História Mãe, acho que virei lésbica. - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias TWICE
Personagens Chaeyoung, Dahyun, Jihyo, Jungyeon, Momo, Nayeon, Tzuyu
Tags 2jae, 2yeon, Blackpink, Bts, Chaengtzu, Chaengyu, Chaetzu, Chaeyoung, Chaeyu, Dahmo, Got7, Homofobia, Jibam, Jihyo, Jikook, Jinbam, Kpop, Rose, Twice, Tzuyu
Visualizações 330
Palavras 1.138
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Escolar, Famí­lia, FemmeSlash, Fluffy, Shoujo-Ai, Violência, Yuri
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi gente, de novo.

Mais uma one para vocês, e metade disso tudo, é baseado em fatos reais.

Certo, não metade, apenas uns 10 ou 5%

Estou com muita inspiração esses dias, e não prometo nada que irei parar de postar oneshot's.

Capítulo 1 - .sorry mom


Mãe, eu preciso te falar algo.

Mãe eu terminei com Jeongguk. Ele não era o suficiente para mim.

Não mãe, eu não trai, mas eu mesma me trai.

Mãe, você lembra de quando eu sempre falava que iria para a casa de Jihyo para se reunir com as minhas outras amigas? Você me perguntou o que nós fazíamos lá e eu respondi que apenas ficávamos assistindo series, vendo filmes, comendo e principalmente, falando de garotos.

Você também lembra, mãe? Do primeiro dia que eu trouxe a Nayeon e JeongYeon para nossa casa, e se questionou porque que eu e JeongYeon ficamos desconfortáveis quando você comentou que a NaYeon faria facilmente qualquer garoto cair aos pés dela, e que ela deveria namorar com o meu primo, Jae Bum. Você acabou ingatando uma conversa com ela sobre isso. E respondendo a sua pergunta, era apenas a sua impressão.

E do dia em que fomos eu, você e o papai no parque, e acabamos vendo Momo, uma outra amiga que você não conhecia. Ela estava aos beijos com a namorada dela, então você me mostrou e disse que aquilo era uma pouco vergonha, e se eu fizesse isso com qualquer garota eu perderia a minha língua. Elas se aproximaram de nós, você se levantou e deu um tapa na cara das duas. Mamãe, elas tinham quase a mesma idade que eu, elas tinham só onze anos. O papai tentou te impedir, mas nessa altura você já havia chamado a atenção de todos. Mas muito obrigado mamãe, por que até hoje, Momo e Dahyun não conversam mais comigo, graças a você. Esse dia, de longe, foi o pior da minha vida. Fomos embora do parque as pressas, em todo o trajeto você me dando sermões, perguntando se eu sabia disso e que era para mim ter me afastado daquelas duas sapatonas.

Mas talvez você não se lembre do dia em que você pegou e eu a ChaeYoung aos beijos, no meu quarto. Nós tínhamos acabado de jantar, Chae dormira comigo por que o quarto de hóspedes estava reformando. Eu lembro, exatamente da cena, em que você entra no quarto e vê a Chae em cima de mim, com a mão em minha coxa e me dando um beijo de língua. É, você não lembra, mas eu lembro. Lembro bem do tapa que você deu em mim. Lembro bem do jeito que você jogou a Chae no chão e ela acabou quebrando o braço. Lembro bem que, depois que você havia ligado para os pais de ChaeYoung vir busca-la, você me bateu. Bateu muito, foi a pior surra que eu havia tomado na minha vida.

Essas mamãe, são as piores lembranças que eu tenho até hoje, com dezoito anos.

E mãe, todas as respostas eram mentira.

Eu sempre iria na casa de Jihyo por que ChaeYoung estaria lá. E não, nós nunca conversamos sobre garotos e nem ficávamos assistindo filmes, nos brincavamos de verdade ou desafio, e sempre no final eu acabava beijando alguma amiga minha, ou acabavamos fazendo outras coisas, tipo o dia em que ChaeYoung além de tirar meu BV, tirou também a minha virgindade no banheiro da casa de Jihyo.

A JeongYeon namora a NaYeon, mamãe. Elas namoram desde aquele dia, mas a Nayeon Unnie é muito boa em mentir. Eu sempre tive inveja da relação das duas. A JeongYeon sempre chegava na escola e dizia o quão legal era a mãe da NaYeon.

E mamãe, não me bata.

Mas não foi a Chae que me beijou, foi eu que beijei ela.

Eu sabia que já sentia alguma coisa por ela com apenas treze anos, eu sabia que eu gostava dela, como um príncipe gosta de uma princesa. Mas por que não pode ser duas princesas e dois príncipes, mamãe?

Mãe, você deve estar com raiva de mim, mas por favor me aceite.

Você deve estar com nojo de mim, mas eu também tenho nojo de você.

Você deverá sentir raiva do papai também, por que fui conversar com ele. Eu não sou e nunca fui uma pessoa confiante para falar uma coisa dessas para a senhora. Eu perguntei para o papai por que você é assim, e mergulhei lá naquelas lembranças, perguntei também por que ele lhe segurou quando você foi bater nas minhas amigas. Ele disse que não é como você, ele contou que já passou o que eu passei naquele momento. Mamãe, ele viu o tio JinYoung ser espancado pelo vovô quando ele era mais novo, só por que o vovô viu tio JinYoung beijar o tio Kunpimook. E você sempre me disse que era para manter distância dos dois, e só agora eu entendi o porquê.

O papai me respondeu direto mamãe. Ele me disse tudo o que eu precisava ouvir.

"Amor é amor, não é mesmo?".

Mamãe, você ainda sente raiva da ChaeYoung? Se sim, eu sinto muito.

Nós nos falamos até hoje, e graças aos deuses ela não ficou brava comigo por sua causa.

Mamãe, hoje, eu posso te dizer que eu e ela somos mais que amigas.

Nós somos namoradas.

Isso mesmo. Namoradas.

Ela é minha namorada.

E eu adivinho que agora mesmo você deve ter parado de ler a minha carta para ir correndo no meu quarto e me bater, como das outras vezes, mas você não vai me achar lendo gibis, e nunca mais irá me bater.

Eu fugi mãe.

Eu pulei a janela e fugi junto com a Chae.

Coloquei esta carta na mesa da cozinha antes que você chegasse.

É mamãe, eu nunca gostei de garotos.

É mamãe, eu nunca beijei o Jeongguk, por que ele gosta do Jimin. Eu só quis esconder quem eu sou mamãe.

Eu não escolhi gostar de garotas. Eu nasci gostando de garotas. Mamãe, eu já gostei da Rosé, sabe, aquela menininha que estudou comigo no pré, uma pena que ela se mudou de cidade, nunca mais nos vimos.

E antes de você ir brigar com o papai, pense mamãe, se coloque no meu lugar e no lugar do papai.

Se coloque no lugar de quem vai ouvir.

Não adianta me procurar. Eu mudei de número. Os pais da ChaeYoung se mudaram também, por que eu sei que você tem o número deles até hoje.

E eu só voltarei para casa com trinta anos, só para dar a notícia de que eu e ChaeYoung nos casaremos no dia seguinte e apresentar nossos filhos para você e o papai.

Eu só voltarei a ser sua filha quando você deixar esse seu orgulho nojento de lado e me pedir desculpas. Quando você deixar essa homofobia de lado e me aceitar do jeitinho que eu sou.

Ah, e eu já ia me esquecendo. O Jae Bum gosta de garotos mamãe. Eu já vi ele beijando o Young Jae, o "melhor amigo" dele. E também não vá até a casa dele, por que assim como eu, ele fugiu. Ele cansou mamãe, nós cansamos disso, ser rejeitado pela sociedade.

Só queremos um mundo sem problemas e muito menos preconceito, porque mãe, eu acho que eu "virei" lésbica.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...