História Love or Fun - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Tags Drama, Justin Bieber, Romance
Visualizações 687
Palavras 4.132
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Festa, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Tortura
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 19 - P.s I love you


POV Lohran

Depois que Vanessa saiu, eu dormi mais um pouco. Logo depois, tomei banho e desci. Katy estava na sala. Passei reto por ela.

-Bom dia, Lohran.

-Bom dia, Katy.

-Ontem deve ter sido ótimo, não é? -ela riu-.

Ignorei a pergunta e segui pro meu escritório. Preferia ficar ali dentro do que ficar com Katy e Vanessa chegar. Não queria ter mais brigas.

Katy me seguiu até lá.

-Em Lohran, me responde. Você me fez ficar igual uma idiota plantada na sala.

-Desculpa. Katy, eu te ofereci um lugar para ficar para te confortar e não pra você atrapalhar meu namoro.

-Eu só quero você de volta pra mim -ela se aproximou até mim-. Quero poder ouvir você dizer que me ama. Que é louco por mim -ela se aproximou mais e sentou na mesa, de frente pra mim-. Quero que você deseje meu corpo. Quero reviver com você nossa história de amor, que, alias, nunca deveria ter acabado.

-Katy... eu sinto falta de tudo como era antes, mas, agora eu to com Vanessa. Eu a amo. Amo demais. Ela é a mulher da minha vida, eu nunca iria magoa-la.

-Você não pode se prender. Ela tem 16 anos e você 20. São diferentes.

-Katy, chega! Me desculpe, mas saía daqui.

Ela assentiu e levantou saindo de lá.

Vanessa tinha razão. Katy ainda mexia comigo. Eu não sei explicar, mas, eu sei que de alguma forma, eu ainda a amava. Cara, ela foi a primeira que eu tive um relacionamento sério. Quando eu mais precisei, foi ela que esteve comigo. Eu estava com medo de voltar a precisa dela e deixar Vanessa. Apesar de tudo, Vanessa não merecia isso. Ela sofreu muito com Bieber e não queria que ela sofresse comigo. Realmente, não sabia o que fazer. Talvez, eu deveria conversar com Vanessa e explicar tudo que estava acontecendo em minha cabeça. Enquanto eu não estivesse preparado, eu iria adiar essa conversa. Se eu pudesse, a adiaria pra sempre.

Hoje iria levar Vanessa para assistir o jogo de basquete que ela tanto queria. Ela era muito feminina, mas, quando se tratava de jogo, ela era mais homem que eu. Achava aquilo ilário. Depois, iria leva-la para o Mc Donald's e, quem sabe, depois me divertir como eu gostava.

POV Vanessa

Passei a aula inteira rasbicando o caderno enquanto pensava o que fazer. Minha vida estava perfeita e, de repente, virou de ponta cabeça. Eu era egoísta. Queria ter os dois pra mim. Porra cara, eles são meus. Tentei me livrar desses pensamentos, mas nada que eu fizesse, os afastaria de mim. Talvez, eu precisasse de um tempo pra mim, sabe? Sumir por um tempo, colocar minha cabeça no lugar. É isso que eu vou fazer. Vou sumir. Agora, só preciso saber pra onde eu vou.

[...]

Na saída, passei perto de Justin e só o olhei. Respirei fundo e segui andando. Assim que consegui ficar na escada, eu vi Lohran parado em frente a escola. E, como sempre, tinha aquelas vagabundas que ficavam ao redor dele ou falando e rindo pra ele. Isso me irritava e, por sorte, Lohran não dava a miníma.

-Oi, amor -cheguei ficando entre suas pernas-.

-E ai, princesa. Você não sabe o que eu comprei pra nós -sorriu-.

-O que? -falei empolgada-.

-Lembra aquele jogo de basquete que você queria ir? Então, tá aqui nossos ingressos -pegou do bolso e me mostrou-.

-Lohran! Oh Meu Deus! Como você conseguiu? Tava esgotado.

-Sabe como é, né? -riu-.

Ri e depositei vários selinhos em sua boca. Lohran sorria entre os beijos e, do nada, um sentimento de culpa e uma dor apareceu. Era como se eu sentisse que aquele sorriso iria desaparecer por minha culpa, quando foi esse sorriso que me fez sorrir nos momentos de fraqueza. Desgrudei nossos lábios e entrei no carro sem dizer nada. Ele abaixou a cabeça e deu a volta no carro para entrar.

-Vou precisar sair depois do almoço.

-Onde vai?

-Preciso fazer um trabalho de escola.

-Tudo bem.

Ficamos em silêncio e o clima pesou. Encostei minha cabeça na janela e pensei sobre o que iria fazer hoje. Eu realmente estava decidida de jogar tudo pro alto, nem que seja por apenas 3 ou 4 dias. Sei que nesse tempo eu corria o perigo de ser substituída por Katy, já que ela seria um 'ombro amigo' pra ele. E sei também que, talvez, Justin não se importe, mas, se ele se importar... é, eu não sei qual seria a reação dele.

[...]

Por sorte, Katy não estava em casa. Então, pude almoçar em paz com o meu Lohran. Terminei o almoço e avisei que estava saindo. Ele me deu dinheiro pro taxi e eu peguei dinheiro para as passagens.

-Já tô indo, amor.

-Cuidado. Qualquer coisa me liga.

Assenti e o beijei. Sorri antes de sair e cruzei a porta.

Peguei um taxi e depois de 30 minutos, mais ou menos, cheguei na rodoviária. Segui até o local que vendi as passagens e suspirei.

-Algum ônibus saí amanhã para Califórnia?

-Para amanhã? -a atendente falou checando no computador-. Só para ás 09:00.

-Pode ser -entreguei o dinheiro e meus documentos-.

-Espere, você é menor de idade. Seus pais estão de acordo com isso?

-Estão, olhe -mostrei um papel que minha mãe me entregou antes de viajar. Esse papel me permitia viajar sem acompanhante-.

-Ah, então tudo certo. Aqui está -ela me entregou as passagens-.

-Aqui é para ida e volta, certo?

-Certo. A volta é depois de 4 dias depois da ida.

-Obrigada -sorri-.

-Boa viagem -ela disse finalizando aquela conversa-.

Peguei as passagens e as guardei em um envelope. As guardei dentro do caderno, assim ninguém iria ver. Saí de lá e fui andando até um parque. Parques me lembravam o sequestro que havia acontecido, mas, aquele era um lugar vazio e calmo.  Me sentei em um tipo de montanha que havia ali. Olhando para baixo, dava para ver o maior e mais fundo lago da cidade. Dizem, que ali, várias pessoas já se suicidaram por causa de amor. Me arripei.

[...]

O tempo passou rápido demais e eu tinha que voltar pra casa. Limpei meu rosto, por conta das lágrimas, e desci aquela montanha.

[...]

-Demorou -ele disse me olhando-.

-O trabalho ficou errado da primeira vez, ai tivemos que refaze-lo.

-Entendi.

Me sentei em seu colo e beijei seu pescoço. Ele segurou minha nuca e olhou em meus olhos.

-Eu. Te. Amo -ele disse pausadamente-.

-Eu te amo muito.

Ele sorriu e apertou minha bunda, fazendo que pese mais sobre seu pênis.

-Lohran! -ri-. Agora não.

-Então se arrumar logo, daqui a pouco vamos ter que sair e chegar lá no jogo.

-Vou tomar banho.

-Deixa eu ir com você -ele fez bico-.

Ri e assenti para que ele viesse junto.

[...]

Entramos no box e eu tirei minha roupa. Lohran já estava no chuveiro e ficou me olhando sem piscar. Escondi o rosto e entrei junto com ele. Óbvio que eu sabia que não iria ser apenas um banho.

-Você contra seu amiguinho aí -ri-.

Ele olhou pra baixo e riu. Lohran já estava exitado e eu comecei a rir daquela cena. Ele me olhou e segurou em meus seios me empurrando contra o vidro. Lohran segurou minhas pernas, as colocando em volta a sua cintura. Beijei seu pescoço e ele chupou meu seio. Lohran não enrolou mais e logo penetrou. Dei um gemido alto e travei minhas unhas em suas costas. Ele começou a aumentar a velocidade. Eu chamava seu nome e pedia para que ele fosse mais rápido e mais forte. Os gemidos de Lohran eram prazerosos e me davam mais prazer. Senti a última penetrada e Lohran me colocou no chão. Minhas pernas fraquejaram e ele me segurou. Nossas respirações estavam ofegantes e cada um ficou de um lado. Entrei de baixo do chuveiro e tive uma vontade louca de chupar Lohran. Me agachei e fui até ele. Sorri e mordi o lábio. Me arrastei até ele e ficar na altura que alcanssace seu pênis. Lohran fechou os olhos e segurei em seu pau. Passei a língua em todo ele e depois em suas bolas. Ele mordeu o lábio e controlou o gemido. Dei mordidas provocativas e senti ele puxando meu cabelo. Rodei meu dedo em seu pênis, fazendo movimentos de "baixo e pra cima" e Lohran começou a gemer abafado. Ele segurou em seu pau e o colocou na minha boca e, então, comecei a chupa-lo com toda a vontade. Seus gemidos eram incontroláveis. Ele gemia meu nome e pedi para que eu não parasse. Senti suas pernas tremerem e vi seus olhos se revirarem. Lohran gozou. Engoli tudo aquilo e ele sorriu.

POV Lohran

A joguei contra o vidro do box, novamente, e beijei seu pescoço.

-Gostosa -falei em seu ouvido-.

Ela riu e me empurrou.

-Chega. Vamos tomar banho agora, ok? Banho mesmo -riu-.

-Ok. Vamos tomar banho de verdade -a puxei pela cintura e a beijei-.

[...]

Terminamos o banho e saímos enrolados na mesma toalha. A joguei na cama e chupei seus seios.

-Ei, chega. Qual é, Lohran? -riu-.

Revirei os olhos e me levantei.

[...]

Vanessa estava linda. Só achei seu vestido um pouco curto.

-Vamos? -perguntei colocando meu braço em sua volta-.

-Claro -sorriu-.

Ela pegou sua bolsa e nós descemos. Na escada, vimos Katy conversando com Anne. Vanessa apertou minha mão.

-Até quando vou ter que aturar isso? -ela murmurou-.

-Por uns dias.

Ela revirou os olhos e desceu na minha frente, indo direto para o jardim

-Onde vai?

-No jogo de basquete.

-Que legal! Posso ir?

-Não. É só entre eu e Vanessa.

Ela revirou os olhos e mordeu o lábio suspirando. Alias, por que as mulheres sempre reviram os olhos quando estão nervosas? Não falei mais nada. Me despedi de Anne e saí. Vanessa já estava no carro de braços cruzados. Entrei e dei partida sem perguntar nada.

[...]

Chegamos no local onde iria acontecer o jogo e lá estava lotado. A abracei por trás e nós seguimos andando juntos até lá.

-Vai querer alguma coisa? -perguntei indo em direção a lanchonete-.

-O mesmo que você.

Assenti e peguei nachos de queijo e refrigerante. Fomos até os nossos lugares e o jogo começou. Vanessa vibrava, gritava e xingava os jogadores. Eu ria e comia meus nachos. Assim que seu time marcou ponto, Vanessa levantou e seus seios pularam. Um dos caras do lado, comentou e ficou olhando sua bunda.

-Gostosa, né? -perguntei-.

-Gostosa é pouco -ele respondeu-.

-Pena que é minha.

-Podemos dividir.

-E eu poderia acabar com você agora.

Ele se calou e Vanessa se sentou novamente. Passei a mão em sua volta e beijei seu ombro. Continuamos  assistindo o jogo e ninguém mexeu com ela.

[...]

O jogo acabou e a Vanessa queria tirar fotos com os jogadores. Neguei e falei para irmos embora. Por que? Porque sei que se algum desses a paquerasse, ela iria cair. Ela ficou irritada e ficou me questionando.

-Por que, Lohran? É rápido. Você não vai pegar trânsito.

-Vanessa, eu não nasci ontem. Se algum desses te quiser, e eu tenho certeza que eles vão, você corre pra eles.

-Claro, por que não? Até porque eu não tenho um namorado. Até porque eu faço isso. Ah Lohran, por favor.

Vanessa saiu andando. E eu a puxei pelo braço.

-Qual é? Vai ficar assim?

-Não -me deu um selinho-.

-Ótimo. Vamos no Mc Donald's?

-Claro -ela sorriu-.

Retribui o sorriso e andamos até o carro.

POV Vanessa

Depois do jogo fomos para o Mc Donald's. Pedi o mesmo lanche que Lohran e nós nos sentamos em uma mesa. Fiquei olhando pra ele. Admirando cada detalhe de seu rosto, até chegar a conclusão que ele era um anjo. Anjo em todos os sentidos. Meus olhos se encheram de lágrimas pelo o que eu faria amanhã.

-O que foi? -ele perguntou com a boca cheia-.

-Nada -ri-. Engole isso, seu nojento.

Ele engoliu e riu. Peguei suas batatas e ele pegou meu sorvete. Cara, a gente era um casal muito idiota.

[...]

Chegamos em casa e estava tudo apagado. Havia um bilhete na sala.

"Lohran, eu saí com um garoto, ok? Não vou dormir aqui essa noite :). Beijos, Katy"

Peguei o papel, amacei e joguei fora. Ridícula.

-Amor -chamei Lohran-.

-Sim? -ele entrou na sala fechando a porta-.

-Eu te amo.

-Eu também te amo -sorriu e se aproximou de mim-.

Selei nossos lábios e o beijei. Não foi um beijo como os outros, foi calmo e eu pudi sentir cada músculo seu se movendo junto ao meu. Sua língua pediu passagem e eu cedi. Lohran mordeu meu lábio e eu dei um selinho. Assim, finalizando o beijo.

Lohran me empurrou contra o sofá e sentou em mim.

-Amor...

-Já sei -ele disse me interrompendo e levantando-.

-Desculpa.

-Tudo bem, amor.

Sorri e subi pro quarto. Estava chegando a hora de tomar, talvez, a decisão que me traria a resposta do que fazer com minha vida. Eu estava tensa. Não queria que nada desse errado. Chequei se as passagens ainda estavam ali e fiquei, um pouco, tranquila ao ver que elas estavam do jeito que deixei. Guardei o envelope do jeito que tava e desci as escadas. Lohran estava na cozinha comendo.

-Você ainda está com fome? -perguntei-.

-Sim -ele riu-.

Ri e me sentei com ele. Lohran me ofereceu seu lanche e eu neguei.

[...]

-Boa noite, amor.

-Boa noite -sorri-. Tenha bons sonhos e nunca se esqueça que eu te amo, ta?

-Eu também te amo.

Ele se virou para o lado e logo pegou no sono. Me levantei, sem fazer barulho, e peguei uma folha e uma caneta. Tinha que deixar algo pra ele.

"Bom dia, amor. Espero que você tenha dormido bem. É, você deve tá pensando por que eu estou escrevendo isso e bom... eu não estou mais aqui. Eu fui embora. Não se preocupe, eu volto. Juro. Eu só preciso de um tempo sozinha, sabe? Nesses últimos dias várias coisas aconteceram e isso mexeu demais com minha mente. E sim, envolve o Justin. Lohran, eu não te trai. Eu prometi que nunca mais faria isso. Justin veio conversar comigo e me deixou confusa com o papo dele. Enfim amor, me desculpe, mas eu precisava disso. Se cuida e não se preocupe comigo. Eu te amo muito. Com carinho, sua garota, Vanessa."

No fim da carta, deixei uma lágrima se cair. E bom, eu precisava fazer uma carta á Justin também. Antes de ir embora, eu iria deixar na sua casa.

"É, eu tô indo embora. Eu vou voltar. Por que eu to fazendo isso? Porque eu preciso tomar uma decisão da minha vida. E sim, é sobre você. Pois é, Justin, mesmo a gente não estando juntos, você ainda mexe comigo... ainda mais com aquela sua conversa. E bom, você não precisa saber mais nada sobre isso. Não tente me procurar, não vá atrás de Lohran, ele também não sabe nada sobre isso. Se cuida e eu te amo. Vanessa."

Porra, agora tinha fodido tudo. Meu choro tinha aumentando e eu estava quase desistindo, mas, não. Se eu quisesse ficar em paz e tentar ser feliz, eu precisava fazer isso. Deixei as cartas em cima da cômoda e voltei a dormir com Lohran.

[...]

Na manhã seguinte, acordei e fui direto me arrumar. Coloquei algumas roupas em uma mala pequena e deixei a carta que fiz pra Lohran do seu lado. Dei um beijo em seu rosto e saí. Por sorte, Anne estava nos fundos e não me viu saindo. Os seguranças abriram o portão e o taxi já havia chegado. Suspirei pesado e entrei. Primeiramente, dei o endereço da casa de Justin para poder entregar a carta.

[...]

-Entre isso a Justin quando ele acordar.

-Sim, senhora -assentiu o segurança da casa de Justin-.

Assenti e voltei ao taxi. Disse ao motorista seguir para a rodoviária e ele assentiu tirando o carro de lá. O caminho inteiro eu fiquei pensativa, mas nada, nada mesmo, poderia mudar minha decisão.

[...]

Cheguei na rodoviária e entrei. Meu ônibus já ia sair, então, desliguei meu celular e entrei no ônibus. Olhei para a janela, sim, eu estava esperando algum deles vir, mas não os vi. Talvez, isso seja um sinal. Não! Eu já estava tendo ideias idiotas, o melhor que eu tinha á fazer era dormir até o fim da viagem.

POV Lohran

Acordei um pouco mais das 10 da manhã. Passei a mão do outro lado da cama e não senti Vanessa ali, apenas um papel. O peguei, sentei na cama e o li.

"Bom dia, amor. Espero que você tenha dormido bem. É, você deve tá pensando por que eu estou escrevendo isso e bom... eu não estou mais aqui. Eu fui embora. Não se preocupe, eu volto. Juro. Eu só preciso de um tempo sozinha, sabe? Nesses últimos dias várias coisas aconteceram e isso mexeu demais com minha mente. E sim, envolve o Justin. Lohran, eu não te trai. Eu prometi que nunca mais faria isso. Justin veio conversar comigo e me deixou confusa com o papo dele. Enfim amor, me desculpe, mas eu precisava disso. Se cuida e não se preocupe comigo. Eu te amo muito. Com carinho, sua garota, Vanessa."

Não acreditei no que li. Fiquei relendo várias vezes até cair minha ficha. Eu não acreditava que Vanessa tinha feito isso comigo. Não! Isso tem que ser mentira. Desci as escadas correndo e fui em todos os cantos da casa, e não a achei. Abri o closet e vi que sua mala não estava ali. Merda. Mil vezes merda. Ela foi embora por causa do Bieber? Por que ela fez isso? Nós estávamos bem, felizes. Por que ela tinha que estragar tudo? O que Bieber tinha falado á ela que a deixou desse jeito? Lágrimas rolavam pelo meu rosto, eu estava inconformado. Tentei ligar várias em seu celular mas só dava desligado. Tudo que eu queria era que, ela desistisse e voltasse.

Bieber é o grande culpado disso. Sempre ele. Isso não vai ficar barato.

Desci as escadas e Katy estava saindo do quarto. Ela me viu chorando e veio até mim.

-Lohran, o que aconteceu?

-A Vanessa, Katy. Ela foi embora.

-Embora?

-Sim. Ela disse que precisava de um tempo. Por que ela fez isso?

-Oh meu Deus! Ela volta pra você -ela me puxou para um abraço e eu não neguei-.

Katy desceu as escadas comigo e me deu um copo d'água.

-Vai ficar tudo bem. Eu estou com você.

Assenti e fiquei na cozinha tentando ligar pra Vanessa.

POV Katy

Uau! Vanessa tinha ido embora. E bom, agora Lohran está sozinho e isso quer dizer que, minha chance de ter o amor da minha vida de volta aumentou. Eu sei que ele estava mal, e eu, como sua melhor amiga, iria reanima-lo. E depois? Ah, iria aproveitar. Aproveitar em todos os sentidos.

POV Justin

É só eu ir pra piscina e vem esses seguranças chatos encher a porra do meu saco.

-Senhor Justin, uma garota mandou entregar isso -me deu uma folha-.

-Que garota?

-Acho que era aquela que vinha aqui.

-Tá. Pode ir.

Ele assentiu e saiu. Não fazia a miníma ideia de quem tinha vindo aqui, mas, mesmo assim, peguei o papel para ler.

"É, eu tô indo embora. Eu vou voltar. Por que eu to fazendo isso? Porque eu preciso tomar uma decisão da minha vida. E sim, é sobre você. Pois é, Justin, mesmo a gente não estando juntos, você ainda mexe comigo... ainda mais com aquela sua conversa. E bom, você não precisa saber mais nada sobre isso. Não tente me procurar, não vá atrás de Lohran, ele também não sabe nada sobre isso. Se cuida e eu te amo. Vanessa."

Era Vanessa. Ela tinha ido embora e, pelo o que eu entendi, ela foi embora por minha culpa? Essa garota viaja. Por que logo por mim? Sim, eu sei que ela ta confusa mas isso não é motivo pra ela ter fugido igual uma retardada. Lohran era o culpado disso. Esse babaca deve ter traído ela de novo e, como Vanessa era uma garota apaixonada e iludida, ela não aguentou e fugiu. Eu vou quebrar a cara desse panaca. Tá bom, confesso que fiquei preocupado com ela, porque cara, ela só tinha 16 anos, não sabia se virar sozinha. E comer? Dormir? Onde ela iria ficar? Droga. Tentei ligar no seu celular, mas só dava caixa postal. Que inferno.

-Ligação on-

-Ryan.

-Fala, bro.

-A Vanessa foi embora... e eu preciso que você a ache.

-Embora? Como assim? Justin, como eu vou achar ela? Tá louco?

-É, porra! Ela me deixou uma carta dizendo isso.

-Ela colocou o que na carta?

-Depois você lê, mas, ela disse que volta.

-Então espera, ué.

-Esperar? VOCÊ TÁ MACONHADO, RYAN? CARALHO, ELA SÓ TEM 16 ANOS, PORRA!

-Calma, bro. Vou tentar achar ela.

-Ótimo.

-Fim de ligação-.

Ou  Ryan acha Vanessa ou ele acha. Se eu descobrisse pra onde ela foi, eu iria atrás dela. E lá, eu iria fazê-la voltar comigo e esquecer, definitivamente, Lohran.

POV Vanessa

Depois de 4 horas na viagem, eu cheguei na Califórnia. Desci do ônibus, peguei minha mala e segui em direção ao ponto de taxi. Acenei a um e o peguei. Não sabia ao certo a onde ir, alias, não sabia nada sobre aqui. Eu tinha apenas 500 dólares, ou seja, irei ficar sem comer para poder ter onde dormir.

[...]

Cheguei em um hotel, até que bonzinho, e ai eu iria ficar. Respirei fundo e liguei meu celular. Havia várias ligações perdidas de Justin e de Lohran. Não sei se deveria ligar para os dois ou não. Suspirei pesado e resolvi mandar mensagem.

"Eu estou bem. Não se preocupe."

Mandei isso para os dois e voltei a desligar o celular. Bom, agora eu iria passar o resto do dia, e, durante, esses quatros dias aqui. Me deitei na cama e fiquei pensando em tudo que havia acontecido nos últimos dias. Pensando em como me decidir.

POV Justin

Ryan havia ido até o aeroporto e não havia nenhuma registro de Vanessa lá. Então, ele foi até a rodoviária e sim,  lá tinha um registro com o nome dela.

-Bro, ela foi pra Caliornia.

-Califórnia?

-Sim, cara. Ela volta em 4 dias, como você disse.

-Isso eu sei. Quero ir atrás dela.

-O que? Você tá ficando louco? E se Lohran souber?

-Quero que ele se foda. Eu vou atrás da minha garota.

-Justin, você apaixonado fica um trouxa.

-Vai querer mandar em meus sentimentos? Eu não estou apaixonado por ela, merda. Só quero busca-la, posso?

-Claro que pode. Calma, bro.

-Vai arranjar uma passagem pra mim -joguei dinheiro pra ele-.

Ele assentiu e saiu. Agora Vanessa não me escapa. Ah, e claro, eu não me esqueci de Lohran e, essa história, seria resolvida agora.

[...]

-CHAMA O LOHRAN COVORDÃO! -gritei no portão e ele apareceu-.

-Bieber -ele resmungou chegando-. O que você quer? Não acha que já fez o suficiente?

-Fez o que?

-O que? Não se faça de besta. Você é o grande culpado de ela ter ido embora.

-Culpado? Você entrou na nossa vida pra acabar com tudo. Maldita hora que eu a apresentei pra você.

-Acabar com o que? -ele abriu o portão e saiu. Ficamos frente á frente-. Você a fez sofrer, Bieber. Quantas vezes ela veio chorando dizendo que te amava e que não aguentava mais sofrer por você.

-Eu sei que errei com ela, errei muito. Mas nesse tempo, eu aprendi ama-la, Willians. Sei de quanto preciso tê-la pra mim. E ela foi embora porque você está no meio do nosso relacionamento.

-Que relacionamento? -ele se aproximou mais de mim. Conseguia ver ódio em seus olhos-.

-O que nunca deveria ter acabado. Ah, e acredite, quando ela voltar, ela vai me escolher.

Lohran me olhou com raiva e quando eu vi, sua mão estava em meu rosto. Ele me deu um soco e me empurrou.

-A VANESSA NUNCA SERÁ SUA, BIEBER!

Ri e me levantei.

-Vanessa me ama, Willians. Aquela transa que nós tivemos, garanto, que foi a melhor de todas que vocês tiveram. Você tem que colocar os pés no chão e lembrar que o verdadeiro amor dela sou eu.

Ele me olhou e quando ele iria vir pra cima de mim, novamente, eu segure em seu pescoço e o apartei.

-Quando ela voltar, se prepare para perde-la -o empurrei e entrei no carro, dando partida-.

Garanto que agora ele deve estar se perguntando se é verdade tudo isso que disse. Mas ora, eu estava certo, ele roubou minha namorada. E, quando eu disse que Vanessa seria minha novamente, eu estava certo. Nós vamos ser um casal novamente.


Notas Finais


Boa noite, meninas. Então, o finalzinho do capítulo não ficou tão bom porque não quero adiantar muita coisa e tals. Mais uma coisa, to em época de prova, vai até o fim do mês, ou seja, não sei quando irei postar novamente. Enfim, espero que gostem. Bjaum


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...