito menos sinto nojo de você. Eu continuo te amando, mais do que tudo e sabe disso, então não diga que te odeio e que sinto nojo de ti pois sabe que é mentira.

— Eu sei que tem nojo de mim Bieber! Vejo isso em seus olhos, não vejo mais aquele brilho neles quando me olha, apenas vejo o mesmo vazio que vejo nos de meu pai quando ele me olha. O vazio de nojo e reprovação! Mais tudo bem — ela secou as lágrimas e passou a mão no nariz — Tem todo direito de sentir nojo de mim, afinal, sou uma vadia inútil e fracassada. Vai com os meninos 

Ela deu as costas e começou a andar cabisbaixa. Apesar de ainda estar com raiva dela, não podia deixá-la sozinha nesse estado, e também não podia me esquecer que já fiz pior que ela no começo de nosso namoro. Corri até a morena, segurei seu braço com uma mão e a beijei sendo respondido na hora 

—M-me perdoa por favor... Eu não posso ficar sem você eu...

— Shiiu — a interrompi depois colando nossos lábios em um selinho — Seu carro tá aqui? 

— N-na rua de trás

— Vem 

Passei o braço por suas costas pois ela parecia meio fraca, e fomos indo até a rua de trás aonde o conversível esperava. Entrei no banco do carona, ela ficou do lado, me entregou a chave, enfiei a mesma na ignição e sai cantando pneu. Fomos o caminho todo em silêncio, e ela não parou de chorar em momento algum, mais chorava baixo olhando pro lado, logo chegamos na casa na frente do motel. Jenner olhou pro mesmo, porém ao contrário do que eu achei que ela faria , ela apenas se continuou calada e me acompanhou pra dentro do prédio de 3 andares 

— Fica aqui — pedi e ela assentiu depois se sentando no sofá ali no gall cabisbaixa

Suspirei, beijei o topo de sua cabeça e fui até o balcão com o Jonny atrás 

– Bieber, quanto tempo irmão — disse o espanhol e batemos as mãos — Mina show aquela lá hein

— E, muito. Da um quarto aí Brow, tô com o dinheiro aqui 

— Relaxa irmão, fica de cortesia. Tu me ajudou muito naquele dia, dando um jeito naquele carinha

— Mexeu com amigo meu, mexeu comigo 

— Bieber, tu daria um ótimo líder 

— Eu sou um ótimo líder 

Ele riu depois me entregando a chave, agradeci e fui até a morena que se levantou ainda cabisbaixa. Sequei suas lágrimas que ainda caiam, ela fungou sem erguer a cabeça em um momento, suspirei novamente e a guiei até o elevador. Apertei o botão pro 3° andar, esperamos em silêncio e quando as portas se abriram saímos do cubículo. Fomos até quase o final do corredor cheio de portas e iluminado por uma luz meio roxa, enfiei a chave na porta do quarto 152, abri a mesma e esperei ela entrar.

 Kylie só ergueu o olhar, analisando o quarto por alguns segundos e dessa vez sim jurava que ela iria reclamar dizendo "eu jamais vou ficar num Motel", mais novamente estava errado, ela apenas entrou continuando de cabeça baixa. Respirei fundo vendo que a noite seria longa, entrei e tranquei a porta. Quando me virei West me abraçou com força agora chorando alto, fechei os olhos fazendo de tudo pra eliminar a raiva que sentia dela e devolvi o abraço a erguendo um pouco do chão devido nossa grande diferença de altura 

— Tá doendo muito — sussurrou entre soluços 

— Eu sei, mais para de chorar. Eu tô aqui, fica calma — falei acariciando suas costas 

A peguei no colo, fui até a cama, me sentei na mesma e fiquei acariciando sua coxa enquanto ela chorava em meu colo 

— Ela deve estar se sentindo tão mal agora, eu... Eu poderia ter ajudado ela e.... 

— Para Kylie, para — a interrompi e puxei seu rosto fazendo que ela me olhasse — Por favor para, não lembra disso, esquece isso por favor, sabe que se ficar falando isso só vai ficar mais mal ainda. Para por favor, tenta esquecer isso e foca só em mim

— Me perdoa — ela ficou de frente em meu colo e me abraçou com força e devolvi o abraço de imediato — Eu te amo Bieber, mais do que amo a mim mesma, mais do que amo qualquer coisa. 

— Eu... — Porra Bieber, olha o estado da garota, para de ser tão cusao, tu é a única pessoa que ela ainda tem. Praticamente gritou minha consciência — Eu também te amo West, mais do que já amei alguém e mais do que vou amar 

— Volta pra mim por favor, eu não consigo ficar sem você, você é minha única razão pra continuar aqui 

A fiz deitar na cama ficando em cima dela, sem jogar o peso e ataquei seus lábios pedindo passagem com a língua. Kylie cedeu passagem, fazendo que déssemos início a um beijo feroz, e levou suas pequenas e delicadas mãos em minha nuca, fazendo um carinho ali que só ela sabia fazer 

Porra eu a amava tanto, e a queria tanto que chegava a doer. Claro que eu ainda estava com raiva dela, mas ela fez aquilo por desespero, e também, não posso me esquecer do que fiz a alguns meses atrás 

— Ainda quero que vá comigo na viagem — falei acariciando o canto de seu rosto — Não precisa avisar seus pais, apenas pega suas malas e fica aqui no motel comigo 

— Se eu não avisar eles, Bruce vai culpar minha mãe e vai estuprar ela de novo. Não quero ser novamente o motivo — disse em tom baixo 

— Você não é e nunca foi o motivo Kylie, você não tem culpa disso e já conversamos sobre isso. O problema é o seu pai, e sabe disso. Se  contar que vai viajar comigo eles não vão deixar você vir

— Eu falo que vou com a Ari, ela vai ir viajar mesmo. Pra casa da avó dela

— Tá, você vai amanhã cedo pra casa, pega suas malas e eu te espero no portão. Qualquer coisa, grita que eu vou correr até você e vou te ajudar 

— Eu te amo — jenner me deu um selinho demorado

— Eu também te amo minha gata — beijei sua testa e escondi o rosto na curva de seu pescoço 

Kylie começou a fazer aquele cafune que só ela sabia fazer, em meu cabelo, enquanto eu acariciava sua costela com o dedão aspirando seu doce perfume, meio infantil qual eu amava, até que seu braço "caiu" na cama no mesmo estante que ela virou o rosto. Me afastei um pouco e vi que ela havia desmaiado 

— Kylie... Gata — chamei a balançando de leve porém ela nem se mexeu — Amor acorda 

West foi abrindo os olhos bem devagar e suspirei aliviado 

— Não comeu hoje né!? — perguntei 

— Não como a três dias — respondeu baixo 


— Porra Kylie, sabe que não pode ficar sem comer! 

— Desculpa 


Point of view KYLIE JENNER 

Dia seguinte 

Las Vegas 


Finalizei a chapinha no cabelo dando um sorriso aliviada já que estava arrumando o cabelo a quase 3 horas e como sabia que ia demorar fiz a maquiagem antes. Levantei da cadeira em frente ao espelho, tirei o roupão e vesti meu vestido. Ele era branco, as costas eram nua deixando minha tatuagem nova amostra, seu comprimento ia um pouco abaixo de minha bunda. Calcei o salto branco baixinho, coloquei algumas joias e sai

Justin usava uma calça preta saruel de couro, uma regata preta e um blazer azul por cima, um supra preto e algumas joias. 

— Pronta? — perguntou se virando pra mim e sorriu malicioso — Voltinha 

Ri pelo nariz e dei uma voltinha devagar vendo ele morder o lábio 

— Porra... Você fode mesmo com meu psicológico — disse me fazendo rir

— Que bom amor — passei os braços por seu pescoço e ele abraçou minha cintura — Não tenho certeza se esse vestido tá bom, não sei como mulher de gangster se veste 

—  Relação baby, tá idêntica a mulher de gangster. Vamos? Já estão esperando 

— Vamos 

(...) 

— Porra foi incrível — disse Justin abraçando minha cintura por trás enquanto o vento quentinho de Vegas batia em nossos rostos 

— Meu bebê tá ficando importante— sorri largamente e o abracei forte 

— Cara eu ainda não tô acreditando, foi muito incrível 

— Então acredite amor, pois foi real, e saiba que isso é só o começo, logo logo você vira o rei dessa porra toda 

Justin sorriu e me beijou. Ele retirou o meu celular do bolso e viu o porque dele ter vibrado

— Quem é? — perguntei beijando seus lábios

— A anãzinha, ela quer uma foto sua. – disse — E se você não mandar agora, ela vaza seus nudes.. Não... Nossos nudes... Por que caralhos você mandou essa foto nossa pra ela? — mostrou o celular e eu sorri inocente 

— Pra mostrar pra ela que eu sou mais gostosa que ela.. E que meu namorado é gostoso 

— Meu Deus Kylie, desisto de você. Vai deixa eu tirar sua foto logo não preciso que vejam minha namorada nua 

Ele tirou várias fotos, e minha favorita foi a que eu estava de costas, com o cabelo jogado pro lado, e apoiada com os cotovelos na grade da sacada. Justin tirou uma foto apertando meu seio enquanto mordia o mesmo, e eu fazia biquinho com a mão em seu cabelo, e ele mandou pra ela

Não aperta muito não, vai que o silicone explode. Mandou fazendo ele rir 






Notas Finais


JYLIE VOLTO PORRAAAAA

Aí gente próximo promete.

A foto que ela mais gostou, é a do cap. Comentem que o próximo sai mais rápido possível
E QUE VENHA CASAMENTO... Mintira gente não vai ter casamento nem um


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...