História Lucky - Capítulo 17


Escrita por: ~

Postado
Categorias Álvaro Morata
Personagens Álvaro Morata
Tags Álvaro Morata, Isco Alarcón
Visualizações 36
Palavras 1.476
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Esporte, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Demorei? Muito, eu sei! Foi mals gente! Eu tava cheia de trabalhos pra fazer e quando eu tinha um tempinho pra continuar a fic minhas idéias eram bloqueadas!
Espero que gostem desse capítulo! E um aviso... A Fic está na reta final!

Capítulo 17 - Diecisiete


Fanfic / Fanfiction Lucky - Capítulo 17 - Diecisiete

Me diz tem como não gostar de você? Você é incrível sabe? É o jeito, é o sorriso, seu jeito inteligente de falar, seu jeito único de me fazer sorrir, e eu amo isso. Basta um pequeno gesto seu e é inevitável o meu sorriso. Minha vontade é estar todos os momentos ao seu lado. Porque cada minuto longe a saudade é inevitável.  - Nanda Marques


Levantei minha cabeça lentamente e encarei seus olhos castanhos que agora estavam um pouco mais escuros. Segurei suas mãos e com meu polegar acariciei - as 

 - Eu acho que sei oque você quer falar... - me encarou 

 - Sabe ? - semicerrei os olhos 

 - Espera um minutinho - se levantou e saiu. 

O mesmo voltou segundos depois com Alice 

- Senta lá com a Gabi - pediu pra ela 

 - Álvaro, eu não estou entendendo! - falei 

 - Nem eu - Alice me olhou e balançou a cabeça 

 - Eu já sei de tudo! Aliás, eu sempre soube... Ela não é minha filha né? - nos olhou e eu apenas abaixei a cabeça - Vocês acham que eu sou tão lerdo assim? Alice, desde que você me contou eu fiz as contas e o seu tempo de gravidez batia certinho com a semana em que estávamos separados, mas sabe porque eu não te questionei, discuti com você ou te mandei pra longe da minha vida? Porque eu já me sentia pai naquele momento, eu queria ser o pai, eu queria cria - lá, educa-la, vê-la crescer.... - seus olhos se encheram de lágrimas 

 Nesse momento eu já estava me desmanchando em lágrimas. A atitude dele foi o gesto mais lindo que eu já vi alguém fazer! E vindo dele não me surpreende, porque sei o quanto ele é incrível!

- E eu não me arrependo, e nunca vou me arrepender - continuou falando - Ela é sim minha filha! Vou assumi-la e estar ao lado dela sempre! 

 - Meu amor! - me levantei e corri para os seus braços - Você é maravilhoso! - segurei seu rosto - Eu to tão orgulhosa! 

 - Eu fiz o certo, e oque tinha que ser feito! 

 - Álvaro - Alice se aproximou - Me desculpa! Eu devia ter te contado! Mesmo que você já soubesse, eu não deveria ter escondido isso 

 - Não deveria mesmo, você errou! Mas já passou... Eu só quero curtir minha filha agora 

 - Claro! E vai ter todo o direito! - disse ela 


 Três dias se passaram. 

Álvaro foi com Alice registrar a filha deles. Isso só mostra a pessoa maravilhosa que ele é. Mesmo que Alice tenha enganado ele dessa forma o mesmo vai assumir a filha dela como dele também. 

 Eu tomei um banho, vesti um vestido preto longo e um chinelo de ficar em casa mesmo. Quando voltei pra sala dei de cara com Álvaro chegando, e ele estava com a filha no colo, e o melhor, sem Alice atrás 

 - Amor! Escolhemos o nome da pequena! - se aproximou 

 - E qual é? - perguntei curiosa 

 - Beatriz - sorriu - Que significa, traz felicidade! 

 - Que lindo meu amor! - abracei ele com cuidado por causa da bebê - Você é incrível e é por isso que te amo! - selei nossos lábios 

 Meu celular começou a tocar. Peguei ele em cima do sofá e olhei o visor. Era Paloma. Atendi na mesma hora 

 - Oi amiga! - falou ela 

 - Oque tu quer piranha? 

 - Só liguei pra avisar que estou chegando! - percebi seu tom de euforia 

 - Chegando? Oi? Como assim? 

 - Pro aniversário do Guto doida! 

 - Eita, é verdade, tinha esquecido! - coloquei a mão na testa - Mas, perai... Você vai ir? 

 - Sim! E não é de penetra! O mesmo me convidou! - riu 

 - E vocês tavam de papinho é? - olhei para Álvaro que estava desesperado tentando fazer Beatriz parar de chorar 

 - Digamos, que sim! Desculpa não ter te contado! Juro que quando eu chegar ai vou te contar tudo em detalhes! 

 - Acho bom hein! 

 - Vou ter que desligar! Até daqui a pouco! Tchau! 

 - Tabom, até! Bjs 

 Encerrei a chamada e dei risada de Álvaro. O mesmo estava vermelho, de raiva por não estar conseguindo acalmar a bebê 

 - Me dá ela aqui - peguei Beatriz de seus braços 

 Comecei a andar de um lado para o outro, balançando o meu corpo de vagar e cantando uma música calma qualquer. Logo ela dormiu 

 - Você leva jeito hein! - me deu um selinho e eu sorri 

 Coloquei a bebê no bercinho que Álvaro comprou e fui tomar meu banho. Vesti um macaquinho branco com listras vesticais pretas, uma sandalia de salto nude e fiz uma maquiagem leve. Quando eu finalmente estava pronta voltei pra sala. Álvaro estava jogado no sofá me esperando e mexendo em seu celular 

 - Dois anos depois... - disse ele já se levantando 

 - Idiota - dei um tapa em seu braço 

 - Sônia - Álvaro a chamou - A gente ta indo pra um aniversário, dá uma olhadinha na Beatriz por favor? E quando Alice chegar pode deixar ela pegar a filha lá no quarto ta? 

- Tabom senhor! - assentiu 

- Obrigado! - sorriu agradecido 

Caminhamos para o estacionamento. Álvaro tirou o carro de lá e deu caminho para a casa de Guto. Chegamos lá e o aniversariante estava de saída 

- FELIZ ANIVERSARIO AMIGO!!!! - abracei ele 

- Obrigado! - tirou meus pés do chão 

- Parabéns irmão! - Álvaro abraçou o amigo 

- Valeu! - agradeceu - To indo ali mas podem entrar e ficarem a vontade viu? 

- Tabom! - sorri - Mas vai pra onde? Não é legal o aniversariante sair da própria festa e deixar os convidados ai 

- Eu sei - riu - Mas é coisa rápida! E uma surpresa pra você 

- Surpresa? - fiz cara de como se eu não soubesse de nada - Então vai e volta logo! 

 - Pode deixar! - riu e entrou em seu carro 

 Eu e Álvaro entramos na casa dele que estava toda enfeitada com coisas de aniversário mesmo, mas tudo bem simples já que a festa era uma coisa só para os mais íntimos mesmo. 

 - Oi, tudo bom? - uma mulher com a aparência de uns 50 anos se aproximou e nos cumprimentou - Prazer, sou Marcela, a mãe de Guto 

 - Oi, tudo bom! Sou Gabi! - sorri 

 - Prazer dona Marcela! Sou Álvaro! Eu ainda não conhecia a senhora 

 - É que eu sou da Espanha e trabalho como médica lá, então estou sempre muito ocupada e quase não tenho tempo de viajar para visitar meu filho - explicou 

 - Nós também somos de lá! - respondi com certa empolgação 

- De Madri? - perguntou 

- Sim! - eu e Álvaro falamos juntos  

- De que familias? Talvez eu conheça os pais de vocês ! 

- Morata e Varella - disse Álvaro 

- Varella? - arregalou os olhos 

- É.... - Conhece minha família? - fiquei curiosa por causa da reação dela 

- Conheço algumas pessoas com esse sobrenome... Será que podemos nos sentar para conversarmos? 

 - Claro! - acompanhamos ela até o sofá 

 - Eu conheci um casal há muitos anos atrás! O homem se chamava Augusto Garcia e a mulher Luciana Varella 

 - É a minha mãe e o ex marido dela! - fiquei chocada - Como você os conheceu? 

 Nesse momento Guto chegou com Paloma e os dois vieram até nós 

 - Amiga! - Paloma me abraçou - Como você ta? 

 - To bem garota! E você? 

 - Mais que bem! - deu um sorrisinho de lado 

 - Hum né? - a cutuquei com o cotovelo e demos risada 

 - Mãe, ja vi que conheceu meus amigos, e agora quero que conheço uma pessoa muito especial - pegou na mão de Paloma - Sua futura nora! 

OQUE? Eu realmente não estava esperando por essa, mas confesso que amei a novidade e achei fofo da parte dele a apresentação da nova ou futura nova namorada. 

 - Prazer dona Marcela! Sou Paloma - a abraçou 

 - Prazer! Você é linda! - elogiou minha amiga 

 - Ah magina! Mas obrigado pela parte que me toca! - sorriu 

 Eu não entendo até hoje como que Paloma se sai bem em certas situações. Se fosse eu no lugar dela agora, por exemplo, estaria tremendo mais que vara verde 

 A festa já estava quase no fim. Muito gente já havia ido embora. Eu estava conversando com Paloma quando de repente dona Marcela me chama. Me levanto e vou até ela 

 - Será que posso terminar aquela conversa com você rapidinho? Preciso que Guto também esteja presente - disse ela e eu assenti 

 Ela chamou o filho e fomos nós três para o quarto dele que ficava lá em cima


Notas Finais


Espero que tenham gostado!
Beijos!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...