História Mabill - Sentimentos proibidos. - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Gravity Falls
Personagens Bill Cipher, Dipper Pines, Gideon Gleeful, Mabel Pines, Personagens Originais, Stanford "Ford" Pines, Stanley "Stan" Pines, Wendy Corduroy
Tags Mabill
Visualizações 72
Palavras 1.006
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ficção, Mistério, Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Falta de criatividadeeee.
Não ficou taaaaaoooo detalhado assim, pode até parecer confuso em algumas partes (eu acho), mas espero que gostem da leitura!!

Capítulo 6 - Verdade ou desafio.


Dia: 08/10

Era um dia qualquer, estava um pouco frio, tio Stan estava trabalhando na cabana, enquanto tio Ford escrevia mais e mais sobre suas novas descobertas. Eu, Dipper, Pacífica e Bill estávamos jogando Masmorras, Masmorras e mais Masmorras, apesar desse jogo ser difícil de se entender, era divertido.

-Eu não entendo esse dado! - Disse o jogando tentando saber o número que tinha caído.

Pacífica riu.

-Nem eu... acho que deveríamos jogar outra coisa - Ela olhou para Dipper com um pequeno sorriso.

-Tipo?- Dipper começou a guardar o tabuleiro.

-Verdade ou Desafio - Disse Bill com um sorriso malicioso. Olhei para Dipper um pouco hesitante sobre a ideia dessa brincadeira.

-Ótimo! - pacífica concordou. Ela pegou uma caneta e a colocou sobre a mesa. -O lado que escreve é quem pregunta, o outro é o que responde. Certo?

-Ham... Certo - Disse me distanciando um pouco da mesa. Bill girou a caneta ansioso, e ficamos a olhando girar e girar... até parar em mim. Pacífica perguntava, eu respondia.

A garota me olhou com as sobrancelhas arqueadas, e sorriu.

-Verdade, ou desafio?

-Desaf...verda... - pensei na resposta, e suspirei de exaustão -Verdade.

Bill me olhou pelo canto do olho, segurando um pequeno sorriso.

-É verdade que...- ela olhou para Bill por alguns segundos, e voltou a me olhar -É verdade que você está namorando?

Corei de leve com sua pergunta.

-Não...

Pacífica continuou nos olhando desconfiada.

-Ah, vamos logo... gire a caneta! - pediu Bill cruzando os braços.

Dipper girou a caneta.

-Dipper! - disse Bill com um longo sorriso -Verdade, ou desafio?

-Desafio!

Bill soltou uma gargalhada.

-Te desafio a beber uma garrafa d'água de um litro, em menos ... de cinco segundos!

-O que?! Isso é impossível. - replicou

-Na verdade, não. Um cara conseguiu beber uma garrafa d'água em menos de quatro segundos. Se ele conseguiu, você consegue.

Dipper bufou revirando os olhos e se levantou para pegar a garrafa d'água.

-Pode começar? - perguntou tirando a tampa.

-Vai!

Ele estava indo bem... na verdade não. Na primeira tentativa, ele engasgou com a água a fazendo sair pela boca e pelo nariz. Foi tão engraçado, que todos estavam com a barriga doendo de tanto rir.

-Ah, Droga... - Dipper começou a tossir.

-Vamos de novo! - disse girando a caneta. Pacífica me olhava nos olhos, ignorando completamente a brincadeira, como se ela tivesse dúvidas em relação a mim.

A caneta parou.

-Mabel... - Disse Bill. O olhei nos olhos sentindo um frio na barriga -Verdade, ou desafio?

Engoli em seco.

-Eu...ver...

-Verdade de novo, Mabel? - Dipper me olhou um pouco sem graça.

-Então... desafio.

-Eu te desafio, a me beijar.

Naquele momento, eu desejei ser uma topeira pra me esconder de baixo da terra. Estava tão vermelha que sentia meu rosto queimar.

Dipper nos olhava com o queixo caído, Pacífica mantinha um sorriso vitorioso, por algum motivo... e eu realmente queria beija-lo, mas ali? Na frente de Dipper? Meu coração estava tão acelerado, que sentia que ele ia sair pela boca.

Até que eu percebi uma coisa.

O beijei na bochecha. Ele me olhou tão confuso que nem palavras conseguiu dizer.

-Bom, você disse que queria um beijo... da próxima vez, seja mais específico...

Ele corou de leve um pouco sem graça, e se levantou.

-Eu lembrei que tenho uns assuntos para tratar, então preciso ir...

-Como assim? Onde vai? - perguntei um pouco triste. Bill ficou quieto, e saiu pela porta.

Simples assim.

Dipper continuava me olhando com o queixo caído.

-O que foi? - cruzei os braços um pouco envergonhada.

-Você...Bill... o que tá rolando?

Pacífica soltou uma pequena risada, e o olhou.

-Dipper, você não percebe? Os dois se gostam.

Ele me olhou um pouco preocupado.

-Mas Mabel! Ele é o Bill! O olho que tudo vê... que quase matou a gente.

-É Dipper, ele quase matou a gente, mas isso foi a anos atrás! Ele está diferente, não percebe? - retruquei.

-Claro que eu percebo! Mas ele nasceu do mal... Ele pode até se tornar o que já foi de novo!

-Mas como? Olha só pra ele Dipper, ele é um de nós!

-Sei que é, Mabel! Não sou cego! - Gritou se levantando. Me levantei do chão também, e o encarei.

-Então porque está implicando com ele?!

-Porque eu não confio totalmente nele, Mabel!

-E você não confiava na Pacífica, e olha só. Estão namorando!

-É diferente!

-Como pode ser diferente? - alterei a voz.

-Porque ela NÃO É O BILL - Berrou cerrando os punhos. -Você não enxerga, Mabel?! Ele é perigoso até mesmo na forma humana!

-O ser humano é perigoso, Dipper! Não seja um idiota...- disse com a voz começando a ficar trêmula. Nunca tinha ouvido Dipper gritar assim comigo, estava tão chocada que queria chorar.

Ele bufou olhando para a pacífica que estava completamente paralisada escutando a briga.

-Ham... eu preciso ir embora - disse a garota se levantando.

-Eu te levo - Dipper pegou a chave do carro, e beijou sua testa. Pacífica me olhou um pouco preocupada, e suspirou.

Fiquei olhando os dois irem embora, até sumirem da minha vista. Me sentei no sofá que ficava do lado de fora da cabana, e respirei fundo várias e várias vezes, olhando para a floresta escura.

Fiquei em silêncio por alguns minutos, até escutar um grito de arrepiar a espinha. O grito era familiar e parecia pedir por socorro, quando me dei conta de quem era, corri até o local do grito, ficando completamente paralisada.

Bill estava sendo levado por demônios. Os mesmos demônios que tentaram nos matar no estranhagedon.

-Vamos fazer com que você volte ao que era. Você perdeu o jeito mesmo, meu amigo - disse o demônio de cor rosa, que estava carregando Bill.

-Gente, parem com isso! Eu não quero ser aquele Bill... eu... essa vida é incrível!

Todos o olharam com desprezo e surpresa.

-O que aconteceu com você? E aquela vontade de destruir o mundo, escravizar os humanos?

Bill olhou para cada um deles, sério.

-Eu não sou mais o mesmo. Eu tenho amigos, uma família! E quem sabe...uma...possível namorada. Eu estou bem assim!

-Mas você tinha tudo, Bill! - comentou o demônio menor -Poder!

-Isso não significa mais nada para mim! Sim, eu tinha poder. Eu era o mais forte de todos! E mesmo assim, fui derrotado...agora olhem para mim! Eu me sinto bem... me sinto completo!

Os demonios se entreolham, ficando sérios.

-Vamos trazer o antigo Bill de volta, e começar um novo estranhagedon...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...