História Mais Uma Vez - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias As Irmãs Vampiras, Lucas "T3ddy" Olioti
Personagens Dakaria Tepes, Elvira Tepes, Lucas Olioti, Mihai Tepes, Personagens Originais, Silvania Tepes
Tags Bissexualidade, Dakaria Tepes, Depressão, Elvira Tepes, Heterossexualidade, Lucas Olioti, Mihai Tepes, Murdo Dako, Mutilação, Romance, Silvânia Tepes, T3ddy, Vampiros
Visualizações 35
Palavras 1.054
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Famí­lia, Ficção, Romance e Novela, Slash, Violência
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Desculpem pela demora, não tive nenhum problema kkkk, só estava com muuuita preguiça de escrever. Vou tentar atualizar mais rápido.

Capítulo 8 - Madrugada


Fanfic / Fanfiction Mais Uma Vez - Capítulo 8 - Madrugada

Dakaria

Uma de suas mãos acariciava minhas costas, a outra acariciava meus cabelos, meu coração estava acelerado pra caralho. Eu era BV, porra!

Seus lábios estavam quase encostando nos meus, nossas respirações ofegantes. Ele puxou minha cabeça delicadamente, fazendo nossas bocas se tocarem, finalmente. O beijo começou lento, porém quente, intenso. Sua mão deixou de acariciar minhas costas para apertar minha cintura. Sua outra mão que estava em minha nuca, aprofundou o beijo. Ele pediu passagem com sua língua, eu não sabia direito o que fazer, tinha medo de fazer algo errado. Apenas cedi. Ele acelerou o beijo, levou as duas mãos até meus seios e os apertou por cima do sutiã. Eu sabia onde acabaríamos, mas eu simplesmente não conseguia parar. Aquilo estava bom pra cacete.

Suas mãos pararam em meu short. Logo o abrindo. Não disse nada, estava muito concentrada no beijo. Ele beijava bem demais! Seus lábios eram quentes, macios, gostosos... Eu poderia beijá-lo para sempre, sem parar. Não sei de onde tirei coragem, mas levei minhas mãos até a barra de sua camiseta, a puxando para cima. Logo ela estava no chão do quarto. Ficamos nos acariciando e nos beijando por mais algum tempo, até que o ar falta e tivemos que nos separar, ofegantes. Ambos estávamos completamente vermelhos, não sei se por vergonha ou pelo calor do beijo. Provavelmente os dois.

Murdo saiu de cima de mim, se levantou e pegou sua camiseta, a vestindo. É isso mesmo?! Nos pegamos e agora ele vai embora?! Ele me olhou, viu a confusão em meus olhos e riu, caminhando até mim.

- O que foi, pequena? Eu não beijo bem? - Perguntou sentando ao meu lado.

- Não! Que dizer, sim! Ai! Não foi isso que eu disse que não, ééé....

- Tudo bem, tudo bem! Eu entendi. - Falou rindo. - Daka, é o seguinte...

Ele foi interrompido por seu celular, tocando. Tirou o celular do bolso da calça e o atendeu.

- Oi moreno... Por?... Mas.. Ah, fala sério! O que aconteceu?... - Ele revirou os olhos. - Qual é! Fala logo, que saco!... Ai, Olioti, tá bom! Eu já vou!

Desligou o celular irritado. Olhou pra mim e suspirou.

- Lucas tá me chamando, disse que aconteceu algo e é urgente.

- Ah, é melhor você ir logo!

- Você não se importa se eu for agora? Prometo que volto amanhã.

- Tá tudo bem. Não se preocupe.

Depois disso, descemos as escadas, o levei até a porta. Antes de ir, ele me puxou pela cintura, me dando um beijo rápido e logo depois saiu voando. Assim que ele se foi, fechei a porta e me escorei nela, deslizando até cair sentada no chão. Passei as duas mãos nos cabelos enquanto suspirava. Ele tinha me beijado apenas por beijar ou porque sentia algo por mim? E com essa pergunta martelando em minha cabeça, me levantei, subi as escadas e me obriguei a arrumar aquela zona que estava o meu quarto. Logo depois que terminei, peguei um pijama e fui até o banheiro, tomar um banho, já que estava toda melada. Em todas as partes do corpo.

Terminei o banho, estava no maior tédio, Silvânia ainda não havia chegado, não que fizesse diferença, com ou sem ela, eu ficaria no tédio. Não tinha nada pra fazer, então, resolvi dormir, eram 21:30 da noite, mas como não tinha o que fazer, dormir era a única opção. Peguei meu celular, conectei os fones de ouvido, primeiro fui ver se Murdo estava online no Whatsapp. Não estava. Fui até as músicas e cliquei na minha playlist pra dormir. Tinha diversas músicas, Linkin Park, Evanescence, Avril Lavigne, Krypton Krax... Várias músicas que me ajudavam a relaxar. Entre elas, é claro, estava a música que Murdo havia feito para mim. Me levantei, apaguei a luz, voltei a me deitar na cama, logo me tapando, cliquei na música e fechei os olhos.

Logo pude ouvir a voz de Murdo, cantando. Ele tinha uma voz linda, suave e que me acalmava. Amava ouvir sua voz, tanto falando quanto cantando, era tão doce. Amava quando ele fazia alguns covers e postava no Instagram. Comecei a cantarolar a música, quase dormindo. Cantarolei até o final, começou a tocar um cover que ele havia feito, era de Innocence da Avril Lavigne. Sua voz estava maravilhosa naquela música, me veio a imagem dele, sentado num banco, tocando piano, enquanto cantava e tocava essa música e alguém o gravava. Com esses pensamentos, cai no mundo dos sonhos. Mais uma vez, sonhando com ele.

.......

Acordei, ainda era noite. Estava tocando The Messenger do Linkin Park em meu celular. Música triste pra caralho. Desconectei o fone, fazendo com que a música pausase automaticamente. Coloquei os fones em cima da cômoda, me sentei na cama, procurando minhas pantufas com os pés. Quando as achei, me levantei e fui em direção a porta, com o celular na mão. Abri e fechei a porta delicadamente, sabia que Silvânia estava dormindo. Com certeza já havia chegado da casa de Jacob. As luzes lá embaixo estavam acessas, o que achei estranho. Desci e vi Silvânia no sofá, comendo o resto do sorvete que eu e Murdo estávamos comendo. E fazendo outras coisas também.

- Achei que estivesse dormindo, até sai sem fazer barulho.

- Trouxa! - Me respondeu rindo. - Pega uma colher e vem comer comigo!

Fui até a cozinha, peguei uma colher e voltei até a sala. Me sentei ao seu lado e me tapei com o cobertor que ela estava usando. Na televisão, estava dando Pretty Little Liars.

- Netflix? - Perguntei.

- Óbvio.

- Maratona?

- Maratona!

Passamos o resto da madrugada assistindo séries, era bom estar com Silvânia às vezes. Na maioria das vezes ela só ficava com o Jacob.

......

- Mas o Sammy é mais bonito!

- É nada! Você só tá falando isso porque o cabelo dele é comprido igual o do Murdo. - Respondeu rindo. Pior que ela tava certa.

- Idiota! - Falei também rindo.

- Tô errada? - Rimos mais. - Mas então...

- Então?

- Como foi com o Murdo? O que rolou? - Tava demorando pra ela perguntar isso.

- Ai, Silvânia! Perdi o BV. Só isso. - Como o esperado, minha irmã deu um pulo, junto com um grito.

- NÃO ACREDITO! MINHA IRMÃZINHA BEIJOU ALGUÉM!

- SILVÂNIA, CALA A BOCA! - A puxei para o sofá novamente.

- Me conta tudo agora!

- Tá bom, tá bom. - já vi que essa noite vai ser mais longa do que eu pensei.


Notas Finais


Queria deixar aqui a minha indignação comigo mesma. Sério, que vontade de me matar! O capítulo estava pronto e a inteligente aqui, conseguiu excluir metade dele! Sério mano, que ódio. Depois dessa me deu até um desânimo, porra. Mas tudo bem, aqui está o capítulo 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...